Futuro ciclista urbano

Apoie nosso trabalho,
doe um libre!

Sonhos de um menino que quer pedalar pela cidade

Dia desses, meu filho de sete anos me disse: “Pai, já pensou se não existisse carro? Aí eu ia poder andar de bicicleta na rua, né? A gente ia poder ir nos lugares de bicicleta.”

Até me emocionei. 🙂 Falei pra ele que quando ele for maior, a gente vai poder fazer isso sim. Já faz alguns anos que ele me pede isso.

Aqui em São Paulo ainda não dá pra enfiar uma criança de sete anos no meio do trânsito. O máximo que já fiz com ele na rua foi sair de dentro do Parque do Ibirapuera e ir até uma lanchonete mais ou menos perto, mas tudo pela calçada. Paramos nós três (eu, ele e minha mulher) no bicicletário do lugar e almoçamos. Depois voltamos pedalando até o parque. Para ele, aquilo já foi a maior aventura…

Mas tenho fé de que a cidade será mais amigável a ele do que foi a mim. Graças ao pessoal que participa da Bicicletada, à Renata Falzoni e alguns cicloativistas “das antigas”, a alguns (raros) vereadores, ex-vereadores e secretários, a algumas pessoas no Metrô e na CPTM, às Bicicletadas mensais, a alguns sites e blogs citados aqui constantemente, ao Dia Mundial Sem Carro, às ações de guerrilha de cicloativistas na cidade, a alguns jornalistas de mente aberta e, por incrível que pareça, graças também à poluição e aos congestionamentos, que empurram as pessoas de bom senso a procurar alternativas.

A todos (exceto à poluição e aos congestionamentos, claro), meu muito obrigado. Que continuem trabalhando nesse sentido. Quem sabe assim nossos filhos não poderão levar os filhos deles para a escola em trailers daqueles estilosos? 😉

Candidato

Durante as eleições do ano passado, ele me veio com essa:

– Pai, se eu fosse candidato você votava em mim?

– Depende, filho. O que você ia fazer?

– Eu ia tirar todos os carros e todas as motos da rua e ia deixar só as bicicletas!

– Já ganhou… 😀

Antes que me apedrejem, eu sempre explico pra ele que o carro é importante principalmente como ambulância, carro de bombeiro e viatura da polícia. Ou para quem tem dificuldade de locomoção, para longas distâncias que não são atendidas por transporte público e para transportar crianças, idosos, enfermos, volumes e peso. E que ônibus e caminhões também têm sua importância.

Não sou a favor de queimar os carros, mas bem que boa parte deles podia sair das ruas e dar lugar a ônibus (elétricos de preferência), metrô, ferrovias, bicicletas, caminhadas. Vamos orientar melhor as próximas gerações para não crescerem com a mesma visão carrocentrista que foi enfiada goela abaixo da nossa.

Gostou da matéria? Doe um libre
e ajude nosso projeto a continuar!

6 comentários para Futuro ciclista urbano

  • Fábio Caparica » del.icio.us entre 04.11.2009 e 08.04.2010

    […] Futuro ciclista urbanoDia desses, meu filho de sete anos me disse: “Pai, já pensou se não existisse carro? Aí eu ia poder andar de bicicleta na rua, né? A gente ia poder ir nos lugares de bicicleta.” […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Pedro M

    Sei que este é um post antigo, mas tava lendo de trás pra frente e parei aqui. E o blog é excelente! Tive de parar para comentar…

    Gostei da abordagem, das dicas, e mesmo da militância. São Paulo precisa de mais gente que pense assim. E Brasília, minha cidade (ainda) tão aberta e espaçosa (uma vantagem em relação a Sampa), infelizmente está correndo a passos largos rumo ao caos nas ruas. Aqui também precisamos de maior consciência para mobilidade urbana.

    Mas comento precisamente este post porque gostei de como você colocou a questão. Há alguns cicloativistas que demonizam qualquer coisa com motor, e o caminho não é por aí; na verdade, devemos demonizar o egoísmo e o mal-trato do espaço público. Sou músico e sei da importância de ter um carro para carregar dezenas de quilos em instrumentos e equipamento por distâncias às vezes longas. A mobilidade deve acompanhar a necessidade — e acredito firmemente que não necessitamos de quilômetros de congestionamento, poluição e estresse quando há alternativas mais inteligentes.

    Ainda estou engatinhando no pedal urbano, que tomará cada vez mais espaço na minha rotina, assim espero. Com a ajuda de espaços como seu blog, isso será em breve! Parabéns novamente.

    Abs.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Bruno

    Me emocionei tbm. Eu “vivia” de bike quando era criança, gostaria que meu filho também pudesse curtir isso. Mas aos poucos vamos andando nós 3 (eu, esposa e filho) cada vez com mais frequência.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Ricardo Andrade

    Quando tiver um filho, assim que possivel vou botar uma cadeirinha na minha bike para ele andar comigo e quando já estiver maiorzinho o primeiro presente vai ser uma bicicleta.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • leonardo

    putz eu até me emocionei com o post… que bonitinho 🙂

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Douglas

    Me deparei esses dias com uma maravilhosa apresentação (de 2008) sobre políticas em prol da bicicleta, ministrada por John Pucher, que é professor de planejamento e políticas públicas da universidade de Rutgers. Infelizmente o vídeo está em inglês, mas é uma preciosidade:

    Cycling for Everyone: Lessons for Vancouver from the Netherlands, Denmark, and Germany
    http://www.sfu.ca/city/city_pgm_video020.htm

    Os slides podem ser encontrados em:
    http://policy.rutgers.edu/faculty/pucher/Cycling%20for%20Everyone%20VANCOUVER%2024%20June%202008.pdf

    E uma tradução dos slides para português (feita pela TA):
    http://www.ta.org.br/site/Banco/7manuais/BiciTrab1/Bicicleta_para_todos_ProfPucher.pdf

    Thumb up 1 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>