Qual o melhor presente para dar a uma criança?

Imagem: Infância Livre de Consumismo.
Clique para conhecer.

Quando meu filho fez 8 anos, perguntei a ele o que queria de aniversário. Ele pensou, pensou… e não sabia o que pedir.

– Ah, pai, dá um daqueles carrinhos mesmo.

– Mas você já tem tantos, Gabriel! (E era verdade. Ele tinha muitos.) Vamos fazer o seguinte? Eu te levo numa loja de brinquedos e você escolhe o que quiser, desde que seja abaixo de “x” reais.

– Tá bom!

Passou alguns momentos em silêncio, pensativo, com o olhar distante, até que me disse:

– Pai, não quero isso não.

– E o que você quer, filho?

– Quero que você me leve pra conhecer a ciclovia. [do Rio Pinheiros, aqui em São Paulo, que tinha sido inaugurada havia dois meses]

Nem preciso dizer que quase chorei quando ele me disse isso. Fiquei profundamente emocionado, não só porque ele pediu para andar de bicicleta comigo por aí, mas por ele preferir minha companhia por um dia inteiro, exclusivamente para ele, do que um brinquedo.

 

Naquele dia, Gabriel aprendeu muito. Descobriu que conseguia ir mais longe que imaginava, aprendeu sobre cuidados com a natureza e sobre como deixamos o rio daquele jeito, que ainda há vida no rio que parece morto, que capivaras andam em grupos, que mamão nasce numa árvore compridinha, que o rio é sujo mas dá pra consertar, que a bicicleta pode transpor grandes distâncias dentro da cidade, que dá para levá-la no trem, que na ciclovia vamos mais rápido que os carros no congestionamento… e muitas coisas mais, que só ele, um dia, poderá me contar, lembrando daqueles momentos com um sorriso no rosto.

Mas o melhor de tudo foi ele ter me ensinado algo que, como adulto, eu já deveria ter percebido: que a presença do pai ou da mãe (ou de qualquer familiar ou responsável que o ame muito), carinho, companhia, brincadeiras, passeios e a felicidade de estar junto são muito, mas MUITO mais importantes para uma criança do que um brinquedo, que depois de alguns minutos terá perdido a graça. As descobertas daquele dia, os sorrisos e as lembranças seguirão conosco para sempre. Nesse dia, eu também ganhei um presente. E, depois disso, sempre lhe ofereço a opção de fazermos um passeio juntos.

Em um mundo em que os pais têm cada vez menos tempo para os filhos, esse tempo deve ser valorizado e muito bem aproveitado. E, sempre que possível, ampliado.

Se for possível, dê a seu filho, filha, sobrinho, irmão mais novo – enfim, aquela criança que te ama – o que ela quiser ganhar. Mas ofereça opções mais atraentes que os brinquedos e a deixe escolher. Seu amor e sua presença podem ter mais efeito que qualquer boa campanha de marketing, desde que você saiba “vender” melhor que eles. E não é preciso enganar, é só jogar a real: “e se a gente passasse o dia todo juntos, fazendo um passeio bem legal num lugar diferente?” Ou em casa mesmo, mas compondo, criando, recortando, colando, pintando, correndo, pulando. Invente, crie, cative, volte a ser criança por um dia e presenteie com lembranças que ajudarão a construir o caráter e serão guardadas com carinho por toda a vida.

As lembranças mais agradáveis da vida são das coisas gostosas e felizes que acontecem na infância.

Imagem: Infância Livre de Consumismo.
Clique para conhecer.

Tem uma história dessas para compartilhar? Conte aqui nos comentários!

Leia mais: Menos presentes, mais presença


11 comentários para Qual o melhor presente para dar a uma criança?

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>