Como passar as marchas da bicicleta

Foto: Willian Cruz

Foto: Willian Cruz

Uma dúvida que assola os iniciantes é como passar as marchas de forma correta. Este artigo tenta esclarecer essa questão, em linguagem simples e clara.

Nas bicicletas que têm engrenagens de marchas apenas na roda traseira – ou marchas internas, dentro do cubo (eixo) – não há muito segredo: um único passador é responsável pela mudança e é fácil perceber se a bicicleta está ficando “leve” ou “pesada”, o que torna a passagem de marchas bastante intuitiva.  Entretanto, quando há passadores dos dois lados do guidão, muita gente acaba se confundindo. Não se preocupe, isso é normal. Estamos aqui para te ajudar.

A explicação contida neste artigo é detalhada. Se não tiver paciência de ler tudo, pule direto para o box azul escrito Resumo, ali no meio da página.

Passador Revoshift. A parte bojuda é rotacionada com a mão para fazer a passagem de marcha.

Passador Revoshift. A parte bojuda é rotacionada com a mão para fazer a passagem de marcha.

Passadores

Em bicicletas que tenham apenas câmbio traseiro, há um único passador, geralmente no lado direito do guidão. Quando a bike tem câmbio dianteiro e traseiro, há dois passadores: um no lado esquerdo do guidão e outro no lado direito. Na esquerda, você tem sempre duas ou três posições; no lado direito, a quantidade varia de acordo com a quantidade total de marchas que você tiver (multiplique um número pelo outro para saber o total de marchas da sua bicicleta).

Sistema rapid-fire. Em destaque, a alavanca utilizada com o indicador. A alavanca do polegar fica embaixo do conjunto.

Sistema rapid-fire. Em destaque, a alavanca utilizada com o indicador. A alavanca do polegar fica embaixo do conjunto.

Os passadores podem ser de alavanca simples, duas alavancas (rapidfire,  EZ-fire, trigger shifter) ou de girar (grip shift, Revoshift).

Nos de alavanca simples, há uma única alavanca pequena que, conforme movida para um lado ou outro, aumenta ou diminui de marcha. Algumas bicicletas de estrada mais antigas têm essa alavanca no quadro, mas é um modelo pouco comum hoje em dia.

Os de alavanca dupla ou rapid-fire/EZ-fire têm alavancas separadas para aumentar e para diminuir, dispostas estrategicamente perto dos dedos indicador e polegar, de forma que você suba a marcha com um dedo e desça com o outro, tornando a passagem mais simples, rápida e eficiente.

O sistema Revoshift ou grip-shift  é formado por uma cobertura giratória próxima à manopla, que envolve parte do guidão e aumenta ou diminui a marcha conforme girada.

O que significa “Sistema Indexado”?

dica shimano

Foto: Orin Zebest (cc)

O sistema antigo de marchas funcionava como um rádio com dial manual, onde você tinha que acertar o ponto “na mão”. Foto:Orin Zebest (cc)

Até bem pouco tempo atrás a tecnologia de mudança de marchas era simples. Enquanto o ciclista pedalava, o câmbio traseiro ou dianteiro, acionado pelo cabo da alavanca de mudança de marchas, empurrava a corrente até ela engatar no próximo pinhão do cassete ou na próxima coroa do pedivela. Simples assim, era como se mudava a marcha da bicicleta. Acontecia muitas vezes, porém, do ciclista acionar demais ou de menos a alavanca, fazendo com que a corrente engatasse numa outra marcha. Com isso, muitas vezes o ciclista tinha que olhar para baixo para se certificar de que a marcha correta havia entrado. Era como tentar mudar de estação naqueles rádios antigos…

Foto: jypsygen (cc)

Como a troca de estação em um rádio digital, um botão faz a mudança de marcha, parando automaticamente na posição correta. Foto:jypsygen (cc)

A Shimano viu esta dificuldade e seus engenheiros procuraram solucionar o problema. Após muito estudo, tentativas, testes e mais testes, a empresa inovou e apresentou ao mundo a tecnologia SIS: Shimano Index System (Sistema Indexado Shimano). O SIS consistia em uma indexação da mudança de marchas: agora, o ciclista não tinha mais que “caçar a marcha certa”; com o SIS, ao fazer a mudança de marcha, ela engatava automaticamente e o ciclista ouvia um “clique”, o que lhe dava a certeza de ter mudado a marcha!

Assim a Shimano contribuiu definitivamente para a indústria da bicicleta, tornando o SIS um padrão da indústria mundial e facilitando a vida dos ciclistas profissionais e dos ciclistas de final de semana. Quando andar em sua bicicleta e estiver mudando as marchas, independente dos componentes serem Shimano ou não, lembre-se: aquele “clique” que você escuta ao mudar a marcha foi um desenvolvimento da Shimano.

Simples ou indexado

O sistema de câmbio pode ainda ser simples ou indexado. Os sistemas rapid-fire/EZ-fire são sempre indexados; os outros sistemas podem ser indexados ou não.

No câmbio indexado, conforme você troca de marcha nos passadores, a corrente “passa” para o lugar exato onde ela deve estar para que a próxima marcha entre e ouve-se um “clique”.

Já nos sistemas mais simples, é você quem tem que acertar o ponto da corrente para ela entrar na posição correta. Você saberá que ainda não está na posição correta se estiver fazendo barulho, enroscando, etc. A experiência de usar um sistema desses costuma ser bastante ruim.

O sistema indexado geralmente é mais vantajoso, mas precisa estar sempre regulado. Quando o câmbio desregula, ainda que milimetricamente, a passagem de marchas se torna difícil e às vezes a marcha não entra. O sistema se desregula com o uso, isso é normal, mas os conjuntos mais modernos levam mais tempo para desregular e tem a regulagem simplificada, podendo ser ajustados sem ferramentas e até mesmo sem parar a bicicleta, com dispositivos junto aos passadores.

Quando o mecanismo desregula, as marchas não passam corretamente e ficam “arranhando”, ou ficam pulando de uma posição para outra enquanto você pedala, o que pode até ocasionar uma quebra da corrente.

A maioria das mountain bikes tem três coroas, o que significa três posições possíveis para o câmbio dianteiro.

A maioria das mountain bikes tem três coroas, o que significa três posições possíveis para o câmbio dianteiro.

Passando as marchas

O passador do lado esquerdo move o câmbio dianteiro, que são as marchas das coroas – engrenagens que ficam no pedivela (onde se pedala). Elas têm esse nome porque se assimilam a uma coroa. A semelhança é remota, admito: parecem-se mais com coroas de espinhos do que com coroas de jóias. :)

No lado direito, move-se o câmbio traseiro, que chamamos também de catraca ou cassete (pronuncia-se K7). Há uma diferença técnica entre esses dois termos, mas ela não importa agora: qualquer dos dois que você usar, será entendido. Alguns ciclistas mais antigos chamam também de pinhão.

A ordem da passagem das marchas não é sequencial. Há uma sequência lógica, mas parece ser meio misturado mesmo. Para os exemplos abaixo, usei uma relação típica de 21 marchas, a mais encontrada no mercado, mas mesmo que sua bicicleta tenha uma quantidade diferente de marchas, você entenderá os exemplos.

A ordem correta para passar as marchas em um bicicleta de “21 velocidades”, em termos de esforço crescente, é a que está listada abaixo. Considere o primeiro número de cada par como a marcha da frente (a da coroa, geralmente do lado esquerdo do guidão) e o segundo como a de trás (catraca). Em ambos os casos, a marcha 1 é a mais leve (em algumas bicicletas, vem marcada com um L, que representa “low” – baixa).
1-1 / 1-2 / 1-3 / 2-2 / 2-3 / 2-4 / 2-5 / 2-6 / 3-5 / 3-6 / 3-7

Mas não tente decorar! Você vai perceber aos poucos qual a melhor passagem de marchas. Vai entender, por exemplo, que a 2-2 é realmente mais “pesada” para pedalar que a 1-3. Você pega isso na prática e acaba se tornando instintivo, por enquanto é só entender que elas são um pouco “misturadas”.

Resumo

O melhor mesmo é entender que marcha leve de um lado combina com marcha leve do outro!

1 na frente, 1 ou 2 atrás
2 na frente, 2 até a penúltima marcha na direita
3 na frente, duas últimas marchas atrás

É bem mais fácil de lembrar e funciona bem. Você usa a 1 e a 2 na direita com a 1 na esquerda, depois passa a esquerda pra dois e vai subindo a direita até a 6, depois muda a esquerda para 3 e depois usa a última na direita. Aos poucos você vai fazendo as variações, conforme pegar o jeito.

Se ainda assim estiver muito complicado, coloque a corrente na coroa do meio e mantenha ela ali, trabalhando apenas com o câmbio traseiro, até se acostumar.

Devo me preocupar com isso?
Segundo a Shimano, não. Se estiver com um grupo de componentes de sua fabricação, bem regulado e devidamente montado na bike (compatível, ajustado, etc.), o ciclista pode utilizar todas as marchas de sua bicicleta, sem se preocupar com o câmbio cruzado. O importante é evitar as marchas pesadas nas subidas e as marchas leves nas descidas.

Câmbio cruzado

Existem algumas combinações de marchas que evitamos, para não forçar o mecanismo: repare que se você colocar a 3 na esquerda e a 1 na direita, ou a 1 na esquerda e a 7 na direita (ainda no nosso exemplo de 21 marchas), a corrente fica muito esticada e um pouco torcida, desalinhada em relação ao quadro. Em alguns casos, ela fica até fazendo barulho, por roçar no mecanismo do câmbio dianteiro. Isso é o que chamamos de câmbio cruzado.

Essas posições forçam o conjunto todo e exercem uma pressão lateral para a qual, em muitos casos, a corrente não foi projetada para suportar. Como resultado, há desgaste prematuro do conjunto e em alguns casos até quebra da corrente. Evite as seguintes combinações: 1-6, 1-7, 3-1 e 3-2 (novamente tendo como base 21 marchas), ou seja, as duas combinações mais extremas de cada ponta. Se puder evitar também o 2-1 e o 2-7, também ajuda.

Quer dizer então que eu comprei uma bicicleta com 27 marchas mas não devo usar todas? Exatamente. A quantidade total de marchas representa apenas a quantidade de combinações possíveis, mas na prática não é recomendável usar todas. E, sinceramente, você não sentirá falta alguma dessas combinações. Não porque 27 ou mesmo 21 marchas sejam demais, mas sim porque o que importa são os limites máximo e mínimo de esforço/velocidade na pedalada. A combinação mais pesada em uma relação de 27 permitirá velocidade maior que a combinação similar de uma de relação de 18 – e a mais leve é *bem* melhor para as subidas em uma 27 do que em uma 18.

Passando mais de uma marcha por vez

Alguns sistemas permitem ao ciclista passar mais de uma marcha por vez. Isso deve ser feito apenas no passador da direita (câmbio traseiro), tanto para diminuir quanto para aumentar a marcha. Alguns câmbios indexados do tipo rapid-fire permitem fazer a mudança de duas em duas ou até de três em três marchas na relação traseira, com uma pressão mais forte do polegar.

Não é recomendável fazer isso na marcha dianteira (esquerda), senão a corrente pode enroscar no mecanismo ou até cair para fora das coroas.

Subidas

Nas subidas torna-se mais difícil passar a marcha, porque você está fazendo uma força de tensão maior na corrente ao pedalar. Isso dificulta ao mecanismo passá-la para outra posição, principalmente no câmbio dianteiro. A corrente “gruda” na coroa em que está: se estiver na frente, vai ficar fazendo barulho sem sair do lugar; atrás, mudará com um estalo, com impacto prejudicial na corrente.

Para facilitar essa passagem, pedale um pouquinho mais forte antes de fazer a passagem e, então, diminua a força que você está aplicando na pedalada enquanto faz a passagem, para fazê-lo girando mais leve, sem muita tensão na corrente. Para quem dirige automóveis, é mais ou menos o mesmo conceito da passagem de marchas em um carro, em que para subir a marcha você primeiro acelera um pouco, para então aliviar a aceleração enquanto pisa na embreagem e faz a passagem. Na verdade, usando essa técnica em um bom e velho Fusca você consegue até passar a marcha sem pisar na embreagem! :)

Cambio de Marcha Interna Nexus
dica shimanoSe mesmo após ler este artigo você ainda considera mudanças de marcha na bicicleta um assunto complicado, talvez um Cubo de Marcha Interna seja uma solução perfeita para você.Veja só:

    • Os Cubos Nexus da Shimano possuem 3 ou 8 marchas;
    • Trocar a marcha é fácil: basta girar a alavanca Revoshift e você faz a mudança, tornando-a mais leve ou mais pesada (para mais ou menos velocidade)
    • A mudança da marcha pode ser feita com a bicicleta parada ou em movimento!
    • Você não precisa fazer cálculos ou pensar em que marcha ou velocidade está, apenas vá mudando de marcha para encontrar a velocidade ideal para o seu pedal
    • Os Cubos Nexus não desregulam. A corrente não corre risco de cair
    • Os Cubos são selados e totalmente protegidos contra intempéries: a manutenção é feita em média de 2 em 2 anos
    • Os Cubos de Marcha Nexus são perfeitos para a mobilidade urbana: o sistema é utilizado em vários sistemas de bicicletas compartilhadas no Brasil, justamente pela facilidade de uso e baixa manutenção
    • Por serem simples na operação, são também indicados para bicicletas infantis, de passeio, urbanas e bicicletas femininas
    • Por fim, sua bicicleta fica com um visual clean e bonito sem câmbios dianteiro, traseiro e cassetes!

Experimente! ;)

Dúvidas?

Envie sua dúvida para o e-mail contato@vadebike.org, com o assunto “Dicas Shimano“.
Ela pode resultar em uma matéria completa sobre o assunto e você ainda receberá um conjunto de nossos adesivos! \o/


112 comentários para Como passar as marchas da bicicleta

  • Gostaria de receber verçao em videos para palestras

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Jorge David

    Excelente.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Karla

    Quanta gentileza, suas explicações…Muito obrigada.Eu estava passando errado as marchas da minha bike e meu marido tentou me explicar ontem me mostrando a tais coroas…kkkk VALEU!!!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • André

    Olá William, tudo bom? Valeu mesmo pelo post, agora eu entendo (alguma coisa) de bike! Mas eu tô com um probleminha… eu estou usando a bike de uma amiga, é uma Mormaii Full Max, só que no passador da esquerda não existem 2 ou 3 posições, mas 14! Eu fui conferir e, de fato, existem apenas 3 coroas, e na internet a bicicleta consta como 21 marchas (ela possui 7 posições na direita, como de praxe)… como proceder nesse caso? Sou totalmente leigo no assunto. =/
    Desde já MUITO obrigado pela ajuda!

    Thumb up 2 Thumb down 0

    • André, provavelmente os passadores estão invertidos. O da esquerda deve estar trocando as marchas traseiras e o da direita, as dianteiras. Já veio assim? Vai funcionar, o problema é que você vai se habituar com isso e no dia em que migrar para uma bicicleta de qualidade terá problemas de adaptação. Acione a garantia, eles têm que corrigir isso.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fernando

    Cara, eu sou muito novato, pedalava de vez em qdo agora estou começando a aprender pra poder me locomover pela cidade com segurança, mas nunca consigo fazer subidas.
    Sempre achei que era o contrário, que as marchas pesadas era pra usar na subida, pq daí eu fico em pé na bicicleta e tenho mais facilidade pra empurrar, mas nunca aguento tudo.
    É pesada pra subir e leve pra descer?

    Pô muito obrigado pelo blog, li muitos textos nas últimas horas, estou passeando aqui, achei animal!

    Thumb up 3 Thumb down 0

    • Fernando, se você colocar na marcha leve, vai fazer menos esforço. Mas se você se sente mais confortável pedalando em pé com a marcha pesada, tudo bem… :)

      Temos um texto que trata especificamente de subidas, com uma série de dicas para reduzir o cansaço e a transpiração. Veja aqui.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • CARLOS ROBELIO

    Aproveitando as dicas que sobre bicicleta, eu tenho outra duvida que eu acho muito importante, então vejamos :QUAL O MODELO DE SELIM QUE EU DEVO COLOCAR NA MINHA BICICLETA PARA EVITAR FUTURO PROBLEMA DE PROSTA, E CONSEQUENTEMENTE DOENÇA DE CÂNCER. 0 meu selim atual (que veio na bicicleta caloi 100) não veio com aquela abertura no meio, e é um selim cuja material não é de silicone.HELP !!!!!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • CARLOS ROBELIO

    Vendo estas DICAS abaixo :
    1 na esquerda, 1 ou 2 na direita
    2 na esquerda, 2 a 6 na direita
    3 na esquerda, 6 ou 7 na direita
    Então, qual a relação de marcha devo colocar no cambio da bicicleta para subir uma LADEIRA, eu comprei uma bicicleta de 21 marcha, e estou totalmente confuso.
    Bom Natal a todos. :-)

    Thumb up 1 Thumb down 1

    • cristiano

      se for subidinha,ponha na coroa do meio e 6,que irá ficar leve,se for mais ingrime ponha na 1º coroa e na 7.
      Bom sempre lembrar pra não confundir ,mão esquerda ‘passador da coroa’ mão direita cassete. pra manter um gito legal é bom nem ficar mexendo na coroa,mantenha na coroa do meio e fique na opção de subir marcha pra ficar leve e descer marcha pra ficar pesada.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • oi william eu tenho uma caloi xrt eu passo as marchas e não faz nada

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARILIA

    APRENDI….BRIGADUUUUUU

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Carolina

    noooooossa, nunca na minha vida eu achei q fosse entender isso! obrigadão!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • abner

    Tenho uma Caloi t-Type. A marcha traseira, a coroa maior, que é a marcha mais leve, ela nao fica normal, ela volta pra segunda marcha.
    É regulagem? como regulo?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Luiza

    Gostei muito do seu site o post foi muito bem explicado você só não explicou qual a melhor marcha para uma subida,então qual seria essa marcha?

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • luiz carlos

    amigo, estou pensando em trocar os sistemas de marchas, eu possuo sistema de marchas dianteiro e traseiro convencional, gosto de andar na cidade, vc recomendaria a troca p cambio no cubo? é viável e eficiente? grato

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Fernando Latiak

    É bom lembrar que, em alguns quadros, como a imensa maioria dos fabricados pela Caloi, a última marcha da catraca – seja 6 ou 7 – sempre faz com que a corrente raspe no quadro, o que pode fazer com que a corrente, literalmente, corte a gancheira. Falha grotesca de design dos quadros que, para evitarmos, ou enfiamos algumas arruelas a mais no eixo, ou evitamos usar a última marcha.
    Eu tenho uma Caloi XRT que tem uma “cicatriz” horrorosa na gancheira, causada pela corrente. Fui descobrir que isso ocorria apenas na primeira revisão… :(

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • guina

    Bom dia, gostaria de saber qual a diferença entre “grip e revo – shift”, ou se é tudo igual.
    vlw

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • tg

    os passadores revoshift são um lixão,akela borracha com o tempo resseca e para de passar a marcha,alem de criar calos nas mãos,o melhor é o rapdfire,simples e comfortavel !

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Bom dia, Estou querendo comprar uma bicicleta porque veio em minha cabeça o desejo de fazer caminhada e academia.
    Eu sempre andei muito de bicicleta por ser do interior e não ter outro meio. Hoje trabalho a 7,8KM de casa.
    E sonho vem, sonho vai, decidi!Comprarei 2.a Feira minha bicicleta e estou vendo as dicas em site. Agora andarei 4 X 7,8KM, ou 32KM por dia. Não sei se é muito para começar, mas o correto é dizer, moto e carro matam, bicicleta da vida. Só vai ser ruim na chuva (pior que a moto). A verdade é que estou com 89KM pra 1,66m, 25 anos. Voltarei aqui para contar minhas experiências. Vou comprar uma montain bike, gios, caloi ou soul ace. Agora que já passei minha experiência e esse sonho repentino gostaria de elogiar a forma com que o artigo do site foi feito. Parabéns ao dono do site pela forma que escreveu porque fica bom de ler e é muito profissional. Meu amigo aquele abraço. Boa pedalada a todos e muita saúde. Bicicleta você admira a natureza, moto e carro você as destrói e mata pessoas.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Gostaria de dizer que trabalhei em 2 empregos, somando 8 anos, sendo 2 no primeiro e 6 anos no outro a 50km de casa no mínimo. Sendo 2 acidentes gravíssimos de moto. Mas estou vivo e vi gente andando esses mesmo 50km ou mais de bicicleta, são pessoas pobres que vieram de longe e economizam o passe de ônibus para suas famílias. Os caras tem 45 anos e uma baita saúde. Então vocês já sabem… BIKE…

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Jose Luiz da silva

    Não sei usar o cambio dianteiro shimano revoshift friction posição – e + aciono ate ofinal e nada acontece esta sempre na coroa 2. Alguem sabe onde encontro o manual para aprender a usar tbem a 1 e 3?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • edson

    Muito boa a colocação de como usar as marchas da bike,e como sincroniza-las obrigado.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • claudia

    Adorei as dicas… facilitou minha vida, obrigada.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Raphaela

    Olá Willian! Estou com bastante dificuldade com minha bike, preciso muito da sua ajuda! É bem provável que não vou conseguir passar da forma mais correta porque sou bem leiga no assunto. Comprei uma bike da Caloi, 7 marchas atrás, para 3 coroas. Ela faz muito barulho e sempre dá uns “trancos”..não sei como explicar..Já mandei para a revisão 3 vezes, me garantiram que não há defeito algum, apenas que preciso me adaptar. Acontece que já devo ter desregulado ela de tanto que já mexi e não consigo arrumá-la..a corrente acaba se “soltando” e fazendo novamente os barulhos. Parece ser impossível de regular com as marchas (direita e esquerda)rs. Até pq na marcha esquerda não há números ao lado para que eu possa ter noção em qual está para conciliar com a marcha direita. Gostei muito do seu texto! Vc tem mais dicas (específicas para o meu caso) que possam me ajudar?? Obrigada! Até!

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Raphaela, bicicletas de preço mais em conta (supondo que seja esse o seu caso) vêm com câmbios de baixo custo, que são mais difíceis de regular e perdem essa regulagem com mais facilidade. Isso só se resolve comprando um conjunto de câmbio um pouco melhor, mas será preciso trocar muitas peças e vai sair um pouco caro. Talvez também você esteja colocando força nos pedais enquanto passa a marcha, é preciso dar uma aliviada.

      De qualquer forma, não é normal a corrente se soltar com facilidade, alguma coisa está errada na regulagem. Há parafusos limitadores, que regulam o quanto o câmbio pode levar a corrente para dentro ou para fora na coroa, impedindo que ela caia para fora das engrenagens.

      Thumb up 3 Thumb down 0

      • MARILIA

        Oi, Raphaela…aconteceu comigo…e com este artigo consegui…porém….não foi tão fácil assim…no primeiro dia fiz como ele disse…fiquei na marcha 2 (frente..coroa do meio) e fui mudando as outras de trás….+ leve…+ pesado…testando nas subidas…e depois que senti + confiança…mudei para testar a primeira marcha…ai vem o pulo do gato…como a primeira marcha fica leve (a menor da frente-mão esquerda)…só mudei depois que a de trás estava na maior…e assim por diante…antecipo qual marcha desejo…+ leve para uma subida…tenho que mudar a da frente..porém….primeiro vejo em qual marcha esta atras..geralmente gosto deixar + pesada (maior).. para depois mudar a da frente….principalmente na subida..e ai sim começo a mudar a de trás de novo.. até ficar na leve..uma por uma…parece complicado…mais é como dirigir o carro…depois que sabe é automático!Vai que vc consegue!um detalhe…não testei ainda a coroa maior da frente…deve ficar muito pesada..então no meu ponto de vista…só usaria em uma descida pra poder pedalar…por enquanto só fico no estiramento e a magrela solta..no final ja vou pedalando e mudando a marcha pra pesada de novo (atrás – mão direita na minha bike)!!!!minhas subidas são bem…moderadas..kkkk

        Thumb up 1 Thumb down 0

  • KLEITON CASSEMIRO

    Muito boas as dicas. Muitas coisas que não eram pra fazer eu acabei fazendo sem saber. Uma delas foi passar da 2 pra 01 a marcha dianteira (esquerda) em uma subida, isso fez com que a corrente saísse da coroa. Coloquei com a mão na segunda, mas acho que deve ter desregulado. Era pra fazer isso mesmo?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Josemberg Leal

    WILLIAN CRUZ, parabéns pelo seu post. Eu comprei uma bike da soul cycles com 21 marchas, e até então estava meio brabo na troca de marcha, estava realmente fazendo tudo errado cruzando o câmbio direto, passando até 3 marchas de uma vez. Até que um dia a caminho de casa ao trocar a marcha sem alinhar corretamente a corrente no câmbio, acabou que a corrente saiu o dente e quebrou-se. Tive que ir pra casa empurrando. Até que fiz uma busca na internet para saber o que estava errado, se era falha humana mesmo ou mecânica da bike. Ao ler o seu post fiz o teste e realmente concluí que a falha era humana. Com as combinações que você elaborou acima no texto, decorei tudo e ao andar de bike novamente, deu tudo certo, sem câmbio cruzado, corrente quebrando ou estalando. Obrigado e parabéns por ajudar.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Deysi

    Parabéns! Tirou todas as minhas dúvidas. Ótimo texto.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Eliandro

    Boa noite Willian! Acabamos de comprar duas bikes tipo mb e nunca tivemos bike de marcha , logo o teu site ajudou demais agora resta colocar em pratica todas as dicas que vc deu. A Niviane te manda um abraço e de repente ,marcamos para andar junto contigo só que como estamos fora de forma, primeiro precisamos entrar em forma para depois fazermos contato e então agüentar as suas pedaladas, valeu, um abraço, Eliandro.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Os números ímpar é a marcha a esquerda e os números par é a marcha a direita

    Thumb up 0 Thumb down 2

  • Lula

    Cara, era tudo que eu precisava saber! Você realmente matou a pau! Clareza, concisão, objetividade. Ando de bicicleta há anos ( muitos mesmo, talvez mais do que você tem de idade… :-D ), mas somente agora comprei uma com marchas e procurava exatamente as dicas que você, generosamente, nos oferece. Sim, generosamente, porque ler e entender algo tão bem escrito é fácil, já escrever, sabemos que são outros quinhentos…

    Parabéns! Que venham outras!

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>