Premiando a criatividade sustentável

Apoie nosso trabalho,
doe um libre!

A Specialized, tradicional fabricante de bicicletas, e o Google, que dispensa apresentações, fizeram um concurso chamado Innovate or Die (em uma tradução literal, “inove ou morra”), onde os participantes deveriam projetar e desenvolver máquinas movidas a pedal (bicicletas ou não) que tivessem “impacto ambiental”, ou seja, que contribuíssem de alguma forma com o meio ambiente. Substituir algo feito com motores por energia movida a pedal já seria uma contribuição e tanto, afinal seria utilizada energia limpa em vez de combustíveis fósseis e energia elétrica (que, à sua maneira, também causa degradação ao ambiente).

O concurso ocorreu no ano passado, mas não foi divulgado no Brasil porque alguns poucos países poderiam participar. Ok, então é notícia velha? É. Mas eu não tinha ouvido falar nisso até agora e imagino que a maioria de vocês também não. Por isso resolvi postar aqui.

102 invenções foram inscritas no concurso, entre propostas enviadas por equipes e inventores solitários. O projeto vencedor foi o de uma bicicleta para buscar, filtrar e armazenar água, com a proposta de ser utilizada em regiões onde as pessoas precisam andar bastante para buscar água geralmente suja:

Os autores da invenção admitem que o design e os materiais utilizados a tornam economicamente inviável para as regiões às quais ela se propõe, mas a idéia não deixa de ser boa.

Outros projetos selecionados foram:

  • A máquina multi-uso a pedal, com mais funções que um canivete suíço: amolador de facas, moedor de grãos, debulhador de milho, gerador de energia elétrica, liquidificador e bomba d”água. O autor da invenção afirma que ela já é usada na zona rural da Guatemala e que ele continua trabalhando para desenvolver novas utilidades para encaixar nessa ferramenta multi-uso. É uma adaptação de uma bicicleta, para funcionar apenas de forma estática. 
  • Uma bicicleta multi-uso, com diversas utilizações (funciona até para serrar madeira). Tem menos usos que a do item acima, mas um diferencial é poder pedalar com ela até onde será utilizada.
  • Cinema movido a pedal, em que as bicicletas são utilizadas tanto para levar o cinema para onde ocorrerá a sessão quanto para rodar o filme.
  • Um laptop, que usa a energia gerada por pedais para funcionar. Feito por uma turma do MIT que, aparentemente, não tinha estímulo para usar uma ergométrica (pedalar uma de verdade então, nem pensar…)
  • Um limpador de neve, para usar energia limpa em uma tarefa que tradicionalmente consome combustível fóssil (diesel?).

Ainda há vários outros, como uma atiradora de bolas para treinos de tênis, uma máquina de lavar roupa e um triciclo que se adapta para levar até três pessoas ou carga.

Cada participante ganhou 5 mil doletas e uma bicicleta especial, modelo “Globe”, da Specialized.

Dica do André Pasqualini, do CicloBR.

Saiba mais

Gostou da matéria? Doe um libre
e ajude nosso projeto a continuar!

4 comentários para Premiando a criatividade sustentável

  • rosangela

    olá, gostaria de saber se algum de voces sabem de uma bike que acumule energia para ser reaproveitada como energia eletrica … obrigada !

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Rafael

    Puxa, valeu pelas dicas e pela prestatividade!
    Só não consegui acessar ao link. Mas beleza, eu mesmo fuço aqui e vou tentar achar uma rota bacana.
    Thanks
    Rafael

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • +crux+

    Oi Rafael

    Do Tucuruvi ao Centro Empresarial é uma distância grande. Se você já está acostumado a fazer trajetos longos, ok; se não estiver, melhor começar passeando nos finais de semana e aumentando sua “autonomia” aos poucos. O que eu sempre recomendo para quem quer começar a ir para o trabalho com uma distância grande assim é fazer uma tentativa num final de semana, quando há menos carros na rua e você não tem preocupação com o tempo. Assim você pode planejar o roteiro com calma, experimentar o caminho, parar para descansar se precisar e medir o tempo que leva.

    Quanto ao lugar para parar a bicicleta, converse nos estacionamentos da região. Quem sabe você não consegue colocar ela numa academia por perto, ou no estacionamento do Centro mesmo.

    Tracei uma rota para você no Google Maps. Ainda tem o que melhorar nela, porque não conheço muito bem as ruas pra lá da Bandeirantes, mas fiz um roteiro que evita as avenidas Santo Amaro e João Dias, que são péssimas para a bicicleta. Sempre tem uma alternativa…
    http://tinyurl.com/rota-rafael-ida

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Rafael

    William, estou pensando seriamente em vir de bike para o trabalho. Já abandonei o carro há um ano, só ando de ônibus e metrô (por opção mesmo). Só que algumas barreiras para vir de bike: 1 – Moro no Tucuruvi e trabalho em Santo Amaro (pte Transamérica); 2 – Aqui no Centro Empresarial não tem chuveiro e pelo que eu saiba, nem bicicletário (mas tem Estapar. Já vi as dicas da mina, mas acho que vou chegar estragado aqui, não? Vc tem alguma idéia? Ou é melhor eu acordar mais cedo e pedalar perto de casa mesmo? Abraços
    Rafael

    Thumb up 0 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>