Shopping Bourbon: a saga continua

Ciclismo investigativo

No mês passado ciclistas se mobilizaram para reclamar com o Shopping Bourbon, localizado na Zona Oeste de São Paulo, sobre a discriminação que sofriam ao tentar acessar as dependências do centro comercial pela mesma entrada que os outros veículos. Sempre mandavam o ciclista desmontar da bicicleta e entrar empurrando pela passagem de pedestres.

Tal atitude não pode descartar a possibilidade de que o ciclista prefira entrar no estacionamento pedalando e se direcione até os paraciclos do UseBike. Uma das vantagens da bicicleta é a característica “híbrida” que ela oferece, ou seja, ao mesmo tempo que somos tão veículo quanto carros e motos, é só descer dela para voltarmos a ser pedestres. Isso acontece graças à leveza, praticidade e baixa periculosidade deste meio de transporte para com outros cidadãos.

Ter estrutura segura de estacionamento para bicicletas não significa necessariamente que os ciclistas estão sendo bem tratados! Muitos estabelecimentos em São Paulo – desde bares, restaurantes, pizzarias, padocas – apesar de não possuírem paraciclos, tratam o ciclista de maneira IMPECÁVEL. Atitude que fideliza e atrai mais clientes! (Falarei mais sobre esse assunto em breve. Aguardem)

Depois de e-mails, telefonemas e diversas reclamações registradas, a equipe do Vá de Bike recebeu esta resposta da Assessoria do Shopping:

“O Bourbon Shopping SP informa que possui estacionamento exclusivo para ciclistas, o Use Bike, com 20 vagas, visando o bom atendimento dos clientes do empreendimento. Para facilitar o acesso dos ciclistas às vagas, o Bourbon Shopping está adotando duas entradas:

Pela passagem de pedestres, o ciclista deve descer da bicicleta para ter acesso ao estacionamento, garantindo assim a sua segurança e a de pedestres, principalmente crianças, idosos e cadeirantes.

Já pela cancela de veículos, o ciclista pode acessar normalmente, dirigindo sua bicicleta.”

Em seguida, o leitor Diego Aguiar comentou no facebook que os próprios seguranças do Shopping alertaram “que poderia entrar pedalando sem problema algum”.

Pensando nisso, fui lá pessoalmente conferir:

Impressões:

Como vocês puderam perceber, há controvérsias sobre que postura adotar diante do ciclista. Resultado: Desinformação, funcionários confusos e ciclistas desorientados.

Na saída do estabelecimento passei por uma situação ainda pior, o funcionário me parou pra avisar que eu não podia pedalar ali (como se eu estivesse brincando ou passeando num parque). Questionei por onde poderia ir e ele disse com convicção: “pelo acesso junto aos pedestres” / “Mas eu sou um veículo” / “Não é não! Aqui só pra carros!”

Como eu já estava quase na rua, continuei meu caminho e não precisei retornar, mas fui embora com a sensação – repetida – de não querer nunca mais voltar ali. Déjà-vu infeliz!


35 comentários para Shopping Bourbon: a saga continua

  • guilherme toscano

    testei e foi super aprovado o bicicletario do burbon shopping. recmomendo. fácil, gratis e bem localizado

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Orlando Sartori Filho

    Bom dia Aline, sou ciclista de todos os dias e penso que nós deveríamos agradecer que exista um Shopping como o Bourbon, com este acesso super fácil, e convenhamos, descer e passar pela lateral da cancela nesta situação não acarreta problema algum.
    Bom senso pessoal, só isso deixará nossas vidas menos complicada e parabéns ao Bourbon pela facilidade de acesso.

    Comentário bem votado! Thumb up 5 Thumb down 0

  • Rogério

    Ok, os funcionários do shopping estão bem mal orientados e confusos como consequência disso.

    Mas essa menina/fiscal aí do vídeo é bem ríspida também, né? No quesito educação os funcionários deram de 10×00 nela.

    Quanto ao acesso para os ciclistas, tem que melhorar muito mesmo, pois ficou claro que a orientação dada aos funcionários não bate com a nota emitida pelo estabelecimento.

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • queops

    Voces poderiam re-avaliar? eu fui até o shopping, e fui super bem tratado. O bicicletário, fica perto da rua, e eu entrei pedalando.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • vera

    Mas que raio de argumento é esse? Se eu fosse o segurança respondia: _Então pega o ticket e paga na saída! Um pouco de bom senso de nós ciclistas: descer da bike para passar na cancela não é grande coisa.
    Em tempo: no Villa Lobos, por sinal, nem tem cancela. O acesso ao estacionamento de bike do shopping é direto por uma rampa. Show.
    Vera

    Thumb up 4 Thumb down 1

  • Laudari

    Galera,

    Há duas semanas fui ao Villa Lobos de Bike. Passei uma ótima tarde no Parque e fui fazer um “almojanta” no Villa Lobos.

    Achei perfeito! Instruiram-me. Entrei pedalando, passando pela entrada das motos, placas indicativas e claras para o ciclista. O bicicletário bem posicionado e convidativo. O paraciclo não é o “ideal”, porém atende muito bem a necessidade do ciclista.

    Parabéns ao Villa Lobos!

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Thiago

    Sou ciclista, apaixonado pelas duas rodas com pedal. Contudo, achei um pouco exagerada a “denúncia”. Dizer que não se pode pedalar, tudo bem, mas achar que está tendo o direito tolhido por não passar na cancela de veículos, achei um pouco demais. Acho mais produtivo brigar por entradas para ciclistas, sem cancela; brigar para que todo espaço público tenha disponibilidade para acessar com biciletas e espaço para deixá-las, e assim por diantes.

    Como ciclista não quero me igualar aos carros, aliás, penso que devemos ter privilégios rsss. Que a cancela e o pagamento seja o tormento dos motoristas.

    É isto, mas ótimo site.

    Abraços,

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • Bruno Viana

    Fui hj no shopping e fui muito bem tratado. Recomendo. Inclusive, pude entrar e sair pedalando. E olha que foi orientacao do funcionario.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Giu

    Aline,

    alegaram a vc que sua bike não é um veículo motorizado…

    tenho uma bike com motor elétrico, se um dia eu passar por lá, farei o teste!

    Parabéns pela iniciativa!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Laudari

    Pessoal,

    Como jã registrado aqui, vale lembrar que o tratamento no West Plaza é ótimo! Depois que li por aqui os bons comentários fui até lá para conferir e, realmente, muito bom. Os funcionários sempre nos recebem bem, com sorrido no rosto, e dispostos a instruir. Vale a pena!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Rafa

    Atualizando: semana passada, o segurança do Shopping Bourbon me orientou a entrar PEDALANDO pela entrada de pedestre. Eu seguia pela entrada de carro, quando fui interrompido, educadamente, pelo segurança. Já ia ensaiando uma p. reclamação (“mas eu vou ter que empurrar????”) quando ele disse que não, que poderia entrar pela entrada de pedestre do estacionamento, pedalando.

    Acho que tá bom. Passar pela chancela seria menos prático. Não?

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Edson Murakami

    Os posts sobre o estacionamento do Shop. Bourbon me alertaram sobre o que acontece na minha cercania. Imprimi cópias do manual de bicicletários feito pelo Transporte Ativo e estou distribuindo nos locais onde não há paraciclos ou não são os ideais. O supermercado Sonda da R. Clélia não tem bicicletário (tem que dividir o espaço c/ as motos, mas tem espaço p/ passagem de bicicletas ao lado das cancelas); o SESC Pompéia dispõe de paraciclos nos fundos, mas não são os ideais e não há sinalização de sua existência na entrada; o Palmeiras (clube, não sei como será na nova arena). Não sei se essa foi a melhor abordagem (talvez pudesse ter um post p/ melhor orientar como fazê-lo). As vezes nos preocupamos com aquilo que acontece distante e esquecemos do que ocorre ao nosso lado. Parabéns ao blog, novamente.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Jussara

      Edson
      Já estacionei minha bike algum tempo atrás em um supermercado. eu tive que estacionar com as motos, nao achei seguro , pois a propria segurança não é de se confiar. apenas entrei rapidamente no mercado para comprar e logo voltei. senti uma certa insegurança , pois acho que ali poderia ser roubada, eles fingem que nao viram nada. outra coisa, muito tempo depois fui trabalhar e ia de bike, não podia guardar a bike dentro do estacionamento da empresa. quem tem bike , tem que deixar a bike presa em algum lugar na rua.Fiz o B.O., não tive nem apoio da empresa para tentar descobrir como fui roubada. Me disseram, com certeza foi morador de rua, não acredito que tenha sido eles. alguém já estava esperando a hora pra roubar. sabemos que a lei existe, tem que ter bicicletario em todo recinto comercial. um ex: disso é o SENAC, fui fazer o curso , nao tinha bicicletario, depois de 15 dias que eu entrava com minha bike e estacionava junto com carros e motos eles providenciaram o bicicletario. Fiz um comentário com o segurança, achei legal que pude ficar tranquila ao guardar minha bike. o segurança disse: é lei ter bicicletário, mas nem todos cumprem a lei.
      o Bradesco deveria ter um estacionamento para bike, voce já ouviu falar?( vou de bike . BRADESCO SEGUROS. Ciclo Faixa) Eles deveriam dar o exemplo.
      Se eu for digitar tem muita coisa a reclamar.

      abraços Jussara

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Aline Cavalcante

    Marco, fico feliz que o Shop Vila Olímpia esteja melhorando o tratamento. Não se se vc sabe, mas aquele empreendimento também foi alvo de críticas dos ciclistas, sinal que surtiu efeito:
    http://www1.folha.uol.com.br/folha/videocasts/ult10038u659581.shtml

    Sobre sua sugestão, que tal enviar para a ouvidoria do Shopping?

    beijos

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Marco Alexandre Lázaro

    Sobre acesso em shoppings, vou contar minha experiência no Shopping Vila Olímpia. Precisava buscar um livro na Saraiva e decidi ir de bike, deixando o carro em casa. Liguei num número de atendimento disponível no site e a atendente disse que não havia estacionamento de bicicleta. Desconfiado, liguei em outro número e outra atendente disse que sim, existe estacionamento para bike e indicou-me em qual entrada fica. Montei na magrela e fui. Chegando lá, pedi orientação aos seguranças, no que fui atendido com educação e boa vontade. O acesso se dá pela mesma rampa dos carros, tendo orientação de onde estacionar. Porém, é a mesma entrada de motos e eu acabei pegando o ticket, como se fosse uma moto, para abrir a cancela. Peguei o livro e, na hora de ir embora, pedi informações se era necessário validar o ticket. Apenas no terceiro atendente foi dito que não era necessário. Porém, na hora de sair, um outro rapaz disse que não era preciso ticket, mas para sair tive que fazer um malabarismo para tirar a bike, pois não foi possível abrir a cancela. Subi pela rampa e fui embora. Em minha opinião, o shopping está de parabéns pela acessibilidade, respeito e educação para com o ciclista. Sem dúvida, voltarei mais vezes. Como sugestão, acho que é possível melhorar a sinalização, dizendo que não é necessário pegar ticket e criar entrada e saída mais fácil da área de estacionamento. Ah, e também colocar mais algumas vagas, pois com certeza mais pessoas passarão a usar a bike para frequentar o shopping. Ao shopping, meus parabéns e obrigado.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • e minha resposta ao Sr. Ivan :

    “Prezado Sr. Ivan,

    Obrigado pela resposta, pois sinceramente, eu não esperava receber resposta alguma.

    E posso deduzir que meu meio de transporte oferece mais riscos do que as motos e carros que circulam livremente dentro do campus, e certamente é mais fácil proibir do que educar os futuros cidadãos desse país a conviverem de forma harmônica com os diferentes meios de transporte, a apresentar soluções viáveis para a mobilidade urbana, desmistificando o uso das bicicletas apenas como atividades lúdicas. É um grave erro considerar que bicicletas são utilizadas apenas como forma de lazer, ou que são necessárias ciclovias para o uso adequado das bicicletas.

    A bicicleta é a antítese mais perfeita ao carro particular: é a melhor forma de utilizar a energia para o transporte individual terrestre, é bastante racional na utilização do espaço, desenvolve velocidades compatíveis com a segurança urbana, promove o bem estar e permite a integração com a cidade, características diametralmente opostas àquelas oferecidas pelo automóvel (por exemplo).

    Esse pensamento do parágrafo anterior provavelmente é o meu grande motivador para tentar abdicar do transporte motorizado em meu cotidiano, e enfim, se eu e meu meio de transporte não somos bem-vindos, como se trata de uma instituição privada, creio que não há muito mais a ser feito a não ser o meu boicote e o repúdio já manisfestado.

    Recomendo, caso haja interesse, os artigos sobre mobilidade urbana e bicicletas:

    http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/070/grandes_temas/indexbike.shtml
    http://vadebike.org/2006/06/por-que-ir-de-bicicleta/
    http://www.escoladebicicleta.com.br/
    http://www.apocalipsemotorizado.net/sociedade-do-automovel/

    Uma ótima semana !

    Davi Marski Filho”

    Comentário bem votado! Thumb up 5 Thumb down 0

  • Prezado Willian, veja só a resposta oficial do IASP… é a velha descula do “nós não temos uma ciclovia”… e as “bicicletas oferecem perigo”….:

    “Sr. Davi,

    Este assunto seria melhor uma conversa pessoal para o Sr. entender os motivos desta medida preventiva.

    Apesar de estar aqui a pouco tempo, esta decisão existe praticamente em todos os nossos internatos por onde trabalhei.

    No nosso caso não se trata de discriminação alguma, longe disso, mas um prevenção para evitarmos acidentes dentro do nosso campus que poderiam causar danos a nossos alunos internos, externos e comunidade.

    Um exemplo claro disso é o nosso internato com mais de 430 adolescentes que se pudesse trazer suas bicicletas de casa ou usar bicicletas emprestadas poderiam causar problemas, andando em nossas calçadas por onde passam professoras com alunos pequenos no IASPINHO, ou andando irresponsavelmente pelas ruas.

    Se tivéssemos em nosso campus uma ciclovia, este assunto seria tratado totalmente diferente.

    Conto com a compreensão desta decisão que preza pela segurança dos alunos internos, externos e comunidade.

    Grato,

    Ivan de Almeida
    ivan.almeida@unasp.edu.br

    Thumb up 1 Thumb down 0

    • Tiago Barufi

      Resolvi não aceitar calado sua resposta padrão, IASP.

      Sr Ivan, Sra Charlise

      Reitero minha posição anterior: é inaceitável para um instituto de educação adotar políticas discriminatórias perante as pessoas e seus meios de transporte, meios este legitimados pelo Código Nacional de Trânsito em todas as vias.
      A política de se evitar acidentes deveria começar pela restrição aos abusos cometidos por pessoas a bordo de veículos automotores, que, caso o Sr. não esteja informado, são a maior causa de morte entre pessoas de menos de 24 anos no Brasil, causa esta definida como ‘acidental’.
      O abuso criminoso da velocidade, a negligência e o desrespeito à vida é que deveriam em primeiro lugar ser combatidos para diminuir as mortes por acidentes contribuindo, como instituição de ensino, para o aprimoramento das relações humanas no Brasil.
      A adoção de meios de transporte não-poluentes, e que promovem a melhoria da saúde de seus usuários, deveria estar na pauta de todas as instituições de ensino do Brasil. A proteção das pessoas deveria ser privilegiada, e não a priorização do tráfego de veículos automotores.
      Agradeço pela sua atenção e manifesto minha indignação com a sua postura e a de sua instituição, que considero incompatível com qualquer pretensão de educação em um país civilizado.
      De minha parte pretendo assegurar que esta sua atitude seja divulgada amplamente, para conscientizar as pessoas que se importam com a preservação da vida e com a educação de seus filhos.

      Saudações,

      Tiago Barufi

      Thumb up 2 Thumb down 0

  • Hoje aconteceu um negócio mais do que bizarro comigo… fui barrado – barrado mesmo – por seguranças truculentos e irônicos em uma ESCOLA !!! na verdade, dentro da tal escola tem um mercadinho, e fui lá, de bike, comprar arroz integral, etc… quando fui sair, na portaria da escola, os seguranças chegaram e disseram que “não podia entrar de bicicleta”… eu até tentei argumentar… mas tive que ouvir quieto que “de carro pode, de bicicleta não”…

    Fiquei tão estarrecido com a visão retrógrada do estabelecimento de ensino que até fiz um post sobre isso no meu blog: http://www.blog.marski.org/?p=2120

    E mandei email para o mercadinho e para a administração da escola, mas duvido muito que alguma coisa mude… enquanto isso, o que me resta é boicotar tanto a escola, quanto o mercadinho 🙂

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Aline Cavalcante

    HAHHAAH! galera!! valeu o apoio. demais mesmo a recepção.
    aceito criticas e sugestões de pauta heim
    =)

    sobre o que colocaram nos comentários alguns esclarecimentos:

    1- abrir a cancela só é um detalhe se o acesso puder ser feito de outra maneira, fácil, sem ter um funcionário pra carregar minha bicicleta. vcs notaram que ele me tira da bike pra me “ajudar”?? será que ele fez isso pq eu sou menina?? será que ele faria isso com vcs tb???

    2- o pão de açúcar da vila mariana tem uma cancela com espaço lateral suficiente para uma bike passar.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Palmas

    Aeh Aline, parabéns pela reportagem, que seja a primeira de muitas denúncias.
    Cria um bordão no final, tipo: “estando bom para ambas as partes, Pedaline se despede até o próxima reportagem de Pedaline em ação”.

    Valeu Va de bike pela contratação, aproveita antes que a Globo tome conhecimento dessa menina.

    Palmas

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Como cicloativista, recente, vejo com alegria o resultado de algumas reclamações, que levam os prestadores de serviços a repensarem o tratamento, que devem dar aos ciclista. Por aqui, em São Bernardo do Campo, não tenho do que reclamar, o Shoping Metropole, oferece vaga a ciclista, mas esta vaga é na area descoberta. Mas, enfim, ja é alguma coisa e, nenhum segurança impede que voce adentre ao shopping pedalando.
    No mais fica, aqui, a certeza de que so seremos ouvidos se fizermos bastante barulho. Precisamos mudar este paradigma, de que bicicleta é coisa de pobre, bicicleta é “Chic” !!
    Qaunto ao comentario que prega a cobrança do estacionamento das Bikes, só posso imaginar que ele não seja um ciclista e, portanto, esta participando de uma comunidade que não tem nenhuma afinidade com ele.

    Abraço a todos

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • INFELIZMENTE vivemos num mundo de aparencias!!Muitas vezes as pessoas tem vergonha de usar bikes…usam os carros ate para andar alguns quarteirões!!Bike é um veiculo e como todo o veiculo nao deveria ser surpresa pra ninguem ver voce num shopping passando pela cancela com sua bike!!Quem dizer que bike nao é um veiculo esta apenas assinando seu atestado de ignorancia!!!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Não faz mto sentido cobrar estacionamento de bicicletas, afinal elas quase não ocupam espaço, e não há disputa de lugares para estacionar bikes como há para estacionar carros…Não tiramos a vaga de ninguem, e utilizamos de um meio de tranporte que só traz beneficios a sociedade, portanto acho q um empreendimento comercial como um shopping deve exercer tbm o seu papel social incentivando o uso da magrela. Eles devem criar mecanismos que funcionem para todos, um ciclista deve conseguir passar sem problemas pela cancela.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Os seguranças, que me receberam na entrada principal, me trataram bem e me deram orientações. Óbvio que da maneira deles.
    O único problema que tive até agora lá, e isso foi semana passada, foi quanto à saída.
    Tentei sair pelo local que estava acostumado, mas um dos seguranças me abordou e disse que eu tinha que sair por onde entrei.
    Porém, o local que havia entrado não havia saída, era só entrada mesmo!
    Aí ele ficou meio sem jeito e tentou corrigir o que disse, dizendo que era pra sair por determinado lugar.
    Engraçado é que eu tinha o costume de sair por ali, e ninguém até hoje havia me falado nada.
    De fato, existe sim uma desinformação e funcionários confusos, mas comparando com o antigo tratamento que davam aos ciclistas, referente à cordialidade e etc, melhorou.
    Parabéns mais uma vez pelo blog e parabéns pelo vídeo, Aline!

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Gostei do post!
    Curti este molde com Video e tal!!
    Parabens pela estréia Aline!!

    Bjs ..Wezz

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Smuca

    Tem como verificar o estacionamento de bicicleta no shopping santa cruz, nunca vi sinalizado as opções por lá.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • tiago barufi

      Smuca, o do Santa Cruz é pelo elevador de serviço… numa entradinha meio tosca para caminhões que serve também para levar a bicicleta até o G-1, onde você estaciona gratuitamente junto das motos. Desta forma não é preciso subir a rampa dos carros (não sei se é proibido).
      Achei a implementação meio precária, não sinalizada, mas a gentileza das pessoas compensa a má-impressão inicial.

      Thumb up 1 Thumb down 0

  • Roberto

    [Comentário oculto devido a baixa votação. Clique para ler.]

    Esse comentário não tem feito muito sucesso. Thumb up 0 Thumb down 5

  • leandro

    Mas a cancela abrir ou não é um detalhe, não? Para abrir, é preciso apertar o botão e pegar o ticket de cobrança. A bicicleta paga estacionamento (é uma dúvida honesta, não estou sendo irônico)?
    abs!

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Edson Viola

    Exemplo e do Extra Freg. do Ò. Que tem um passagem em que as motos e as bike passam sem atropelos. E otimo eu uso todos os dia e muitas outras pessoa tambem, sem incomodar os carros e alguns pedestres.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Mas uma prova que temos que insistir (amolar, reclamar) pra consertar coisas que estão erradas!

    Thumb up 1 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>