Após repercussão negativa, shopping instala bicicletário

O Vá de Bike foi conferir o bicicletário instalado pelo Shopping Tucuruvi. Foto: Rachel Schein

O Vá de Bike foi conferir o bicicletário instalado pelo Shopping Tucuruvi. Foto: Rachel Schein

Veja também
Shoppings de SP tentam inovar e
falham na criação de bicicletários

Condomínios devem buscar
soluções para bicicletários

Como construir bicicletários

Trancando bem sua bicicleta

No coração de São Paulo,
ciclista ainda é mal recebido

Preconceito contra ciclistas

Depois da repercussão por receber inadequadamente os ciclistas, a assessoria do Shopping Tucuruvi entrou em contato com o Vá de Bike para esclarecer que um bicicletário havia sido instalado, poucos dias após o ocorrido.

Visitamos o local, na Zona Norte de São Paulo, para verificar a nova estrutura e avaliar como o ciclista passou a ser recebido. Fomos acompanhados por Pedro Cruz de Souza, ciclista que teve problemas em sua primeira visita e nos mandou o vídeo que publicamos na matéria anterior.

Quesitos

O bicicletário dispõe de suportes para prender pela roda, um ponto negativo. Ao fundo, um funcionário do shopping anota os dados dos ciclistas, garantindo segurança na retirada - um ponto bastante positivo. Foto: Rachel Schein

O bicicletário dispõe de suportes para prender pela roda, um ponto negativo. Ao fundo, um funcionário do shopping anota os dados dos ciclistas, garantindo segurança na retirada – um ponto bastante positivo. Foto: Rachel Schein

Analisamos 5 pontos-chave, dando notas de 1 (péssimo) a 5 (ótimo):

  • Estrutura
  • Acesso
  • Cobertura
  • Segurança
  • Sinalização

Estrutura

paraciclo (suporte para prender a bicicleta) deve ter formato que permita apoiar a bicicleta encostada lateralmente, prendendo-a pelo quadro e não pela roda. Os modelos adequados mais comuns são os formatos de U invertido e de R, sendo possível inovar desde que se respeite essa necessidade.

Nesse quesito, o paraciclo do Shopping Tucuruvi deixa a desejar, pois é feito para prender a bicicleta pela roda. O problema de prender dessa forma é que um esbarrão na bicicleta pode entortar a roda ou o câmbio, causando grande prejuízo para o ciclista.

Se esses suportes estivessem um pouco afastados da parede, seria possível utilizá-los como apoio, prendendo a bicicleta pelo meio do quadro. Fica a dica.

Nota: 1 2 3 4 5 (passaria a um 3 se estivesse mais afastado da parede)

Quando o bicicletário for do tipo "entorta roda", tente parar a bicicleta fora dele, apenas apoiada, para evitar prejuízo. Esse modelo favorece esse apoio, mas em certos casos é necessário ter um "pézinho" na bicicleta. Foto: Rachel Schein

Quando o bicicletário for do tipo “entorta roda”, tente parar a bicicleta fora dele, apenas apoiada, para evitar prejuízo. Esse modelo favorece esse apoio, mas em certos casos é necessário ter um “pézinho” na bicicleta. Foto:Rachel Schein

Utilize sempre uma u-lock para prender sua bicicleta. Com uma trava de cabo de aço, prenda a roda dianteira e o selim, caso tenham blocagem para retirada rápida. Foto: Rachel Schein

Utilize sempre uma u-lock para prender sua bicicleta. Com uma trava de cabo de aço, prenda a roda dianteira e o selim, caso tenham blocagem para retirada rápida. Foto: Rachel Schein

Acesso

O ideal é que entrada e saída do bicicletário não impliquem em subidas compartilhadas com os automóveis, protegendo os ciclistas do tráfego motorizado.

O espaço reservado pelo Shopping Tucuruvi está localizado no térreo, o que facilita bastante a entrada e saída. Foi pintada uma faixa vermelha simpática que sinaliza o espaço do ciclista na entrada do estacionamento.

Nota: 1 2 3 4 5

O espaço do bicicletário é amplo, permitindo instalação de novos suportes conforme a demanda aumentar. O local é coberto e fechado por grades. Foto: divulgação

O espaço do bicicletário é amplo, permitindo instalação de novos suportes conforme a demanda aumentar. O local é coberto e fechado por grades. Foto: divulgação

Cobertura

A área onde as bicicletas ficam acondicionadas deve ser coberta, para evitar que o ciclista tome chuva enquanto tranca/destranca a bicicleta e para que esses veículos não fiquem expostos às intempéries.

Nesse aspecto, o local onde foi instalado não poderia ser melhor. Um espaço que certamente seria inutilizado acabou sendo muito bem aproveitado. O bicicletário é coberto e fechado.

Nota: 1 2 3 4 5

Segurança

Como a maior parte das trancas utilizadas para prender bicicletas são facilmente abertas por ladrões que se especializam nesse tipo de furto, um controle de acesso se torna necessário, para que apenas o dono da bicicleta possa sair com ela.

O portão que dá acesso ao bicicletário fica trancado e um funcionário do estacionamento toma conta exclusivamente do local. As bicicletas devem ser presas com cadeado. O ciclista precisa dar nome e RG , o que garante a segurança na retirada do veículo.

Nota: 1 2 3 4 5

Sinalização de solo indica o caminho para o bicicletário, a presença dos ciclistas e qual o trecho mais seguro para sua circulação. Foto: Rachel Schein

Sinalização de solo indica o caminho para o bicicletário, a presença dos ciclistas e qual o trecho mais seguro para sua circulação. Foto: Rachel Schein

Sinalização

Uma sugestão ao Shopping seria sinalizar com uma ou duas placas o caminho até o bicicletário. Mas não é essencial se os guardas que ficam por lá souberem indicar como chegar, já que não é tão difícil.

Nota: 1 2 3 4 5

Avaliação do ciclista

Na opinião do ciclista Pedro, o ideal seria se houvesse um acesso para as lojas a partir do bicicletário, pois é preciso sair pela calçada do shopping, do lado de fora, para conseguir entrar nele.

Em sua avaliação, o principal ponto negativo é o formato do suporte. Como pontos positivos, aponta o espaço amplo, a quantidade de vagas e o fato de ter um funcionário do estacionamento cuidando do bicicletário, que recebe os ciclistas de forma educada e ajuda a garantir a segurança das bicicletas.

Horários

O bicicletário tem 20 vagas,  podendo ser ampliado conforme a demanda aumentar. Funciona das 10h às 22h, de segunda a sábado. Aos domingos e feriados, das 11h às 20h (horário de funcionamento do shopping).

Os cinemas ainda não foram inaugurados. Sugerimos ao shopping que, quando estiverem funcionando, o horário do estacionamento seja compatível à ultima sessão, para que o ciclista não corra o risco de ter que retirar a bicicleta somente no dia seguinte.

Conclusão

O bicicletário está bem acima da média dos shoppings paulistanos. O mais importante, que é receber bem o ciclista e cuidar da segurança da bicicleta, já foi conseguido. Veja nossa nota final:

Nota final 4
Estrutura 2
Acesso 4
Cobertura 5
Segurança 5
Sinalização 4

Ainda que tenha sido necessária a reclamação de ciclistas sobre o atendimento no Shopping Tucuruvi, a administração merece os parabéns por ter entendido a demanda e atuado para atendê-la. Agora o cliente que chega de bicicleta também é bem recebido, o que não deixa de ser um diferencial frente à concorrência.

Para entrar em contato com o Shopping Tucuruvi e fazer sua crítica, elogio ou sugestão: 11 3198-0450 / e-mail / facebook / twitter

O Vá de Bike pode ajudar seu estabelecimento a receber bem o ciclista, através de avaliação e consultoria. Entre em contato.


24 comentários para Após repercussão negativa, shopping instala bicicletário

  • Luciano

    Cheguei um pouco atrasado aqui mas decidi compartilhar pois esse post me lembrou de um caso mais recente em outra cidade.
    Vá de Bike Eu e minha namorada Divina Vitorino Fomos fazer uma viagem à santos e cruzamos toda a cidade e sentimos uma grande dificuldade para parar as bicicletas nos shoppings, no Praiamar Shopping foi impossível já que cobram até para as motos ficarem paradas e mesmo pagando não aceitam as bikes naquele local, por ter muita gente suspeita de olho nas bikes tornou um pouco complicado larga-las em um poste qualquer tirei até uma foto complicada em que um dos acessos para cadeirantes estava interditado.então fomos para outro shopping,
    Miramar Shopping que também foi complicado mas com um pouco de educação e insistência foi possível, no bate papo que tive com funcionários pode-se perceber que ambos tem uma cultura um pouco pobre e limitada sobre o assunto.

    Esse post até inspirou à fazer uma reclamação formal, se tiverem alguma dica acho legal.

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

    • Rafael

      Também passei por isso recentemente. Santos é uma cidade com uma instrutura cicloviária invejável. Da última vez viajei pra lá de ônibus com a bike, pois sou de São Paulo. Quando decidi ir no shopping nem considerei a hipótese de não existir um bicicletário. Com uma cidade onde mais de 40% dos deslocamentos são feitos de bicicleta, é óbvio que teria um lugar apropriado. Quando fui chegando perto do Praiamar reparei que tinham várias bicicletas presas nos postes ao redor do shopping, muito provavelmente dos funcionários. Quando entrei no estacionamento recebi a informação que o shopping não tem espaço para bicicleta. Como assim?! Percebi que em Santos existe um enorme preconceito com ciclistas. A idéia é que bicicleta é coisa de pobre, e esses não consomem. Logo, não há necessidade de abrigar esse tipo de pessoas. Pouquíssimos comércios disponibilizam lugares para parar bicicletas, e, consequentemente, vc só vê pessoas pedalando praticando exercício ou pessoas humildes com suas bicicletas simples, indo trabalhar. Uma pena.

      Thumb up 2 Thumb down 0

  • José Carlos Gonçalves

    Se tem um local em que o bicicletário é horroroso é o Hipermercado Extra da ponte da Freguesia do Ó. O espaço que eles tem é excelente,más o suporte das Bikes…é apenas uma barra de uns cinco metros de comprimento,e tem uma altura de mais ou menos um metro com um “par de chifre” que o ciclista tem que levantar a frente da Bike e prende-la pelo guidão. Eu reclamei com eles,e eles até concordaram comigo dizendo que muita gente já reclamou. Eu indiquei o pessoal do Ciclomídia,passei o telefone e o e-mail. Eu já tinha mandado um e-mail pro Ciclomídia e sitado esse caso,más eles nunca me retornaram. Posso até estar errado más os Paraciclos que vejo do Ciclomídia,são colocados apenas em locais de classe média e classe média alta,como Shopping Morumbi,região de Pinheiros etc.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • José Carlos, a Ciclomidia é uma empresa que presta esse tipo de serviço, portanto precisa ser contratada para atuar. Se apenas nesses bairros são encontrados seus paraciclos, é porque nos demais os comerciantes ainda não têm manifestado interesse em investir nesse tipo de estrutura.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] formato do Vá de Bike, fizemos a seguinte avaliação do espaço, com notas de 1 (péssimo) a 5 [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Rafael

    Parabéns pela iniciativa. Essas atitudes que me fazem acreditar que a “nova mídia” está ganhando força :)

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Parabéns a Equipe do Vai de Bike, mais uma conquista :)

    Comentário bem votado! Thumb up 8 Thumb down 0

  • Carlos

    É bom os estabelecimentos comerciais, como shoppings, dar atenção a este feedback, esta resposta, do público ciclistico, pois embora seja poucos ( por enquanto ! ) e tícket médio menor, cada vez mais são um público mais sustentáveis, fidelizáveis, e, portanto, darão retorno maior que os de carro, por serem mais, serem mais frequentes, … gerarão uma massa de receita mais sustentáveis. Essa lógica se aplica a pequenos estabelecimentos, que se colocar paraciclos em local adequado, terão uma receita mais sustentável.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Daniel Jones

    No Shopping Top Center, em plena Avenida Paulista, colado ao prédio da Gazeta, não há possibilidade do ciclista deixar a sua bike no estacionamento do Shopping, administrado pela Estapar.

    Posso entender que ciclistas não são bem vindos naquele local.

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • Thiago Ciclista Urbante

    Willian,

    Como disse o amigo Mario, é importante disponibilizar aqui os canais em redes sociais ou até e-mails para parabenizarmos o shopping. Muito importante também esse reconhecimento para que ações novas e especificas sejam tomadas pelos estabelecimentos, percebendo o apelo popular que conseguem com estas. ;)

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Carlos

    Pois é, esta é uma das vantagens da vida digital, que as pessoas não entendem ainda, digo, a grande maioria. Lula disse no New York Times: “Enquanto a sociedade entrou na era digital, a política permanece analógica.” Concordo em parte, pois a sociedade está parcialmente na era digital, pois a inclusão digital, não é aquilo que deveria ser:
    http://tecnologia.terra.com.br/internet/inclusao-digital-no-brasil-esta-acima-da-media-mundial,c91cfe32cdbda310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html
    Pelo artigo, se a população brasileira, na inclusão digital, não fica necessariamente mais feliz, é porque está em momento de transição, e, portanto, ainda está no pensamento analógico.
    Se for a componente política, com certeza, pois estamos atrasados em relação ao Chile, em termos de governo eletrônico. No entanto, a sociedade deve vir antes da política.
    Isto também demonstra como o feedback, ou a resposta, dos usuários é importante para a melhoria de serviços. Não importa se privado ou público. Deve ser dado o feedback, e não importanto o conteúdo, se é reclamação, elogio, sugestão, e outras coisas mais. Atrás disto, mostra a crescente atividade de relacionamento, o que leva a um alinhamento entre as partes. Os recentes movimentos sociais mostram porque não se deve ficar coibindo ou não manifestando por muito tempo, porque a resposta por ser destrutiva. Atitudes como “não é meu problema, se vira”, é danosa, inclusive para quem o diz. Aquela frase “Se não faz parte da solução, faz parte do problema.”, se torna verdadeira, principalmente para quem se omite, não participa, e, é claro quem ignora e foge do assunto ou adota solução unilateral.
    Muitos dos tópicos apresentados no VáDeBike, mostram que é necessário uma integração da sociedade, e, para isto, é necessário diálogo, feedback e relacionamento consistente e adequado. E isto também implica, que deve ser feito a nível micro ou individual. Como todos estão querendo um Governo 2.0, isto chama Cidadão 2.0. Na minha opinião o Cidadão 2.0, deve ser criado antes, dada a argumentação que dei e pelos vários exemplos mostrados aqui no site.
    Por isto, cada vez mais, dê feedback, tire satisfações ! Cada vez mais pontual e digital ! Inclusão digital, integração, mais satisfação, possivelmente, mais feliz. “Sem medo de ser feliz ?”

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Carlos

      Um aspecto que não citei, é o que todos pensam de colaboração. Como diz o nome, “trabalhar junto”. Trabalho esse não é esse conceito restrito de resultado monetário, mas no sentido de construção. E, o que todos nós precisamos é que todos nós trabalhemos para construir uma sociedade melhor, relacionamento melhores, e um espaço público melhor.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Este é o verdadeiro papel da mídia… Que legal ver o resultado.

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • MARIO

    boa , faltou colocar os links das redes sociais do shop para manifestarmos positivamente sobre esta ação, pois não é só criticar e exigir mas elogiar e incentivar estas ações

    Comentário bem votado! Thumb up 12 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>