Conheça o elevador que ajuda ciclistas a superarem ladeira na Noruega

Elevador para ciclista percorre 1,5 m por segundo e não requer habilidades especiais para ser utilizado. Foto: Divulgação

Elevador para ciclistas percorre 1,5m por segundo e não requer habilidades especiais para ser utilizado. Foto: Divulgação

Em Trondheim, cidade da região central da Noruega, os ciclistas contam com uma pequena ajuda para enfrentar os 130 metros da ladeira Brubakken. O local é sede do Trampe, primeiro e único elevador de bicicletas do mundo, inventado por Jarle Wanvik em 1992.

Durante os 20 anos em que esteve em operação, o elevador ajudou mais de 200 mil ciclistas. Um detalhe interessante é que não apenas quem estava de bicicleta, mas também pessoas com patinetes e mães com carrinhos de bebê. Nenhum acidente foi registrado em toda sua história.

Em 2012, o maquinário foi trocado por um sistema mais moderno e eficiente, batizado de CycloCable. Com velocidade de até 1,5 metro por segundo, o elevador consegue levar 300 ciclistas por hora, sendo que o equipamento suporta até cinco pessoas ao mesmo tempo em diferentes bases. O uso é gratuito.

A empresa responsável pelo novo CycleCable/Trampe quer levar o elevador para outras cidades do mundo.

Como funciona

Para usar o elevador, basta posicionar a bicicleta a 10 cm de distância ao lado do trilho. Deve-se permanecer montado, com o pé esquerdo no pedal e o direito na base do CycleCable/Trampe. O peso do corpo deve estar sobre o pé direito, ou seja, o que está sobre a plataforma do elevador. O ciclista recebe uma leve pressão de arranque quando o equipamento começa a funcionar. Durante a subida, deve-se permanecer de pé na bicicleta e as duas mãos no guidão.

Para se sentir seguro e confortável, o ciclista deve inclinar o peso do seu corpo sobre o pé direito e manter a perna esticada para trás. Se há dificuldades, basta tirar o pé da plataforma e recomeçar.

Ao chegar à estação de saída, o ciclista precisa apenas retirar suavemente o pé da plataforma e continuar em movimento pedalando. Veja abaixo Jarle Wanvik, criador do CycleCable/Trampe, explicando como o elevador funciona.

Mas aqui não tem elevador, como enfrentar as subidas?

Muitas cidades brasileiras possuem a maior parte de suas vias em lugares planos ou com pouca inclinação, mas obviamente existem exceções. A zona norte da cidade de São Paulo, por exemplo, está localizada na base da Serra da Cantareira e possui muitas subidas na maioria dos seus bairros. Mas nem por isso as pessoas que ali moram deixam de pedalar, pelo contrário: segundo a pesquisa Origem/Destino de 2007, feita pelo Metrô de São Paulo, alguns dos bairros que mais possuem mobilidade por bicicleta estão nessa região: Vila Medeiros, Jaçanã, Tremembé e Vila Maria.

É possível pedalar em qualquer cidade brasileira, mesmo sem o elevador. A bicicleta não é limitadora para nenhum caminho. Ao contrário, ela permite conectar pontos de maneira prática e eficiente. Aquelas que possuem marchas permitem que qualquer subida se torne mais acessível, com um pedalar mais leve.

Quem não possui marchas ou não tem condições físicas para esse esforço adicional pode optar por um caminho diferente, estendendo o percurso e aproveitando a pedalada. Ou pode simplesmente empurrar a bicicleta: não há nenhum demérito nisso e a subida será superada do mesmo jeito.

Conheça nossos 7 truques para vencer as subidas mais difíceis com a bicicleta

Elevador de Trondheim também é utilizado por pessoas com carrinhos de bebê. Foto: Divulgação

Elevador de Trondheim também é utilizado por pessoas com carrinhos de bebê. Foto: Divulgação


4 comentários para Conheça o elevador que ajuda ciclistas a superarem ladeira na Noruega

  • Rodrigo

    aqui rs faz mais de anos que pedimos ciclovia em algumas regiões da cidade de Curitiba e olhe que somos uma cidade modelo .. não consegue ou não querem ou não se importam com os pedestre ou ciclista só pensam em ganha o deles , isso aqui no brasil é impossível se quer consegue asfalta uma rua de 500 metro.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • zeca

    Vendo esse tipo de coisas q fico mais desanimado, nem ruas e calçadas decentes temos por aqui, isso ai então, nunca existirá!

    Thumb up 2 Thumb down 0

    • Carlos

      Aí está um problema entre a gente. Nós não pedimos para que as ruas e calçadas sejam decentes. Temos a atitude de que pedir as coisas não funciona. Temos urgência, mas não temos paciência. Veja o exemplo da petição de tempo mais longo de travessia. É preciso que mais gente manifeste os desejos e as necessidades. Que a sua manifestação seja o começo. E claro, fale com quem está em volta. Verá porque as coisas estão como estão. Depende de você. Podemos pedir uma coisa semelhante para a subida da Av. Brigadeiro Luis Antônio, 9 de julho, etc … pode não acontecer tão logo, mas estará registrado, e incentive as outras pessoas a fazerem o mesmo. Sobre as calçadas, também faça.
      Tem vários vídeos no YouTube falando de cidades caminháveis ( Walkable Cities ), e, isto está ligado à saúde da cidade. Mobilidade. Bote a boca no trombone.

      Thumb up 3 Thumb down 0

    • Carlos

      E nunca diga “Nunca”. Para ver como é problema da vontade das pessoas, a prefeitura de São Paulo tem um SAC:
      http://sac.prefeitura.sp.gov.br/
      Procure a categoria mais próxima do que quer e comece a solicitar.

      Barueri também tem um aplicativo para smartphones para solicitações:
      http://www.barueri.sp.gov.br/appbarueri/

      Cada vez mais as cidades tem canais para solicitações e reclamações, mais rápidas e práticas.

      Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>