Em prova divertida, modos de transporte ativo mostram sua eficiência em relação ao carro (com vídeo)

Mesmo com chuva, transeuntes toparam o desafio da corrida como meio de transporte. Foto: Rachel Schein

Mesmo com chuva, transeuntes toparam o desafio da corrida como meio de transporte. Foto: Rachel Schein

Para estimular a corrida como meio de transporte e explicitar a ineficiência do automóvel na cidade de uma forma divertida, a Rede Corrida Amiga, em parceria com o Peçanha’s Runners, estendeu uma pista de corrida de 50 metros com medidor de velocidade no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo, e convidou as pessoas que passavam a participar da brincadeira.

O evento, que aconteceu em 4 de dezembro, fez parte do VIII Festival Ruas e Esporte, uma iniciativa do Cento de Práticas Esportivas da USP (Universidade de São Paulo), cujo objetivo é promover o uso dos espaços públicos através do esporte. “As pessoas têm muita dificuldade em colocar coisas diferentes na sua rotina. Então a proposta é reunir as coisas boas que acontecem na cidade e estimulá-las a se movimentarem mais, praticarem esporte, atividade física, e a quebrarem um pouco a rotina”, explicou Maykell Carvalho, da organização. O festival ainda promoveu atividades em outros pontos da cidade, incluindo a região central.

Depois de dias consecutivos de sol, o evento, marcado para às 14h, aconteceu embaixo de chuva. Mesmo assim, as pessoas que passavam pelo Largo se animaram a correr pela pista.

“Um carro no horário de pico se desloca de 7 a 15km/h”, contou Silvia Stuchi Cruz, uma das organizadoras. Silvia refere-se à velocidade média de deslocamento, que já foi aferida e divulgada pela CET em diversas ocasiões. “Correndo, você consegue fazer uma velocidade maior. Você se desloca, já faz seu exercício diário e ainda chega mais cedo”, garante.

E nem precisa ser horário de pico para qualquer modo de transporte ativo vencer. O Vá de Bike chegou por lá às 15 h e durante o tempo todo da brincadeira foi possível notar o trânsito completamente parado. Catadores de material reciclável, ciclistas, pedestres, crianças: muita gente topou o desafio, até um surfista. Hadrien Heurtel, que passava caminhando com sua prancha pelo Largo foi logo chamado pela produção para participar. O francês, que mora há um ano em São Paulo, conta que desde que chegou tem dificuldades para se locomover. “Na minha cidade eu ando a pé, uso ônibus e bicicleta. Aqui eu demorei um ano até descobrir como pegar o ônibus correto. Bicicleta ainda acho perigoso.”

Confira a seguir a cobertura em vídeo feita pelo Vá de Bike.


3 comentários para Em prova divertida, modos de transporte ativo mostram sua eficiência em relação ao carro (com vídeo)

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>