Livro enumera 100 projetos que transformam o Brasil por meio da bicicleta

Evento de lançamento do livro em São Paulo. Willian Cruz (esq.) fala sobre as vantagens da bicicleta. Foto: Divulgação

Evento de lançamento do livro em São Paulo. Willian Cruz (esq.) fala sobre as vantagens da bicicleta. Foto: Divulgação

A bicicleta já ganhou status de agente de mudança em muitos lugares e no Brasil não é diferente. O livro Eu Sou a Mudança, lançado pela Editora MOL, enumera 100 projetos que usam a bicicleta como instrumento de mudança social. O evento de lançamento contou com a participação de vários personagens que estampam a publicação, além de Willian Cruz, do site Vá de Bike, Daniel Guth, da Ciclocidade, e João Lacerda, da Transporte Ativo.

Leia trechos do livro

Interessou? Compre online!

O livro apresenta projetos públicos e privados, com ou sem fins lucrativos, com abrangência local, estadual ou nacional. Há iniciativas sociais, educativas, artísticas e esportivas, além de projetos referentes a sustentabilidade, empreendedorismo, mobilidade, urbanismo, acessibilidade e iniciativas relacionadas ao turismo – todos envolvendo a bicicleta de alguma forma, inspirando cidadãos, empresas e governos a construir cidades mais inteligentes, funcionais, saudáveis e divertidas.

Há, por exemplo, projetos de estímulo ao ciclismo urbano implantados por prefeituras como as de Salvador (BA) e Rio Branco (AC), uma empresa que realiza entregas usando bicicletas em seis grandes cidades do país e um clube de São José dos Campos (SP) que forma campeões ensinando gratuitamente modalidades de ciclismo olímpico para crianças e jovens. Outras iniciativas abordadas são uma pesquisa da USP sobre a saúde dos ciclistas urbanos em São Paulo, uma campanha no Recife que doou triciclos aos catadores de lixo reciclável, um festival de arte e ciclismo criado em Curitiba que já se espalhou por várias cidades do interior paranaense e uma rede de mais de 1.600 voluntários de todo o país que ajudam quem quer começar a usar a bicicleta como meio de transporte.

Uma lista no fim do livro traz os contatos dos responsáveis por cada iniciativa, ajudando a formar uma rede de pessoas interessadas em estimular o uso da bicicleta. O livro traz ainda entrevistas com especialistas, informações e conjuntos de dicas, com recomendações para ajudar a tornar as cidades mais cicláveis e as empresas mais receptivas aos ciclistas, para organizar eventos culturais ciclísticos, para pedalar de forma mais segura nas ruas e até para fazer uma cicloviagem.

Imagem: Divulgação

Imagem: Divulgação

A bicicleta mudando as cidades

Para Guth, a bicicleta faz parte de um movimento sem volta, em que o ciclista é protagonista da mudança das cidades. “Nós fazemos parte de um movimento que melhora a vida das pessoas e transforma a cidade em um lugar mais agradável para se viver”.

Já Lacerda acredita que a bicicleta é o instrumento de uma revolução que está sendo implantada no mundo inteiro. “Esse movimento só nos estimula a continuar. As histórias dialogam com o que a gente quer para a cidade”.

Willian Cruz, criador do site Vá de Bike, acredita que o livro é uma boa ferramenta de transformação, já que traz exemplos que podem ser replicados em outros lugares. “Nós nunca conseguiremos estimar todos os impactos positivos da bicicleta para a sociedade. Mas se tem algo que nós temos certeza é de que estamos preservando vidas”.

Livro social

A cada exemplar vendido, a Editora MOL doa 9% do valor de capa – referente aos direitos autorais da publicação – para iniciativas que trabalham pela mobilidade. As instituições beneficiadas são a Ciclocidade, uma associação de ciclistas que propõe políticas públicas pró-bike em São Paulo; a Transporte Ativo, instituição carioca internacionalmente reconhecida por promover meios de transporte sustentáveis; e o site Vá de Bike, um dos principais porta-vozes da bandeira da bicicleta na internet brasileira. Curtiu? Compre aqui! ;)

Especializada em publicações sociais, a MOL produz revistas e livros com renda revertida para causas essenciais, que já doaram R$ 15 milhões para instituições como AACD, GRAACC e Instituto Ayrton Senna.

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>