Ferrovia em Berlim pode abrigar ciclovia coberta que gera energia limpa

Imagem: Radbahn Berlin

Imagem: Radbahn Berlin

Berlim pode ganhar em breve sua primeira grande ciclovia coberta. Lançado este ano por oito bicicleteiros de diferentes países e profissões, o Projeto Radbahn tem como objetivo revitalizar um cartão postal da cidade, a linha férrea U1 (parte da rede de metrô da cidade), e transformá-la em uma rota segura, agradável e sustentável para a passagem das bicicletas.

Com mais de 120 anos de existência e nove quilômetros de extensão, a via cruza bairros modernos no centro da capital alemã por baixo de um viaduto e, devido às suas más condições, se resume hoje a um abrigo para carros nos dias de chuva. O Projeto Radbahn sugere uma série de intervenções que iriam estimular a população local a discutir mobilidade e a pedalar mais, não só na U1, mas por toda a cidade.

Entre as melhorias que os criadores esperam ver surgir a partir da reforma, estão a diminuição do trânsito e de acidentes entre motoristas e ciclistas, o aquecimento do empreendedorismo local, a experimentação com novos materiais sustentáveis e produtos voltados à mobilidade e a multiplicação de novas rotas exclusivas para as magrelas.

Em verde, as áreas da rota que estão hoje interrompidas ou que são pouco usadas. Em azul, trechos que precisam de pequenas intervenções. Em vermelho, trechos que receberiam uma reforma intensa. O pontilhado verde indica possíveis lugares para construírem outras ciclovias, enquanto o pontilhado vermelho sinaliza onde não existe passagem para bicicletas. Imagem: Radbahn Berlin

Em verde, as áreas da rota que estão hoje interrompidas ou que são pouco usadas. Em azul, trechos que precisam de pequenas intervenções. Em vermelho, trechos que receberiam uma reforma intensa. O pontilhado verde indica possíveis lugares para construírem outras ciclovias, enquanto o pontilhado vermelho sinaliza onde não existe passagem para bicicletas. Imagem: Radbahn Berlin

As intervenções na linha férrea

O Projeto Radbahn argumenta que 80% do trajeto da U1 já está preparado para receber ciclistas. Nos outros 20%, obstáculos como intersecções de carros e ferrovias seriam superados por meio de soluções inovadoras como:

Ponte suspensa permitiria cruzar com facilidade o Landwehrkanal. Imagem: Radbahn Berlin

Ponte suspensa permitiria cruzar com facilidade o Landwehrkanal. Imagem: Radbahn Berlin

– substituir escadas por rampas, transformando toda a extensão em uma única superfície ininterrupta e protegendo os ciclistas contra veículos motorizados;

– zonas verdes às margens da via para amenizar barulhos e limpar o ar;

– semáforos inteligentes orientados pelo ritmo da locomoção dos ciclistas, criando um “caminho verde” com o mínimo de interrupções no deslocamento de quem pedala;

– conectar o percurso com a malha de transporte público de Berlim, como estações de ônibus e outras ciclovias;

– usar a ponte que cobre o percurso como proteção contra sol, chuva e neve;

– espalhar “estações de serviço” pela pista: bares, cafés, lojas para aluguel de bikes, áreas de descanso e postos de assistência técnica gratuita são alguns exemplos;

– criar pontes suspensas, presas na estrutura acima, para possibilitar a passagem sobre obstáculos como canais e irregularidades do terreno;

– instalar um pavimento sensível a pressão, que gera energia a partir do atrito dos pneus, aproveitando a eletricidade produzida para iluminar o percurso.

Concepção artística de trecho da Radbahn. Imagem: Radbahn Berlin

Concepção artística de trecho da Radbahn. Imagem: Radbahn Berlin

Mais bicicletas em Berlim

Berlim tem ruas amplas, grandes parques, solo plano e uma malha de transporte público extensa. Apesar de ser ideal para o deslocamento sobre duas rodas, a cidade mantém uma forte relação com os automóveis, responsáveis por 58% do engarrafamento da cidade – comparados aos 3% gerados pelas bikes (fonte: Flächen-Gerechtigkeits-Report, Agentur für clevere Städte, 2014).

O enorme potencial da metrópole para virar uma das mais “amigas da bicileta” na Europa é comprovado pelo aumento no número de ciclistas no decorrer dos últimos anos: em 2014, a cada mil moradores, 324 dirigiam carros e 721 pedalavam (fonte: Environmental Awareness Study, 2014, UBA).

Proposta busca apoio popular

Até agora, o Projeto Radbahn não passa de uma reflexão urbanística – seus integrantes não sabem por exemplo, estimar a verba necessária para concretizar as medidas sugeridas.

O grupo vem pedindo ajuda aos cidadãos de Berlim para exigirem do poder público políticas em favor da locomoção ativa e a abordagem do tema nas eleições de 2016. A estratégia está funcionando: no terceiro dia após sua inauguração, a página da causa no Facebook já contava com 6 mil fãs. No dia 23 de novembro, o projeto ganhou o prêmio Ecodesign, concedido pelo Ministério do Meio Ambiente alemão. E políticos – como Jan Eder, diretor da Câmara de Comércio e Indústria de Berlim – apoiaram publicamente o projeto.

Para mais detalhes sobre a proposta da Radbahn, clique aqui.

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>