Busbike – o cúmulo do hamster na esteirinha

O pessoal anda comentando sobre esse Busbike que está circulando no Rio. A maioria dos ciclistas limitou-se a rir da idéia. Outros ficaram revoltados, alguns poucos acharam legal. Mas certamente não compreendemos a emoção desse brinquedo. Ele não foi feito para nós, criaturas do ar livre.

Uma amiga minha sintetizou sua opinião com a frase título desse post: “o cúmulo do hamster na esteirinha”. E olha que ela é (ou já foi) rata de academia.

O que acontece é mais ou menos o seguinte. Leonardo inventou a bicicleta para as pessoas terem mobilidade. Então alguém inventou a tal ergométrica, que é pra fazer a bicicleta ficar parada. Agora aparece um e coloca a bicicleta parada dentro de um ônibus, que é para ela poder andar. O próximo passo é fazer o ônibus ficar parado em cima de uma carretinha, com um caminhão rebocando, assim uma pessoa pode brincar de motorista de ônibus enquanto as outras brincam de ciclista…

Pra mim parece aqueles brinquedos de parque de diversão, em que vários carrinhos ficam andando em círculos, com crianças dentro brincando que estão dirigindo. No Busbike brinca-se de andar de bicicleta, sem os perigos de andar sem rodinhas. Sem o vento no rosto. Sem a emoção de sentir uma descida. Sem o desafio de olhar uma subida e pensar “eu vou vencê-la”, com a recompensa do visual de lá de cima ou da ladeira que te aguarda do outro lado.

Cada um tem direito de se divertir com o que quiser, que fique claro! E eu sou da opinião de que cada um faz o que quer com a sua vida, desde que não prejudique ou incomode os outros. E é justamente aí que está o problema: brincando de ciclista dentro de um ônibus no meio da rua, ocupam um espaço danado, poluem e ainda atrapalham o trânsito!

O mais engraçado é que o site deles traz ao lado da foto do ônibus a frase “liberte-se”. É, liberte-se. Fique preso dentro de um ônibus como um animal em uma jaula enquanto o mundo passa lá fora.

Quer liberdade? Compra uma bicicleta! Parafraseando aquela campanha da Caloi: “bicicleta é liberdade, esqueceu?”

Em tempo: busbike de verdade é esse aqui, ó.

6 comentários em “Busbike – o cúmulo do hamster na esteirinha

  1. fico pensando num desses aqui em Salvador, subindo ladeiras, curvas fechadas, buracos e motoristas malucos, a galera ia sair cheia de hematomas. Isso é propaganda para quem tem transito de primeiro mundo. abraços

    Thumb up 0 Thumb down 0

  2. %!@$&@# que %!@$&@#é essa? Por que diabos alguem ficaria pedalando dentro de um ônibus se o melhor é o que está pra fora??? %!@$&@# entao coloquem ergometricas às 18hrs num metrô da Zona Leste.

    Cada idéia viu!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  3. HAuahaua “Liberte-se”
    a minha definicao pra isso é uma academia sobre rodas, mas nao deixa de ser ridículo. Imagina vc no transito parar num sinal, olhar pro lado e ver um monte de neguinho suado dentro do onibus se matando de pedalar.. hehe… no minimo, ridiculo. Acho bacana aula de spinning, mas isso ae achei palhaçada. Se vc quer pedalar, po, pega a grana de 2 meses de mensalidade (R$190 por mes) desse troco ai e compra uma bike mais simples e vai pedalar. Garanto q a sensacao de liberdade sera bem maior.

    Thumb up 0 Thumb down 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *