Gradis-paraciclo na Praça do Ciclista

Gradis-paraciclo na Praca do Ciclista

“Asas” – painel de Mona Caron na Praça do Ciclista
(Foto: Apocalipse Motorizado)

Um ano e sete meses depois da promessa, finalmente instalaram grades de proteção, os chamados gradis, na Praça do Ciclista aqui em São Paulo. A placa da Praça, prometida na mesma ocasião, foi instalada em setembro de 2009.

Obviamente nem passou pela cabeça de quem definiu o modelo e o projeto de instalação, mas essas grades servem perfeitamente para prender bicicletas. Provavelmente a grade foi pensada para inibir e mascarar os tradicionais grafites pró-bicicleta e de protesto que eram feitos na mureta da Praça – como o painel da artista Mona Caron, que você vê na foto ao lado e que foi apagado rapidamente pela prefeitura.

Traves de madeira, que davam falsa sensação de proteção e colocavam em risco quem se apoiava nelas

Até pouco tempo atrás, havia apenas traves de madeira fazendo um isolamento “psicológico” do buraco do túnel. A Praça, que fica cheia com frequência (principalmente nas Bicicletadas mensais) oferecia risco às pessoas que por lá passavam.

É inadmissível que um buraco na rua seja fechado em uma semana enquanto uma mureta numa praça com grande circulação de pessoas as coloque em risco de vida por mais de um ano e meio. Apenas como exemplo, nesse mesmo tempo quilômetros de novas pistas na “nova” Marginal Tietê foram abertos, tudo aprovado e construído muito rápido. Mas incrivelmente essa inversão de valores absurda não espanta mais ninguém na cidade do automóvel.

4 comentários em “Gradis-paraciclo na Praça do Ciclista

    1. Giovanni, um paraciclo pago geralmente fica numa área coberta e com segurança, passando a ser chamado de bicicletário. Há bicicletários pagos em estacionamentos da rede Estapar na região da Av. Paulista, aqui em São Paulo, para dar um exemplo.

      Thumb up 0 Thumb down 0

Deixe uma resposta para Willian Cruz Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *