Imagem: ESPN/Reprodução

Lições para aprender com Londres

Em série especial, Renata Falzoni mostra como Londres se preparou para receber os jogos olímpicos e como a cidade encara a bicicleta.

Enquanto todos os holofotes estão voltados para as competições nas Olimpíadas de Londres, o canal do Youtube Londres 360 traz uma série de vídeos inéditos e diários sobre a vida na capital inglesa, os bastidores de como a cidade se reinventou e sua dinâmica para receber os jogos. Lições muito importantes para nós, que pretendemos receber as próximas olimpíadas.

Imagem: ESPN/Reprodução

Na sessão Bike Zone, apresentada por Renata Falzoni e Felipe Meirelles, mostra curiosidades da vida de uma cidade que aprendeu a valorizar as pessoas e os ciclistas. Impressionante ver como a cultura dos ingleses tornou Londres um lugar mais bonito, agradável e seguro. E não é tão difícil ser assim, basta dar prioridade às pessoas e aos espaços públicos!

>> Veja reportagem da jornalista Ana Paula Padrão <<

Estrutura esportiva e legado das Olimpíadas

Um dos exemplos é o das escolinhas de BMX em parques. A cidade tinha o projeto de construir cinco pistas, hoje já existem quatro e a última será entregue à população assim que acabarem as olimpíadas. “Uma das grandes coisas dos jogos é ser inspiração para a próxima geração de pessoas no esporte. Dar aos jovens uma chance de experimentar um esporte que eles provavelmente viram na televisão”, diz o pai de um dos alunos.

Para além de criar futuros atletas profissionais, esses espaços deixam as cidades melhores para viver, mais saudáveis, humanas e divertidas. Enquanto isso, no Brasil temos cada vez menos praças e lugares com foco no bem estar dos cidadãos. No lugar deles, mais prédios, shoppings, estacionamentos, pistas e ruas. É preciso dar equilíbrio aos gastos, saber o que é público e coletivo e o que é privado com interesses pessoais.

Outro paralelo feito pela Falzoni com o Brasil é o caso do velódromo do Rio de Janeiro, que atualmente passa pela polêmica de sua demolição. Veja o vídeo onde o técnico da equipe australiana, Simon Jones, que tem dado suporte também à equipe brasileira, diz que a demolição do velódromo vai ser um problema para a qualidade dos atletas brasileiros:

A cidade e os cidadãos

E as áreas de várzea, rios, canais e córregos da cidade, o que fazer com eles? Transformar em esgoto a céu aberto ou aproveitar que são vias planas, arborizadas e agradáveis para estimular o uso seguro por pedestres e ciclistas? Veja o que Londres escolheu fazer:

E viver como entregador ou bike boy numa cidade grande? Trabalhar pedalando o dia inteiro em Londres, apesar de cansativo pelo esforço físico, é “uma diversão, tira o stress. Você fica acostumado com a endorfina e não importa quanto dinheiro você ganhe: você está sempre feliz”, diz o brasileiro Alexandre Garo, que chega a tirar 2000 reais por semana como messenger.

Continuemos acompanhando os exemplos da terra da rainha, quem sabe assim a gente se inspire e aprende a propor, cobrar e exigir as mudanças que precisamos!

Acompanhe você também: www.youtube.com/londres360 (Sessão Bike Zone)

Imagem: ESPN/Reprodução

4 comentários em “Lições para aprender com Londres

  1. É bom observarmos Londres, Paris, Nova York e afins, até mesmo mais do que cidades como Copenhague, que são pequenas. Grandes metrópoles mundiais servem melhor como referência pra nossas cidades enormes, como Rio de Janeiro e São Paulo.

    É possível sim termos um bom ambiente para ciclistas e pedestres, e qualidade de vida, mesmo num país (atualmente) caótico como o nosso. Vamos tentar fazer nossa parte como cidadãos socialmente ativos.

    Thumb up 2 Thumb down 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *