Nova ferramenta do maps indica nível de elevação de terrenos em rotas para bicicleta. Foto: Reprodução Techrunch

Google Maps apresenta dados de elevação para ciclistas escolherem rotas

Ao digitar os endereços de origem e destino, Google Maps apresenta trajetos para fazer de bike, com representação gráfica das elevações no caminho a ser percorrido.

Nova ferramenta do maps indica nível de elevação de terrenos em rotas para bicicleta. Foto: Reprodução Techrunch
Nova ferramenta do maps indica nível de elevação de terrenos em rotas para bicicleta. Foto: Reprodução Techcrunch

O Google lançou recentemente e sem alarde um novo recurso para o aplicativo Maps: indicador de elevação (altimetria). Com o recurso, o ciclista pode comparar percursos por distância e ladeiras, optando pelo caminho que mais agradar. Mas por enquanto a novidade ainda está disponível apenas em 14 países – Áustria, Austrália, Bélgica, Canadá, Suíça, Alemanha, Dinamarca, Finlândia, Grã-Bretanha, Holanda, Noruega, Nova Zelândia, Suécia e Estados Unidos -, como um complemento à opção de transporte por bicicleta (que não temos aqui).

Ao digitar os endereços de origem e destino, o Maps apresenta os trajetos para fazer de bike, com representação gráfica das possíveis elevações na distância a ser percorrida. A única situação em que o ciclista não vai ver os novos perfis de elevação é para rotas que são planas.

Outra ferramenta nova na versão 8.2 do aplicativo é o comando de voz em modo de navegação. Há um botão que inicia o modo de voz para que o ciclista possa fazer comandos e perguntas. Ele entende frases como “quanto tempo até eu chegar?” e “Qual é a minha próxima conversão?” Ele também aceita comandos como silenciar a orientação por voz e amostragem de tráfego.

Ainda não há prazo para o serviço ser disponibilizado no Brasil. Há ferramentas online como Strava e Runstatic que apresentam dados apenas após o trajeto percorrido, com indicação de distância percorrida, tempo gasto, comparativo com outros ciclistas, entre outras funções. Já no Bikemap é possível montar sua própria rota e exportar dados para um GPS. Para aqueles que estão dispostos a gastar mais, também é possível adquirir um aparelho GPS para bicicletas.

Opção nacional

Imagem do site de rotas Bicidade, premiado na Hackatona CET. Foto/Reprodução
Imagem do site de rotas Bicidade, premiado na Hackatona CET. Foto/Reprodução

Atualmente, o único site/aplicativo no Brasil com informações parecidas (que conhecemos) é o Bicidade, projeto premiado em março desse ano na I Hackatona CET, maratona hacker proposta pela Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo. O Bicidade traz as rotas cicláveis de São Paulo, as marcações de lugares bons para ciclistas e, principalmente, as vias planas da cidade, dando ao usuário opções de rotas que tornem a experiência de pedalar na cidade algo mais seguro e agradável.

“A ideia do aplicativo é achar os melhores caminhos para o ciclista levando em consideração, entre outros fatores, pontos de interesse e a altimetria das ruas, ou seja, na hora de traçar uma rota, o sistema vai privilegiar caminhos planos, que considerem menor grau de esforço do ciclista”, explicou um dos desenvolvedores, Tiago Barufi, ao Vá de Bike. O programador também contou como desenvolveram o projeto: ”pegamos o mapa das ciclorrotas da cidade, juntamos com o mapa topográfico e atribuímos uma declividade para cada segmento. O grau de dificuldade de cada subida se baseia na experiência pessoal da equipe, mas isso pode mudar”.

“Há muito tempo eu sonhava em ver um aplicativo que levasse em consideração a altimetria de um percurso”, conta Barufi. “Já tinha ouvido falar em algo similar em outros países, mas nunca aqui no Brasil. A ideia é facilitar a vida de quem usa a própria energia para se deslocar, propor melhores rotas para conhecer a cidade e ir a lugares desconhecidos”.

Além do site (que temos percebido fora do ar em muitos momentos), há uma versão app para Android. A equipe trabalha na versão para iOS.

6 comentários em “Google Maps apresenta dados de elevação para ciclistas escolherem rotas

  1. Não está liberado por aqui, mas é possível entrar no Google Maps dos Estados Unidos e escolher um endereço no Brasil que irá mostrar a altimetria da mesma maneira.
    O mais complicado é acessar o Maps americano. Mas dá pra fazer o seguinte: Acesse o site http://www.google.com/ncr , mas pela navegação “in private”. Assim é possível entrar no google americano e depois no Maps via EUA. Aí basta utilizar como se fosse o Maps brasileiro e verificar a altimetria normalmente, selecionando os endereços de começo e destino, e colocando a bike como meio de transporte.

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  2. Sou ciclista porém não proficional, mais faço pedais longo, como: JÁ DEi A VOLTA POR DUAS VEZES EM TODO ESTADO DE PERNAMBUCO, sendo a 1ª Edição em julho de 2010 e a 2ª em Janeiro de 2011, fiz SALVADOR-BA em Janeiro de 2012, fiz FORTALEZA-CE, em janeiro de 2013, minha última longa foi no mês passado para CAMPINNA GRANDE-PB, em Novembro pretendo fazer um girão saindo do RECIFE-PE X GARNHUNS-PE X CAMPINA GRANDE-PB X RECIFE-PE finalizndo 714 km, para ser pedaladoem três etapas: 1ª RECIFE-PE X GARANHUNS-PE = 241 KM, 2ª ETAPA, GARANHUNS-PE X CAMPINA GRANDE = 243, vou fazer uma pausa de dois dias em Campina Grande, pra conhecer melhor essa cidade e depois sigo para Recife-PE, 3ª ETAPA, CAMPINA GRANDE-PB X RECIFE-PE = 230 KM, TOTALIZANDO 714 KM PEDALADO. VÁ DE BIKE, VEM COMMIGO, CHUUUUUUUUUUUTAA!!!
    ROSADO

    Thumb up 3 Thumb down 0

  3. Tem o Bicidade! Ficou em 2o lugar num evento promovido pela prefeitura e faz os caminhos baseado na existência de ciclovias e ciclorrotas de São Paulo e também considerando a menor elevação

    Thumb up 3 Thumb down 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *