Cidadãos sinalizaram ciclorrota na Zona Norte de São Paulo

Com pintura de solo e placas nos postes, rota completa ligação da ponte Júlio de Mesquita Neto com a avenida Inajar de Souza.

Sinalização de solo foi feita utilizando a técnica de stencil.

Ciclistas paulistanos sinalizaram agora em julho uma ciclorrota no bairro do Limão, na Zona Norte de São Paulo. Foi realizada sinalização horizontal (pictogramas no asfalto) e também vertical (placas).

A sinalização de solo é semelhante à que foi realizada no bairro do Bom Retiro, também por cidadãos, quando um trecho de ciclovia foi retirado há cerca de dois meses. Ela segue o formato “sharrow”, utilizado internacionalmente para explicitar o compartilhamento da via, e consiste de um símbolo vermelho de bicicleta sobre um círculo branco, junto a setas de indicação de sentido de circulação.

Já as placas colocadas ao longo do trajeto trazem símbolos de um carro e de uma bicicleta, com a mensagem “compartilhe a rua”, e foram feitas reutilizando antigos discos de vinil. Veja como preparar sinalização semelhante.

Em verde, a estrutura existente; em vermelho, a rota sinalizada.

A rota sinalizada atende a uma antiga demanda de estrutura cicloviária, conectando a ciclovia da ponte Júlio de Mesquita Neto com a avenida Inajar de Souza.

A sinalização popular parte da estrutura já existente na região, na rua Nelson Francisco, seguindo pelas avenidas Nossa Senhora do Ó e Antônio Munhoz Bonilha, chegando à Inajar de Souza pela rua Dornelândia.

Veja também
Sinalização popular foi oficializada pela prefeitura em San Francisco, nos EUA
Vídeos ensinam a sinalizar ciclorrotas e ciclofaixas
Consertando as cidades com intervenções populares
Como uma simples pintura no chão pode aumentar a segurança dos ciclistas

Fotos

 

2 comentários em “Cidadãos sinalizaram ciclorrota na Zona Norte de São Paulo

  1. Muito cuidado com essas bicicletinhas pintadas no asfalto: por não serem feitas por órgãos oficiais, à luz da lei tais ciclofaixas não existem, portanto, se alguém se acidentar em tais lugares, não poderá alegar que “estava na ciclofaixa”.

    Thumb up 0 Thumb down 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *