7 provas de que pedalar faz bem para a saúde, apesar da poluição

Um dos argumentos para criticar incentivos ao uso da bicicleta é que pedalar nas ruas de uma grande cidade faz mal para a saúde, por causa da poluição. Desconsiderando que as pessoas que reclamam da poluição como se fosse algo inevitável deveriam fazer sua parte poluindo menos, decidimos analisar essa afirmação à luz dos fatos. ;)

É óbvio que pedalar no meio do mato é melhor para a saúde do que pedalar nas avenidas, assim como respirar no interior é mais saudável do que nas capitais. Mas quem trabalha nos grandes centros precisa de se deslocar diariamente pelo meio urbano, portanto a recomendação de “não pedalar nas cidades” não pode ser levada em consideração quando estamos tratando de meios de transporte e deslocamentos nas cidades.

Alguns afirmam que o ciclista “respira mais” que um motorista sedentário e que por isso ele inalaria mais poluentes, principalmente por não estar protegido por metal e vidro. Essa afirmação é bastante contestável. Vamos analisar alguns fatores:

1A bicicleta, em horários de pico, é mais rápida que o carro
Veja aqui e aqui. Portanto, você respira por mais tempo indo de carro do que se estivesse de bicicleta, o que por si só equipara a quantidade total de ar respirado com a de quem respira em maior quantidade, durante menos tempo. E esse argumento (do volume de ar inalado) nem merece ser discutido mais a fundo, por partir da premissa de que uma maneira de evitar a poluição seria respirar menos e continuar poluindo – um total contrassenso e um completo absurdo.

2O ar dentro do carro é mais poluído que o ar do lado de fora
Isso é comprovado pelas medições que volta e meia a CETESB ou o Instituto de Poluição Atmosférica da USP fazem: sempre que medem o ar dentro e fora dos veículos, o ar de dentro tem uma concentração de poluentes bem maior que o de fora, porque dentro do carro os poluentes não se dissipam.

3O ar condicionado do carro não impede a entrada de poluentes
Quando o motorista fecha a entrada de ar externo, há alguma diminuição na entrada de poluentes. Mas o automóvel não é uma câmara selada e os poluentes acabam entrando mesmo assim. Como não se dissipam e não têm por onde sair, acabam sendo inalados pelos ocupantes. Você pode comprovar isso fechando as entradas de ar de um veículo e permanecendo alguns instantes atrás de outro que esteja soltando bastante fumaça: o cheiro dessa fumaça será sentido dentro do carro e permanecerá lá por bastante tempo, mesmo ao se afastar do causador do problema.

4O uso contínuo do ar condicionado pode trazer outros problemas além da poluição
Os filtros têm predisposição para a proliferação de bactérias e fungos, que podem causar irritações e doenças respiratórias. Além disso, as variações bruscas de temperatura ao entrar e sair de um ambiente fortemente climatizado também podem afetar sua saúde.

Foto: Willian Cruz

Foto: Willian Cruz

5Nos bordos da pista, a poluição está menos concentrada
Boa parte dos poluentes, principalmente o material particulado (a chamada fuligem, que também vai para os pulmões), ficam concentrados na via ou sobem praticamente na vertical. Nos bordos da pista, onde circulam os ciclistas, a concentração é um pouco menor. Ciclovias no canteiro central, portanto, também apresentam menor índice de poluentes que as faixas de rolamento.

Foto: Vá de Bike

6Em vias de menor fluxo há muito menos poluição
Como boa parte dos poluentes sobe na vertical, as ruas paralelas têm o ar melhor. Há menos carros trafegando, em menor velocidade, com menos aceleração e há menos veículos pesados (quando há). Portanto, se utilizarmos vias de menor fluxo a inalação desses materiais diminui ainda mais. Respiramos um ar melhor do que quem está num carro na avenida ao lado.

7O exercício físico regular traz diversos outros benefícios
Mesmo quando praticado dentro de uma cidade grande, o exercício físico regular traz diversos benefícios: previne problemas cardíacos, aumenta a resistência aeróbica, reduz a obesidade, ativa a musculatura de todo o corpo, diminui a ocorrência de doenças crônicas e problemas cardíacos e aumenta a expectativa de vida em mais de três anos. Isso quer dizer que mesmo que haja algum prejuízo devido à poluição, na média você sai ganhando. Ou você realmente acha que é mais saudável ir trabalhar sentado sedentariamente dentro de um carro, tendo como exercício físico diário apenas 100 metros de caminhada? ;)

Além de todos os argumentos acima, ainda há uma falha enorme nesse raciocínio: respirar faz parte da vida! Não temos que nos preocupar em respirar menos e sim em poluir menos! Se o ar está poluído demais, faça sua parte deixando o carro em casa, nem que seja uma vez por semana. Deixe de ser parte do problema (e de defender gratuitamente algo que também faz mal a você).

Saiba Mais
Comparativo de exposição a poluição em Sydney: carro, trem ônibus, bicicleta e caminhada
“Pessoas indo ao trabalho em horários de pico devem usar alternativas aos carros para reduzir sua exposição a poluentes do ar, e também para diminuir a exposição de outras pessoas reduzindo sua contribuição nas emissões.”
(Health Promotion Journal of Australia - em inglês) 

Ar é mais poluído dentro do que fora do carro
“Quem está dentro de um carro – mesmo com os vidros fechados – respira um ar até sete vezes mais poluído do que um pedestre que anda pela calçada”
“O ar-condicionado também puxa o ar de fora, então, de qualquer maneira o motorista vai respirar os poluentes” – Jesuíno Romano, gerente de avaliação da qualidade do ar da Cetesb”
(Jornal da Tarde)

Sedentarismo é pior que poluição
“Em geral, o benefício [da pratica esportiva] é maior do que a perda [causada pela poluição]. Há benefícios cardiovasculares, para a pressão arterial, para a diminuição do colesterol.”
(Folha Online)

Ar condicionado não adianta
Estudo feito para a Folha pela Eco Quest do Brasil, que monitora a qualidade do ar em interiores, “avaliou o ar em um carro fechado (…) durante uma hora na região central de São Paulo. Em apenas quatro minutos, o valor de monóxido de carbono (…) superou em até quatro vezes o limite estabelecido pela OMS”.
(Folha de São Paulo, via ClicRBS)

Cheiro de carro novo só faz bem ao olfato
“essa desejada fragrância está ligada a elementos químicos que podem causar alergia, irritação e até câncer”
(Folha Online)

Carro com ar-condicionado e janelas fechadas não barra a poluição do trânsito
“O filtro de cabine, presente na maioria dos projetos de carros com até cinco anos, não garante ar puro”.
(Folha de São Paulo) 

Ar dentro do carro é mais nocivo que fora
“É mais saudável andar à beira de uma estrada movimentada e respirar a fumaça que sai do escapamento dos veículos do que sentar confortavelmente em um carro com ar condicionado” – Robert Baker, presidente da Associação da Qualidade do Ar em Interiores dos Estados Unidos
(Ambiente Brasil)

Motoristas inalam mais poluição no trânsito que um ciclista
Pesquisa do Instituto do Coração mostrou que o ciclista respira 17% menos poluição que um motorista. Matéria em vídeo.
(Rede Globo, série Respirar)

Poluição do ar no interior do carro afeta o coração
“Os motoristas avaliados demonstraram estresse cardiovascular (…) mudanças do ritmo cardíaco e alterações no sangue que podem levar à formação de coágulos”
(Folha Online)

Cheiro de carro novo pode ser mau
“o tolueno é uma substância orgânica volátil que interfere nas hemoglobinas (…) e pode provocar disfunções na respiração”
(Folha Online, só para assinantes)

Carro tem mais bactérias que sola de sapato
“O volante e a alavanca de câmbio têm mais bactérias por centímetro quadrado do que a sola de sapato”
(Carpress, UOL)


14 comentários para 7 provas de que pedalar faz bem para a saúde, apesar da poluição

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>