Sobre a audiência com Ricardo Neis

Cartazes levados ao Fórum no dia da audiência. Foto: Naian Meneghetti Sader

Entenda o caso
Em fevereiro de 2011, Neis avançou com o carro sobre centenas de ciclistas que participavam da Massa Crítica de Porto Alegre, ferindo 17 pessoas e gerando reações no mundo todo. O atropelador só não matou ninguém por pura sorte.

O Vá de Bike fez um pequeno clipping com algumas das notícias publicadas na imprensa sobre a audiência de Ricardo José Neis, ocorrida em 2 de dezembro, onde foram ouvidas também as testemunhas da defesa.

Juntas, as matérias abaixo dão um bom panorama do que ocorreu e do que ainda está por vir.

Destaquei os trechos mais importantes de cada uma delas e acrescentei alguns comentários, mas recomendo a leitura completa para detalhes adicionais.

‎”Agora, o magistrado vai decidir se o réu vai a júri popular e se o processo permanece como tentativa de homicídio. Existe a possibilidade de o acusado ser absolvido por falta de provas.”

Leia a matéria completa no BOL Notícias

Defesa recorrerá agora ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul para pedir a reconstituição do crime.

“Mesmo com a gravação das imagens, a defesa do acusado acredita que não há provas periciais suficientes no processo. ‘Uma vez que não tem mapa, não tem croqui, foram pedidas novas provas periciais. A reconstituição seria importante porque ia mostrar a trajetória do carro antes da filmagem’, disse o advogado Marco Alfredo Mejia.

A estratégia da defesa é provar que Neis avançou sobre os ciclistas para fugir de ameaças do grupo de ciclistas. ‘Ele foi cerceado. Todo mundo sabe que aquele é um movimento agressivo’, disse Mejia. A ideia do defensor é que Ricardo Neis vá ao local do crime para apontar os três locais onde, segundo ele, foi ameaçado.”

Além disso, estão insinuando que os vídeos publicados no Youtube foram editados para retirar o trecho onde Neis teria sido agredido.

Leia a matéria completa no Terra

Excelente relato da audiência no Sul 21. Alguns trechos:

“Ao final, houve também o interrogatório da promotoria à Neis, que a promotora de Justiça Lúcia Helena Callegari qualificou como algo ‘lamentável’. ‘Faltou humildade por parte do réu, que culpava com veemência os ciclistas da Massa Crítica pelo fato, procurando se inocentar’, disse Callegari.”

“Das testemunhas, foram ouvidos dois colegas de trabalho; um motorista que estava atrás dele no dia do atropelamento; e uma senhora que declarou ter presenciado outro tipo de tumulto envolvendo a Massa Crítica, mas que não estava presente no dia. Segundo o promotor Eugênio Amorim, esta última foi descarregar sua raiva contra ciclistas. ‘Ela declarou que em agosto de 2010, presenciou um conflito entre um motorista e ciclistas, que ela não sabia afirmar se eram participantes da Massa Crítica’.

“Amorim afirmou também que o motorista atrás do Neis depôs indiretamente contra o atropelador. ‘Em seu depoimento, ele afirmou ter visto o conflito inicial entre Ricardo e alguns ciclistas, no início da Avenida José do Patrocínio, porém, por segurança achou melhor dobrar a esquerda, coisa que Neis deveria ter feito, mas não fez’.”

Leia a matéria completa no Sul 21

Me dá impressão de que quanto mais Ricardo Neis tenta nadar, mais ele afunda. Vamos torcer para um bom desfecho, com o potencial de mudar o modo como são vistos e julgados os crimes de trânsito.


15 comentários para Sobre a audiência com Ricardo Neis

  • acho que os ciclistas agem como se fosse azulzinho,eles poe a bicicleta no meio de um cruzamento e param do lado trancanco a via, como se fosse agente de transito,acho que deveriam punir os ciclistas tambem, ja fiseram mesmo comigo e amigos dando socos e chutes na lateral do carro deu vontade de tocar por cima ,mas contei ate dez e consegui fugir deles.. deveriam por uma lei pra punir ciclista que avancar sinal e provocarem acidentes,,,

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • Priscilla

    http://www.tjrs.jus.br
    TJ/Comarca = Porto Alegre

    001/2.11.0017785-8 (CNJ 0057903-48.2011.8.21.0001) -
    JUSTIÇA PÚBLICA X RICARDO JOSE NEIS

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • Para quem quer acompanhar, abaixo segue o número do processo e seu andamento:

    Consulta de 2º Grau
    Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul

    Processo Cível Número Themis: 70047197231 Processo Principal:
    Número CNJ: 0026313-71.2012.8.21.7000 Processos Reunidos: Ver Processos
    Acórdão: Inteiro Teor Processo de 1º Grau: 001/1.11.0100820-3
    AGRAVO DE INSTRUMENTO
    RESPONS CIVIL EM ACIDENTE DE TRANSITO Segredo de Justiça: Não
    Órgão Julgador: TRIBUNAL DE JUSTIÇA – 11. CAMARA CIVEL
    Relator: DESA KATIA ELENISE OLIVEIRA DA SILVA
    Data da distribuição: 24/01/2012
    Volume(s): 01
    Quantidade de folhas: 00025

    Partes: Ver todas as partes e advogados
    Nome: Designação:
    RICARDO JOSE NEIS AGRAVADO(A)
    Advogado:
    MARCO ALFREDO MEJIA
    Nome: Designação:
    DAILOR SARTORI JUNIOR AGRAVANTE
    Advogado:
    DAILOR SARTORI JUNIOR

    Últimas Movimentações: Ver todas as movimentações
    25/01/2012 EXPEDICAO DE OFICIO 72 / 12 enviado por e-mail
    25/01/2012 EXPEDICAO DE NOTA DE EXPEDIENTE 22/2012
    25/01/2012 DISPONIBILIZADO NO DJ ELETRONICO 4758 EM 26/01/12
    25/01/2012 PUBLICADO NE 22/12 EM 27/01/12 DJ ELETRONICO 4758

    NOTAS DE EXPEDIENTE:

    Consulta de 2º Grau
    Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul
    Número do Processo: 7004719723170081120120022

    Notas de Expediente:
    Cód/Ano
    Data
    Texto
    0022/2012 25/01/2012 I N T I M A C O E S
    70047197231 (CNJ:
    26313-71.2012.8.21.7000) – RESPONS
    CIVIL EM ACIDENTE DE TRANSI 11.VARA
    CIVEL FORO CENTRAL – PORTO ALEGRE (1/
    11101008203) – DAILOR SARTORI JUNIOR
    (ADV(S) DAILOR SARTORI JUNIOR),
    AGRAVANTE; RICARDO JOSE NEIS (ADV(S)
    MARCO ALFREDO MEJIA, ALEXANDRE LUIS
    MAZIERO, ALEXANDRE MENEGHINI RAMOS),
    AGRAVADO(A).
    “VISTOS… NÃO CONHEÇO DO RECURSO, POR
    DEFICIENTEMENTE INSTRUÍDO.
    COMUNIQUE-SE. INTIMEM-SE. PORTO ALEGRE,
    24 DE JANEIRO DE 2012. DES.ª KATIA
    ELENISE OLIVEIRA DA SILVA, RELATORA.”
    IDENTIFIQUEM AS PARTES, POR MEIO DE
    PETIÇÃO E NO PRAZO DE 05 (CINCO) DIAS,
    OS DOCUMENTOS ORIGINAIS, EVENTUALMENTE
    JUNTADOS AO PROCESSO, QUE DEVERÃO SER
    ENCAMINHADOS AO JUÍZO DE 1º GRAU,
    CONFORME ESTABELECIDO NO ART. 1º,
    PARÁGRAFO ÚNICO, DA RESOLUÇÃO Nº 740/
    2008-COMAG.

    Thumb up 1 Thumb down 1

    • Consulta de 1º Grau
      Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul

      Processo Cível Número Themis: 001/1.11.0100820-3 Processo Principal:
      Número CNJ: 0117140-13.2011.8.21.0001 Processos Reunidos: Ver Processos

      PROCESSO DE CONHECIMENTO
      Ordinária – Outros Segredo de Justiça: Não
      Comarca:
      Órgão Julgador: 11ª Vara Cível do Foro Central 2/1 (Foro Central)
      Data da Propositura: 19/04/2011
      Local dos Autos: NOTA DE EXPEDIENTE 1/2012
      Situação do Processo: DISPONIBILIZADA NOTA NO DJ ELETRÔNICO
      Volume(s): 1
      Quantidade de folhas:

      Partes: Ver todas as partes e advogados
      Nome: Designação:
      DAILOR SARTORI JÚNIOR AUTOR
      Advogado:
      DAILOR SARTORI JÚNIOR
      Nome: Designação:
      RICARDO JOSÉ NEIS RÉU
      Advogado:
      ALEXANDRE MENEGHINI RAMOS

      Últimas Movimentações: Ver todas as movimentações
      07/12/2011 CONCLUSÃO AO JUIZ
      12/12/2011 ORDENADA NOTA DE EXPEDIENTE
      10/01/2012 EXPEDIDA NOTA DE EXPEDIENTE – 1/2012 Disponibilizada 11/01/2012
      16/01/2012 DISPONIBILIZADA NOTA NO DJ ELETRÔNICO – 1/2012 DJE Nº 4747 em 11/01/2012
      26/01/2012 DOCUMENTO(S) RECEBIDO(S) NO PROTOCOLO GERAL

      Ver Notas de Expediente
      Ver Audiências
      Ver Termos de Audiência
      Ver Praças e Leilões
      Ver Sentença
      Ver Outras Informações
      Ver Dados do 2º Grau
      Ver Mandados Oficiais
      Ver Depósitos Judiciais 1º grau
      Ver Alvarás Automatizados Expedidos
      Ver Guias de Custas

      Thumb up 1 Thumb down 1

    • Priscilla

      Este processo é cível, não vai decidir sobre as acusações de homicídio. Sabe o número do criminal?

      Thumb up 0 Thumb down 1

  • Fernando, o número do processo é o seguinte:

    Número do processo: 11101008203
    Comarca: Porto Alegre

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Letícia, acho que o último movimento na justiça foi esse mesmo, também não soube de mais nada até agora. Quando souber, divulgo por aqui.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Letícia Shimoda

    Alguém tem notícias??
    Não acho reportagens recentes do caso
    Vai fazer 1 ano. É muito importante para os ciclistas o desfecho dessa história. É por esse tipo de coisa que devemos nos fortalecer, não continuarmos sendo vítimas.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Fernando Filho

    Alguém tem o número do processo para acompanhar o andamento?
    Gostaria de assistir o júri caso haja.
    Grato.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • josé

    Vamos ser sinceros, isso não vai dar em nada, sempre é assim.
    Se resultasse em morte ele pagaria uma fiança e seria solto.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Bruno

    Não costumo comentar mas dessa vez…PQP!
    Sabem aquela famosa e escabrosa fotografia de um vietnamita algemado sendo executado com um tiro na cabeça? ao ler que o cidadão Ricardo Neis pode ser absolvido por falta de provas, imaginei o assassino do vietnamita sendo considerado inocente POR FALTA DE PROVAS. Não entendo nada de direito mas acredito que meus pais me ensinaram bem à usar meu senso de justiça. Uma aglomeração desarmada sendo atacada do jeito que foi, com tantos registros em vídeo de tantos ângulos diferentes… Na verdade acho que os vídeos nem seriam necessários, é só ver quantos hematomas ficaram nos ciclistas, todas as bicicletas retorcidas e os depoimentos das testemunhas e já bastaria para mostrar que, definitivamente, um crime ocorreu por parte do motorista.
    Pior foi o advogado(do diabo) afirmar que “Todo mundo sabe que aquele é um movimento agressivo”. Oras, eu nunca fui à uma bicicletada da Massa Critica mas me parece um pouco óbvio que um grupo que distribui flores aos motoristas não pode ser chamado de agressivo. Fora que difamar as vitimas é uma estratégia muito vil, mostra que a muito este advogado esqueceu o que é justiça.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • David

    Nao consigo ver nenhum argumento bom o suficiente para justificar tal atitude. Talvez se os ciclistas que foram atropelados estivessem lhe apontando armas de fogo poderia fazer sentido, mas obviamente nao é o caso..

    Comentário bem votado! Thumb up 5 Thumb down 0

  • Este processo está sendo muito interessante do ponto de vista jurídico, pois, ambos os lados, promotoria e defesa carregam bons argumentos. Fato é que não se pode condenar alguém apenas pela materialidade aparente do fato, mas antes, toda sua estrutura que ocorrerá, já que o ciclista pertencia ao grupo de manifestantes. Outro ponto forte é o suscitado pela parte da promotoria, tratando-se da materialidade aparente como prova cabal de tentativa de homicídio.
    Vamos ver o desfecho, é por essas e outras que seria interessante sempre ter um do grupo (ciclistas) cadastrado para Júri, numa dessas, poderia ajudar e muito!!!

    Abraços

    Thumb up 2 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>