Bicicletas nos postes do Rio, a notícia velha que viralizou

Notícia original no jornal O Globo, publicada em 17 de março de 2009. Via "Rio pra não chorar".

Enquanto escrevo essas linhas, está bombando nas redes sociais a falsa informação de que o Choque de Ordem estaria recolhendo bicicletas presas em postes no município do Rio de Janeiro agora, em 2012.

Isso realmente aconteceu. A foto que está sendo espalhada é real. Mas é de uma matéria de 2009! E quem acompanha o Vá de Bike talvez se lembre que o problema foi resolvido em setembro de 2011, quando o prefeito Eduardo Paes publicou Decreto Lei 34481, que autoriza o uso de postes e grampos para prender bicicletas.

Pelo que pude rastrear, alguém encontrou a imagem nesta página do Facebook e saiu compartilhando e reclamando, sem atentar à data da publicação: 16 de setembro de 2011. Mais alguém resolveu baixar e distribuir via Twitter e…

Zás!, fez-se o milagre da viralização. Aquele que o pessoal das agências de publicidade tanto persegue, o Santo Graal das redes sociais, a alquimia que transforma até notícia velha em ouro de visitação e para a qual ainda não descobriram a receita (embora alguns jurem que sim).

Daqui a pouco vão criar vídeos no Youtube com essa foto e distribuir aqueles powerpoints intermináveis com frases de efeito, música enfadonha e 5Mb na sua caixa de entrada. Prepare-se.

 

Antes de distribuir uma informação, verifique se ela corresponde à verdade.

Espalhar notícia incorreta prejudica a todos – no mínimo por fazer milhares de pessoas desperdiçarem sua energia e vontade de mudar o mundo, que poderiam ser muito melhor aproveitadas onde realmente precisamos delas.

E fica a dica: na maioria das vezes, uma simples busca no Google resolve! 🙂


Texto do Decreto Lei 34481/11. Fonte: Transporte Ativo


19 comentários para Bicicletas nos postes do Rio, a notícia velha que viralizou

  • Henrique Torres

    A falta de bicicletários no Rio demonstra o descompasso total entre o que a prefeitura diz e o que ela realmente faz. Ela diz que incentiva o uso da bicicleta mas não constrói bicicletários. Falo isso por experiência própria, eu uso diariamente a bicicleta e, com exceção do meu local de trabalho, só consigo amarrar a bicicleta em postes, orelhões, etc (eu conheço todos os que são disponíveis nos locais que frequento, e asseguro que está difícil encontrar um vago). A legislação urbanística exige um monte de vagas pra carros nos empreendimentos, mas pra bicicleta, é só em shoppings e hipermercados – e olhe lá. Usar poste como bicicletário é, no máximo, “bicicletário passivo” para um transporte ativo (em homenagem ao meu amigo Zé Lobo), o que é cômodo para preitura pois a exime de construir bicicletários de verdade.

    Thumb up 1 Thumb down 0

    • A falta de bicicletários nas grandes cidades brasileiras parece ser geenralizada. Mesma coisa aqui em Vitória. É triste ver que muitas prefeituras não tem politicas públicas para implantação de bicicletários como se deveria ficar por conta dos comércio, dos moradores… É patético! Isso dificulta muito o desenvolvimento do modal bicicleta porque as pessoas não consegue estacionar sua bicicletas com segurança e practicidade. Na hora de instalar a bicicelta em local inadequado como frenquentemente é, o ciclista fica perdendo tempo e dignidade enquanto poderia prender sua bike em poucos segundo num paraciclos bom… Pior e que aqui em Vitória ainda não temos um padrão de paraciclo e sóestão sendo instalados paraciclos obsoletos de encaixe de roda!
      Um exemplo de paraciclo muito obsoleto em Vitória:
      http://vitoria-sustentavel.blogspot.com.br/2011/09/bicicletarios-obsoletos-da-curva-da.html

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ricardo e Paola, vou tentar me informar com a prefeitura do Rio e obter um posicionamento oficial. De qualquer modo, os funcionários que recolhem as bicicletas e os que mandam recolher estão agindo contra a lei e precisam ser denunciados.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ricardo José Camara

    A notícia, embora possa ser desatualizada não deixa de ser verdadeira. Aquela ação foi um verdadeiro absurdo, total falta de foco de uma fiscalização em uma cidade que tem tantos problemas sérios a serem verificados e corrigidos e que não são, como por exemplo a qualidade dos serviços prestados por empresas de transporte coletivo, postes enferrujados prestes a cair, etc (já acionei o 1746, serviço da Prefeitura para informar problemas e não são solucinados). Até hoje comento este assunto das bicicletas com outras pessoas, até mesmo um funcionário da Prefeitura do Rio que confirmou a proibição de prender bicicletas em postes como vigente. Ninguém mencionou conhecimento do decreto corrigindo este grande erro. E pelo o que a Paola Burle falou, nem mesmo a fiscalização conhece o decreto.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Paola Burle

    SE EH FALSA VOU COMECA A DEIXAR MINHA BIKE PRESA COM A NOTICIA IMPRESSA E A LEI DO SR. PREFEITO JUNTO, ANEXADA, PRESA NO MEU CADEADO. SE LEVAREM, AVISO A VCS… RS

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Paola Burle

    A INFORMACAO SOBRE RECOLHIMENTOS NAO EH FALSA. SEMANA PASSADA NA FRANCISCO SA, RECOLHERAM AS BICICLETAS, OS CARRINHOS DE ENTREGA DO SUPERMERCADO ZONA SUL. OS PORTEIROS AVISAM QUE ELES PASSAM 2 X POR DIA. O PESSOAL DA ACADEMIA JA AVISOU PARA NAO COLOCAR AS BIKES POR QUE O CHOQUE DE ORDEM ESTA RECOLHENDO. TIVEMOS QUE PROCURAR UMA RUA MENOS MOVIMENTADA E MAIS CALMA. A POLICIA NAO TEM IFORMACAO, A CET RIO E OS GUARDAS MUNICIPAIS TB NAO ESTAO SABENDO. MAS ESTA ACONTECENDO TODO DIA.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Paulo damasio

    Eu discordo muito de quem fala mil maravilhas, em termos de uso acessibilidade, da “capital nacional da bike”. Eu sou um ciclista carioca que uso a bike todo dia pra me locomover e acho a cidade muito mal planejada e inclusive escassa em termos de ciclovia. Faltam acessos, bicicletários, não existem ciclovias pro centro e pra zona norte, o sistema da bike rio (ou melhor, os ‘bikedoors’ do itaú) é concentrado só na zona sul, ou seja, pra inglês ver, como se bicicleta fosse só para o passeio dominical na orla.

    Thumb up 4 Thumb down 1

  • Alexandre M. Pope

    Graças a essa benvinda “notícia velha” muita gente ficou sabendo que agora, no Rio de Janeiro, podemos legalmente prender nossas bicicletas em postes. Me pergunto, isso não é incentivar a desordem urbana? Quantas bicicletas podem ser presas em um poste? Por que, ao se construir ciclovias (e o Rio é bem servido por elas), não se constroem bicicletários suficientes? Não precisa ser a Prefeitura (vide as bicicletas do Itaú). Moro na Barra e se vou a um shopping, super mercado não tenho onde estacionar minha bike com segurança (a Barra não é servida pelo Itaú e, mesmo que fosse, preferiria usar a minha). Mesmo se vou à praia posso encontrar os poucos que existem lotados. Existem várias maneiras de a prefeitura estimular (ou obrigar) a instalação de bicicletários pela cidade. Uma construtora vai iniciar uma obra? Então deveria instalar bicicletário. Os que trabalham na construção civil são os que mais usam bicicletas para trabalhar.

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • A contaminação do ctr c + ctr v, faz com que a maioria das pessoas dissipem informações e não as assimilem, compartilhando informações ultrapassadas e levantando questionamentos sem fundamento. Esse é um dos grandes problemas de utilização instantânea da internet do nosso tempo. Antes de compartilhar, leia! O futuro é hoje! Fica a dica!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Já publiquei a correção da matéria no post lá em meu blog. Agora me diga: aquele dado que constava na “notícia velha” de que existiriam apenas 3600 vagas para quase 4 milhões de bikes no RJ também está velho? Ciclistas ainda continuam tendo que acorrentar suas bikes em postes?
    Abraço,

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Fernanda Mourão

    Excelente Post! A população precisa sim correr atrás de seus direitos, mas para isso tem OBRIGAÇÃO de se informar. Reclamar do que não existe mais não dá!

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • melega1

    Inclusive aproveito a ocasião pra lembrar que o Rio está dando um show em São Paulo em matéria de acessibilidade ‘a bicicleta. Estive por lá e é incrível ver o número de ciclovias (não só na orla da praia). Acorda São Paulo!

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Renato

      Porém em matéria de transporte publico, está muito atrás de SP que constrói 4 linhas de metrô ao mesmo tempo e está modernizado por completo a sua rede de trens metropolitanos da CPTM, enquanto a Supervia ainda capenga.

      Ciclovias são importantes, mas de nada adianta um monte de ciclovias se o transporte publico, principalmente o sobre trilhos continuar um lixo.

      Thumb up 1 Thumb down 0

  • E aí, tudo bem,
    Apoiamos o choque de ordem, mas aquela medida tinha um revés negativo e que certamente não interessava a ninguém.
    Num momento em que o uso das bicicletas vem crescendo no mundo todo, de uma forma consistente e consciente é de se admirar e espantar que a prefeitura tenha demorado tanto para perceber que a questão não é simplesmente proibir, a questão é saber organizar e oferecer espaços apropriados para os ciclistas. Em muitos lugares não existe estacionamento para bikes. Isto é fato. E por isso se faz necessário que até eles sejam instalados, as bicicletas podem ser estacionadas nos postes e gradis, desde que exista bom senso.
    De qualquer maneira, ficamos contentes com a atitude inteligente do Prefeito do Rio, a tempo de corrigir uma distorção sem o menor sentido: reprimir o estacionamentos de ciclistas , sem que estes tenham a opção de estacionamento especifico para ciclistas. Ciclista não destrói! Ciclista é solução!
    Abraços
    L. Pavel / J. Pellegrino

    Thumb up 1 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>