Ciclocidade realiza crowdfunding para montar mais uma oficina comunitária Mão na Roda em São Paulo

2014-06-09-Mao na roda_ccsp_com_texto_ok_big

A oficina colaborativa Mão na Roda, que existe em São Paulo desde 2010, está chegando mais perto da região central da cidade: será inaugurada uma nova unidade no dia 6 de julho, no Centro Cultural São Paulo (CCSP – Rua Vergueiro, 1000, Paraíso). Para equipá-la com a infraestrutura e ferramentas necessárias para seu funcionamento, a Ciclocidade (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo) está divulgando uma campanha de financiamento coletivo para arrecadar R$ 5 mil.

A meta precisa ser alcançada até o dia 30 de junho para que a oficina disponha do valor necessário para comprar um acervo de ferramentas e equipamentos, materiais para cavaletes, suprimentos básicos para os reparos das bicicletas, além de bancadas de trabalho, mesas e bancos. Dessa forma, o espaço do CCSP ficará preparado para receber os ciclistas com o necessário para a realização de reparos nas bikes. A Ciclocidade já garantiu R$ 2 mil, mas ainda precisa da colaboração de futuros usuários e ciclistas.

Foto: Mão na Roda/Gonzalo Cuéllar

Foto: Mão na Roda/Gonzalo Cuéllar

Por que ajudar?

A oficina Mão Na Roda é um espaço de colaboração, aprendizado e troca de informações sobre manutenção e uso de bicicletas, com funcionamento gratuito e colaborações espontâneas para a manutenção do local e compra de materiais. Desde a abertura da primeira oficina, na Vila Madalena, zona oeste da capital paulista, seu princípio é o “faça você mesmo”, estimulando a autonomia e colaboração entre os ciclistas, além do aprendizado trazido com cursos e workshops temáticos, como iluminação, montagem de bicicletas fixas, bike fit, entre outros.

Junto com essa primeira unidade, que funciona todas as quintas-feiras, o projeto cresceu e, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, desde 2013 também conta com um espaço no Centro Cultural da Juventude, aberto aos sábados.

Chegando à região central da cidade, a oficina Mão Na Roda do CCSP funcionará às terças e domingos, de forma gratuita e aberta ao público em geral.

Cooperação e economia justa

O modelo colaborativo do Mão Na Roda tem par em diversas iniciativas espalhadas pelo mundo e que elegeram o “faça você mesmo” como uma forma de praticar uma economia mais justa e baseada no reuso de materiais, com troca de peças e serviços ou contribuições financeiras espontâneas. Uma das primeiras iniciativas do gênero ocorreu em Viena, Áustria, em 1983 quando uma Fahrradselbsthilfewerkstatt (oficina colaborativa de bicicletas, em tradução livre do alemão) foi montada em uma ocupação urbana. Outro exemplo bem sucedido é a da Bike Kitchen de São Francisco, criada em 2003.

Além dos reparos e manutenção de bicicletas, as oficinas comunitárias muitas vezes oferecem cursos de mecânica básica ou específica para situações de viagem. Segundo o diretório Community Bicycle Organizations, feito pela Bike Collectives Network (Rede de Coletivos Ciclísticos), existem oficinas colaborativas em mais de 200 cidades em 25 países, a maior parte delas nos Estados Unidos e Inglaterra.

As oficinas colaborativas são comuns lá fora. Veja outros exemplos:

  • Bike Church, em Santa Cruz, Califórnia (EUA)
  • The Bike House, em Washington, DC (EUA)
  • Recyclistas, em Victoria, Canadá (essa cobra pequenas taxas, não é gratuita)
  • B!KE, em Peterborough, Canadá
  • Bici Coop, em Birminghan, Alabama (EUA)
  • Bike Cave, funciona dentro da Universidade Estadual do Texas (EUA)

No Brasil, além da Mão na Roda, Porto Alegre teve, de 2011 a 2013, a Oficina Comunitária da Cidade da Bicicleta, desativada pelo fim do acordo com o proprietário do imóvel. Atualmente, alguns voluntários da iniciativa pleiteam, junto à prefeitura de Porto Alegre, um local público para sua instalação.

Contribua com o financiamento coletivo e ajude a divulgar a campanha!

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>