“Protocolo de Sorocaba” propõe ações para promover a mobilidade ciclística no país

Durante o evento, ciclistas firmaram o documento Protocolo de Sorocaba, que busca estimular o desenvolvimento da mobilidade por bicicleta no Brasil. Foto: Evandro Queiroz/Fünfsports

Durante o evento, ciclistas firmaram o documento Protocolo de Sorocaba, que busca estimular o desenvolvimento da mobilidade por bicicleta no Brasil. Foto: Evandro Queiroz/Fünfsports

A União de Ciclistas do Brasil (UCB), em parceria com a Shimano e com a colaboração de ciclistas e representantes da iniciativa privada, elaborou durante o Shimano Fest, que aconteceu de 21 a 23 de novembro de 2014, o chamado “Protocolo de Sorocaba”, que busca estimular o desenvolvimento da mobilidade por bicicleta no Brasil. O documento propõe ações e posicionamentos para poder público, iniciativa privada e entidades que representam os ciclistas.

De acordo com André Soares, presidente da UCB, envolver diversos setores em prol de um único objetivo é um fator marcante na elaboração do documento. “Participamos juntos do Congresso de Mobilidade promovido pela Shimano, todos tiveram a chance de falar um pouco sobre suas experiências e isso torna o processo muito rico.”

Rogério Tancredi, gerente de Marketing da Shimano, acredita que a realização do evento tem um papel importante na discussão sobre mobilidade por bicicleta. “Reunir as entidades e profissionais de diferentes segmentos para a elaboração do Protocolo de Sorocaba é muito importante, principalmente por ser em Sorocaba que é uma cidade referência no assunto”.

Willian Cruz, do Vá de Bike, esteve presente no debate. Foto: Maximiliano Blanco-Shimano

Willian Cruz, do Vá de Bike, esteve presente no Congresso Shimano de Mobilidade. Foto: Maximiliano Blanco-Shimano

Congresso

O primeiro dia da Shimano Fest 2014 foi marcado pelo Congresso de Mobilidade Shimano, com uma série de apresentações seguidas de um debate sobre o Protocolo de Sorocaba. Enquanto a Shimano foi representada pela coordenadora de marketing esportivo, Vanessa Srna Pinheiro, a Urbes (Empresa de Desenvolvimento Urbano e Social de Sorocaba) teve o assessor técnico José Carlos de Almeida apresentando o modal da cidade, interligado ao sistema de transporte público.

O responsável pelo projeto Vá de Bike, Willian Cruz, fez a abertura do painel “Cases de sucesso – Iniciativas do setor privado para a mobilidade”, falando sobre os diversos ganhos que as empresas têm ao receber bem e incentivar colaboradores e clientes que usam a bicicleta. Em seguida, foram apresentados os cases da Carbono Zero Courier, com Rafael Mambreti, do SESC Sorocaba, com Marcos Tadeu Camargo, e da Escola de Bicicleta Ciclofemini, com Claudia Franco.

Protocolo de Sorocaba

O Congresso foi encerrado com uma mesa redonda entre representantes de diversas frentes da sociedade, para discutir o Protocolo de Sorocaba. Temas como a inclusão de aulas de ciclismo e educação no trânsito nas escolas foram apontados como indispensáveis na formalização do documento. Os debatedores foram: Willian Cruz, do Vá de Bike; Fábio Samori, do Aro 27 Bike Café; Cleber Anderson, da Anderson Bicicletas; Fernando Guimarães, apresentador na rádio Cruzeiro FM e repórter no Jornal Cruzeiro do Sul; Renata Falzoni, do Bike é Legal; André Geraldo Soares, da UCB; o vereador por São Paulo, José Police Neto; e o engenheiro Clebson Aparecido Ribeiro, secretário do Meio Ambiente de Sorocaba.

Cleber Anderson, proprietário da Anderson Bicicletas, destacou que “é preciso ensinar às crianças noções de trânsito e isso precisa ser feito nas escolas.” Fábio Samori, da Aro 27 Bike Café, completou: “quando se ensina algo às crianças, a família também começa a praticar.”

Renata Falzoni, do site Bike é Legal, pediu a inclusão de um tópico para redução de velocidade nas vias. “É preciso ter leis de trânsito que garantam a prioridade para quem se locomove por energia própria e também que seja reduzida a velocidade dos carros nas vias públicas, é indispensável rever as leis.”

Willian Cruz, do Vá de Bike, afirmou que o Protocolo “não está pedindo nada fantástico”, apenas que se cumpra a lei e que todos os setores – poder público, inciativa privada e sociedade civil – participem dos processos. “É importante que todos entendam que somos responsáveis pelo trânsito. Devemos refletir sobre qual modelo de cidade desejamos ter, para que todos tenham as mesmas oportunidades.”

O Protocolo está em desenvolvimento e disponível para consulta no site da UCB. Nessa página também é possível se tornar signatário do Protocolo. Empresas e instituições interessadas podem participar do processo de elaboração do documento, entrando em contato com a UCB.

Assista em vídeo um resumo do debate sobre o Protocolo de Sorocaba.

Evento teve participação de mais de 13 pessoas. Foto: Fünfsports

Evento envolveu de mais de 13 mil pessoas. Foto: Fünfsports

Shimano Fest

O evento gratuito, que segundo os organizadores envolveu cerca de 13 mil pessoas, foi realizado em parceria com a prefeitura de Sorocaba/SP e com apoio da Urbes, responsável pelo trânsito e transportes na cidade. “Nesse evento a Shimano pretendeu trazer para o mercado de bicicletas a importância de falar sobre mobilidade, de como as marcas podem se unir e se posicionar sobre o assunto”, explicou a coordenadora de marketing da Shimano, Vanessa Srna Pinheiro.

A organização do evento informou que o evento movimentou 2,8 milhões de reais na cidade do interior paulista, envolvendo a produção do Shimano Fest e gastos dos participantes no comércio local. João Magalhães, coordenador de comunicação da Shimano, comemorou o êxito da atividade: “é importante que todos estejam unidos num único propósito, que é promover a mobilidade por bicicleta, assim todos sairão ganhando e teremos alcançado nosso objetivo.”


4 comentários para “Protocolo de Sorocaba” propõe ações para promover a mobilidade ciclística no país

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>