20 recomendações importantes para começar sua cicloviagem

Cenário encontrado em Haugesund, Noruega, pela colunista do Vá de Bike Raquel Jorge. Foto: Arquivo pessoal

Cenário encontrado em Haugesund, Noruega, pela colunista do Vá de Bike Raquel Jorge. Foto: Arquivo pessoal

Toda viagem requer preparativos para evitar contratempos básicos. No caso de uma viagem de bicicleta, em que o ciclista fica vulnerável às condições climáticas, ao terreno e ao desconhecido, os preparativos podem ser vitais. A seguir, algumas sugestões sobre como se preparar para uma viagem em duas rodas.

1 Faça um check up médico e odontológico. Isso poderá evitar problemas de saúde na estrada. As vezes estamos em lugares muito remotos em que auxílio médico não existe – e dor de dente é algo enlouquecedor. Previna-se. Além disso o médico pode sugerir alguma medicação que será bem mais fácil de levar na mala do que tentar adquirir sem uma receita emitida na língua local. Um antibiótico genérico pode ser bastante útil! Se você toma medicações específicas, leve-as com você e peça para seu médico escrever uma receita em inglês.

2 Deixe as contas organizadas, em débito automático ou sob responsabilidade de alguém de confiança. Lembre-se de habilitar os cartões de crédito para o período da viagem (sempre considere algumas semanas a mais) e para os países que pretende visitar.

3 Teste todo equipamento eletrônico que pretende levar. Baterias, carregadores, cabos, etc. Se for usar um GPS, certifique-se de que ele está corretamente configurado e com todos os mapas que vai precisar. Tenha sempre dois planos de backup para fotos e vídeos: um HD externo e o Dropbox, por exemplo. Eu uso um HD de 1 tera e ainda mando tudo para uma conta que fiz no Dropbox.

4 Coloque em cima da cama toda a roupa que pretende levar. Quando terminar de fazer isso, tire metade. Sempre usamos menos do que levamos e peso é uma preocupação constante para quem viaja de bicicleta. Se perceber no caminho que levou demais, e se tiver apego às suas roupas, envie-as pelo correio (para você mesmo) o que não estiver usando. Se não tiver apego, toda cidade tem uma igreja que aceita doações.

5 Procure levar todos os cosméticos e itens de higiene pessoal em tamanho reduzido. Algumas marcas já oferecem os “kits de viagem” em que tudo é pequeno e, portanto, mais leve.

6 Leia relatos e blogs de quem já fez a rota que você pretende fazer. Escreva e-mails expressando suas dúvidas. Viajantes tendem a ser bastante generosos com informações e isso pode ajudar bastante na hora de fazer escolhas como onde ficar, que distância percorrer, etc.

7 Se pretende acampar ou ficar em chalés na Europa, faça a carteirinha do Camping Europe. É fácil e eles entregam em qualquer endereço no mundo. No mínimo é uma motivação ver chegar pelo correio a carteirinha com seu nome e outros dados. Na prática facilita muito a entrada nos campings onde você tem prioridade e não precisa preencher nada.

8 Não programe demais. Tenha um plano da rota que pretende realizar e o tempo em que pretende realizar. Mas não saia fazendo reservas e se comprometendo para toda a trip, pois certamente você vai mudar de ideia no caminho. Não estar engessado em uma programação te dará mais flexibilidade e liberdade para escolher. Além disso, há que se considerar as condições climáticas, imprevistos, estradas fechadas, etc. Viaje leve – em todos os sentidos. Eu costumo reservar apenas as duas primeiras noites, depois disso é na estrada que vou resolvendo e decidindo. Mas mantenha-se informado sobre alta estação, feriados, eventos locais e etc.

9 Faça uma revisão geral na bike e diga ao mecânico qual a distância que você pretende percorrer. Peça para ele trocar quaisquer peças que não vão aguentar tal quilometragem. Encontrar peças talvez seja a maior dificuldade de quem está na estrada.

10 Se você já entende de mecânica, perfeito! Se não entende, faça aulas, aprenda o básico, como trocar um pneu furado (o de trás, principalmente), como ajustar o freio, as marchas e o que fazer se a corrente quebrar. Isso também vai te dar uma noção de quais peças você precisa levar, como ferramentas, câmara extra, óleo, etc.

11 Faça rolinhos com as roupas, em vez de colocá-las dobradas no alforje. Isso economiza espaço e as mantêm (um pouco) menos amassadas. Distribua o peso igualmente entre os alforjes para que a bike fique equilibrada.

12 Quem pedala fica extremamente vulnerável às condições climáticas. Estude um pouco sobre o clima e a estação do ano do lugar que pretende visitar e organize suas roupas de acordo. Calça e jaqueta impermeáveis (corta vento e à prova d’água) são indispensáveis. Comprei minha calça “de motoboy” por R$ 49 na Decathlon, e foi um dos itens mais usados até agora!

13 Leve luvas de qualidade, com gel nas palmas, para evitar formigamento nas mãos e ter mais conforto. Sapatilha é uma questão bastante pessoal. Eu sou usuária e adoro, mas isso significa ter que levar outro par de calçados na bagagem – além do par de chinelos de borracha.

14 Escaneie todos os seus documentos: passaporte, cartões de crédito, RG, CIC, comprovante de endereço, etc, e mande para o seu e-mail. Assim, se precisar, você poderá acessá-los de qualquer computador conectado. Leve uma ou duas fotos 3×4. Em alguns lugares poderá ser útil.

15 Nunca leve todos os documentos, cartões e dinheiro no mesmo lugar. Eu levo metade sempre comigo, com fácil acesso, e metade “muvucado” dentro de um dos alforjes. Assim, se tiver algum problema em uma das partes, tem a outra como backup.

16 Se pretende viajar sozinho, faça várias play lists em um iPod ou similar. Você vai precisar!

17 Mantenha contato constante com alguém no Brasil e sempre informe a esta pessoa seus planos para os próximos dias. De preferência que não seja sua mãe, que vai se desesperar se você demorar meia hora para enviar uma mensagem. Escolha alguém com menos apego emocional, mas que seja de confiança – o melhor amigo é o ideal.

18 Se pretende viajar por bastante tempo e para locais remotos, deixe uma procuração, com direitos totais, para alguém em quem você confia plenamente. Imprevistos acontecem e é sempre bom estar prevenido.

19 Mesmo se optar por usar GPS, tenha sempre um mapa de papel com você – e há um aplicativo (gratuito) chamado maps.me, em que você baixa o mapa do país que pretende visitar. Ele funciona offline e é um excelente backup, pois além de informar sua localização, também aponta para qual direção você está indo – esse app salvou minha pele em algumas florestas em que me enfiei. Também é possível baixar o mapa de determinada região para o Google Maps.

20 Faça as malas, ou devo dizer: os alforjes. Boa viagem e que os ventos soprem a favor! 😉

Veja também
Planos e improviso: o início de uma viagem de bike pelo mundo
Raquel Jorge fez uma cicloviagem de 6.200 km pela Europa, contornando o Mar do Norte e passando por Noruega, Suécia, Dinamarca, Alemanha, Holanda, Bélgica e Inglaterra. E ela conta os detalhes aqui no Vá de Bike, da preparação aos desafios do caminho, com dicas para quem tem vontade de ganhar o mundo e informações sobre a mobilidade nos locais onde passou. Veja o que ela publicou por aqui.

2 comentários para 20 recomendações importantes para começar sua cicloviagem

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>