Veja como ficará a Praça do Ciclista após a reforma

Imagem: Estúdio Guto Requena/Divulgação

A Praça do Ciclista, local emblemático para quem pedala em São Paulo, passará por um processo de revitalização, que inclui novos paraciclos, floreiras e bancos, além de um memorial a ciclistas que perderam a vida no trânsito. As mudanças foram apresentadas na própria Praça no dia 25 de janeiro, aniversário da cidade, e o Vá de Bike esteve lá para mostrar em detalhes o que será feito no local.

A parceria assinada com a Prefeitura de São Paulo contemplará toda a revitalização da praça, além da sua manutenção pelos próximos três anos, ao custo total de R$ 370 mil. “O primeiro passo foi chegar na subprefeitura da Sé e mostrar o interesse de adoção da Praça. O subprefeito aceitou e a gente fez um termo já de 3 anos”, conta Daniel Moral, da Eureka Coworking, idealizador da proposta.

As grades existentes se transformarão em paraciclos de fato, uma vez que já são usadas com esse fim pelos frequentadores. Imagem: Estúdio Guto Requena/Divulgação

Melhorias

“O projeto foi construído colaborativamente, porque a gente não quis chegar e colocar um projeto da nossa cabeça sem escutar todos que frequentam a Praça”, completa Moral. Para isso, foi criado o site PracaDoCiclista.com.br, que recebeu sugestões até 28 de novembro de 2018.

Com base nessas sugestões, criou-se um conceito de mobiliário urbano que nasce com a ideia de “hackear” a praça existente – ou seja, produzir peças que serão acopladas nos elementos já pertencentes ao local, evitando uma obra civil muito grande.

A mureta do canteiro central, onde as pessoas já se sentavam, receberá um banco circular. Os guarda-corpos, que já são utilizados hoje para apoiar bicicletas, se tornarão paraciclos. Bebedouro, internet wi-fi, tomadas, ferramentas e bomba para encher os pneus das bicicletas, além de uma nova iluminação, também farão parte do projeto.

Área central da Praça do Ciclista terá bancos sobre a mureta, que hoje já é utilizada de forma improvisada para sentar, e um melhorias também no espaço da Horta do Ciclista. Imagem: Estúdio Guto Requena/Divulgação

Horta do Ciclista

“A Horta do Ciclista, característica fundamental da praça hoje, será revitalizada e tratada como o coração do projeto. O espaço verde, que hoje se encontra no canteiro central, será expandido para as duas grandes aberturas que revelam o túnel, onde serão acopladas floreiras nos guarda corpos existentes”, detalha o designer e arquiteto Guto Requena, que assina o projeto em colaboração com Plural Lab e conta com o paisagismo de Daniela Ruiz.

A nova horta terá o cultivo de PANCs (Plantas Alimentícias não Convencionais). “A gente vai fazer um plantio híbrido, trabalhando o plantio no solo e em grandes big bags, que são sacos grandes de plantio, e o projeto também contempla irrigação, que é muito importante principalmente quando se fala de permacultura”, descreve a arquiteta e paisagista Daniela Ruiz.

Já as floreiras serão compostas por plantas que atraem agentes polinizadores tão raros no ambiente urbano, como abelhas, pássaros e borboletas. “Vamos trabalhar com três espécies floridas, uma delas a Lantana, que é importantíssima para as borboletas”, esclarece Ruiz.

Iluminação

Todo mobiliário urbano que irá “hackear” a praça será confeccionado em metal com pintura branca. As três grandes estruturas resultantes desse projeto (a horta central e as duas aberturas para o túnel) se tornarão três grandes luminárias urbanas à noite. Bicicletas que geram energia serão instaladas, convidando os usuários a pedalarem e contribuírem com a iluminação do local.

Borboletas – reais e virtuais – devem colorir a Praça do Ciclista.

Homenagem a vítimas de atropelamentos

Uma obra de arte urbana interativa de realidade aumentada fará parte do projeto. Criada por Guto Requena, o “jardim musical dos ciclistas” servirá como um memorial de homenagem aos que morreram no trânsito em São Paulo.

“As pessoas poderão vir com um celular para escanear as floreiras e delas surgirão borboletas digitais, cada uma representando um desses ciclistas. Clicando numa borboleta você verá o nome do ciclista e a música favorita dele, como forma de se conectar a essa pessoa”, explica Raphael Libonati, da Plural Lab.

Assim como acontece com as Ghost Bikes espalhadas por toda cidade, a obra “jardim musical dos ciclistas” pretende dar luz à quantidade de ciclistas que morrem no trânsito e pressionar o poder público para que se tomem mais medidas de segurança, evitando mais tragédias.

E quando fica pronto?

As obras têm previsão de inicio para março de 2019, com três meses de duração. A revitalização da Praça tem patrocínio da Sense Bike, Eureka Coworking e apoio da Shimano. Conta ainda com a consultoria do Vá de Bike, Vanessa Tordino, Ivson Miranda, Cicloponto, Cheguei de Bike, Vereador Police Neto, Instituto, Ciclo BR, Horta do Ciclista e IMS (Instituto Moreira Salles).

Curta nossa fan page, inscreva-se no nosso canal do YouTube, siga-nos no Instagram e acompanhe em primeira mão o processo de revitalização da Praça do Ciclista, esse espaço tão simbólico e importante para o cicloativismo paulistano.

Saiba mais em nosso vídeo – e aproveite pra dar aquela moralzinha pra gente, se inscrevendo no canal! 😉

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>