Lambe-lambe colado no semáforo informa endereço da petição online. Foto: Rachel Schein

Designer cria petição para aumentar tempo de travessia de pedestres em avenida de São Paulo

Dificuldade de travessia levou Daniel Graf a tentar solução com órgão de trânsito; sem sucesso, criou petição online. Leia e veja em vídeo.

Pedestres aguardam para atravessar na região da Berrini, bairro que abriga muitos prédios comerciais em SP. Foto: Rachel Schein
Pedestres aguardam para atravessar na avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, que abriga muitos prédios comerciais na capital. Foto: Rachel Schein

Na cidade de São Paulo é bastante comum, principalmente nos grandes centros comerciais, ver pessoas aglomeradas em pequenos espaços nas calçadas aguardando o semáforo abrir para a travessia de pedestres. Enquanto o tempo semafórico verde para quem se desloca a pé não chega a 30 segundos, para os motoristas pode ultrapassar os quatro minutos.

Não raro, em largas avenidas, os pedestres chegam a ficar “ilhados” nos canteiros centrais, porque o tempo de travessia não é suficiente para que se chegue de uma calçada a outra sem que seja necessário correr. Esse é o caso do semáforo instalado na avenida Queiroz Filho, logo na saída da Ponte do Jaguaré sentido centro, próximo ao Parque Villa-Lobos, na zona oeste da capital paulista.

Lambe-lambe colado no semáforo informa endereço da petição online. Foto: Rachel Schein
Cartaz colado em caixa de semáforo informa endereço da petição online. Foto: Rachel Schein

Incomodado com a cena que vê com frequência, o designer Daniel Graf resolveu fazer seu papel de cidadão: criou uma petição online pedindo à subprefeitura da Lapa e à CET (Companhia de Engenharia de Tráfego de São Paulo) o aumento do tempo do semáforo para travessia na faixa. “Todos os dias eu desço na estação [de trem] Jaguaré e muita gente tem que atravessar nessa faixa pra pegar o ônibus ou atravessar a ponte. Sempre vejo pessoas correndo; perdem o ônibus porque pararam no meio da avenida e vêem o ônibus passar. Quando está chovendo, tomam chuva no meio da avenida, tomam sol na cabeça”, indigna-se Graf.

Segundo o designer, o prédio comercial que fica em frente à faixa emprega cerca de seis mil trabalhadores. Ele distribuiu panfletos por lá e conseguiu muitas assinaturas para sua petição. Além disso, colou um cartaz do tipo “lambe-lambe” em uma caixa de semáforo ao lado da travessia e faz um trabalho intenso pelas redes sociais. “A região cresceu muito de uns anos pra cá e é simples conseguir [o aumento de tempo], afinal, não tem custo. É só uma questão de ajuste mesmo”.

Seu objetivo é conseguir mil assinaturas para enviar à subprefeitura da Lapa e CET.  Graf tentou se adiantar comunicando o caso diretamente ao órgão de trânsito da cidade, mas sem sucesso. “Eu comecei com a petição online, mas já fiz uma reclamação na CET para oficializar. Liguei lá, mas não consegui falar com ninguém que me desse um prazo”, relata o designer.

O Vá de Bike esteve no local entrevistando Graf e outras pessoas que trabalham ou moram na região. Para os usuários da faixa, a solução é simples e unânime, exatamente como está na petição: aumentar o tempo de travessia para os pedestres. O horário da gravação foi entre 15 e 16h, e já havia bastante gente atravessando. Durante os horários de entrada e saída do trabalho o fluxo de pedestres é ainda maior.

Confira a videorreportagem e assine a petição.

12 comentários em “Designer cria petição para aumentar tempo de travessia de pedestres em avenida de São Paulo

    1. Aproveitando também a questão de travessia segura de pontes, já que a petição é sobre uma travessia próxima da Ponte Jaguaré, podemos também aproveitar e atrair a atenção sobre a ponte para ter uma travessia mais segura para os ciclistas. Aliás, é o que pego sempre que vou para Villa-Lobos e até mesmo para a Ciclovia Pinheiros.
      http://www.shareaholic.com/api/share/?title=Ciclocidade+ter%C3%A1+como+um+dos+focos+a+travessia+segura+de+pontes+em+S%C3%A3o+Paulo&link=http%3A%2F%2Fvadebike.org%2F2014%2F04%2Fnova-diretoria-ciclocidade-2014-2015%2F&notes=&short_link=&shortener=jmp&shortener_key=wcruz%2525257cR_d914b9d05dabb98bcfa342fced9615d2&v=1&apitype=1&apikey=8afa39428933be41f8afdb8ea21a495c&source=Shareaholic-Publishers&template=&service=5&ctype=

      Thumb up 1 Thumb down 0

  1. Infelizmente, nossas autoridades de trânsito são cegas, surdas e mudas para ações práticas em favor de pedestres e ciclistas. O foco costuma ser a tão sonhada (e difícil) fluidez motorizada. Um exemplo gritante é justamente o exíguo tempo de travessia a pedestres, mesmo em regiões com grande circulação de pessoas a pé. Aqui em Brasília não é diferente, geralmente pouquíssimos segundos para os desmotorizados chegarem ao outro lado, isso quando existe semáforo para conter a enxurrada motorizada. Vale lembrar dos serviços de ouvidoria do governo e da lei de acesso à informação, instrumentos válidos para registrar queixa, propor mudanças e pedir informações sobre a política de (in)segurança adotada.
    Eis um bom exemplo de exercer cidadania. Mandou muito bem, Daniel!

    Thumb up 2 Thumb down 0

    1. Tenho uma visão sobre este problema: as autoridades são cegas porque nós somos cegos, ou seja, se não reportamos os problemas, é como se ignorassem o problema. As autoridades de trânsito não são onipresentes e, portanto, cientes da situação. Embora a sociedade tem incumbido a eles fazerem estas tarefas, é como a sociedade lavasse a mão para o problema. É como delegar uma tarefa a outra pessoa, embora essa pessoa tenha que fazer o serviço, a responsabilidade continua com quem delegou a tarefa.

      Thumb up 1 Thumb down 0

  2. Aqui em São José do Rio preto-SP além do trânsito ser caótico,as pessoas são mal educadas, 90% não indica a seta,você tem que adivinhar,falar em preferência para o pedestre chega ser uma afronta ao motorista,sem generalizar.precisamos de mais educação e respeito AQUI EM SJRP.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  3. É assim que as coisas acontecem, tem que haver manifestação de desejos ou necessidades. Cada um deve manifestar desejos e necessidades para que as autoridades e nós possamos trabalhar no real.
    Boa iniciativa do designer Daniel Graf. É um bom exemplo para que nós também tenhamos os nossos desejos e necessidades atendidas. É um agregador. E precisamos de agregação. União. Assim fica difícil sermos ignorados.

    Thumb up 2 Thumb down 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *