Quantos atropelamentos mais, CET?

Como eu já havia dito aqui, a motofaixa da Av. Sumaré coloca (ainda mais) em risco os pedestres, que nos momentos de trânsito parado atravessam no meio dos carros e são “gentilmente colhidos” por motocicletas em alta velocidade. Se a motofaixa é uma boa idéia ou não, leia o que escrevi terça passada. Esse post é só para perguntar, com todas as letras:

CET, quantos atropelamentos serão necessários para que
vocês comecem a se importar com os pedestres?

Os estudantes da faculdade Sumaré, que fica exatamente no meio de um trecho de 700m sem nenhuma travessia de pedestres, com um ponto de ônibus do lado oposto (texto e fotos aqui), alegam ter enviado OITENTA E SETE ofícios solicitando uma travessia de pedestres no local, sem obter nenhuma resposta.

Nessa sexta-feira, a estudante Renata Cristina da Conceição foi atropelada por uma moto, às 18h30. Foi o quarto atropelamento de estudantes da faculdade esse ano, só nesse local. E foi a gota que faltou para que os estudantes, cansados de não serem levados a sério, partissem para uma abordagem mais contundente, fechando a avenida.

A polícia chegou rápido e, depois de alguma negociação, deram três minutos para os estudantes liberarem a pista. Passado o tempo determinado, a polícia avançou e tirou os manifestantes na marra, com balas de borracha e bombas de “efeito moral” (inocentes armas que mandaram 6 estudantes para o hospital), chegando a invadir um estacionamento para perseguir os manifestantes, que a essa altura já estavam claramente longe da avenida.

Antes que me malhem, sou contra manifestações que, ao exigir um direito, cerceam outro, nesse caso o direito de ir e vir de todos que precisavam usufruir da avenida. A manifestação deveria ter sido diferente, talvez fechando as pistas apenas por tempo determinado (o mais curto possível), voltando a fechar de tempos em tempos. Ou fechar apenas algumas das pistas, apesar de reconhecer que esse tipo de fechamento colocaria em risco a integridade dos manifestantes. Também deveriam ter saído quando a polícia pediu, afinal não se discute com soldados armados que têm ordens a cumprir, estejam elas certas ou não: a situação pode terminar em uma pancadaria gratuita e unilateral, como a que ocorreu na sexta-feira. Mas não é isso que quero discutir aqui. O que eu quero mostrar é a posição ridícula que a CET insiste em manter, preocupando-se apenas com a majestade o automóvel e com a tão importante (melhor dizer sonhada) fluidez.

Depois que fecham a avenida em protesto, que a polícia manda gente pro hospital e que a imprensa dá alguma atenção à situação (mesmo que muito timidamente), a CET me vem com essa: “já está estudando a colocação de um semáforo e de uma faixa de pedestre na avenida, próximo à faculdade”. Claro que está. Aliás já estava, faz tempo, mas estão estudando muito bem o assunto, porque afinal não dá pra implantar isso de uma hora para outra, como uma simples motofaixa. Um sinal de pedestres e uma faixa é algo realmente muito complicado, nunca feito antes, precisa de muito estudo… Devem estar planejando colocar lá há meses. Talvez estejam esperando a contagem de feridos chegar em um número redondo, cabalístico ou numerologicamente favorável, algo assim.

Se eles estavam mesmo planejando colocar a travessia de pedestres ali, por que não responderam aos 87 ofícios que solicitavam a travessia de pedestres?? No Código de Trânsito, encontrei os Artigos 72 e 73, que me fazem crer que a CET comete omissão ao não responder aos ofícios.

“Apesar de ainda não haver uma previsão correta, a expectativa é que, em no máximo três meses, o equipamento já esteja em funcionamento”. E enquanto isso, será que as vítimas (ou suas famílias, nos piores casos) podem processar a CET por omissão? Se a coitada da Renata Cristina da Conceição não tivesse sido atropelada, a CET continuaria ignorando os ofícios por quanto tempo? E será que a CET só “está estudando” uma travessia de pedestres nesse ponto, ou também pretende fazer algo no trecho contíguo a esse, entre a praça Marcia Mamanna e o laboratório Delboni, que tem NOVECENTOS METROS de avenida sem travessia de pedestres?

Atualização:
– O Prefeito Kassab agora entrou na jogada e pretende pressionar a CET para que a solução venha rápido.
– Hoje passei no local e havia duas pessoas de coletinho azul, supostamente funcionários da CET, sentados em desconfortáveis cadeirinhas no canteiro central da avenida. Provavelmente o objetivo era “educar” os pedestres a andar os 700m para atravessar na faixa, aguardando os diferentes tempos dos 3 semáforos necessários para fazer a travessia com segurança.


4 comentários para Quantos atropelamentos mais, CET?

  • A culpa é do pedestre | + Vá de bike! +

    […] Quantos atropelamentos mais, CET? – Descaso com os pedestres na Av. Sumaré (texto escrito antes da implementação de uma travessia de pedestres) […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fourier

    Os policias deram 3 minutos e após passar 1 minuto atacaram.

    ABUSO DE AUTORIDADE

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • silvio

    Vamos processar a CET? Qual o melhor jeito de fazer isso? E se juntarmos muitas pessoas? Isso tudo é ridículo, que tal fazer uma campanha pra acabar com a CET? Vamos propor que ela (e seu orçamento) seja incorporada pela SPTrans.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Douglas Leonardo

    Parabéns pela matéria, sou estudante da Faculdade Sumaré e acompanhei de perto todo esse sofrimento e constrangimento causado pelo acidente de sexta, previsto e negado pela omissão.
    Abraço e parabéns!!

    Thumb up 0 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>