Cidadãos tentam impedir remoção de ciclofaixa em Toronto

Alguns manifestantes também deitaram sobre a faixa, impedindo o avanço do caminhão que fazia a remoção. Foto: Martin Reis

Vimos esse filme recentemente em Recife: a prefeitura tenta retirar uma ciclofaixa para “melhorar o trânsito”, mas ciclistas impedem pacificamente. Agora o retrocesso acontece em Toronto, uma cidade que consideramos bem mais avançada em relação à bicimobilidade.

Apesar de ter um orçamento de $8,15 milhões para a expansão da infraestrutura ciclística, a retirada dessa ciclofaixa para restaurar uma quinta faixa de circulação para os carros na avenida sairá desse bolo, por mais absurdo que possa parecer. A remoção foi decidida por votação no Conselho Municipal.

A situação por lá é um pouco mais complexa que a nossa, pois há ciclovias sendo construídas em outros pontos da cidade. Isso tem sido usado como argumento para retirar a ciclofaixa da Jarvis Street, em uma discussão que se arrastou pelos últimos três anos. O argumento é de que trechos segregados (ciclovias) são mais seguras e incomodam menos os motoristas, mas os ciclistas não estão convencidos da necessidade de retirar essa faixa, bastante utilizada e em uma via que não receberá nova estrutura para bicicletas.

“Remover ciclofaixas passa a mensagem errada. O Conselheiro Minnan-Wong está conduzindo um ótimo trabalho com as ciclovias, mas está fazendo a si mesmo um grande desserviço ao promover a remoção de ciclofaixas” disse ao The Star o diretor de campanhas e associados da Cycle Toronto, Jared Kolb. Apesar de defender o uso da bicicleta, o Conselheiro tem precisado lidar com a hostilidade de ciclistas nas ruas.

 

Imagem: The Star/Reprodução

Protesto pacífico

Uma equipe a serviço do município tentou iniciar o trabalho de remoção da ciclofaixa da rua Jarvis na segunda-feira, 12 de novembro, mas um grupo de manifestantes sentou sobre a faixa, impedindo os trabalhos.

“Sei que vocês estão fazendo seu trabalho, mas não vou sair daqui”, dizia Steve Fisher, sentado de pernas cruzadas. Ele afirma ter sido atingido por carros duas vezes antes da ciclofaixa ser criada, em 2010.

Os trabalhadores tentaram continuar em um trecho mais adiante, mas outros manifestantes estavam a postos. “Não houve consulta pública. As pessoas precisam se levantar pela sua segurança”, dizia Michael Polanyi, postando-se à frente do caminhão. Mais adiante, outro homem tornou a impedir os trabalhos: “eu nem tenho bicicleta, mas acho isso errado”.

Alguns policiais foram ao local e ouviram calmamente os manifestantes. Afirmaram que começariam a multar as pessoas (sim, lá isso é possível) e que se o “distúrbio” continuasse, teriam que remover as pessoas à força.

Isso não chegou a ser necessário, pois a equipe de remoção acabou se retirando. A equipe voltaria na manhã seguinte, terça 13, pois lá não é permitido realizar reformas que causem barulho durante a noite (igualzinho aqui). Os manifestantes também prometeram voltar. O porta-voz da administração municipal avisou que, se eles retornassem, a polícia iria atuar.

Carta explicando os motivos da manifestação.

 

Médico foi detido durante o protesto

A ação continuou na manhã seguinte e resultou na prisão do médico e cicloativista Tomislav Svoboda. Ele havia enviado um e-mail a alguns Conselheiros avisando que iria se sentar sobre a ciclofaixa até que a remoção fosse interrompida ou ele fosse preso.

“Como médico, estou muito preocupado com a segurança, a falta de consulta à população e o desperdício de dinheiro do contribuinte”, explicou. “Essa é a única grande cidade da América do Norte que está removendo faixas para bicicletas”.

Alguns ciclistas e ativistas estavam com ele para dar seu apoio. Policiais em bicicleta que estavam no local pediram que Svoboda continuasse seu protesto na calçada. “Você já conseguiu bastante hoje, mas no final do dia a faixa terá sido retirada”, afirmava o oficial Kevin Cummings.

Tendo se recusado a sair da ciclofaixa, o médico foi algemado e colocado em um carro de polícia, por obstruir ação policial. O vídeo abaixo mostra o oficial tentando convencê-lo a encerrar o protesto. O momento da prisão não está nas imagens.

O cartaz diz que ciclistas pagam por todas as ruas de Toronto, mas só têm ciclovias em 2% delas. Foto: Martin Reis

Foto: Shawn Micallef


 

Acompanhe

(13/11) O protesto continua, atrasando o avanço do trabalho de remoção porém sem conseguir impedi-lo. A ciclofaixa de Jarvis será mesmo retirada.

O grupo Jarvis Emergency Taskforce publica informações em tempo real em seu perfil no Twitter.

Veja as fotos de Martin Reis.

 

Com informações do Toronto Star, Torontoist e Now Toronto.


1 comentário para Cidadãos tentam impedir remoção de ciclofaixa em Toronto

  • Eduardo Forastieri Nieri

    Parabens pela atitude desses ciclistas, corajosos e decididos, pena que a faixa será mesmo tirada… mas esse ato de protesto é, em si mesmo, de grande valia, todas as lutas travadas pela sociedade para “conquistarem seus direitos” é feito atraves de persistencia e foco, não vamos desistir, chegaremos lá!

    Thumb up 2 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>