Devido a furtos e depredações, Bike Sampa retira estações para manejamento no Centro de São Paulo

Treze estações estão em processo de desativação. Imagem: arte VdB sobre Google Maps

Treze estações estão em processo de desativação. Imagem: arte VdB sobre Google Maps

O Bike Sampa, projeto de compartilhamento de bicicletas criado, viabilizado e operado pela empresa Serttel, e que conta com a parceria do Itaú Unibanco, vem encontrando dificuldades em algumas estações na região central da cidade de São Paulo. Nossos leitores já vinham relatando que algumas estações haviam sido depredadas e desativadas. Agora, chega a confirmação da retirada para manejamento dessas estações.

No começo do ano, três estações (Glicério, Vai Vai e Barão de Iguape) foram alvo de furtos e atos de vandalismo e o mobiliário foi retirado. Pelos mesmos motivos, as estações Praça da Sé, Santo Antônio, República, Liberdade (R. Fagundes), Anhangabaú, Mercado Municipal e São Bento, que estavam desativadas, também serão removidas, bem como Haddock Lobo, São Joaquim e Copan.

Na sexta-feira, 7 de março, os usuários do sistema receberam um e-mail com a confirmação dessas desativações. Segundo o comunicado, 12 estações foram “temporariamente interditadas” ou “removidas para manejamento”, mas recebemos a confirmação de mais uma estação que entrará nessa lista, a da Haddock Lobo (prox. R. Fernando de Albuquerque). O Vá de Bike preparou um mapa com as estações desativadas e as alternativas mais próximas.

119 – Haddock Lobo
121 – Vai Vai
130 – Metrô São Joaquim
131 – R. Fagundes
132 – Barão de Iguape
135 – Glicério
136 – Praça da Sé
137 – Santo Antonio
138 – Copan
139 – Praça da República
140 – Metrô Anhangabaú
141 – Metrô São Bento
142 – Mercado Municipal

A região central possui 21 estações ativas (o mapa está disponível aqui). A Serttel e o Itaú, junto com os órgãos públicos, estão avaliando as melhores medidas para o perfeito funcionamento do projeto na área. O sistema Bike Sampa contabiliza mais de 700 mil viagens desde a inauguração, em maio de 2012.


14 comentários para Devido a furtos e depredações, Bike Sampa retira estações para manejamento no Centro de São Paulo

  • Fabio

    E nunca mais voltou :(

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Cláudio Lima

    Gostaria de saber porque ainda não tem pontos na zona norte, moro na zorte e as vezes tenho vontade de ir embora do trabalho “Praça da Republica” de bike mas não tem local para devolver a bike pra la.

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • [...] Infelizmente algumas estações do centro da cidade foram desativadas em maio de 2014 por causa de atos de vandalismo. [...]

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • jose Alves

    Ja mim cadastrei acho muito legal a baike sampa…

    Thumb up 2 Thumb down 3

  • Camilo

    Não possível que um problema de insegurança inviabilize o projeto. Temos que exigir a presença da polícia coibindo e punindo com rigor esses delinquentes.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Anapaula

    Triste isso, viu?
    Uma pena que não recebam e cuidem bem de um projeto que só traz melhoria pras cidades.

    Eu utilizo o Bike Sampa pra ir de uma escola pra outra aos sábados e, no último, das duas bikes que estavam disponíveis na estação V. Mariana, a que eu peguei estava estacionada com pneu furado e a outra (que peguei) estava com problema nas marchas. Fui até a estação Paraíso pra trocar e a única bike que tinha estava com o banco frouxo. Andei mais um pouco até a Eça de Queirós e achei mais bikes zoadas.

    Acabei indo pro curso de metrô, sem conseguir ligar pro Bike Sampa para relatar os problemas porque os telefones de SAC e aluguel ainda não estavam unificados e porque o painel de uma das estações estava totalmente pichado. Lamentável a falta de cuidado que as pessoas têm com São Paulo. Exigem dos políticos e não preservam a própria rua que andam!

    Thumb up 3 Thumb down 0

    • Anapaula

      Ops, correção:

      “…das duas bikes que estavam disponíveis na estação V. Mariana, UMA estava estacionada com pneu furado e a outra (que peguei) estava com problema nas marchas”

      Thumb up 0 Thumb down 1

  • Vergonhoso… O que leva uma pessoa a destruir algo público? Falta do que fazer? Inveja? Ou pura maldade? Agora por causa de uma meia duzia de vagabundos, centenas de usuários serão prejudicados.

    Thumb up 2 Thumb down 1

  • Fátima Larajeira

    É uma pena mais a cidade está terrível roubaram a minha bicicleta dentro de um estacionamento do banco Itaú na Aclimação. Estou a pé e contava com alguns desses pontos para pegar uma bike e me locomover pela cidade…

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Leonardo

    O BikeSantos está com o mesmo problema… já se contabilizam, até o momento, roubos de rodas, selins e depredação das estações.

    Inclusive gostaria de sugerir uma entrevista com o idealizador do projeto, o vereador prof. Kenny.

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • Anderson

    Creio que eles deveriam colocar aqueles parafusos com segredo que impedem a retida da peça por qualquer chave, mas ainda assim seria difícil conter o vandalismo nas estações. A verdade é que SP nunca este tão insegura, isso é apenas um reflexo.

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • É um projeto que realmente deu certo, vem mostrando que é essencial para a cidade, mas a falta de segurança é o que impede seu funcionamento. Faz muita falta essas laranjinhas na região central.

    Quando foi lançado no Rio de Janeiro, muitos diziam que as bikes seriam furtadas e danificadas, mas é em São Paulo, que vem ocorrendo a maiorias dos casos de vandalismo e furto de bicicletas. Além disso, muitas bicicletas próprias de ciclistas urbanos têm sido roubadas também e levadas pra região da República e Glicério.

    Cadê a segurança no centro de São Paulo? Lamentável uma situação dessas.

    Comentário bem votado! Thumb up 8 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>