São Paulo chega aos 100 km de novas ciclovias

A implantação de 400 km de infraestrutura cicloviária faz parte do plano de metas da Prefeitura de São Paulo. Foto: Willian Cruz

A implantação de 400 km de infraestrutura cicloviária faz parte do plano de metas da Prefeitura de São Paulo. Foto: Willian Cruz

Convite oficial para inauguração da estrutura. Imagem: Reprodução

Convite oficial para inauguração da estrutura. Imagem: Reprodução

Com a inauguração de infraestrutura no Jardim Helena, na Zona Leste da capital, São Paulo deve passar dos 100 km de novas ciclovias nessa quinta-feira, 22 de outubro. O prefeito Fernando Haddad estará presente e pretende pedalar pela nova estrutura.

O Jardim Helena já conta com 9% das viagens sendo feitas em bicicletas, número comparável ao de cidades europeias. Segundo o secretário de transportes Jilmar Tatto, ”o objetivo é atender a demanda da população local, além de aumentar as condições de segurança dos usuários de bicicleta, propiciar a facilidade de locomoção, garantindo acessibilidade ao sistema de transporte coletivo e valorizar o espaço público das pessoas”. O projeto inclui estruturas para pedestres, melhorando a mobilidade também de quem circula a pé nessa região da periferia.

A integração intermodal com o sistema metroferroviário é uma forte característica da região, já que o deslocamento para o trabalho aparece como um dos principais motivos das viagens realizadas em bicicleta, de acordo com pesquisa Origem/Destino realizada pelo Metrô em 2007. Além das novas vias que vêm sendo implantadas desde junho deste ano, a cidade já possuía outros 63 km de estrutura permanente antes do início do programa de 400 km iniciado por essa gestão.


27 comentários para São Paulo chega aos 100 km de novas ciclovias

  • JOSE AUGUSTO

    Meu Deus!!! como podem ir contra as ciclofaixas??Pura burrice de quem não quer largar o carro na garagem, será que eles não pensam que quanto mais ciclistas, menos carros teremos nas ruas??

    Thumb up 2 Thumb down 1

  • Rosana

    Sim, concordo. Segurança e comodismo possuem nuanças distintas.
    Sempre andei de transporte público e bike, até ficar grávida do 2o bebê.
    Precisei do carro, pois realmente começou a ficar difícil me locomover pela cidade do jeito q estava. Será q por puro comodismo meu? Talvez.
    Agora talvez meu físico aguente pedalar. Eu ate quero mesmo.
    Aí que entra pra mim, a questão da segurança.
    Eh seguro , na atual situação, pedalar com duas crianças pequenas numa bike? Estou até pesquisando cadeirinha/trailler q as caibam.
    Gente, desculpe se eu os fiz sentir criticados.
    Eh q na teoria parece simples, mas na prática do dia a dia, pra mim ficou difícil. Gente , eu apoio a ciclovia, tah? Paz e amor ^^v

    Thumb up 1 Thumb down 0

    • ALEKSANDRO

      Pedalar com duas crianças na bike trailer não é seguro Rosana, visto que muitas pinturas do asfalto estão com as sarjetas e o asfalto irregulares e desnivelados…. (entendo sua questão)… E a CET se diz aberta ao dialogo para melhorar todos os trajetos recem feitos, desde que os proponentes sejam criteriosos e apontem melhorias que atinjam todos…Acredito e espero que nos proximos anos as ciclofaixas em frente as escolas sejam utilizadas pelas crianças para voltar para casa.(OBS: sei que estamos no Brasil, país violento, etc….mesmo assim realmente espero…..tenho amigos na alemanha que dizem que as mulheres andam as 22:30hs sozinhas de bike nas ruas e tb espero um dia isso no meu país).

      Thumb up 1 Thumb down 1

    • ALEKSANDRO

      desculpe se de algum modo fui ríspido com vc anteriormente….

      Thumb up 1 Thumb down 0

    • Rosana, acho que isso é uma avaliação subjetiva que envolve mais do que simplesmente condição do asfalto, como os amigos aqui têm comentado. Você precisa fazer o trajeto sozinha, estudar o caminho e avaliar, segundo seus critérios pessoais, se você sente segurança para fazer isso. Pode ser que sim, pode ser que não. Só você pode dizer. O que parece seguro para mim, pode não parecer para você (e vice-versa), portanto só explorando o caminho sozinha em uma bicicleta para poder decidir. Espero ter ajudado.

      Thumb up 3 Thumb down 0

  • Rosana

    Pois é, mas nunca tem vaga , mesmo antes da ciclofaixa…
    Será q se eu buscar duas crianças de bicicleta, seria seguro nessa cidade?
    Eu gosto de andar de bike, mas ainda não acho seguro, ainda mais com crianças pequenas …

    Thumb up 0 Thumb down 2

    • ALEKSANDRO

      Bem, pode-se parar o carro na vaga mais proxima (nem que seja em outra quadra), desligar o carro, sair e andar até a frente da escola….
      Pq considero que segurança e comodismo possuem nuances destintas…..

      Thumb up 1 Thumb down 0

    • André

      Rosana,

      A questão é que as ruas de nossas cidades possuem espaço limitado, e de fato não dá pra tirar mais espaço do pedestre, que já é muito pouco. Entendo a dificuldade em estacionar, mas para garantir, a longo prazo, melhorias nas condições pra se pedalar, é necessário que se crie as ciclovias. Infelizmente, a tendência é que seja cada vez mais difícil estacionar, seja pelo excesso de carros ou pela perda do espaço deles. A questão é saber se queremos a primeira ou segunda opção. Sobre a possibilidade de você levar seus filhos de bicicleta, sei que muitos aqui vão me crucificar por sugerir isso, mas se seu trajeto não tiver ciclovias, vale também compartilhar calçadas mais largas com pedestres (com o devido respeito e cuidado que isso implica, obviamente), e se tiverem ciclovias, creio que seja possível (dependeria apenas do horário e local, só você pode saber, mas se for seguro passar a pé, não vejo por que não o seria de bike)

      Boa sorte e espero que consiga achar uma solução

      Thumb up 3 Thumb down 0

  • Rosana L.

    Pessoal, eu achei super legal fazer mais ciclovias e incentivar o uso da bike como transporte rotineiro dos paulistas.
    Mas… eu gostaria de saber o quanto isso foi planejado.. POis recentemente foi feita uma ciclofaixa na rua da escolinha da minha filha. E agora, simplesmente nao se pode parar na frente da escola para pegar a filhota. O Pessoal da escola nao havia recebido nenhuma orientacao de como proceder. e agora é um caos na hr de deixar e buscar a criançada.Alem do mais, até hoje não vi nenhum ciclista utilizar aquela ciclofaixa. Apenas Motos e carroças.
    Eu adoraria busca-los de bicicleta, mas ainda nao acho seguro andar por aí de bike com duas crianças pequenas.
    Neste caso, pode ser q eu esteja sendo egoísta, ao desaprovar a ciclovia justamente nesta rua, onde se tem escolinha infantil. Mas eu gostaria q me apresentassem uma solução para isto. Ou simplesmente “q se dane” quem precisava parar naquela rua?
    Não estou de Mimimi a toa, só acho que foi muito MAL planejado. Super Apoio ciclovias, mas elas tem que ter planejamento!
    Abs!

    Thumb up 0 Thumb down 3

  • Natan

    Pessoal, entendo que é necessário o diálogo e a maior parte das pessoas que ouço reclamando das ciclovias utiliza este argumento para ser ‘contra’. A questão é que, imaginem vocês se o governo (em qualquer esfera) abrisse o diálogo. Demoraríamos anos, décadas, para ‘talvez’ ter os primeiros 2km de ciclovia, e ainda assim haveria reclamação. Eu defendo que é melhor ter as ciclovias do jeito que estão, que não tê-las. Alguém tinha que tomar a iniciativa de um projeto que está em papel desde a década de 80, e o Haddad tomou. Partidarismos a parte, e se ele vai utilizar isso politicamente, não me importo. Parabéns a ele. Sinto-me muito mais seguro agora, e percebo muito mais gente pedalando, o que é ótimo. Bom pedal a todos.

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • Natan

    Não sei se já viram (ou postaram)… estão pintando uma ciclo na extensão total da Rua França Pinto, aqui na Vila Mariana!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Na inauguração da ciclovia do Jardim Helena o prefeito Fernando Haddad sinalizou mais uma vez em favor ao ciclismo,desde o ano de 2005 existe uma taxa da CET para interdição de vias públicos, que torna inviável a realização de competições de ciclismo em nossa cidade. Segundo o Prefeito ele isentará entidades esportivas sem fins lucrativos, e ainda realizara um campeonato de ciclismo em nossa cidade, que estava estagnada a nove anos. Obrigado Prefeito !

    Comentário bem votado! Thumb up 7 Thumb down 0

  • ROBERT

    A construção de ciclo vias sem dúvida irá estimular o uso de bicicletas.Mas, também ,outras medidas são necessárias como estacionamentos e a diminuição dos impostos para a compra .

    Comentário bem votado! Thumb up 12 Thumb down 0

  • Maurício

    Muito do que falam contra as ciclovias, na verdade, é fruto da disputa eleitoral em curso. Não tem como “despolitizar” a questão neste período para fazer as pessoas enxergarem que se trata uma infraestrutura para a cidade que deve ser feita independentemente do partido que ocupa o governo, como ampliação do metro, obras contra enchente, etc.
    Lembro que quando começou a campanha para respeitar o pedestre na faixa de segurança(ou seja, cumprir a lei) teve gente achando isso um absurdo, pois iria paralisar o trânsito. Mas acredito que as pessoas evoluem e com o tempo vão perceber não existir a classe dos ciclistas e sim cidadãos que se locomovem de carro, de transporte público, de bicicleta ou a pé, dependendo da situação ou necessidade.

    Comentário bem votado! Thumb up 7 Thumb down 0

    • Carlos

      Concordo com o Maurício. A pressa da prefeitura em implantar a ciclovia para ganhar simpatizantes está passando por cima da fase do diálogo do poder público e a população, para planejamento e implantação efetiva de ciclovias mais úteis. Embora muitas das ciclovias já estava em curso de planejamento e conversa com a população, há vários casos em que a conversa não foi feito direito. Por exemplo, na região onde moro, que seria o Jaguaré e Parque Continental, houve uma ou duas conversas de ciclo-rotas, e de vias cicláveis, e não de ciclovias. Fiquei surpreso que foi implantado ciclovias. Houve uma falta de conversa. Além disto, ciclovias de fato, no meu bairro deveria ser implantado, por exemplo, em vias de alta circulação como a Av. Jaguaré, que é feito no canteiro central, sem atrapalhar nenhuma empresa, casa, etc. Além do mais, tem um CEU no Jaguaré onde a implantação de ciclovia, no canteiro central da Av. Kenkiti Shinomoto, seria mais útil, porque estimularia os alunos do CEU e seus pais a usarem mais a bicicleta, ligando a ciclovia da Av. Jaguaré e a da Politécnica existente. Como adotei a Ponte do Jaguaré, como outros, sendo entre os mais adotado da iniciativa “Adote Uma Ponte”, a ciclovia na Av. Jaguaré, iria estimular a alteração da ponte para receber uma via segregada para ciclistas. No caso, já tem tudo que é preciso fazer, na Ponte Atual ( que são duas estruturas, uma para ir, outra para voltar ), já tem 4 passagens para pedestres, as 2 entre as estruturas, que não é usado pelos pedestres, que podem ser adaptados para a ciclovia. Como no outro post, está sendo planejado uma ciclopassarela, mas vejo que seja desnecessário, no momento, pois estas duas passagens de pedestres atende. Que estendendo além da ponte, pode ira até a travessia que Daniel Graf em sua petição bem sucedida, aumentou o tempo de travessia dos pedestres, que foi tema de um dos posts do Vá De Bike. A falta de conversa levou a estes conflitos. Esta ciclovia seria altamente benéfica para todos da região, mas que não foi contemplado, nem iniciado. Essa conversa da ciclovia da Av. Jaguaré já foi conversado com um vereador, onde concluo que também não houve conversa com a Câmara de Vereadores (!). Dada a recente renomeação dos subprefeitos, também contribuiu para a confusão, onde também houve efeitos colaterais como a destruição de várias pistas de BMXs, onde havia conversa anterior para regularização das mesmas. Conclusão: se houvesse um diálogo melhor com a sociedade, não estaríamos nesta situação: de termos ciclovias onde não precisamos e de necessidades não atendidas em outros. A atitude da prefeitura, foi em função eleitoreira, de fato, pois com o declínio da popularidade de Haddad, o PT e Lula forçou que fizesse algo para ajudar na candidatura de Dilma, para diminuir a rejeição. E com essa mão, foi implantada as novas ciclovias. Não que não tenha gostado, mas, na minha opinião, poderia ser feito um serviço melhor, desde que não tivesse toda essa pressa, sem estressar a população que certamente sofre o impacto da implantação das mesmas, ou a falta dela.

      Thumb up 0 Thumb down 2

  • Anderson

    Olha, pelo comentário do pessoal aqui no trabalho, as ciclovias estão sofrendo forte rejeição. Mesmo sabendo que eu uso bike todos os dias, já chegaram a me dizer que isso é utopia e SP nunca será uma cidade viável para bikes. Estou torcendo pro Haddad conseguir mesmo implementar esses 400 km antes do final do mandato, pois será um legado e tanto para a cidade, principalmente no trecho onde eu pedalo :)

    Mas infelizmente sofreremos muita resistência por parte das pessoas que querem o direito de inundar a cidade com carros, mesmo que isso signifique acabar com o direito dos demais. Estamos em uma queda de braço.

    Comentário bem votado! Thumb up 14 Thumb down 0

    • Forte rejeição de uma minoria, felizmente. É que eles choram, esperneiam e babam tanto que chamam muita atenção.

      Comentário bem votado! Thumb up 8 Thumb down 1

      • ALEKSANDRO

        Também espero pelos 400km sabe, faço 46km no total todos os dias de carro para trabalhar e não estou afim de ficar gastando R$300,00 todos os meses só em combustível. Tenho rejeição até dentro de casa e um pouco no trabalho tb, mas paciência.
        Quem sabe como dói no bolso esse dinheiro perdido sou eu.
        Quem sabe o que sente no organismo por causa do sedentarismo e da poluição sou eu.
        E se solução para sedentárismo fosse academia eu faria, se tivesse gostado.
        Gosto do carro, mas acho que tem os momentos certos para andar com ele, tipo ir no mercado, ir num almoço com os parentes, ir no interior do estado. Trabalhar todos os dias com ele não é indispensável.
        Seus amigos podem até achar utopia as ciclovias em são paulo, porque provavelmente eles desconhecem como é bom andar de bike e sentir o vento no rosto e coração pulsando mais forte….

        Comentário bem votado! Thumb up 14 Thumb down 0

      • Carlos

        Bem, em termos de comuinidade em que participo, não se trata de minoria não. Fico um peixe fora d´água quando tento conversar com o pessoal. Reduto de NIMBYs ? Talvez. No entanto, muitas das ciclovias são desnecessárias enquanto que outras rotas necessárias, não são implantadas uma ciclovia. Posso dar exemplo de causa. Na minha opinião houve falta de planejamento, com diálogo com a população, principalmente com pessoas a serem afetadas se houver uma implantação de ciclovia no logradouro em que estão residindo ou trabalhando. Faltou adequação no plano. Trocaria quase todas as ciclovias por uma que passasse em local de maior movimento, onde realmente uma ciclovia se faz necessária. Este artigo do Arturo Alcorta fala disto: http://escoladebicicleta.blogspot.com.br/2009/07/pelo-menos-fez-algo.html . Fazer alguma ciclovia não significa fazer o certo. Resistência, rejeição significa que algo não está legal.

        Thumb up 1 Thumb down 1

    • Renato

      Não se preocupe que Nova Iorque e Bogotá passaram pela mesma coisa.

      mimimi dos carrocratas é assim mesmo. Mudar uma cultura de decadas não é facil e não será da noite para o dia que isso acontecerá. Em NY também foi uma chiadeira que só….Hoje o cenário é totalmente outro, milhares e milhares de novaiorquinos utilizam as ciclovias de lá…

      Aqui mesmo no blog já temos um carrocrata choramingão….

      No meu trampo também é a mesma lorota. Mas ai eu citei NY e Bogotá, dizendo que em ambas as cidades foi a mesma coisa, e ai ficaram quietinhos.

      Se Rio de Janeiro que é muito mais quente que aqui a utilização das bikes é grande, porque SP não será?

      Comentário bem votado! Thumb up 14 Thumb down 0

      • Carlos

        Por falar em Nova Iorque e Bogotá, são cidades diferentes, em diferentes níveis de maturidade de administração e planejamento. Embora possamos considerar NY um tanto parecida com a nossa. Creio que lá há uma diferença na execução e segregação de vias para bicicletas, lá é feito o estudo de impacto, seja Nova Iorque ou Bogotá. Aqui, a impressão que se tem é que esse estudo não foi feito, com algumas exceções. Ou seja, creio que não devamos generalizar a reação das pessoas, baseadas na reação de outras cidades, até porque as ciclovias foram feitas de forma diferente. Então vamos ter que ficar dando essa desculpa de que NY ou Bogotá passou por essa mesma dificuldade. A chacota ou choramingão também é diferente, em NY pode ser os NIMBYs, mas aqui em São Paulo, esconde outros fatores, que infelizmente, tive a desagradável surpresa em constatar. Pode ser atribuído a cultura de carros, que inicialmente pensava, mas o problema é a cultura de planejamento e diálogo com as comunidades onde são e serão feitas as ciclovias. Ficar engolindo obras que realmente não precisa, e ficar esperando por obras que precisa, mas que não sai, é o problema.

        Thumb up 1 Thumb down 0

    • Carlos

      Veja esta opinião: Ciclofaixas De Haddad Atendem Às Necessidades De Menos De 1% Dos Paulistanos https://www.youtube.com/watch?v=BlSNR8Qve5g.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Amilson

    Cuidado estão colocando tachinhas nas ciclovias, ex. na ciclovia da rua Coronel Lisboa ,Vila Clementino , meu colega que vem pro trabalho de bike por sorte não teve o pneu furado.Não entendo porque estão fazendo isso!

    Thumb up 2 Thumb down 0

    • Carlos

      Essas ações também tendem a diminuir com o tempo, pois se houverem pessoas que monitoram as vias percebem indivíduos que fazem isto, podem fazer um B.O. na delegacia, pois podem ser caracterizado como obstrução no direito de ir e vir, destruição de espaço público, vandalismo, etc … Além de pessoas ao lado da ciclovia podem removê-los, em respeito ao bem público. Tem também o fato que muitas ciclovias também são limpas pelo serviços de varrição das ruas, pelos garis.

      Thumb up 1 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>