“Pedalada Montada” apoia parada LGBT de Porto Alegre

pedalada_montada

Imagem: Divulgação


A realização anual da Parada Livre de Porto Alegre, a versão gaúcha da parada do orgulho LGBT, conta neste ano com um evento paralelo que pretende levar o glamour dos trajes das drag queens para um passeio sobre duas rodas. A Pedalada Montada acontece no dia 22 de novembro, sábado (um dia antes da Parada Livre), com concentração a partir das 17h no Largo Zumbi dos Palmares, mesmo local de onde sai mensalmente a Massa Crítica. O evento tem o apoio “logístico” da Mobicidade (Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta) e é realizado pela organização da Parada Livre e da Marcha Lésbica 2014

A ideia é ir “montada”, que significa, de acordo com o vocabulário existente no universo das drag-queens e travestis, estar vestido ou vestida com adereços, maquiagem, perucas, usando da criatividade para criar um “look” divertido e glamouroso. Tomando cuidado para não enganchar os paetês e os babados na roda da bicicleta! E quem não está na vibe de “decorar” a si mesmo, pode decorar a própria bicicleta, com fitas coloridas, tintas, cartazes divertidos, etc.

O trajeto da Pedalada Montada será a partir do Largo Zumbi dos Palmares, passando pelas ruas da Cidade Baixa, Bom Fim e Centro, voltando ao ponto de partida pela avenida Loureiro da Silva.

Mais amor, menos motor

Já há alguns anos as bicicletas têm estado presentes na Parada Livre, sempre com vários participantes que vão pedalando atrás dos carros de som e das milhares de pessoas que participam do evento. Nesse ano, pela primeira vez, a organização resolveu dar mais espaço aos ciclistas e fazer um evento paralelo.

Sou hétero, posso participar?

Pode e deve! Em todos os anos, a Parada Livre é um momento de celebração, mas também de aceitação das diferenças. Apesar dos avanços conquistados (a união estável e o casamento civil são legais em todo o território nacional, amparados por decisão do Supremo Tribunal Federal), nossa sociedade ainda tem muito o que percorrer para que indivíduos sejam livres para viver sua sexualidade e afetividade sem sofrerem violência física ou psicológica.

O Brasil é, atualmente, o país onde mais se pratica a chamada violência homofóbica no mundo: a cada 28 horas, um gay, lésbica, transexual ou transgênero é assassinado no país, no que se configura como um grave crime de ódio. Por isso, a parada do orgulho LGBT (onde o “orgulho” é de ser o que se é apesar de toda a violência e preconceito) marca, ano a ano, não só o amor próprio, mas o amor de pais, mães, irmãos, amigos, colegas de trabalho e de toda a sociedade. Afinal, a conquista de direitos para a população LGBT não retira nem impede o exercício dos direitos já existentes para o restante da população.

Quando e onde

Pedalada Montada

Data: sábado, 22 de novembro de 2014, às 17h

Local: concentração no Largo Zumbi dos Palmares, no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre

Mais informações: Na página do evento no Facebook

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>