Ponte das Bandeiras é a segunda em São Paulo a ganhar ciclovia

Apesar de nova, ciclovia apresenta buracos. Foto: Enzo Bertolini

Apesar de nova, ciclovia apresenta buracos. Foto: Enzo Bertolini

Cruzamento com a alça de acesso da Marginal Tietê está sinalizado apenas com uma faixa vermelha no chão. Foto: Enzo Bertolini

Cruzamento com a alça de acesso da Marginal Tietê está sinalizado apenas com uma faixa vermelha no chão. Foto: Enzo Bertolini

Nesta terça-feira (9), foi entregue oficialmente a segunda ponte com travessia para bicicletas em São Paulo. A ponte das Bandeiras, que liga a zona norte ao centro pela avenida Santos Dumont, foi contemplada com uma ciclovia bidirecional de 400 metros no sentido bairro.

O secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, ressalta que “essa travessia é parte importante para a ligação cicloviária das zonas norte, oeste e sul ao centro da cidade, sendo de fundamental relevância para a formação de grandes eixos de deslocamento por bicicleta.”

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), futuramente a ciclovia terá conexões com as ciclovias do Bom Retiro e da avenida Braz Leme. Com essa entrega, a cidade passou a ter 202,6 km de vias destinadas aos ciclistas já entregues.

A prefeitura de São Paulo se comprometeu a fazer ciclovias em 12 pontes até o fim de 2015. Outras 16 estão em estudo.

Acessos e segurança

A ciclovia começa abaixo da passarela da pista local (centro/bairro) da avenida Santos Dumont, segue pelo canteiro central até o acesso à ponte. O término é na frente da Universidade Santanna (UniSantanna).

Foto: Enzo Bertolini

Foto: Enzo Bertolini

Diferente da ponte da Casa Verde, que possui lombofaixa e barreiras de estreitamento de pista para redução de velocidade, o cruzamento com a alça de acesso da Marginal Tietê está sinalizado apenas com uma faixa vermelha no chão. No local também não há redução de velocidade e os veículos que ali trafegam acessam a avenida sempre em alta velocidade. O local possui tráfego pesado de ônibus, que vêm da Marginal para acessar o Terminal Rodoviário do Tietê, a cerca de 3 km dali.

Os acessos à ciclovia no sentido centro-bairro devem ser feitos pela pista local da avenida Santos Dumont. Não há semáforo para travessia e os ciclistas precisam disputar espaço com veículos. Quem vem no sentido bairro-centro, se quiser usar a ciclovia, terá que fazer alguns malabarismos. Uma opção é pegar a praça Campo de Bagatelle, local inóspito para ciclistas, cruzar a pé empurrando a bicicleta pela passarela e pedalar pela calçada na contramão em um espaço bem estreito.

A reportagem do Vá de Bike fez uma vistoria no local em 8/12, um dia antes da inauguração e constatou que a ciclovia apresentava rachaduras e buracos, como pode ser visto nas fotos.

Atualizado: Segundo o leitor Danilo Rocha de Souza, os buracos foram consertados! \o/

Foram encaminhados à CET questionamentos acerca da infraestrutura de acesso nas duas extremidades, qualidade do piso e redução de velocidade na alça da marginal, mas não obtivemos resposta. As informações serão publicadas caso cheguem à redação.

Imagem: CET/Divulgação

Imagem: CET/Divulgação

As pontes que receberão ciclovias

Ciclistas na Ponte Vitorino Goulart da Silva, uma das que receberão ciclovia já na primeira etapa. Foto: Willian Cruz

Ciclistas na Ponte Vitorino Goulart da Silva, uma das que receberão ciclovia já na primeira etapa. De acordo com a imagem do projeto fornecida pela CET, a ciclovia será instalada exatamente onde os ciclistas estão pedalando (sentido Interlagos). Foto: Willian Cruz

Primeira Etapa (em andamento)

A primeira fase consiste em projetos para pontes que requerem apenas pintura e obras de pequeno porte:
  • [Pronta - veja aqui] Viaduto Domingos Franciulli Neto (General Milton Tavares de Souza) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional no acostamento, na lateral do sentido Rodovia Fernão Dias
  • [Pronta - veja aqui] Ponte Presidente Jânio Quadros (Vila Maria) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional central
  • Ponte Júlio de Mesquita Neto (Pompéia) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional central
  • Ponte Vitorino Goulart da Silva - Sobre o Rio Pinheiros, passarela com ciclovia bidirecional, na lateral do sentido Interlagos

Segunda Etapa (em andamento)

Projetos para pontes que requerem obras civis de maior porte:
  • Ponte Doutor Miguel Arraes (Aricanduva) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional no canteiro central
  • [Pronta - veja aqui] Ponte Flávio Cavalcanti (Vila Guilherme) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional no canteiro central
  • [Pronta - veja aqui] Ponte Cruzeiro do Sul - Sobre o Rio Tietê, ciclovia unidirecional central em ambos os sentidos
  • [Pronta - veja aqui] Ponte das Bandeiras - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional sobre o passeio, na lateral do sentido Santana
  • [Pronta - veja aqui] Ponte Jornalista Walter Abraão (Casa Verde) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional sobre o passeio, na lateral do sentido Centro
  • Ponte Adhemar Ferreira da Silva (Limão) - Sobre o Rio Tietê, ciclovia bidirecional no canteiro central
  • [Pronta] Ponte Remédios - Carmen Fernandes Neves - Sobre o Rio Tietê, ciclovia unidirecional central em ambos os sentidos
  • Ponte Jurubatuba - Sobre o Rio Pinheiros, passarela com ciclovia bidirecional central

Próximas pontes (em estudo)

Além destas, outras pontes continuam em estudos técnicos, buscando soluções para implantação de ciclovias:
  • Ponte Imigrante Nordestino - Sobre o Rio Tietê
  • Ponte Deputado Ricardo Izar (Tatuapé) – Sobre o Rio Tietê
  • Complexo Viário Prefeito Olavo Egydio Setúbal (Anhanguera) – Sobre Rio Tietê
  • Ponte Engenheiro Ary Torres – Sobre o Rio Pinheiros
  • Ponte Octávio Frias de Oliveira (Estaiada) – Sobre o Rio Pinheiros
  • Ponte Caio Pompeu de Toledo (Morumbi) – Sobre o Rio Pinheiros
  • Ponte João Dias – Sobre o Rio Pinheiros
  • Ponte Transamérica – Sobre o Rio Pinheiros
  • Ponte Freguesia do Ó - Sobre o Rio Tietê, construção de ciclopassarela bidirecional na lateral do sentido Centro
  • Ponte do Piqueri - Sobre o Rio Tietê, construção de ciclopassarela bidirecional na lateral do sentido Bairro
  • Ponte Hirant Sanazar (Jaguaré) –Sobre oRio Pinheiros, construção de ciclopassarela bidirecional entre as pontes
  • Ponte Cidade Universitária - Sobre o Rio Pinheiros, construção de ciclopassarela bidirecional ao lado do sentido Bairro
  • Ponte Eusébio Matoso - Sobre o Rio Pinheiros, construção de ciclopassarela bidirecional ao lado do sentido Bairro
  • Ponte Engenheiro Roberto Rossi Zuccolo (Cidade Jardim) - Sobre o Rio Pinheiros, construção de ciclopassarela bidirecional na lateral do sentido Bairro
  • [Pronta] Ponte Laguna - Em construção sobre o Rio Pinheiros
  • Ponte Santo Dias da Silva (Socorro) - Sobre o Rio Pinheiros, construção de ciclopassarela bidirecional na lateral do sentido Bairro.

7 comentários para Ponte das Bandeiras é a segunda em São Paulo a ganhar ciclovia

  • Pedro Medeiros

    A velocidade máxima regulamentada nas alças da Ponte das Bandeiras e Casa Verde é de 40 km/h. Conduzindo um automóvel, contornei ambas as alças nesta velocidade e comprovei que o motorista só consegue ver a presença de ciclista ou pedestres muito próximo da faixa.

    O ideal seria reduzir o limite para 30 km/h e colocar um radar em ambas as alças, com os sensores imediatamente antes da faixa. Só assim para os motoristas respeitarem.

    Contudo, o ideal seria, de longe, a passagem pelo canteiro central. Na Ponte da Casa Verde isso permitiria um caminho lógico pela ciclovia já existente na Braz Leme e, se seguisse rumo à Av. Rudge, poderia se aproveitar da travessia semaforizada logo no início da Rudge. Evitaria as perigosas alças atuais (a segunda alça, no lado centro da ponte da Casa Verde, é ainda mais perigosa).

    A ciclovia da Ponte das Bandeiras é ainda mais surreal, pois, além de não haver qualquer limitação física à velocidade dos carros, ela cruza a pista local da Av. Santos Dumont EMBAIXO de uma passarela de pedestre. Poxa, qual a lógica de não fazer uma rampa conectando a ciclovia à passarela, que, por sinal, fica em frente ao parque Tietê?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fernando Pereira de Araújo

    É preciso estreitar a alça de acesso e pôr lombofaixa nesta e em TODAS as outras pontes com ciclovias ou travessia de pedestres, nos moldes da Ponte da Casa Verde. Esta, aliás, deve seguir pelas Avenidas Dr. Abrahão Ribeiro e Pacaembu, de modo a permitir a travessia da linha de trem. O bom projeto piloto da Ponte da Casa Verde não pode ser abandonado, como parece ter ocorrido na caso da Ponte das Bandeiras.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Kassio Massa

    Ou seja, neste caso, a ciclovia não serve pra, praticamente, coisa alguma. Acaba sendo mais seguro atravessar a ponte ignorando esta via.

    Thumb up 0 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>