Cidade de Jundiaí/SP cria grupo de estudos para se tornar mais amigável às bicicletas

Ciclorrota: infraestrutura simples e de baixo custo ajuda a aumentar segurança e conforto dos ciclistas. Foto: Willian Cruz

Ciclovias, ciclorrotas e bicicletários serão implantados. Na imagem, ciclorrota em bairro da capital paulista. Foto: Willian Cruz

Para fomentar a cultura da bicicleta e seu uso como meio de transporte, a prefeitura de Jundiaí (SP) criou, por meio do decreto 25.540, o Grupo de Estudos a Projetos Cicloviários, formado por técnicos das secretarias de Planejamento e Meio Ambiente, Transportes e Obras.

A meta do plano municipal é melhorar a infraestrutura cicloviária, implantar estacionamentos para bicicletas (paraciclos e bicicletários) e, futuramente, a bicicleta pública. De acordo com o secretário de Transportes, Wilson Folgozi, as ciclovias serão parte do conceito chamado “Circula Jundiaí” – que já inclui o transporte coletivo e o transporte adaptado, por exemplo.

Segundo a prefeitura, o objetivo é chegar aos 30 km de ciclovias no curto prazo e 100 km no longo prazo, mesclando trechos de implantação própria do setor público com outros negociados como contrapartidas de novos empreendimentos privados. Apenas seis quilômetros foram construídos nos últimos anos – nas avenidas Antonio Pincinato e Caetano Gornatti (sem considerar as ciclofaixas de lazer nos parques Botânico, da Cidade e Tulipas).

Está em estudo a implantação de ciclorrotas em vários pontos da cidade ainda neste ano. Há estudos de construção de ciclovias nas avenidas José Luiz Sereno (Eloy Chaves), Nove de Julho e Coleta Ferraz de Castro (Jardim Paulista), além da reforma e extensão da via de ciclistas já existente na avenida Antonio Pincinato (Retiro).

Foto: Fernando Pereira/SECOM

Paraciclos facilitam a adoção da bicicleta como meio de transporte. Na imagem, paraciclos no centro da cidade de São Paulo. Foto: Fernando Pereira/SECOM

Intermodalidade

O trabalho do Grupo de Estudos a Projetos Cicloviários vai focar na conjunção da bicicleta com o projeto do BRT (ônibus de trânsito rápido, em tradução livre), que tem previsão de início de construção em julho desse ano. Estão previstas construções de bicicletários nos terminais Colônia, onde terá início o traçado de 4,25 km do BRT, e Vila Arens.

Além disso, o projeto prevê a construção de uma ciclovia de 3,5 quilômetros que vai acompanhar o corredor exclusivo para os ônibus até o viaduto Sperandio Pelliciari, que liga a Vila Arens à Ponte São João, e depois seguirá em direção ao Terminal Vila Arens.

Recentemente, integrantes do Pedala Jundiaí e da Bicicletada conseguiram doações para a instalação de 118 paraciclos, sendo 70 deles junto a terminais de ônibus. Ainda não há definição sobre os locais dos outros 48, mas todos devem ser instalados até o fim do ano.

Resgate histórico

O grupo vai trabalhar também para realizar um resgate histórico do uso da bicicleta como mobilidade em Jundiaí, muito vista em especial nas antigas fábricas e seus enormes bicicletários, em sua fase operária ao longo do século XX. O deslocamento espacial das empresas e o aumento do trânsito nas ruas mudou esse cenário ao longo do tempo.

O grupo vai buscar referências em outras cidades do Brasil e do exterior para orientar a mudança de Jundiaí em direção a uma cidade mais amiga da bicicleta.


2 comentários para Cidade de Jundiaí/SP cria grupo de estudos para se tornar mais amigável às bicicletas

  • Marcos

    Jundiaí é uma piada em relação a mobilidade urbana, tem apenas uma ciclovia que liga a lugar nenhum, essa políticas de mobilidade urbana podem dar certo em São Paulo, mas Jundiaí nunca aconteceu, a cidade precisa de uma ciclo ativista como a Renata Falzoni para apressar as coisas, o Jundiaiense é muito preguiçoso e não faz nada para mudar

    Thumb up 0 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>