Ninguém usa as ciclovias de São Paulo?

Ciclistas em ciclovia do bairro de Higienópolis, numa manhã durante a semana: é possível ver quatro em uma única quadra. Foto: Willian Cruz

Ciclistas em ciclovia do bairro de Higienópolis, numa manhã durante a semana: é possível ver quatro em uma única quadra. Foto: Willian Cruz

É muito comum ouvirmos que “ninguém usa” as ciclovias paulistanas, que estão sempre vazias ou “às moscas”, que são um desperdício de dinheiro e outros exageros. Geralmente as afirmações vêm de quem olhou para a ciclovia por alguns segundos entre uma acelerada e uma freada do carro, ou de quem a examinou fora dos horários de pico (quando a maioria dos ciclistas, como quase todo mundo, está trabalhando), e não viu ou não quis ver nenhum ciclista passando.

Ainda que a implantação de estrutura cicloviária tenha como maiores motivações a proteção à vida, o direito de circulação segura e o direito de acesso à cidade, deixamos aqui o relato da leitora Maria Fernanda Ribeiro, seguido de alguns links que comprovam em números a experiência que ela teve ao observar uma ciclovia por 20 minutos.

Ontem de manhã, por volta das 8h, eu estava caminhando pela Vergueiro, voltando da médica. Foram apenas seis quarteirões. E nesse percurso rápido que não durou nem 20 minutos, eu vi 18 pessoas de bicicleta pela ciclovia. Sim, eu contei. Contei para depois vir aqui contar para vocês. E contei porque a quantidade também surpreendeu a mim.

Tinha gente indo em direção à Liberdade e gente pedalando em direção à Paulista. Tinha mulher jovem. Tinha homem jovem. Tinha senhor. Tinha adolescente. Tinha pai com filho na cadeirinha. Tinha gente com alforje, tinha gente de mochila, tinha gente com cestinha e tinha mulher com bolsa a tiracolo. Tinha gente com capacete preto, tinha gente com capacete branco e tinha gente de capacete verde limão. Tinha gente pedalando sozinha e tinha gente pedalando em dupla ou em trio. Tinha gente de bike dobrável, elétrica, de trilha e de cidade. E alguns ciclistas ainda se cumprimentavam dando bom dia e levantando a mão em cumprimento, como se entendessem um ao outro e a felicidade que eles sentiam de não estar num metrô apertado ou parados no trânsito. E tudo isso com aquela garoa fina que São Paulo bem conhece.

Se você ainda acha que não passa ninguém pelas ciclovias, acompanhe o movimento que cresce pelas ruas, mas acompanhe de peito aberto e sem pré-julgamentos, principalmente os políticos. Claro que ainda há muito a ser feito, melhorado e planejado. Mas, não se esqueçam, primeiro vêm as ciclovias e aos poucos, ou aos muitos, os ciclistas vão aparecendo.

— Maria Fernanda Ribeiro
14 de maio de 2015

Veja também
O que vem primeiro: os ciclistas ou as ciclovias? (vídeo) Contagens mostram aumento de até 53% no fluxo de ciclistas em São Paulo
Contagem mostra que continua aumentando o uso da ciclovia da Av. Faria Lima, em São Paulo Pesquisas e levantamentos tornam clara a demanda por ciclovias em São Paulo
Fluxo de ciclistas mulheres aumentou 1.444% em quatro anos na Av. Eliseu de Almeida 18 razões para apoiar a implantação de ciclovias
Contagem na ciclovia da Vergueiro apontou 2 ciclistas/min no horário de pico – veja fotos Queda na taxa de mortes de ciclistas foi de 60% após ciclovias em São Paulo

20 comentários para Ninguém usa as ciclovias de São Paulo?

  • M.Mig

    [Comentário oculto devido a baixa votação. Clique para ler.]

    Esse comentário não tem feito muito sucesso. Thumb up 1 Thumb down 10

    • Renato

      Só se for no seu mundo colega. Porque no meu, que uso quase todos os dias, sempre vejo ciclistas, indo e vindo. As vezes poucos…as vezes muitos…

      Até mesmo nas ciclovias ainda isoladas, ainda cruzo com ciclistas. Nas que já estão conectadas, o numero é consideravel já para esse primeiro ano.

      Demanda não brota do nada, leva anos para se consolidar. Você só vai ver movimento forte nas ciclovias daqui a uns 3 a 4 anos pelo menos, qdo as pessoas passarem a se acostumar com a ideia de revezar seus trajetos combinando modais ou cada dia com um diferente. Eu uso bicicleta, metrô, onibus, mas nunca carro ou moto. Cansei do transito e da falta de educação das pessoas.

      Carro e moto agora só para viagens!

      Volte daqui a 4 anos e ai veremos quem tem razão….

      Thumb up 4 Thumb down 1

  • Quem quiser ver, fiz uma contagem não-oficial de ciclistas que passaram no trecho Vergueiro/Domingos de Moraes/Jabaquara/Eng. Armando de Arruda Pereira, do Centro Cultural Vergueiro até a loja do Carrefour no Metrô Conceição sempre no sentido do fluxo, nos picos da manhã e a tarde. na maioria dos trechos com ciclofaixa.

    Esta em excel no mediafire sem vírus nem nada, seguro.

    http://www.mediafire.com/download/iu17cafjzfdo1tc/CONT+CICLISTAS.xlsx

    Thumb up 4 Thumb down 1

  • VALDIR

    [Comentário oculto devido a baixa votação. Clique para ler.]

    Esse comentário não tem feito muito sucesso. Thumb up 1 Thumb down 30

    • O problema (sem gritar, é claro) – é que somente você e outros conseguem “”ACHAR”” que ciclovias são vazias e inviáveis, somente você e outros ignoram solenemente as contagens, estudos, matérias dos jornais, os debate e as reuniões da prefeitura e do plano diretor, somente você e outros “”ACHAM”” que olhar por alguns minutos para uma ciclofaixa vai dizer o movimento diário delas.

      Comentário bem votado! Thumb up 16 Thumb down 1

    • Rodrigo

      Esses trolls carrocratas são dose.

      Mas terão que se acostumar com as ciclovias, quer gostem ou não! Sorry man!

      Comentário bem votado! Thumb up 14 Thumb down 2

    • ALEKSANDRO

      Fica a vontade para usar Valdir, se algum parente seu precisar sair com o bebe no carrinho diga que pode usar também…

      Comentário bem votado! Thumb up 6 Thumb down 1

  • thiago

    Estava conversando no fim de tarde na calçada da rua frança pinto, vila mariana, 40min e contei até 35 ciclistas! Infelizmente fiquei sabendo hoje sobre um abaixo assinado para remoção desta faixa… Não podemos perder as ciclofaixas ja conquistadas!!

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • thiago

    Fiquei parado conversando na calçada no fim de tarde da rua frança pinto, vila mariana… 40min e contei ate 35 ciclistas! Infelizmente tem muita gente reclamando ainda e fiquei sabendo sobre um abaixo assinado, com muitos nomes ja… não podemos perder as ciclofaixas conquistadas!

    Thumb up 3 Thumb down 1

  • Anderson

    Isso é muito bom. Também é bom para as bicicletárias, logo teremos uma boa demanda nesse setor, quem investir vai se dar bem.

    Comentário bem votado! Thumb up 6 Thumb down 1

  • Fabio

    Trabalho na Vergueiro e lembro que no mês que ela foi inaugurada não se via uma alma pedalando nela, hoje é um ciclista atrás do outro. É a prova que é uma questão de tempo para que aumente o fluxo de ciclista em todas as ciclovias da cidade. Se já está assim hoje, imaginem daqui há um ano depois que toda a rede de 400 kms estiver pronta e interligada?

    Comentário bem votado! Thumb up 17 Thumb down 1

  • Osmar

    Para aumentar a demanda pelas Ciclovias é preciso tornar mais acessível o equipamento necessário: – bicicleta, capacete, luva e vestuários… etc. É difícil de encontrar, falta de opções, e. … caro, muito caro.

    Comentário bem votado! Thumb up 15 Thumb down 8

  • LM

    Claro, ciclista não fica parado, por isso ninguém vê…

    Comentário bem votado! Thumb up 17 Thumb down 2

  • Guilherme

    Toda semana uso a ciclovia da Vergueiro/Domingos de Moraes. Ela ainda vai ser reconhecida como uma das principais da cidade, ao lado da Faria Lima, da Paulista e da Eliseu de Almeida. Sugiro ao Ciclocidade fazer uma contagem na altura da Av. Liberdade, sempre que estou lá, independente do horário, vejo pelo menos um ciclista.

    Comentário bem votado! Thumb up 5 Thumb down 1

  • Também vi que tem bastante gente usando a ciclovia de manhã e a tarde, uma média de 44 ciclistas em 35 minutos no sentido do fluxo, e isso sem outras ciclovias e sem a da Paulista inaugurada.

    Comentário bem votado! Thumb up 14 Thumb down 1

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>