SP: Ciclovias têm sido exigidas como compensação viária para obras que impactam o trânsito

Ciclopassarela ligando o Parque do Povo à Ciclovia Rio Pinheiros foi construída como parte de compensação viária por empreendimento comercial. Acordo foi feito durante a gestão Kassab. Foto: Marcelo Iha/SPTuris

Ciclopassarela ligando o Parque do Povo à Ciclovia Rio Pinheiros foi construída como parte de compensação viária por empreendimento comercial. Acordo foi feito durante a gestão Kassab. Foto: Marcelo Iha/SPTuris

Com o início da construção da ciclovia da avenida Pacaembu, bancada pela Thinks Construtora como parte de compensação viária após autorização de obras de um empreendimento, a notícia que ganhou destaques nos jornais foi a “obrigação” da construtora em arcar com os custos da via para ciclistas. Medida similar deve ser aplicada no bairro da Cidade Dutra, na zona sul de São Paulo, onde o Clube de Campos São Paulo deverá bancar a ciclovia que ligar a avenida Teotônio Vilela à rua Frederico René de Jaegher.

Mas a medida exigida pela Companhia de Engenharia de Trafego (CET) não é tão nova quanto a ampliação da malha cicloviária. Em um passado não muito distante, o Complexo WTorre JK teve de construir a ciclopassarela do Parque do Povo e, ainda durante a gestão anterior, um trecho da Ciclovia Rio Pinheiros.

A companhia que gerencia o trânsito da maior cidade brasileira faz uso da lei municipal de polos geradores de tráfego durante décadas, em novos edifícios que abriguem escritórios ou comércios, como shoppings centers. Os empreendimentos são considerados como pólos geradores de tráfego, termo técnico usado pela CET após a análise e todos os trâmites legais perante a licenças e alvarás, com o objetivo de diminuir o impacto que as novas construções de grande porte possam causar sobre o trânsito nas vias do entorno.

O órgão da prefeitura determina que as construtoras realizem obras de melhoria no viário. As melhorias a serem aplicadas são alvo de estudo por parte do poder público e, após a análise, a CET encaminha relatório técnico para que a Secretaria Municipal de Transportes (SMT) emita uma “Certidão de Diretrizes – CD”. Esta Certidão faz parte de uma das exigências para a aprovação do projeto do empreendimento na Secretaria Municipal de Licenciamento.

A novidade é que de um tempo para cá, a administração municipal entende que a construção de uma ciclovia pode ser considerada como medida de redução de tráfego, afinal uma bicicleta a mais pode significar um carro a menos.

No caso da via da Pacaembu, os projetos foram incluídos na certidão de diretrizes do empreendimento da Torre de 24 andares na Barra Funda. A SMT substituiu outras intervenções previstas anteriormente pelas ciclovias. Umas das intervenções era a modernização da rede semafórica, porém, de acordo com a secretaria, a maioria das melhorias de sinalização previstas já tinham sido executadas pela SPObras e pela subprefeitura local.


5 comentários para SP: Ciclovias têm sido exigidas como compensação viária para obras que impactam o trânsito

  • ALEKSANDRO

    Mais alguém que não anda de bike quer deixar sua opnião de especialista?

    Thumb up 3 Thumb down 2

    • Roberto A

      Só você pode opinar neste espaço? Nao é porque ciclovias estao sendo construidas que nao se pode analisar sua forma de implementacao ou de conservacao com o tempo. Eu mesmo abri 2 chamados no SAC da prefeitura para sinalizar melhor um trecho que passo diariamente e ate agora (faz quase 3 meses) nada foi feito. Portanto acho mais do que justo os usuarios façam criticas de maneira que a ciclovia fique com um padrao de qualidade alto. Além disso, esse padrão mais elevado vai beneficiar o ciclista de duas formas, primeiro com mais segurança e segundo com maior apoio do resto da população que ainda não usa mas é um potencial usuário da via, além de retroalimentar a expansão do sistema frente ao maior apoio.

      Thumb up 2 Thumb down 2

  • uma pena que muitas já estão tão mal cuidadas… e certamente sairão como KM feito nos programas eleitorais…

    hoje, por exemplo, andei pela Barra Funda e tinha tanto entulho no meio da faixa que deu vontade de chorar…

    Thumb up 5 Thumb down 2

    • RicardoP

      Estão muito, mas muito mal cuidadas! E o sistema da região central, que poderia receber atenção plena para que se tornasse um exemplo de implantação de sucesso, também foi abandonado. Estão focando em ciclovias quilométricas e vazias, para inflar os feitos da prefeitura.

      E pior: essa gente pelo visto nunca andou de bicicleta na vida! A ciclovia da Eng Caetano Álvares é uma piada. Os bairros ao redor são parados, quietos, pacíficos, e o caminho escolhido foi uma avenida caótica, violenta e cheia de crimes, forçando o ciclista a andar apertado entre um córrego e os carros.

      Os partidários falam que o prefeitão tranquilão lindão é um visionário genial. Eu discordo. O resultado de todas essas trapalhadas foi a difamação da bicicleta diante da população geral. Ao invés de fazer direito e de forma completa alguns poucos sistemas iniciais, dando um exemplo de sucesso, tentou dominar o mundo e acabou como tudo que o partido dele bota a mão: com projetos gigantes incompletos e sem utilidade.

      Polêmico. O que acha? Thumb up 3 Thumb down 5

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>