“PAC Mobilidade Ativa” pretende impulsionar criação de ciclovias no Brasil

Foto: Willian Cruz

Foto: Willian Cruz

Grupos ligados aos ciclistas pedem ao governo federal a inclusão de medidas que privilegiem a construção de ciclovias, a fim de oferecer maior segurança e conforto. A proposta se chama “PAC Mobilidade Ativa”. O nome deriva da terminologia usada para definir a prática de pedalar, caminhar e outras formas de deslocamento que dispensam o uso de um motor, os chamados “modos não motorizados”.

A reivindicação é liderada pela UCB – União de Ciclistas do Brasil, com o apoio de outras entidades do setor, além de coletivos que lutam por melhores condições de mobilidade aos pedestres. A proposta foi elaborada sob a forma de minuta de Portaria, e contém as normas, diretrizes gerais e justificativa. Se for aprovada, permitirá a implantação de estruturas ao ciclistas e pedestres por meio de recursos federais ou financiamentos.

Lançado em 2007, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é um projeto do governo federal que contempla políticas econômicas, geralmente planejadas para os quatro anos seguintes, que têm como objetivo acelerar o crescimento econômico. Atualmente, o governo trabalha na segunda edição do programa. E uma das vertentes do PAC é a área de mobilidade urbana.

Imagem: UCB/Reprodução

Imagem: UCB/Reprodução

Estruturas para pessoas

Segundo informações de André Geraldo Soares, da UCB, o pleito foi entregue no Ministério das Cidades em 11 de dezembro de 2015. André conversou com o Vá de Bike e falou um pouco do processo de elaboração da proposta, que nasceu através dos movimentos sociais. “O crescimento do ciclismo como meio de mobilidade no Brasil é decorrência da atuação, cada vez mais numerosa e qualificada, da sociedade civil organizada”, diz André.

O representante da UCB fala ainda da importância de investimentos por parte do governo federal em estruturas às cidades – não unicamente para ciclistas, mas sim para as pessoas. “Além de políticas locais, também necessitamos de medidas do poder público federal. Esta campanha é importante tanto porque aglutina e fortalece o próprio movimento social, que contou com a participação de organizações outras que não de ciclistas, quanto para demandar esferas mais amplas de planejamento urbano”, afirma André

“Em obtendo sucesso, a campanha significará um aporte de recursos para um necessário ‘choque infraestrutural’, o que trará mais segurança aos já ciclistas e estimulará a adoção da bicicleta por parte da população que espera por tais medidas”, completa o representante da União de Ciclistas do Brasil. Entre os organizadores estão, além do UCB, o grupo “Aliança Bike” e o “Bicicleta para todos”. O Vá de Bike também é apoiador da proposta.

Apoio institucional é importante

Para dar maior respaldo à solicitação, os proponentes estão buscando apoiadores dentre a sociedade civil: empresas, coletivos, organizações empresariais e de trabalhadores e demais instituições. Os novos apoiadores serão informados ao Ministério das Cidades. Foi disponibilizado um formulário online para instituições que desejem apoiar a iniciativa.

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>