5 razões pelas quais ciclovias protegem também os pedestres

Pedestres cruzam a via aproveitando a área de uma ciclofaixa em São Paulo. Foto: Willian Cruz

Pedestres cruzam a via aproveitando a área de uma ciclofaixa em São Paulo. Foto: Willian Cruz

Por Aline Souza e Willian Cruz

Que as ciclovias e ciclofaixas aumentam a segurança dos ciclistas, disso todo mundo já sabe (ou deveria saber). Mas em alguns lugares do mundo já se percebeu um efeito colateral bastante positivo: elas tornam as ruas mais seguras também para os pedestres. Especialistas responsáveis pela mobilidade urbana e segurança de diversas cidades do mundo se reuniram no simpósio Vision Zero for Cities, em Nova York, em novembro de 2014 para debater o tema.

A redução nos ferimentos em pedestres em vias com área reservada para as bicicletas. Imagem: Peopleforbikes.org, com dados do NYCDOT

A redução nos ferimentos em pedestres em vias com área reservada para as bicicletas. Imagem: Peopleforbikes.org, com dados do NYC DOT

Segundo dados do Departamento de Transportes de Nova York (NYC DOT), nas ruas da cidade que receberam ciclovias a taxa de acidentes de trânsito – a maioria dos quais envolvendo pedestres – caiu entre 12% e 52% de 2007 a 2011. De acordo com Matthew Roe, que coordenou o planejamento de segurança viária no DOT de 2008 a 2013, por muitos anos foi verificado cerca de um acidente com pedestre a cada milha. A redução é enorme.

Há vários fatores que fazem das ciclovias uma estrutura benéfica também para os pedestres:

1 Menores distâncias de travessia

A travessia de faixas utilizadas pelos carros nem sempre é segura para os pedestres. Quanto menos faixas precisam ser cruzadas, menor o risco de atropelamento. Essa redução do espaço da via a ser transposto é inclusive um recurso muito usado no acalmamento de tráfego (traffic calming), com áreas para pedestres estendidas nas esquinas (curb extensions).

Essa ciclovia dá aos motoristas uma visão muito melhor de quem atravessa na faixa à esquerda da imagem do que se houvesse carros estacionados nesse local. E os pedestres que por ela cruzam podem ver melhor os carros que se aproximam. Foto: Willian Cruz

Essa ciclovia dá aos motoristas uma visão muito melhor de quem atravessa na faixa (à esquerda da imagem) do que se houvesse carros estacionados nesse local. E os pedestres que por ela cruzam podem ver melhor os carros que se aproximam. Foto: Willian Cruz

2 Visibilidade para os pedestres

Quando você está atravessando a rua, não é bem o carro que você está vendo vir em sua direção que tem maior chance de atropelá-lo, mas sim aquele que você pode não estar vendo. As ciclovias facilitam a visualização do tráfego, principalmente quando comparadas a fila de carros estacionados, em que o pedestre se esgueira entre eles para cruzar a via.

3 Visibilidade para os motoristas

Conversões à esquerda e à direita em travessias, atingindo pessoas que estavam seguindo a sinalização para pedestres corretamente mas estavam ocultos dos motoristas atrás dos carros estacionados, são causas frequentes de atropelamentos. Mas uma área avançada para os ciclistas saírem primeiro no sinal verde (bike box), uma ciclofaixa que substitui uma antiga área de estacionamento, ou qualquer outro recurso de sinalização para bicicletas que facilite a visão dos motoristas ao virar em uma rua tem o mesmo efeito em aumentar a visibilidade de pessoas cruzando a via a pé.

Pedestre aguarda para completar a travessia da Av. Ministro Petrônio Portela, na zona norte de São Paulo. Imagem: Google Street View/Reprodução

Pedestre aguarda para completar a travessia da Av. Ministro Petrônio Portela, na zona norte de São Paulo. Imagem: Google Street View/Reprodução

4 Travessia em duas etapas

Ciclovias posicionadas no centro de uma avenida dividem a travessia em duas partes. Isso não só reduz a distância a ser percorrida em cada lance da travessia, como permite que o pedestre preocupe-se com o fluxo de carros em apenas um sentido por vez.

5 Menos zigue-zague dos carros

Outra situação perigosa para quem circula a pé são os pequenos zigue-zagues: motoristas mudando de faixa para desviar de um carro parado, apenas para descobrir que esse carro parou porque estava esperando alguém cruzar a faixa. Ciclovias segregadas podem ajudar a resolver esse problema, seja ao criar barreiras de acalmamento de tráfego que façam os motoristas reduzirem para desviar, seja estreitando ou removendo as faixas de rolamento disponíveis para os automóveis.

“Quando uma via tem capacidade para mais automóveis do que ela realmente precisa, as pessoas começam a fazer escolhas ruins”, diz Matthew Roe. O ex-gerente do NYC DOT explica que nessa situação, as pessoas vão acelerar e fazer manobras agressivas. “As pessoas vão ficar acelerando entre elas e estacionando em fila dupla”, comenta.

Mas ao transformar uma via que tem espaço adicional desnecessário para os carros (em forma de faixas largas demais, por exemplo) adicionando uma ciclovia, o efeito na segurança viária pode ser enorme, afirma Roe. Quando os zigue-zagues se tornam impossíveis, os motoristas simplesmente se enfileiram e esperam sua vez. Quem sai ganhando mais uma vez são as pessoas a pé.

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>