Remoção de ciclovia causa atropelamento em São Paulo

Imagem: Greg Fernandes

O jornalista Greg Fernandes nos enviou esse vídeo, gravado na Rua Vergueiro, onde a ciclovia foi removida pela prefeitura essa semana. Para fugir do trânsito agressivo onde a estrutura de proteção havia sumido, o ciclista tentou buscar segurança na pista contrária, onde a sinalização ainda não havia sido retirada, e nesse momento foi atropelado por um motociclista.

O atropelamento ocorreu na mesma via onde cidadãos fizeram um protesto essa semana. Leia nossas considerações sobre essa situação mais abaixo, logo após o vídeo.

Clique aqui para assistir o vídeo

(Se o vídeo não for exibido automaticamente, clique aqui para abrir em outra janela.)

Por mais que estejamos pedindo há meses para que seja feita alguma sinalização ou segregação temporária que preserve a segurança de quem trafega de bicicleta, a prefeitura e a CET continuam ignorando essa necessidade, dando um enorme DANE-SE para as nossas vidas.

Quando a obra coloca em risco os motoristas, surgem inúmeras soluções criativas: cones, tambores, tapumes, redes cor de laranja e até baldinhos com luzes dentro. Mas parece que, para a gestão Bruno Covas (PSDB), nossas vidas valem menos do que a de quem dirige.

Os pedidos de sinalização temporária não foram feitos em comentários de redes sociais, mas em reuniões presenciais como a da Câmara Temática da Bicicleta e audiências públicas. Não há a desculpa de não terem ciência do que está acontecendo. Essa omissão ainda vai custar vidas.

Lei não permite liberar via sem sinalização

O Código de Trânsito Brasileiro (Lei Federal 9.503/97) é claro: não se deve liberar uma via para circulação antes dela estar sinalizada, garantindo “as condições adequadas de segurança na circulação”. As vias recapeadas, por Lei, deveriam portanto permanecer fechadas à circulação até que fossem sinalizadas adequadamente.

Há todavia um impasse prático, que tem feito todas as gestões municipais liberarem a passagem antes de sinalizar: o asfalto precisa passar por um processo de cura antes de receber a pintura, para que ela não se desgaste prematuramente. Mas o próprio CTB diz o que fazer: “nas vias ou trechos de vias em obras deverá ser afixada sinalização específica e adequada”.

Quando há uma obra numa via em que os motoristas seriam colocados em risco, há soluções das mais criativas, de simples cones até tapumes e iluminação. Algo semelhante deveria ser feito para proteger as pessoas que circulam de bicicleta no local onde uma ciclovia é removida. Cumpriria-se a lei ao fazer isso, inclusive.

Art. 88. Nenhuma via pavimentada poderá ser entregue após sua construção, ou reaberta ao trânsito após a realização de obras ou de manutenção, enquanto não estiver devidamente sinalizada, vertical e horizontalmente, de forma a garantir as condições adequadas de segurança na circulação.

Parágrafo único. Nas vias ou trechos de vias em obras deverá ser afixada sinalização específica e adequada.

Deixe seu depoimento

Temos recebido relatos de buzinadas, finas, espremidas e outras situações de risco de vida nos locais onde essas estruturas de proteção foram removidas, por vezes acompanhadas de insultos, palavrões e até ameaças de agressão física.

São reações agressivas de motoristas que acreditaram na conversa de que as ciclovias prejudicam a cidade, quando o discurso da prefeitura deveria ser que elas protegem e salvam vidas. Influenciadas pelo posicionamento de representantes do poder público, essas pessoas acreditam que não temos mais direito de circular nas vias onde elas foram retiradas e se sentem no direito de “se vingar” de quem pedala, jogando o carro em cima para dar um susto ou ensinar uma lição – o que pode acabar resultando em queda, atropelamento, lesões, sequelas permanentes e até morte.

Para mostrar que isso não é história de quem reclama à toa, estamos colhendo depoimentos. Visite este link e deixe o seu nos comentários, contando onde ocorreu a situação, como foi e em que data. Pretendemos entregá-los ao Secretário de Mobilidade e Transportes, João Octaviano Machado Neto.

Divulgue aos amigos e nos grupos do Facebook. Quanto mais depoimentos juntarmos, melhor.

Mega manifestação marcada para 31 de agosto

Se você se preocupa com essa situação, se tem uma pessoa querida que usa a bicicleta, se não sente segurança ao pedalar onde uma ciclovia foi removida, venha participar da manifestação que ocorrerá na última sexta-feira do mês (dia 31).

Batizada como Vai Ter Ciclovia 2.0, a Bicicletada pretende retomar as ruas em protesto como aconteceu na primeira edição, em 2015, quando milhares de pessoas foram às ruas para impedir a remoção de ciclovias.

Milhares foram às ruas em março de 2015. Foto: José Renato Bergo

Naquele momento a remoção era apenas uma ameaça, em decorrência de uma ação do Ministério Público Estadual de São Paulo, que determinou a paralisação das obras, a proibição de novas implantações e exigia ainda que algumas estruturas fossem desfeitas, como a própria ciclovia da Avenida Paulista, que estava em construção. A situação causou indignação não só nos ciclistas paulistanos, mas em irmãos de pedalada de mais de 45 cidades do Brasil e do mundo, que apoiaram com manifestações simultâneas. Durante a manifestação, a liminar que proibia a implantação das ciclovias foi suspensa pelo presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), causando uma alegria indescritível em quem participava naquele momento dos protestos.

Hoje, a realidade é bem pior. Já passamos há muito da fase das ameaças e estamos vendo ciclovias sumirem todos os dias – algumas voltando, outras sendo esquecidas, outras tantas na berlinda sem sabermos se voltam ou não. A remoção de ciclovias é um fato e está acontecendo. Não podemos aceitar passivamente essa política de descaso, com preço pago em vidas – nossas vidas.

Está na hora de nos unirmos novamente, mostrando que as estruturas de proteção são importantes e necessárias, que nossas vidas e as de nossos amigos, família e amores não podem ser colocadas em jogo. Chega de omissão. Chega de dizer que podemos ser colocados em perigo de morte “temporariamente” e que temos que ter compreensão. Chega de piadas sobre orégano. Chega de brincar com coisa séria. Vamos às ruas.

Quando? 31 de agosto, sexta-feira, a partir das 18h (com saída às 20h)
Onde? Praça do Ciclista, na Paulista com a Consolação
Precisa ir de bicicleta? Claro que não! Pode ir de skate, de patinete, de monociclo, a pé. Pode chegar de ônibus ou metrô. Pode até estacionar o carro em algum lugar e seguir caminhando, todos são bem vindos.

Leve sua família, chame os amigos, leve seus filhos. A manifestação é pacífica e em defesa da vida.

Marque sua presença no evento do Facebook e compartilhe!


2 comentários para Remoção de ciclovia causa atropelamento em São Paulo

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>