Os locais com mais roubos de bicicletas em São Paulo

Segunda parte de uma série de 4 reportagens abordando o aumento no roubo de bicicletas em São Paulo

Os roubos de bicicleta têm aumentado MUITO e alguns locais já são temidos pelos ciclistas de São Paulo. Nessa matéria a gente fala sobre os pontos mais conhecidos.

ROUBOS DE BICICLETAS EM SÃO PAULO
Série de quatro reportagens:
1 – O problema 2 – Locais de roubo
3 – O que fazer (em produção) 4 – Propostas (em produção)

Ciclovia Rio Pinheiros – Margem Oeste

Foto: Rachel Schein/VdB

A margem oeste da Ciclovia Rio Pinheiros – aquela pista alternativa, que fizeram pra ser usada enquanto não terminam a obra do monotrilho – é um local onde os roubos já acontecem há anos.
As pessoas que se deslocam por ali esperam outras chegarem para poder passar em grupo, na tentativa de aumentar um pouco a segurança. Todo mundo sabe, todo mundo comenta, algumas das pessoas roubadas fazem BO, mas a falta de segurança continua.

Ciclovia da Inajar

Foto: Roberson Miguel

A ciclovia da Inajar de Souza, na Zona Norte, também é outro local onde ocorrem roubos há muito tempo. Mesmo durante o dia tem gente levando bicicleta ali, os relatos são comuns. As pessoas deixam de usar a ciclovia e circulam pela pista, junto com os carros, porque a situação ali é tensa.

Ciclovia da Radial Leste

Valeta na Ciclovia da Radial Leste. Foto: Ciclista Binotti

A ciclovia Caminho Verde, popularmente conhecida como Ciclovia da Radial Leste, também tem um histórico antigo de roubos. Há trechos que os ciclistas evitam e muitas vezes circulam pela avenida, preferindo enfrentar os motoristas que não os aceitam ali e jogam o carro em cima do que o perigo de ser assaltado. Já houve assaltos à mão armada ali, especialmente no trecho entre as estações Carrão e Penha do Metrô.

Ciclovia do Parque Ecológico do Tietê

Foto: Ciclista Binotti

A ciclovia do Parque Ecológico do Tietê é outra que as pessoas não usam mais, preferindo fazer outro caminho. É muito arriscado pedalar ali, a ciclovia fica isolada e os assaltos são frequentes. E é uma pena, porque o Parque tem potencial para ser um local turístico em São Paulo, que atrairia até mesmo visitantes estrangeiros.

Ciclovia da Avenida Politécnica

Foto: Google Street View

A Avenida Politécnica, na Zona Oeste, é mais um lugar onde os ciclistas já evitam e faz tempo. Grupos praticam roubos a ciclistas ali a qualquer hora do dia e as pessoas têm medo de passar de bicicleta pela ciclovia.

Ciclovias da Avenida Sumaré e Viaduto Antártica

Foto: Google Street View

Nas ciclovias da Avenida Sumaré e do viaduto Antártica, muito usadas pelo pessoal da Zona Norte, os roubos já são frequentes há mais de um ano. Já hoube manifestações, matérias na TV e até reforço de policiamento, com policiais circulando em bicicleta durante algum tempo. Os roubos diminuíram naquele momento, mas depois voltaram a ocorrer. Hoje acontecem principalmente no final da tarde, quando as pessoas estão voltando do trabalho e está começando a escurecer.

Ciclovia da Faria Lima

Foto: Willian Cruz/VdB

Agora os roubos estão se tornando recorrentes também na ciclovia mais utilizada da cidade, a da Faria Lima, que corta bairros de maior poder aquisitivo como Pinheiros, Itaim Bibi e Vila Olímpia (saiba mais). Já faz tempo que roubos aconteciam no trecho da ciclovia que fica entre o Villa-Lobos e o Ceagesp, mas em 2018 começaram a ocorrer perto do Instituto Tomie Ohtake. Esse ano se expandiram para o Largo da Batata e já acontecem até na região da avenida Juscelino Kubitschek.

Ciclovia da Arthur de Azevedo

Foto: Willian Cruz/VdB

Já estão roubando também na ciclovia da Arthur de Azevedo, que sobe da região da Faria Lima até próximo da avenida Doutor Arnaldo. Teve gente que já teve a bicicleta levada por lá, veja no último depoimento deste vídeo.

Relatos

Essa lista é baseada em relatos de amigos, conhecidos e de grupos na internet. Não são estatísticas oficiais, até porque muita gente não faz Boletim de Ocorrência e os dados oficiais podem não refletir detalhadamente a realidade.

Você sabe de algum outro lugar onde os roubos são recorrentes? Conta pra gente aqui nos comentários.

A importância do Boletim de Ocorrência

Painel na 14ª DP, que atende parte da avenida Faria Lima, informa sobre a possibilidade de se fazer o B.O. pela internet. Foto: Willian Cruz/VdB

Uma coisa que repetiremos em todas essas reportagens é: faça boletim de ocorrência. Você pode até achar que não vai resolver nada, mas se não notificarmos a ocorrência, não haverá estatísticas sobre esses roubos e o poder público pode continuar achando que estamos reclamando à toa.

E tentativa de roubo também é crime; você precisa fazer esse boletim de ocorrência também.

Se você acha cansativo ir na delegacia ou lhe falta tempo para isso, você pode fazer o B.O. online. Em todo o estado de São Paulo, é possível registrar boletim de roubo de bicicletas pela internet para roubo de bicicleta (declare como “roubo de objeto”). Já para o de tentativa de roubo é necessário comparecer a uma delegacia.

E anote AGORA o número do quadro da sua bicicleta. Ele costuma ficar embaixo do movimento central (o eixo do pedal), mas pode estar em outros lugares – veja na imagem que está neste box. Se sua bicicleta for roubada, esse número deve constar do Boletim de Ocorrência, porque se a encontrarem conseguirão saber, por esse número, que ela é uma bicicleta roubada e de quem ela foi roubada. Falaremos sobre isso em mais detalhes em um próximo vídeo.

Locais onde pode estar o número de série no quadro da sua bicicleta: 1) embaixo do movimento central; 2) na base do tubo inferior (down tube); 3) no seat stay ou no chain stay, próximo ao eixo traseiro; 4) na base do tubo do selim (seat tube); 5) no tubo da caixa de direção (head tube)

Inscreva-se no nosso canal do YouTube e ative as notificações, para ser avisado quando publicarmos as próximas videorreportagens dessa série. E não desanime com essa situação: vá de bike. Ainda é bem melhor do que ir de carro… 😉


3 comentários para Os locais com mais roubos de bicicletas em São Paulo

  • Adriana

    Boa noite pessoal.
    Tenho ou melhor, tinha (até ontem) uma Caloi City Tour 2018 Comp que me foi roubada ontem (10-07-19) próximo ao Parque Vila Lobos (São Paulo) mais especificamente na praça Apecatu (em frente ao Cobasi do CEAGESP), quando voltava do trabalho.
    Já fiz o B.O. e já cadastrei a bike no site “Bikes Roubadas” e estou na torcida.
    Se alguém por um acaso souber alguma informação a respeito agradeço a ajuda!
    Abraços

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Luís Felipe De Podestá

    Tive minha bike furtada no parque do povo enquanto eu corria, estava presa no paraciclo com cadeado porém não foi suficiente. O pessoal da segurança disse que isso tem ocorrido com frequência. Evitem utilizar os paraciclos perto das quadras. Ás vezes vale a pena deixar no bicicletário do JK Iguatemi.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Guilherme Santos

    Também são comuns roubos no acesso da ciclovia perto do Parque do Povo.

    Eu, junto com mais dois amigos vimos quando 4 adolescentes atacavam uma menina! Conseguimos evitar o roubo, mas dois menores fugiram ilesos, dos que pegamos quebramos o nariz de um e do outro quebramos o maxilar.

    Quero acreditar que aprenderam a lição, mas duvido…

    Em tempo, não machucamos os garotos enquanto acuados, brigamos com os mais violentos que nos atacavam para fugir da chegada da Polícia.

    Comentário bem votado! Thumb up 7 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>