Os locais com mais roubos de bicicletas em São Paulo

Segunda parte de uma série de 4 reportagens abordando o aumento no roubo de bicicletas em São Paulo

Os roubos de bicicleta têm aumentado MUITO e alguns locais já são temidos pelos ciclistas de São Paulo. Nessa matéria a gente fala sobre os pontos mais conhecidos.

ROUBOS DE BICICLETAS EM SÃO PAULO
Série de quatro reportagens:
1 – O problema 2 – Locais de roubo
3 – O que fazer (em produção) 4 – Propostas (em produção)

Ciclovia Rio Pinheiros – Margem Oeste

Foto: Rachel Schein/VdB

A margem oeste da Ciclovia Rio Pinheiros – aquela pista alternativa, que fizeram pra ser usada enquanto não terminam a obra do monotrilho – é um local onde os roubos já acontecem há anos.
As pessoas que se deslocam por ali esperam outras chegarem para poder passar em grupo, na tentativa de aumentar um pouco a segurança. Todo mundo sabe, todo mundo comenta, algumas das pessoas roubadas fazem BO, mas a falta de segurança continua.

Ciclovia da Inajar

Foto: Roberson Miguel

A ciclovia da Inajar de Souza, na Zona Norte, também é outro local onde ocorrem roubos há muito tempo. Mesmo durante o dia tem gente levando bicicleta ali, os relatos são comuns. As pessoas deixam de usar a ciclovia e circulam pela pista, junto com os carros, porque a situação ali é tensa.

Ciclovia da Radial Leste

Valeta na Ciclovia da Radial Leste. Foto: Ciclista Binotti

A ciclovia Caminho Verde, popularmente conhecida como Ciclovia da Radial Leste, também tem um histórico antigo de roubos. Há trechos que os ciclistas evitam e muitas vezes circulam pela avenida, preferindo enfrentar os motoristas que não os aceitam ali e jogam o carro em cima do que o perigo de ser assaltado. Já houve assaltos à mão armada ali, especialmente no trecho entre as estações Carrão e Penha do Metrô.

Ciclovia do Parque Ecológico do Tietê

Foto: Ciclista Binotti

A ciclovia do Parque Ecológico do Tietê é outra que as pessoas não usam mais, preferindo fazer outro caminho. É muito arriscado pedalar ali, a ciclovia fica isolada e os assaltos são frequentes. E é uma pena, porque o Parque tem potencial para ser um local turístico em São Paulo, que atrairia até mesmo visitantes estrangeiros.

Ciclovia da Avenida Politécnica

Foto: Google Street View

A Avenida Politécnica, na Zona Oeste, é mais um lugar onde os ciclistas já evitam e faz tempo. Grupos praticam roubos a ciclistas ali a qualquer hora do dia e as pessoas têm medo de passar de bicicleta pela ciclovia.

Ciclovias da Avenida Sumaré e Viaduto Antártica

Foto: Google Street View

Nas ciclovias da Avenida Sumaré e do viaduto Antártica, muito usadas pelo pessoal da Zona Norte, os roubos já são frequentes há mais de um ano. Já hoube manifestações, matérias na TV e até reforço de policiamento, com policiais circulando em bicicleta durante algum tempo. Os roubos diminuíram naquele momento, mas depois voltaram a ocorrer. Hoje acontecem principalmente no final da tarde, quando as pessoas estão voltando do trabalho e está começando a escurecer.

Ciclovia da Faria Lima

Foto: Willian Cruz/VdB

Agora os roubos estão se tornando recorrentes também na ciclovia mais utilizada da cidade, a da Faria Lima, que corta bairros de maior poder aquisitivo como Pinheiros, Itaim Bibi e Vila Olímpia (saiba mais). Já faz tempo que roubos aconteciam no trecho da ciclovia que fica entre o Villa-Lobos e o Ceagesp, mas em 2018 começaram a ocorrer perto do Instituto Tomie Ohtake. Esse ano se expandiram para o Largo da Batata e já acontecem até na região da avenida Juscelino Kubitschek.

Ciclovia da Arthur de Azevedo

Foto: Willian Cruz/VdB

Já estão roubando também na ciclovia da Arthur de Azevedo, que sobe da região da Faria Lima até próximo da avenida Doutor Arnaldo. Teve gente que já teve a bicicleta levada por lá, veja no último depoimento deste vídeo.

Relatos

Essa lista é baseada em relatos de amigos, conhecidos e de grupos na internet. Não são estatísticas oficiais, até porque muita gente não faz Boletim de Ocorrência e os dados oficiais podem não refletir detalhadamente a realidade.

Você sabe de algum outro lugar onde os roubos são recorrentes? Conta pra gente aqui nos comentários.

A importância do Boletim de Ocorrência

Painel na 14ª DP, que atende parte da avenida Faria Lima, informa sobre a possibilidade de se fazer o B.O. pela internet. Foto: Willian Cruz/VdB

Uma coisa que repetiremos em todas essas reportagens é: faça boletim de ocorrência. Você pode até achar que não vai resolver nada, mas se não notificarmos a ocorrência, não haverá estatísticas sobre esses roubos e o poder público pode continuar achando que estamos reclamando à toa.

E tentativa de roubo também é crime; você precisa fazer esse boletim de ocorrência também.

Se você acha cansativo ir na delegacia ou lhe falta tempo para isso, você pode fazer o B.O. online. Em todo o estado de São Paulo, é possível registrar boletim de roubo de bicicletas pela internet para roubo de bicicleta (declare como “roubo de objeto”). Já para o de tentativa de roubo é necessário comparecer a uma delegacia.

E anote AGORA o número do quadro da sua bicicleta. Ele costuma ficar embaixo do movimento central (o eixo do pedal), mas pode estar em outros lugares – veja na imagem que está neste box. Se sua bicicleta for roubada, esse número deve constar do Boletim de Ocorrência, porque se a encontrarem conseguirão saber, por esse número, que ela é uma bicicleta roubada e de quem ela foi roubada. Falaremos sobre isso em mais detalhes em um próximo vídeo.

Locais onde pode estar o número de série no quadro da sua bicicleta: 1) embaixo do movimento central; 2) na base do tubo inferior (down tube); 3) no seat stay ou no chain stay, próximo ao eixo traseiro; 4) na base do tubo do selim (seat tube); 5) no tubo da caixa de direção (head tube)

Inscreva-se no nosso canal do YouTube e ative as notificações, para ser avisado quando publicarmos as próximas videorreportagens dessa série. E não desanime com essa situação: vá de bike. Ainda é bem melhor do que ir de carro… 😉


6 comentários para Os locais com mais roubos de bicicletas em São Paulo

  • Carlos

    Creio que poderiam instalar nestes locais câmeras do sistema Camera City e promover rondas de Guardas Militares e Municipais de bicicletas, que além de ter um baixo custo, iria por a tropa em forma e menos estressada e doente.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Christian S.

    Apenas complementando o local fica na Av Paulista 392.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Christian S.

    Tive minha bike furtada em frente ao Boulevard Monti Mari. Prendi ela no paraciclo com cadeado e 15 minutos quando voltei, a bicicleta havia sido furtado. O segurança do local informou que isso é uma pratica comum no local.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Adriana

    Boa noite pessoal.
    Tenho ou melhor, tinha (até ontem) uma Caloi City Tour 2018 Comp que me foi roubada ontem (10-07-19) próximo ao Parque Vila Lobos (São Paulo) mais especificamente na praça Apecatu (em frente ao Cobasi do CEAGESP), quando voltava do trabalho.
    Já fiz o B.O. e já cadastrei a bike no site “Bikes Roubadas” e estou na torcida.
    Se alguém por um acaso souber alguma informação a respeito agradeço a ajuda!
    Abraços

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Luís Felipe De Podestá

    Tive minha bike furtada no parque do povo enquanto eu corria, estava presa no paraciclo com cadeado porém não foi suficiente. O pessoal da segurança disse que isso tem ocorrido com frequência. Evitem utilizar os paraciclos perto das quadras. Ás vezes vale a pena deixar no bicicletário do JK Iguatemi.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Guilherme Santos

    Também são comuns roubos no acesso da ciclovia perto do Parque do Povo.

    Eu, junto com mais dois amigos vimos quando 4 adolescentes atacavam uma menina! Conseguimos evitar o roubo, mas dois menores fugiram ilesos, dos que pegamos quebramos o nariz de um e do outro quebramos o maxilar.

    Quero acreditar que aprenderam a lição, mas duvido…

    Em tempo, não machucamos os garotos enquanto acuados, brigamos com os mais violentos que nos atacavam para fugir da chegada da Polícia.

    Comentário bem votado! Thumb up 20 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>