Mountain Bike na Serra da Cantareira (SP)

Em um certo domingo de 2004, eu e um amigo fomos da Zona Oeste de São Paulo para a Serra da Cantareira de bike. Eu nunca tinha feito isso de bicicleta, sempre tinha ido de carro e estacionado no Bar do Pedrão.

Subimos pela estrada de Sta. Inês, uma subidinha puxada. Quando a gente deu uma paradinha de meio minuto num lugar que dava pra ver São Paulo lá embaixo, eu percebi que tava saindo fumaça da gente, hehe… O corpo estava bem quente da subida e, como não eram nem 9h, o ar ainda estava meio frio, então a umidade do ar evaporava em contato com o corpo e virava “fumacinha”. Bem legal. 🙂

Quase no topo da serra fizemos nossa primeira parada, num lugar bacana chamado “O Velho”, onde tomamos um café ótimo. Depois de uns 15 minutos tomando café e comentando sobre a subida e sobre a história dessa vilinha onde a gente estava, retomamos a estrada.

Um pouco mais pra frente, já no começo do trecho de descida, entramos em uma estrada de terra que, segundo uma plaquinha de madeira bem simples que tem lá pra frente, se chama Estrada dos Sitiantes (ou algo parecido). Essa estrada de terra é *muito* zuada de buraco (ou seja, é ótima, hehe).

Descendo por ela e pegando uma outra de terra um pouco mais pra frente, saímos perto da represa. Fomos até Mairiporã e comemos um bom pastel de feira, onde fizemos nossa segunda paradinha, dessa vez de uns 20 ou 25 minutos. Infelizmente tinha acabado a garapa…

Voltamos pela Sezefredo Fagundes, que sai dali de Mairiporã. Quase no topo dela paramos num Bar do Juca pra comprar água e com isso fizemos a terceira parada, de uns 10 minutos.

Pra subir, essa estrada é bem sossegada de trânsito e tem um visual bem bacana, principalmente lá pra cima. Mas na descida, chegando em São Paulo, tem buraco pra cacete… O asfalto é todo zoado e tem que tomar cuidado em várias partes (ou pelo menos era assim em 2004). Mas só é ruim pra pneu fino, hehe… pros meus semi-slicks não teve tempo ruim o caminho todo, nem na tal estrada de terra esburacada. Seguindo a Sezefredo direto a gente acabou saindo lá na Braz Leme de novo.

Das 7 às 13h, foram 85km muito bem aproveitados que eu pretendo repetir e recomendo! 🙂

Para pedalar na Serra da Cantareira

Tem algumas dicas boas de trilhas no site Estrada de Chão. Se você é novato ou não está com o preparo físico em dia, recomendo o Circuito do Canal, que é bem light mas nem por isso menos interessante. Se você quer um desafio um pouco maior, o percurso mais longo do Tour da Cantareira pode te agradar.

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>