Só os outros congestionam – restrição aos ônibus fretados

Apoie nosso trabalho,
doe um libre!

No ano passado, às beiras da eleição, a Prefeitura de São Paulo divulgou uma medida para melhorar o trânsito: o rodízio de caminhões. Na época, escrevi um texto explicando por que o rodízio não adiantaria nada, mas os números divulgados pela própria Prefeitura falam por mim: de um ano para cá, a velocidade média dos carros caiu 16,6%.

Quando escrevi sobre o rodízio de caminhões, concluí dizendo que logo encontrariam outro culpado da vez. Tá aí: o culpado da vez são os ônibus fretados.

Boa parte dos usuários de ônibus fretado são pessoas que têm carro ou que possuem recursos para tê-lo, mas que preferem não se estressar nos congestionamentos, ou usam essa alternativa para economizar dinheiro. E, ao contrário do que possa parecer a quem não conhece o serviço, nem todo mundo mora fora da cidade: muita gente opta pelo fretado para não utilizar ônibus e metrô lotados. Há várias linhas que saem da Zona Leste da cidade para ir à Zona Sul, por exemplo.

Essas pessoas não passarão para o transporte público. Alguém que pega o fretado perto de casa e desce perto do trabalho não vai trocar essa opção por ônibus + metrô, muito menos fretado + trem + ônibus. Com as novas regras, muita gente vai tirar o carro da garagem ou dar entrada em um. Quem vai querer trocar uma hora de fretado por duas de ônibus, metrô, baldeações, se além de levar mais tempo, ainda vai gastar mais?

O que “atrapalha” mais? 1.300 ônibus ou 24.000 carros?

O presidente da Associação de Passageiros e Executivos de Itaquera, Sisinio de Oliveira Leão, disse que 72% dos usuários migrarão para o carro. Exageros à parte, se das 48 mil pessoas que utilizam os fretados, metade passar a usar o carro, teremos 24 mil carros a mais nas ruas. O efeito será oposto. Mas como o número se dilui em meio a tantos outros, será perdida a relação de causa e efeito.

Apesar do cálculo ser simples e claro, o prefeito Gilberto Kassab não acredita que a medida possa aumentar a circulação de carros. Não é o que pensa a poulação. O Estadão está com uma enquete no ar, perguntando se você concorda com a proibição aos fretados: veja o resultado atual e vote.

Até os pedestres são penalizados pelo excesso de carros, como se fosse também por sua culpa a lentidão do fluxo de veículos. Se esse raciocínio absurdo continuar, logo vão querer tirar até as bicicletas das ruas, alegando que são elas que atrapalham o fluxo dos carros…

Saiba mais

Leia o ótimo post do site Apocalipse Motorizado sobre esse assunto.

Gostou da matéria? Doe um libre
e ajude nosso projeto a continuar!

11 comentários para Só os outros congestionam – restrição aos ônibus fretados

  • Vá de Bike no Twitter | + Vá de bike! +

    […] assuntos não se perdem mais, nem perdem o timing: vão parar lá. Como aconteceu no começo da restrição aos fretados, em que eu fiz cerca de uma dezena de posts conforme as informações iam chegando (1 2 3 4 5 6 7 8 […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Prefeitura planeja proibir estudantes de circular no centro expandido « Quintal – Idéias para um mundo melhor

    […] Só os outros congestionam (Vá de bike) […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • rodrigo.utopia.org.br » De bicicleta em Londres!

    […] na lógica do transporte individual como fica claro na recente iniciativa da Kassab e Serra de proibir a circulação de ônibus fretado no centro da cidade e de derrubar árvores para ampliar pistas na marginal, em Londres existe uma clara política […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  •   Bookmarks for July 3rd from 13:29 to 13:36 por Vai, Corinthians!

    […] + Vá de bike! – Só os outros congestionam – restrição aos &o… – No ano passado, às beiras da eleição, a Prefeitura de São Paulo divulgou uma medida para melhorar o trânsito: o rodízio de caminhões. Na época, escrevi um texto explicando por que o rodízio não adiantaria nada, mas os números divulgados pela própria Prefeitura falam por mim: de um ano para cá, a velocidade média dos carros caiu 16,6%. […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Urbanistas – São Paulo » Extra, extra!

    […] + Vá de bike! – Só os outros congestionam – restrição aos &o… – No ano passado, às beiras da eleição, a Prefeitura de São Paulo divulgou uma medida para melhorar o trânsito: o rodízio de caminhões. Na época, escrevi um texto explicando por que o rodízio não adiantaria nada, mas os números divulgados pela própria Prefeitura falam por mim: de um ano para cá, a velocidade média dos carros caiu 16,6%. […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • André Pasqualini

    Olá Leandro, que você acha de deixar seu carro num bolsão desses que estão propondo para os fretados e ir de transporte público para o trabalho?

    Já que você acha boa essa idéia, pode fazer isso com seu carro.

    Aliás, já que você não concorda com essa coisa de pegar na porta de casa e deixar na porta do trabalho, porque não deixa seu carro a um km da sua casa e estacione a dois do seu trabalho?

    Pensa bem, a mesma lógica que leva as pessoas a usarem o fretado é a mesma que levam para usar o carro. Conforto e praticidade, já que devido as inúmeras restrições que a prefeitura vem colocando aos fretados, velocidade já não é o atrativo. Sendo que o principal atrativo é a possibilidade de deixar o carro em casa, contribuindo para um trânsito menos caótico.

    Regulamentar e tirar as empresas irregulares das ruas seria uma solução, a criação de “Linhas Executivas” como existiam até pouco tempo também seriam uma alternativa, mas parece que no fundo, o governo quer é que mais pessoas usem os seus carros, para a felicidade das montadoras e empresas de combustiveis. Além das empresas de transporte público que quanto mais apinharem de gente seus ônibus e vans, melhor para eles.

    O governo esta tentando tapar o sol com a peneira e muita gente esta caindo nessa. Principalmente as pessoas que “já resolveram” seus problemas de mobilidade comprando um carro e estão pouco se importando para aqueles que “ainda não resolveram” ou não querem se tornar um escravo do carro.

    Seja menos egoísta, suas justificativas são no intuito de apenas resolver o seu problema. Acontece que ele só vai piorar pois ao invés de ter “1 fretado” complicando o trânsito da região da Paulista, teremos “30 carros” melhorando a fluidez da região. Incrível, mas tem gente que acredita nessa conta e que os carros não atrapalham o trânsito.

    Acabaram com os caminhões, agora com os ônibus, logo serão os motoqueiros que vão tentar tirar da 23 de maio, aguardem que em breve serão nós ciclistas e por último os pedestres. Mas esses já começaram a tempos, acabando com as calçadas.

    André Pasqualini

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Claudio

    Não tem nada a ver com o post mas queria compartilhar uma imagem contigo e com o povo que acompanha o blog.

    http://oquehaveradepoisdacurva.files.wordpress.com/2008/11/einstein_on_a_bike_smiling.jpg

    viva nós!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Willian Cruz

    Opa, vamos às respostas:

    Lemp, entendo perfeitamente o que você diz sobre fretados “folgados”. O lance da fila dupla é medonho. Mas se fossem proibir todos os fretados por isso, também teriam que proibir carros em ruas onde há escolas… A solução para esse tipo de problema é multar. Multa-se muito quem passa quinze minutos do estacionamento na zona azul, mas outros comportamentos mais danosos são tolerados, como estacionar em cima da calçada, sobre a faixa de pedestres e em frente a rampas de acessibilidade, parar em fila dupla e até virar em uma rua sem dar seta – essa última é um perigo para nós ciclistas. Como você colocou bem na sua conclusão, o assunto rende. 🙂

    Cris, eu imaginei que o Sisino fosse parte interessada, por isso mesmo escrevi um “exageros à parte” quanto aos 72%. Tomara que não sejam nem 27, senão piora para todo mundo. E eu realmente não tinha pensado nisso: estão tirando os fretados para colocar outros ônibus. Que vantagem Maria leva? Ou: qual Maria leva vantagem? 😉

    Paulo, quem divulgou essa informação foi a Prefeitura. Segundo a informação divulgada, a média de quilômetros de congestionamento caiu de um ano para cá. Só que “congestionamento” foi tucanado, como diria o José Simão, para “lentidão”. Propositalmente ou não, o jornal Metro (que abomino, como já disse por aqui mais de uma vez), escreveu que a “restrição a caminhões reduz lentidão”. Para não serem acusados de manipular a informação, colocam um box ao lado da matéria contando discretamente que o tempo das viagens aumentou. Detalhe: a Prefeitura divulgou a informação sobre a queda dos quilômetros de “lentidão” quase ao mesmo tempo que a do aumento do tempo das viagens, assim confunde a gente um pouco.

    Só sei que, como ciclista, meu tempo de viagem continua o mesmo de um ano para cá. Na verdade, deve ter até diminuído um pouco, porque com o tempo as subidas ficam cada vez “menores” para quem pedala com frequencia. 😉

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Paulo

    William, beleza?

    Não sei se você ja viu, mas passando pela paulista hoje tive a impressão de ter visto na mão de alguém o jornal Metro com a notícia de capa dizendo que a restrição aos caminhões diminuiu o trânsito. Vim conferir na internet pra ver se eu não tinha lido errado.

    Está aqui:

    http://www.readmetro.com/show/en/MetroSaoPaulo/20090702/1/1/

    É cara de pau, notícia patrocinada, ou o que?

    ab

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Cristiano Bertoni

    Willy, essa briga contra os fretados nao vem de hoje. Lembro que na adm da Marta os fretados sofreram o 1o baque qdo foram proibidos de circular em corredores. Que os levaram a usar vias alternativas.

    Sobre o Sisinio (Leão), eu conheço ele e seus funcionarios pessoalmente. Ele eh dono da apeia (www.admleaofretados.com.br) que tem 73 linhas de fretados que ligam o extremo da ZL a Berrini. O qual era usuario. Isso SO ELE, fora outras N empresas de fretados para ZL, ZN, ZO e outras cidades.

    A restrição é movida provavelmente por razoes financeiras devido ao lob dos donos de empresas de transporte com a prefeitura. Que estão para a prefeitura como as empreiteiras estao para o Estado / Governo. Mas em todo caso não é bom brincar com esse povo, vide o Celso Daniel né. Eu se fosse o Leão tomaria mais cuidado, inclusive se conseguir reverter essa restricao.

    Qualquer pessoa com o minimo de cerebro sabe que isso NAO VISA MELHORIA. Uma vez que os fretados “serão” substituidos por (advinhe) ONIBUS que levariam os usuarios do Belem, à berrini, por exemplo.

    Mas até agora vc nao viu 1 maldito jornalista ou órgão de imprensa questionando isso ao secretario / prefeito.

    Sua “reclamacao” eh justa, mas o enfoque DESTE problema é outro. Vc só ta se esquecendo do óbvio, que é a troca dos fretados (os malditos) por onibus de linha normal (os salvadores). Isso na minha opnião, é claro

    abração meu filho

    Cristiano Bertoni

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Leandro Lemp

    Oi Willian, tudo bom?

    Acho que você já conhece um pouco da minha opinião sobre carros/onibus/bikes/etc… Sem radicaalismos, acho que os fretados, do jeito que são hoje, são muiiiito nocivos para o trânsito da cidade. Eu queria muito acompanhar um itinerário inteiro de algum desses ônibus para flagrar todas as barbaridades que eles aprontam no trânsito. Quem passa ali pela Faria Lima na hora da saída do trabalho, por volta das 17h, 18h, consegue ver enormes filas de fretados, fretados parando em fila dupla, fretado parando no meio de avenidas sem dar sinal…

    No caminho da minha casa até o iG, eu sempre cruzo com vários fretados, principalmente ali na saída do tunel da Juscelino. Quase bati o carro duas vezes porque um ônibus parou “do nada” no meio da rua para um, apenas um, passageiro descer. Eu acho que esse sistema de “pegar na porta de casa / deixar na porta do trabalho” acaba atrapalhando muito o trânsito, porque os ônibus param em locais que não foram projetados para esse tipo de coisa e acabam refletindo em todo o sistema viário das regiões da Paulista, Faria Lima, e etc…

    Mas, sem entrar no mérito de 1 fretado = x carros, acho que esse tipo de serviço não deveria ser proibido por completo. Acho que deveria ser regularizado, com motoristas treinados profissionalmente, empresas com seguro (tem muita empresa ilegal) e, principalmente, a criação de “bolsões” de estacionamento para esses veículos, com algumas áreas restritas.

    Um exemplo: se o fretado vai pra região da Paulista, ele complica todo o trânsito das alamedas da região, até porque ali as ruas são estreitas para o tráfego de ônibus. Então os ônibus seria proibidos de entrar naquela região e teriam que deixar seus passageiros em algum “bolsao” de estacionamento em uma área próxima (perto de metro, ou algo parecido)…

    Bom, essa questão é complexa. Não sei os fretados são tão benéficos para o trânsito como tem sido divulgado por aí. Talvez se houvesse uma maior regulamentação das empresas que fazem o serviço, o sistema poderia funcionar melhor… Esse assunto rende!

    abraço!

    Thumb up 0 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>