Como foram as Homenagens a Márcia Prado

Em São Paulo, cerca de uma centena de pessoas se reuniu na Praça do Ciclista na última sexta-feira, 14/01/2011, para prestar uma homenagem a Márcia Prado. Saiba mais sobre os motivos da homenagem, entenda quem foi Márcia Prado, veja o conjunto completo de fotos.

Veja a seguir algumas das fotos, com o relato da homenagem feita em São Paulo. Mais abaixo, informações e fotos da homenagem em Aracaju.

Durante toda a semana, a cidade de São Paulo sofreu com chuvas fortíssimas e havia o receio de que isso ocorresse também nesse dia. Durante a tarde, caiu uma chuva forte, que depois se dissipou e o tempo abriu em uma noite agradável, contribuindo para nossa homenagem com um belo por-do-sol na cidade sem horizonte.

Saímos da Praça do Ciclista por volta das 20:30, em direção ao Memorial Márcia Prado, a cerca de 1200m de distância.

Entre as pessoas que caminharam pela faixa da esquerda da Av. Paulista, parentes, amigos e gente que não a conheceu, mas que compreende que “todos somos Márcia”, como dizia a faixa. Ela representa todos nós.

O operador de trânsito da CET Franzatto nos acompanhou a pé, segurando os carros nos cruzamentos. Mas ele não foi escalado para esse trabalho: estava passando e, solidário, decidiu nos ajudar. Gente boa.

Chegando ao Memorial, a faixa da direita da Av. Paulista foi ocupada por bicicletas, faixas e pessoas, no exato local onde Márcia faleceu, enquanto flores eram colocadas na ghost bike e velas eram acesas.

O agente da CET nos ajudou o tempo todo, sem questionar ou criticar. A Polícia Militar, sempre presente na Av. Paulista, nos acompanhava com o olhar a partir da calçada oposta, também sem demonstrar nenhuma intenção de interferir na ação. Afinal, era apenas uma homenagem, feita por gente de bem que queria passar uma mensagem, sem criar confusão.

Depois de colocadas as flores e acesas as velas, uma das faixas foi colocada ao lado da ghost bike. A outra, com os dizeres “sua pressa vale uma vida?”, foi colocada mais adiante, no mesmo canteiro.

Depois disso, independente das crenças de cada um, todos rezaram um Pai Nosso em frente ao memorial.

Para encerrar a homenagem, os ciclistas interromperam o fluxo na avenida para um minuto de silêncio, com as bicicletas erguidas. Não houve uma única buzinada de reclamação, pareceu que os motoristas compreendiam o que acontecia ali e se solidarizavam conosco. São Paulo, aos poucos, se torna mais humana.

Depois disso, aos poucos, as pessoas se dispersaram. Nossas vidas continuam. E Márcia, mais uma vez, foi lembrada.

Homenagem em Aracaju

Nossos colegas da Bicicletada de Aracaju também fizeram uma homenagem à Márcia, simultânea à nossa, fazendo inclusive o plantio de uma árvore. Sem palavras para agradecer.


4 comentários para Como foram as Homenagens a Márcia Prado

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>