Pista nova da Ciclovia Rio Pinheiros deve ser inaugurada até o início de março

Alguns trechos nem parecem São Paulo. Foto: Consórcio Monotrilho/Divulgação

Alguns trechos nem parecem estar em uma área tão urbanizada da capital paulista. Foto: Consórcio Monotrilho/Divulgação

A passarela da Ponte João Dias foi cercada por grades. Foto: Pscycle

A passarela da Ponte João Dias foi cercada por grades. Foto: Pscycle

As obras da pista nova da Ciclovia Rio Pinheiros, em São Paulo, já estão bastante adiantadas, como mostram as fotos desta página (clique para ampliá-las). A nova via pavimentada, na margem oposta do rio, já está praticamente pronta – e os acessos a ela também. Apesar do prazo previsto ser até o final de fevereiro, alguns detalhes que necessitam de ajustes podem demandar alguns dias a mais, adentrando o mês de março. A data oficial deve ser divulgada nos próximos dias.

A ciclovia nova, com cerca de 8 km de extensão, vai da Ponte Cidade Jardim até a Ponte João Dias, servindo desvio para que os ciclistas não sejam impedidos de circular durante as obras do Monotrilho (Linha 17-Ouro do Metrô), que está sendo construído sobre a pista antiga. A nova via não será pintada de vermelho, sendo mantido o pavimento em asfalto.

Acessos

Escadaria da Ponte João Dias, dando acesso à pista antiga da ciclovia. Perceba as canaletas nas laterais. Foto: Pscycle

Escadaria da Ponte João Dias, dando acesso à pista antiga da ciclovia. Perceba as canaletas. Foto: Pscycle

Para acessar o novo trecho, a Ponte Cidade Jardim foi adaptada para que os ciclistas possam transpor o rio, ganhando também acessos externos que permitirão entrar na ciclovia a partir dali. A outra transposição fica na Ponte João Dias, que teve uma passarela de pedestres inativa aproveitada para essa função.

Infelizmente, não foi feito acesso externo na Ponte João Dias e a passarela foi cercada por grades, para impedir a entrada/saída por ali. A preocupação é que os ciclistas fossem colocados em risco ao cruzar as diversas faixas de rolamento para chegar à passarela, que se encontra bem no meio do complexo de pontes. O viário no local é inóspito a pessoas a pé ou de bicicleta e o comportamento dos motoristas é bastante agressivo, pois a quantidade e largura das faixas incentiva o excesso de velocidade.

Apesar dos pedidos dos cicloativistas para que os acessos às pontes fossem em forma de rampa (e, de preferência, pedalável), os ciclistas terão que empurrar a bicicleta em escadas com canaletas nas laterais, tanto na Ponte João Dias quanto na Cidade Jardim. A solução, semelhante à já existente na Vila Olímpia, certamente será motivo de reclamações entre os usuários. Mas ao menos as canaletas foram instaladas com um “respiro” em relação ao corrimão, facilitando o uso. E não há a necessidade de fazer curvas, reencaixando a bicicleta na canaleta a cada lance de escada, como acontece na Vila Olímpia.

Mesmo antes da inauguração, alguns ciclistas e até corredores estão utilizando a pista nova. Algumas das fotos dessa matéria foram enviadas por um de nossos leitores.

Para mais detalhes sobre as soluções adotadas, leia nossa matéria que detalha o assunto.

Para ver tudo que já publicamos sobre o caso, clique aqui.

 

A pista nova, já com o isolamento separando o ciclista das águas do rio. Foto: Pscycle

A pista nova, já com o isolamento separando o ciclista das águas do rio. Foto: Pscycle

 

Nessa outra imagem, um pouco mais antiga, outro trecho da pista nova. A ponte estaiada pode ser vista ao fundo. Foto: Consórcio Monotrilho/Divulgação

Nessa outra imagem, um pouco mais antiga, outro trecho da pista nova. A ponte estaiada pode ser vista ao fundo. Foto: Consórcio Monotrilho/Divulgação

 

Nessa imagem é possível ver as obras do Monotrilho em andamento, na margem antiga. Foto: Pscycle

Nessa imagem é possível ver as obras do Monotrilho em andamento, na margem antiga. Foto: Pscycle


41 comentários para Pista nova da Ciclovia Rio Pinheiros deve ser inaugurada até o início de março

  • rodolfo brandao araujo

    Boa noite moro aqui no capao redondo e estou com duvida como faço para acessar a ciclovia pela ponte joao dias ..

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARIO SANCHEZ

    Concordo co vc WMoreno

    Pedalando pela nova ciclovia no domingo e, segunda-feira como rota para o trabalho fiz algumas constatações:

    1. ausência ou parcial implantação das canaletas laterais pera escoamento da água da chuva, implicando em acúmulo de sujeira na pista.
    2. acordoamento da proteção lateral interrompido ou solto. Em um trecho a proteção lateral foi derrubara possivelmente por algum caminhão em manobra em local impróprio.
    3. existe uma curva fechada na pista que margeia a usina elevatória que não permite qualquer visualização de quem segue em direção oposta. Neste local, se algum dos ciclistas abrir um pouquinho que seja a curva, certamente teremos colisão.
    4. na segunda-feira pela manhã vi apenas uma viatura fazendo a fiscalização.
    5. e, para fechar, ausência da sinalização divisória da pista. O tracejado central auxiliaria numa melhor disciplina no uso da pista.

    Abraços a todos
    cordialmente
    Mario

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • WMoreno

    Ontem, domingão de sol intenso, logo pela manhã resolví conhecer a nova ciclovia, saindo da Ponte do Socorro, próximo à minha residência, no sentido Cidade Jardim.
    Muito bem frequentada, vários colegas desfilam suas bikes importadas, modernas, com suas roupas coloridas e velocidade acima da média.
    De cara, sentí os efeitos do cheirinho desagradável do rio, mas o pior é a grande quantidade de sujeita depositada na pista, em especial pela circulação de veículos oficiais na pista lateral, que despejam lama, pedriscos e muita areia sobre a pista.
    Cacos de vidro quebrado de origem ignorada e montanhas de bosta de capivara, obrigam o ciclista a ficar constantemente desviando destes “perigos”.
    Não ví nenhum trabalho de limpeza ou até mesmo de segurança ao longo da pista.
    Um trabalho constante de manutenção será muito importante e indispensável para viabilizar o uso da ciclovia, pós-venda perante nós contribuintes.
    Muito importante.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Rafael

    Alguem sabe dizer se a nova pista da ciclovia está funcionando? Desde a Cidade Jardim até João Dias

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ciclista

    Como que pode o acesso pela ponte de João Dias estava fechada às 05h30s, chegando pelo ciclovia ao lado da CPTM quando subi pela escada estava fechada com cadeado, assim me informaram que só abriria às 07h00s, tive que voltar e continuar meu trajetória para ir ao trabalho (que entro às 06h00s) pela Av.Marginal junto com os veículos motorizado sendo que muitos motorista não respeitam ciclista/trabalho.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Rafael

      Esta uma bagunça os controles aos acessos das ciclovias. No último dia 10, eu mudei de lado da ciclovia na Ponte João Dias, conforme a placa de orientação, pois estava indo sentindo Vila Olimpia. O portão estava aberto, logo entendi que a ciclovia estava totalmente liberada, quando para minha surpresa, depois de pedalar todo o trajeto até a Usina de Traição, um guarda barrou minha passagem pela Usina, dizendo que ainda não estava liberado e que deveria voltar e pegar as vans ou ir pela Marginal na contramão. Tenho pesquisado informações sobre a abertura da ciclovia, perguntei no site do Gov. do Estado e ninguem sabe. O pessoal que fez a proposta desta alternativa também não responde e nem se manifesta. Esta tudo largado.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARIO SANCHEZ

    Olá Marcelo,

    Entre no site http://www.BIkeelegal.org para obter as apresentações sobre Renata Falzoni. De modo rápido, a Renata, juntamente com o Willian e tantos outros “guerreiros pela bike” é um dos grandes nomes na luta pelo reconhecimento da bicicleta na moderna sociedade brasileira.

    Abraços,

    Cordialmente
    Mario Sanchez

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • MARCELO

    Quem é a Renata Falzoni ?

    Thumb up 1 Thumb down 2

  • MARIO SANCHEZ

    Caro Fusco,
    Obrigado pela atenção.
    Quanto a questão referente ao acesso externo à ciclovia oeste pela ponte João Dias, não seria o caso de adaptar aos ciclistas a passarela localizada em frente ao Extra, passarela esta já utilizada para acessar o Projeto Pomar Urbano por seus funcionários? O caminho por quem segue pela Estrada de Itapecerica poderia ser feito utilizando a via lateral na altura do terminal João Dias, elevada em relação à via principal, portanto bem mais segura; seguir pela calçada (uso compartilhado) acessando assim a Guido Caloi até o Extra, seguindo até a passarela.
    Entretanto, fica aqui outra pergunta: haverá vontade política na realização de tal empreitada? A questão aqui colocada extrapola a competência do consórcio responsável pelas obras do monotrilho. Será que o Ministério Público poderia interferir?

    Grande abraço
    Cordialmente
    Mário Sanchez

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARIO SANCHEZ

    Caro Willian,

    Peço desculpas por ter feito referência somente ao nome da Renata Falzoni. Tenho consciência que as conquistas até aqui conseguidas, às custas de muita batalha, não podem ser atribuidas a somente um integrante de um esforço coletivo. Portanto, humildemente, fica aqui a minha retratação.
    Grande abraço a todos,
    Cordialmente
    Mario Sanchez

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fusco

    Marcelo, Não precisará ir até Santo Amaro, pelo menos por agora, enquanto a nova ciclovia não esta cercada, mas tem que se aventurar em atravessar umas avenidas e acessos com transito intenso sem opção de semáforo ou faixa de segurança… A parte que esta cercada que é vista nas fotos aqui publicadas é somente sobre a ponte.

    abcs

    Fusco

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fusco

    Mario Sanchez, infelizmente para acessar com a bike a ciclovia atravessando sobre a Guido Caloi pela passarela em frente ao Extra é praticamente impossível. É preciso faze-lo com a bike praticamente em pé (sobre uma unica roda) uma vez a bike nem cabe na escada. Fiz isso uma única vez e quando preciso faze-lo, ou atravesso a Guido Caloi assim que diminui o fluxo de carros que é muito raro, ou vou a até o terminal Santo Amaro da linha Lilás do Metro, onde existe acesso a ciclovia e a ponte móvel construido recentemente.

    Uma boa opção seria adequação dessa passarela e um acesso após atravessa-la, mesmo que seja por pedriscos, visto que o terreno é esburacado, e coberto com mato, baixo, é verdade, mas esta com mato. Outra dificuldade é chegar até a passarela que é necessário atravessar o acesso entre a Maria Coelho de Aguiar e a Guido Caloi.
    Abraço

    Fusco

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Luiz Mellucci

    E a segurança? Alguma novidade? Esta ciclovia da margem externa vai realmente ser muito propícia a roubos.

    Willan, conseguiu alguma informação a repeito?

    Pessoal, vamos ‘encher o saco’ dos responsáveis pela obra para darem uma solução adequada!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARIO SANCHEZ

    Caro Marcelo

    Infelizmente vc está certo. Também fiquei indignado com a impossibilidade de se acessar a ciclovia margem oeste pela Ponte João Dias, apesar dos esforços da Renata Falzoni. Acredito que é o momento de acionar o Ministério Público.
    Como alternativa de acesso, apesar de ninguém até o presente momento ter comentado, creio ser possível acessar a nova pista através da passarela existente na av. Guido Caloi, passarela esta utilizada pelo pessoal do Projeto Pomar Urbano, em frente ao Extra. Entretanto eu ainda não fui ao local de bike para conferir e, ainda, pelo que sei, a referida passarela tem horário de funcionamento uma vez que é cercada por grades. Fica aqui a ideia. Se alguém puder ir ao local conferir seria muito legal. O acesso ao local é tranquilo por ser possível através da via paralela à Estrada de Itapecerica.

    Grande abraço
    Mario

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Mário, vale lembrar que os esforços não são unicamente da Renata Falzoni, ainda que ela tenha um papel importantíssimo nessa negociação. Outros grupos e entidades, incluindo o Vá de Bike, participaram de todo o processo, sugerindo conjuntamente soluções para a interdição. Estive junto com ela e outros ativistas em todas as reuniões com CPTM + Metrô + Consórcio e relatei tudo aqui no site. Na última vistoria, realizada em 25/02, a Rachel Schein estava presente e preparou uma galeria de fotos, que estamos trabalhando para colocar no ar ainda hoje (28/02). Continuaremos participando, opinando, cobrindo e cobrando, para trazer a vocês detalhes sobre o que está acontecendo e tentar negociar sempre as melhorias e correções que precisamos.

      Entenda melhor o que já rolou vendo o que publicamos sobre o assunto.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • Cícero Soares

    E a Falzoni perdeu as estribeiras…rs. http://espn.uol.com.br/post/392242_um-monumento-a-burrice-bike-e-legal

    É o que sempre dizem: se o seu interlocutor não for qualificado (quer dizer, não for ciclista), e você depender das ações dele, mantenha os passos desse “inimigo” mais próximos ainda de você do que os dos amigos do pedal.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • MARCELO

    Então vamo lá pra esclarecer as coisas ! Essa estrutura que fizeram na ponte velha joão dias é para os cilicstas passarem de uma margem do rio a outra ? Correto ?

    Pois pelo que vi não meio de quem vem lá do terminal joão dias acessar, pois está toda cercada.

    Estou certo em meu entendimento, ou sim há possibilidade ? Ainda terei que ir lá na estação Santo amaro acessar a ciclovia vermelha ?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ciclista

    Sou usuário diarista uso como para trabalho como para lazer dias a dias domingo à domingo sou contra com essa obra por motivo de que do outro lado se vai ter segurança, iluminação e apoio sendo que tem muitos fumantes como vai ter muitos roubos de bikes, e com essa perda de tempo teria que aumentasse os os horários de funcionamentos das 06:00h às 19:30h para quem entra cedo no trabalho (com eu às 06:00h) que tenha dar essa toda volta.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Gê Faria

    Olá! Eu sou morador do Capão Redondo e estive lá na ciclovia no último sábado. Realmente, acessar a ciclovia pela ponte João Dias é perigoso. Em horário de pico até dá, pois o trânsito fica parado por ali. Eu acessei a ciclovia da Bayer no Socorro. Pedalei até a ponte João Dias, onde fiz um video. Pra voltar, passei por baixo da ponte e subi um morrinho, pulei a mureta, atravessei a ponte de novo e acessei a ponte alta, sentido bairro, na faixa da esquerda. Pra quem tem experiência, dá pra atravessar, desde que tenha a atenção e sinalize pros motoristas. Mais uma vez, no horário de pico fica bem tranquilo. Quem quiser acessar a ciclovia com segurança, sem ter que atravessar o rio, pode faze-lo no Terminal Guido Caloi, junto à estação Santo Amaro do Metrô.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Alexandre

    Ops, o meu último post era para o Marcelo. :)

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Alexandre

    Não, Mário.

    Serão duas pontes. A Ponte Laguna terá uma pista com 3 faixas para veículos motorizados (sentido Parque Burle Marx) e uma faixa larga para o trânsito de ciclistas e pedestres. No link da SP Obras tem ilustrações que mostram como ficarão as pontes: http://goo.gl/fSqTTU.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARIO SANCHEZ

    OLÁ PESSOAL,
    Então pelo que percebi com relação aos acessos, quem chega de bike pela Estrada de Itapecerica NÃO CONSEGUIRÁ ACESSAR a nova ciclovia pela Ponte João Dias?????? Ou seja, terá que continuar seguindo até Santo Amaro, acessar a ciclovia margem CPTM, fazer o translado na Ponte João Dias para a margem oeste, seguir até a Cidade Jardim, cruzar novamente o rio, retornar até a Vila Olímpia e, somente então, seguir em frente até a Paulista que é o meu destino final… Eu me recuso a acreditar nisto.
    Abraços

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • MARCELO SAMPAIO

    Alexandre,

    Então não será utilizado por carros ?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Alexandre

    Para quem perguntou, sim, uma das duas pontes que está em construção na região próxima ao Burle Marx terá uma área de passagem de pedestres e ciclistas. A ideia da Prefeitura é criar uma área ciclável que interligará o Parque Burle Marx, Parque Severo Gomes e a ciclovia que ficará na ampliação da Avenida Chucri Zaidan (que ligará a Avenida João Dias ao corredor Berrini/Faria Lima/Largo da Batata).

    Espero que essa nova pista se torne permanente, pelo menos nesse trecho entre a nova ponte Burle Marx e a ciclovia do Pomar Urbano. \o/

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Anderson

    O problema maior desse trecho será a segurança. São vários pontos fáceis de serem acessados longe das guaritas de entrada, com facilidade para fuga em locais estratégicos. Não houve um reforço com grades altas que pudessem impedir o acesso de pedestres a ciclovia. Pode até ser uma boa ciclovia de passeio, mas eu não levaria aquela MTB boladona pra pedalar nessa ciclovia.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • LuiZ

    Excelente!
    Willian, será que ainda dá tempo de lançar uma campanha pública para pintarem a Ciclovia na cor VERDE ?? Há tempo defendo isso como um símbolo marcante desse modal de transporte limpo, sustentável e ecológico.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Renan

    Estive lá no sábado, o percurso completo vai da Ponte do Socorro, até a barragem da Usina (Vila Olimpia), o asfalto está otimo e o espaço suficiente grande para tráfego nas duas vias, o trabalho por lá está num ritmo ótimo, ao meu ver como ciclista, faltam bebedouros e banheiros no local, mas tenho certeza que algo será construído até o fim da obra.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Leandro

    Desta maneira será possivel realizar o caminho desde o acesso de Socorro até o acesso da Vila Olimpia?

    Thumb up 0 Thumb down 1

    • Gerd

      Sim, mas com uma volta: indo até a ponte Cidade Jardim, atravessando por ela, e retornando pela ciclovia velha até Vila Olímpia.
      Para efeitos práticos, provavelmente valerá mais a pena seguir por fora, pelo parque do povo e ruas vizinhas. Economiza 3 escadarias.

      Thumb up 3 Thumb down 0

  • Marcelo

    -Achei um avanço o acesso pela ponte velha de acesso a marginal, acredito que pela ponte João Dias, é inviavel pela altura! O espeço é muito pequeno para uma rampa. Lá na cidade jardim só estão fazendo a rampa, porque é uma compensação pela construção do Shopping JK pela construtora W Torre.

    Deveriam colocar uma guarita com um vigilante nesse acesso, ou deslocar a que fica na estação Santo Amaro, já lá há seguranças da CPTM e do Metrô.

    Com relação à travessia que farão nas proximidades do Pq Burlemax, será unica para ciclistas ou será um novo viaduto ?

    E acesso na estação Berrri e na Ponte Estaiada ? Alguma novidade ?

    Abs.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Bruno

    Enquanto a construção ou ampliação de uma ciclovia é sempre uma boa notícia, eu creio que não é só o ângulo da escada que deve gerar reclamação entre os ciclistas. É a não construção do acesso à ciclovia na ponte João Dias também. O local é inóspito sim e o comportamento dos motoristas é agressivo sim (às vezes). Mas qual a alternativa para quem precisa cruzar a ponte?

    Ouvi falar há algum tempo sobre a construção de uma nova ponte perto da João Dias, que daria acesso à ciclovia. Alguém saberia dizer se a informação procede?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Gerd

    Uma correção, um adendo, e um alento:
    - a última foto mostra a obra da ciclopassarela de acesso da ciclovia antiga ao parque do povo; não é obra do monotrilho, que começa um pouco mais à frente, da ponte estaiada até a estação Granja Julieta;
    - a ciclovia aparentemente não terminará na ponte João Dias, mas prosseguirá através da área do pomar urbano até conectar-se à ciclovia recém-inaugurada, com acessos no metrô João Dias, na Bayer e na ponte do Socorro; a primeira foto, divulgada pelo consórcio que constrói o monotrilho, é da área do pomar.
    - bem em frente ao parque Burle Marx estão fazendo uma obra anexa à ciclovia, que o vigia me disse que será uma travessia sobre o rio.

    Thumb up 3 Thumb down 0

    • zeca

      é, parece que já faz um tempinho que tem uma entrada na ponte do Socorro mesmo, ja vi uns perdidos pedalando do lado de lá! legal isso, espero que seja bem vigiada!

      Thumb up 0 Thumb down 0

      • Fusco

        Não Zeca, não é nada vigiada. Existe possibilidade de diversos acessos não “oficiais”, inclusive pode ser visto pedestres caminhando por ela. Não existe nenhum tipo de controle de acesso como ocorre na ciclovia “antiga” que tem controle de acesso e segurança motorizada.

        Thumb up 0 Thumb down 0

  • Alexandre I

    Perfeito Willian .. só fica a dúvida referente a segurança sera q terao carros ou motos de patrulhamento rodando no trecho?
    Parabéns mais uma vez … mantendo a todos informados.

    Abraços

    Thumb up 3 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>