Acessos e horário da Ciclovia Rio Pinheiros, em São Paulo

Sinalização de solo da Ciclovia Rio Pinheiros

Leia também
Mapa das Ciclofaixas de Lazer
da cidade de São Paulo
Ciclovia Rio Pinheiros,
uma ciclovia de lazer
Horário da Ciclovia é ampliado,
mas continua insuficiente

A Ciclovia Rio Pinheiros, em São Paulo, pode não ser muito prática para o uso cotidiano, pela relativa dificuldade em ser acessada e pelos horários de funcionamento restritos, mas é uma ótima alternativa de lazer e muito frequentada aos finais de semana. Saiba mais aqui.

Entretanto, o ciclista que se dispõe a conhecê-la precisa primeiro descobrir como acessá-la, já que ela encontra-se isolada entre o rio e os trilhos da CPTM e não há ligação com as inúmeras pontes que a cruzam (exceto uma).

Para facilitar sua pesquisa, o Vá de Bike fez uma lista dos acessos atuais e futuros da Ciclovia Rio Pinheiros, com detalhes sobre cada um deles. Há também um mapa para facilitar a localização, disponível mais abaixo. Por estar no Google Maps, o mapa pode ser utilizado também em smartphones (clique aqui).

 

Acessos atuais

Clique para ampliar

 

Ponte da Cidade Universitária

Trata-se de uma passarela em formato caracol quadrado. Não é permitido pedalar na rampa da passarela – e um segurança no local garante o cumprimento dessa determinação (além de impedir o acesso à ciclovia sem bicicleta).

A entrada fica no acesso de pedestres da ponte, sentido bairro. Esse acesso fica bem próximo à estação Cidade Universitária da CPTM.

 

Visão lateral de um dos novos acessos, na Ponte Cidade Jardim. Foto: Rachel Schein

Um dos acessos da Ponte Cidade Jardim. Foto: Rachel Schein

Ponte Cidade Jardim

É o acesso mais recente da Ciclovia. Criada como parte da alternativa à interdição da Ciclovia para as obras do Monotrilho, quatro acessos foram instalados na Ponte Cidade Jardim. Esses acessos foram disponibilizados nos dois sentidos da ponte, descendo a partir da passarela de pedestres através de escadas com canaleta. Saiba mais.

É possível descer às duas margens do rio, pois os acessos funcionam como transposição do rio, para acessar a nova ciclovia na margem oposta. A princípio, esse acesso é temporário, apenas até que a obra do monotrilho termine. A região será atendida pelo acesso do Parque do Povo.

A transposição de retorno para a margem original é feita na Ponte João Dias, onde infelizmente não há acesso externo.

 

Clique para ampliar

Estação Vila Olímpia da CPTM

Quando a ciclovia foi inaugurada, em fevereiro de 2010, a ciclovia tinha uma das pontas nessa estação. Para fazer um acesso, foi aproveitada uma passarela já existente que, entretanto, possui uma escadaria. Para que não fosse preciso carregar a bicicleta, foram instaladas canaletas nos cantos, tornando possível empurrar a bicicleta escada acima. Para descer, encaixe na canaleta e controle a descida com os freios.

O acesso à passarela fica na calçada da pista local da Marginal, um pouco antes da estação. É possível cruzar por dentro da área das bilheterias, mas desmonte da bicicleta e siga empurrando.

>> Vídeos da inauguração da Ciclovia: parte 1 parte 2 <<

>> Vídeo da vistoria feita em setembro de 2009, antes da criação da ciclovia <<

Clique para ampliar

Estação Santo Amaro da CPTM

Acesso por dentro da estação, com passarela para descer à ciclovia. Também não é permitido pedalar na rampa, “para sua segurança”.

 

Estação Jurubatuba da CPTM

Esse acesso é interessante por passar por cima de um ramal de trilhos utilizado apenas esporadicamente, adentrando a ciclovia por um portão na grade.

A entrada se dá por dentro da estação. É preciso entrar na “área paga” para descer até a plataforma, mas procure um funcionário para que sua entrada seja liberada.

 

Av. Guarapiranga

Embora não seja propriamente um acesso da Ciclovia Rio Pinheiros, permite acesso à Ciclovia do Trabalhador (junto à “Ponte Bayer”), que está ligada à pista nova na margem oeste. Ou seja, entrando por esse acesso na Av. Guarapiranga, já é possível acessar a ciclovia que margeia o Rio, graças aos acessos de transposição e à nova via, criada como alternativa à interdição para obras do Monotrilho (entenda aqui).

Veja no mapa abaixo, nesta página, onde entrar a partir da Av. Guarapiranga. A imagem navegável ao lado mostra o ponto exato de entrada: ao lado da grade, há um espaço aberto com um pequeno caminho de terra, que sai numa estrada asfalta às margens do rio. Seguindo por ela, chega-se à Ciclovia do Trabalhador, que mais adiante se conecta à Ciclovia Rio Pinheiros.

 

Clique para ampliar. Foto: Instituto CicloBR

Av. Miguel Yunes

Representa a ponta sul da ciclovia. Há área para estacionar automóveis, para quem prefere ou precisa levar a bicicleta no carro até a ciclovia. No muro que acompanha a pista há vários grafites com a temática da bicicleta, fruto do projeto Bicicromia.

Acesso a partir da avenida. Não há passarela e nem desníveis, o ciclista já entra pedalando.

 

Foto: Rachel Schein

Foto: Rachel Schein

Parque do Povo

Um acesso à ciclovia já existe também a partir do Parque do Povo, situado próximo à estação Cidade Jardim e entre a ponte Roberto Zuccolo (ex-Cidade Jardim) e a Av. Juscelino Kubitschek. Esse acesso foi feito pela empreiteira WTorre, que se comprometeu com a Prefeitura a construí-la como parte das contrapartidas viárias do complexo que engloba o Shopping JK. Veja aqui.

Depois que o prefeito Fernando Haddad ignorou as placas proibindo pedalar nessa ciclopassarela, no dia da inauguração, passou a ser permitido cruzá-la pedalando. Saiba mais.

 

 

Esta página será atualizada conforme novos acessos forem construídos ou anunciados.
Adicione-a agora aos “favoritos”.

 

Mapa


Clique aqui para abrir o mapa em outra janela.

 

Acessos futuros (ou prometidos)

Final da Ciclovia, em frente ao Parque Villa-Lobos: sem saída.

Parque Villa-Lobos

A atual ponta oeste se situa próxima ao Parque Villa Lobos e à estação Villa Lobos-Jaguaré da CPTM. Mas ainda não há acesso, fazendo com que a ciclovia tenha um trecho de 2km sem saída, que obriga o ciclista a voltar até a Ponte Cidade Universitária.

Segundo a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), responsável pela ciclovia, o projeto do acesso ao Parque já está em execução, mas não foi informada previsão de entrega.

Em dezembro de 2012, o Governo do Estado de São Paulo anunciou a construção de uma “ciclopassarela” ligando a USP e o Parque Villa Lobos, com espaço para pedestres e ciclistas e, segundo o governador, “dois mirantes” e “12 a 14 metros de largura”, uma obra que custará R$ 80 milhões. E, claro, haverá uma ligação com a Ciclovia Rio Pinheiros.

Mas várias perguntas surgem com esse anúncio. A USP passaria a abrir à população aos finais de semana, aceitando sem problema a presença de ciclistas, ou a ciclopassarela também teria horário de funcionamento? Esse investimento não seria melhor aproveitado em várias intervenções menores para a melhoria da mobilidade de pedestres e ciclistas, ao longo da cidade, em vez de concentrá-lo em um único ponto? Vale a pena ler as considerações da Raquel Rolnik sobre esse assunto.

 

Estação Morumbi -ou- estação Granja Julieta

Havia a previsão de construção de um acesso em uma dessas estações da CPTM, por meio de rampa. A previsão era de que a obra estaria pronta em 2013, mas o assunto caiu no esquecimento e a CPTM parou de anunciar essa pretensão, aparentemente abandonando a ideia.

 

Região da Ponte João Dias

Há uma demanda grande para um acesso na Ponte João Dias, que permitiria que ciclistas da região ingressassem na ciclovia. Tanto que as grades que foram colocadas na passarela ao lado da ponte central do conjunto volta e meia aparecem arrebentadas, permitindo o acesso dos cidadãos que precisam se deslocar.

Duas pontes novas estão sendo construídas na região: a Laguna e a Itapaiúna (veja aqui). Situada mais ao norte, a ponte Laguna terá área reservada para ciclistas e ligação com a Ciclovia Rio Pinheiros; já a Itapaúna não, em desrespeito à Lei Municipal que obriga que novas pontes e avenidas tenham ciclovia. Para reparar essa deficiência, a Prefeitura pretende criar uma ciclopassarela, exclusiva para pedestres e ciclistas, ao lado da ponte Itapaúna, dando acesso à Ciclovia Rio Pinheiros.

Enquanto isso, o ponto de entrada mais próximo fica na Av. Guarapiranga (veja no mapa acima onde está o acesso).

 

Ciclovia abre por mais tempo durante o horário de verão. Foto: Willian Cruz

Ciclovia abre por mais tempo durante o horário de verão. Foto: Willian Cruz

Horários

Sim, a Ciclovia Rio Pinheiros tem horário de funcionamento! A justificativa é a segurança, já que não há iluminação na via.

O horário normal de funcionamento é das 5h30 da manhã às 18h30, todos os dias. Durante o horário de verão, a ciclovia tem seu funcionamento estendido, operando das 5h até às 19h30 – o que não resolve, mas já ajuda um bocado, pois muita gente precisa sair correndo do trabalho para conseguir entrar nela a tempo, chegando até a deixar de utilizá-la por não conseguir chegar a algum acesso antes que ela feche.

Para mais informações, consulte a CPTM no telefone 0800 055 0121 ou no site da Companhia.

 

Entenda aqui por que a Ciclovia Rio Pinheiros ainda não é tão utilizada quanto deveria.

Saiba mais sobre o horário de funcionamento.

Ciclovia Rio Pinheiros

Prefeito de São Paulo questiona proibição de pedalar em acesso da ciclovia

Ciclopassarela do Parque do Povo é inaugurada em São Paulo

Pista da margem oeste liberada para uso

Novos acessos trazem risco aos ciclistas

Pela primeira vez, São Paulo terá pontes com ciclovia

A opinião dos ciclistas sobre as soluções para a interdição

CPTM publica retratação por afirmação sobre Ciclovia

Monotrilho não prossegue sobre ciclovia enquanto
não houver alternativa para os ciclistas

Acessos e horário da Ciclovia Rio Pinheiros


96 comentários para Acessos e horário da Ciclovia Rio Pinheiros, em São Paulo

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>