Londres teve queda no número de mortes no trânsito após redução de velocidade

Foto: Raquel Jorge

Foto: Raquel Jorge

Enquanto em São Paulo as discussões sobre a diminuição dos limites de velocidade nas vias marginais dividem os candidatos à prefeitura, cidades estrangeiras seguem dando exemplos que podem inspirar a capital paulista.

É o caso de Londres, cidade que, segundo estudo, já atingiu a meta estabelecida para 2020 de reduzir em 40% o número de mortos e feridos graves em acidentes de trânsito. A conquista se deve à implementação do limite de 20 milhas por hora (32 km/h) em ruas e avenidas estratégicas da capital inglesa, que começou a ser implantado nos primeiros anos do mandato do ex-prefeito Boris Johnson, considerado conservador. Entre 2008 e 2009, 11% das ruas obedeciam esse patamar, segundo dados da prefeitura. Hoje, as chamadas “20 mph zones” já estão em 25% de todas as vias de Londres (280 km de ruas, no total).

Em março de 2015 a prefeitura da cidade anunciou oito novas faixas com velocidade reduzida, entre elas uma que liga o turístico Big Ben à também conhecida London Bridge, e em outros trechos movimentados, como nas regiões de Camden Town, Earls Court e King Cross. Parte delas tinha velocidade máxima de 32 mph, ou 51 km/h. Com o sucesso da medida, os habitantes do bairro de Tower Hamlets querem que todas as suas ruas tenham esse patamar. Em consulta pública, 80% dos moradores aprovaram a redução de velocidade.

No fim de 2012, a prefeitura divulgou um plano cuja prioridade era a redução em 40% do grupo chamado de”KSI” (“killed and seriously injured”, ou morto e gravemente ferido). Como parâmetro, utilizou a média anual de 3.600 ocorrências entre 2005-2009. Além das zonas de 20 mph, ainda houve instalação de câmeras de vigilância, fiscalização de veículos e um programa de educação no trânsito, entre outros.

Balanço divulgado pela prefeitura em junho de 2015 apontou 2.100 registros em 2014, queda de 40% como queriam as autoridades para seis anos mais tarde. Com a meta atingida, ela foi dobrada: a prefeitura quer reduzir pela metade esses novos índices até 2020.

“Indústria da multa” inglesa

Nas ruas com 20 mph, quem for flagrado acima desse limite perde três pontos na carteira de habilitação e leva multa de 100 libras (R$ 510). Quem atinge 12 pontos em três anos tem a licença para dirigir suspensa por pelo menos seis meses, podendo chegar a dois anos, dependendo da reincidência.

Enquanto isso, em São Paulo

O número de acidentes caiu cerca de 30% nas marginais dos rios Tietê e Pinheiros desde a implantação dos novos limites de velocidade na via. O dado é da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e compara acidentes ocorridos no mesmo período do ano passado. Em 2014, o número de mortes em acidentes de trânsito na capital paulista subiu após dois anos em queda.

O balanço do primeiro mês de redução do limite máximo de velocidade traz a informação de que a lentidão caiu entre a tarde e à noite nas marginais. A prefeitura ainda não divulgou o número de mortes, mas já antecipou que as multas aumentaram.

A velocidade máxima permitida caiu de 90 km/h para 70 km/h nas pistas expressas, de 70 km/h para 60 km/h nas centrais; e de 60 km/h para 50 km/h nas pistas locais. No caso de ônibus e caminhões, a velocidade limite nas pistas expressas é de 60 km/h.

As mudanças fazem parte do Programa de Proteção à Vida, criado pela prefeitura de São Paulo. O objetivo é regulamentar em 50 km/h o limite de velocidade em praticamente todas as avenidas importantes da cidade.

Assine a petição

Grupos e coletivos paulistanos que atuam em prol da mobilidade ativa – entre eles o Vá de Bike – criaram um abaixo-assinado eletrônico pedindo aos candidatos à prefeitura que voltem atrás em suas propostas de aumentar os limites de velocidade em São Paulo. O pedido tem como destinatários os candidatos Celso Russomano (PRB), Marta Suplicy (PMDB) e João Dória (PSDB), que defendem abertamente o retorno dos limites anteriores, ao menos nas marginais.

Assine a petição e ajude a convencer seu candidato ou candidata a voltar atrás na proposta de aumentar os limites de velocidade em São Paulo. Vote em quem sua consciência mandar, mas não permita um retrocesso que pode causar mortes e sequelas – talvez até mesmo em você, em um amigo ou familiar.

Até o fechamento desta matéria, cerca de 17 mil pessoas já haviam assinado. Saiba mais sobre a iniciativa e clique aqui para assinar.

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>