siga essas dicas para montar uma rota de bike mais segura e menos cansativa! Foto: Thomas Wang/VdB

5 passos para uma rota segura e agradável

Quer montar uma rota boa, pra pedalar tranquilo e ainda se cansar menos? Veja como planejar o caminho, considerando subidas, ciclovias e sobretudo segurança!

A princípio, quando a gente começa a usar a bike na cidade, tudo sempre parece difícil. Tem muita subida, muito trânsito, lugar difícil de passar e até uns trechos que deixam a gente com um pouco de receio de passar pedalando. Mas acredite: é normal termos essa sensação.

Isso acontece principalmente por estarmos acostumados com outras formas de locomoção, geralmente carro ou ônibus. Por isso tendemos a escolher os mesmos trajetos que faríamos com esses outros meios de transporte.

No entanto, o caminho que é bom para seguir de carro raramente será bom para fazermos de bicicleta. E o caminho que o ônibus faz também não será o ideal. Isso porque de carro ou de ônibus tendemos sempre a usar as grandes avenidas, que suportam maior fluxo. E que, pelo menos em tese, permitem maior velocidade.

Mas não é isso que buscamos quando estamos de bicicleta. E é aí que entram 5 dicas importantes sobre como planejar esse trajeto. Elas tornarão sua pedalada mais segura, mais tranquila e mais fácil de fazer.

As dicas estão resumidas abaixo, mas nesse vídeo ensinamos como montar seu trajeto no Google Maps, de forma simples e levando em consideração esses pontos. Assista!


Esse vídeo é parte da série Pedalando Todo Dia, pensada pra quem tem vontade de usar a bicicleta e ainda tem algum receio, mas também pra quem já pedala e busca mais segurança, conforto e facilidade pra fazer seus trajetos. Veja todos os episódios aqui

1 Caminho mais curto

O primeiro passo na escolha da rota é traçar o caminho mais curto e direto. Isso é importante porque você estará usando sua força, seu esforço, pra se deslocar. E quando você está usando a bicicleta para simplesmente chegar em algum lugar, você vai querer se cansar menos.

Por isso você não vai simplesmente marcar o ponto A e o ponto B no Google Maps e deixar que ele decida o caminho. É preciso ter um certo cuidado com essa rota.

Isso porque, por incrível que pareça, às vezes o mapa marca uma rota com trechos em contramão pra quem está de bicicleta. Ou escolhe vias que a gente vai querer evitar, por terem trânsito pesado ou uma subida mais íngreme.

Com isso, nossa recomendação é que você comece pedindo para o serviço de mapas mostrar qual seria o trajeto pra você fazer a pé. Dessa forma você terá certeza que o caminho que está sendo mostrado é de fato o mais curto.

Além do mais, há outra vantagem. Nessa sugestão de trajeto a pé, são considerados caminhos por onde os carros não passam, mas a bicicleta consegue passar. Como uma praça ou um parque, por exemplo. Ou uma passarela onde você pode desmontar e atravessar a pé.

Em seguida, você vai começar a adaptar esse caminho bem básico que foi sugerido, para que seja feito pedalando.

De bicicleta você consegue cortar caminho por onde os carros não passam. Foto: Thomas Wang/VdB

2 Sem contramão

Como o trajeto marcado inicialmente seria para ser cumprido a pé, pode ser que haja alguma contramão no caminho. E não devemos pedalar na contramão.

Não apenas por ser uma infração de trânsito, mas principalmente porque pedalar na contramão não é seguro. Em um próximo vídeo da série vamos explicar sobre isso.

Se você quiser entender melhor essa questão desde já, recomendamos esse texto aqui do site: 11 motivos para não pedalar na contramão.

Para fazer essas correções no trajeto, você precisa dar um zoom no Google Maps para que apareçam as as setinhas que indicam o sentido das vias. Em seguida, você busca trechos que estejam na contramão e “arrasta” a linha azul para outro caminho. No vídeo acima mostramos na prática como fazer isso, usando um recurso pouco conhecido do Google Maps.

Circular na mão correta torna sua pedalada muito mais segura. Foto: Willian Cruz/VdB

3 Busque ciclovias

Agora que você fugiu da contramão, o próximo passo é buscar ciclovias e ciclofaixas. Porque pela tranquilidade que você terá pedalando, vale a pena aumentar um pouquinho o trajeto.

Essa tranquilidade se dá tanto em termos de segurança quanto de esforço. Isso porque onde não tem ciclovia, acabamos naturalmente pedalando mais rápido para acompanhar o ritmo dos carros. E onde tem uma estrutura de proteção, você consegue pedalar com mais calma. Portanto, mesmo esticando um pouquinho a distância, pode ser até que você que se canse menos!

No vídeo que está aqui na página, mostramos como encontrar as ciclovias no mapa e como adaptar o trajeto para utilizá-las. No nosso canal, temos também outro vídeo que mostra em detalhes como exibir as ciclovias no Google Maps.

Ciclovias de mão dupla

É importante lembrar que boa parte das ciclovias e ciclofaixas são bidirecionais, mesmo onde a via é de mão única para os carros. Isso amplia suas opções de trajeto.

E se você estiver na dúvida se a ciclovia é de mão dupla, pode usar o recurso do Street View, visitando virtualmente o local. No vídeo também mostramos como fazer isso.

Muitas ciclovias e ciclofaixas são bidirecionais, aumentando suas opções de trajeto. Foto: Willian Cruz/VdB

4 Ruas calmas

O próximo passo é fugir de avenidas que não tenham ciclovia. Você vai procurar ruas mais tranquilas no entorno, que costumam ter menos carros e um trânsito mais calmo.

No vídeo mostramos na prática como adaptar sua rota do Google Maps para buscar esses caminhos. Com isso você terá mais segurança e tornará sua pedalada bem mais agradável.

Ruas calmas permitem pedalar com mais tranquilidade e segurança. Foto: Paulinho Silva

5 Menos subidas

Por fim, é hora de buscar conforto. Você vai identificar as subidas dessa rota e procurar alternativas, para poupar suas energias e transpirar menos.

Se você já conhece bem a região onde vai circular, já saberá onde estão as subidas. Nesse caso, essa tarefa se tornará mais fácil.

Entretanto, se você não tiver certeza de como é o caminho que o mapa está te indicando, há outro recurso especial que pode ser usado. É um gráfico que mostra a altimetria, ou seja, as subidas e descidas do caminho.

No vídeo que fizemos, você aprenderá como verificar nesse gráfico a inclinação do seu trajeto. E será capaz até de descobrir onde ficam as subidas mais íngremes, de forma visual. Assista!

Desviando das ladeiras

Encontrando as subidas no mapa, você deslocará o percurso para alguma rua paralela, de preferência a duas ou três quadras de distância. Em seguida, verifique se o gráfico ficou mais suave.

Com esse procedimento, aumentamos um pouco a distância, mas distribuímos melhor a inclinação. Com isso, você vai se cansar bem menos. Em alguns casos você conseguirá até contornar a subida, saindo lá na frente depois dela.

Também há situações em que é possível dividir uma subida longa em etapas. Dessa forma você fará uma quadra de subida seguida de um trecho plano, alternadamente. Como resultado, você conseguirá usar esses trechos planos para recuperar o fôlego e a disposição.

No vídeo ilustramos essas situações. E temos aqui no site um artigo falando especialmente sobre isso, com 7 truques para você vencer as subidas mais difíceis com a bicicleta!

Nas subidas, desmontar e empurrar também vale! Foto: Thomas Wang/VdB

Teste sua rota!

Depois de tudo pronto, é muito importante você testar esse caminho. Isso porque pode ter alguma rua que mudou de direção, uma subida que você não previu ou um trecho onde você não se sinta seguro em pedalar.

Recomendamos que você faça esse teste em um domingo de manhã, quando há menos carros na rua. Assim você pedala sem pressa, sem stress e pode testar alternativas para o caminho traçado no mapa.

Próximo vídeo

No próximo episódio da série Pedalando Todo Dia, vamos ensinar como carregar o que você precisa levar no dia a dia. Um equipamento de trabalho que não pode quebrar, aquela roupa que não pode amassar e até algumas compras do mercado. Também vamos mostrar o que é importante levar quando você sair com a bike!

A gente quer que você pedale e que isso seja positivo, seguro e agradável na sua vida. Por isso inscreva-se agora no nosso canal para ser notificado dos próximos episódios!

Pedalando Todo Dia

Pensando tanto em quem ainda tem receio de usar a bicicleta, quanto em quem já pedala mas busca segurança e praticidade nos deslocamentos, o Vá de Bike lançou o projeto Pedalando Todo Dia.

Ao longo dos próximos meses publicaremos vários episódios em nosso canal do Youtube, mostrando na prática que usar a bike no dia a dia pode ser bem mais simples e seguro do que parece. E o melhor: é uma ótima forma de transformar aqueles deslocamentos chatos e cansativos em um momento de lazer! Você merece, não é mesmo?

Continuidade

Os primeiros episódios estão sendo produzidos com o apoio do programa de aceleração de projetos Vai Longe, uma iniciativa da Tembici em parceria com a Transporte Ativo.

Mas nosso objetivo é que a série seja contínua, trazendo informações e dicas importantes para pedalar, de forma prática, leve e descontraída. Se a sua empresa ou organização pode apoiar esse projeto, fale conosco pelo e-mail contato@vadebike.org.

2 comentários em “5 passos para uma rota segura e agradável

  1. Acho importante que os ciclistas tenham consciência que onde não tem ciclovia, ele não tem o direito de pedalar na calçada. Aqui no Butantã eu como pedestre já tive muitos sustos com ciclistas na calçada, e eles ainda argumentam, se reclamo, que é porque não tem ciclovia.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    1. Oi, Solange!

      A razão é porque sentem sua vida ameaçada quando transitam na rua. Isso é muito comum principalmente com quem transporta uma criança e é muito mais frequente onde o trânsito é carregado e os motoristas têm comportamento agressivo. Mas é preciso que percebam que estão num espaço que não é deles, tratando os pedestres com o mesmo cuidado que gostariam que os motoristas os tratassem. E, sempre que possível, desmontar e empurrar a bike.

      Temos uma matéria aqui no site falando sobre essa e outras infrações que os ciclistas cometem, explicando como resolver. Vale a leitura: https://vadebike.org/2018/01/multas-ciclistas-infracoes-mais-cometidas/

      Thumb up 1 Thumb down 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *