Esse é o ar que respiramos em São Paulo

Apoie nosso trabalho,
doe um libre!

Foto tirada em dezembro de 2011, na cidade de São Paulo. Perceba o cobertor cinza sobre a cidade.

A foto mostra a camada de poluição que paira sobre o horizonte. Perceba como ela repousa sobre a cidade. Não é preciso estudar o assunto para intuir o quanto respirar isso pode nos fazer mal.

O que causa toda essa fumaça?

Quase toda essa poluição (90%!) vem do “setor de transportes”, um eufemismo para automóveis, motocicletas, ônibus e caminhões. Sim, isso inclui o carro da família, que leva a criança para a escola, o pai e a mãe para o trabalho, a família toda para o shopping center.

Mas sempre encontram outro culpado. A inversão térmica, o ar seco, as indústrias. Ora, se não houvesse tanto lixo gasoso e particulado no ar da cidade, a inversão térmica e o ar seco não causariam por si essa poluição. E como as indústrias realmente poluentes não ficam na capital paulista, mesmo que poluam muito não podem ser as responsáveis por essa camada cinza da foto.

Quem polui não são os ônibus?

Os ônibus muitas vezes servem de bode expiatório, quando na realidade contribuem para diminuir a poluição. Mesmo poluindo mais individualmente, um único ônibus é capaz de transportar dezenas de pessoas por vez (ou até mais de uma centena, no caso dos articulados e biarticulados), gerando uma poluição per capita muito menor que a do automóvel particular ou principalmente da moto.

Como os gases que saem dos escapamentos dos nossos carros são quase invisíveis e parecem se dissipar no ar em poucos segundos, fica difícil perceber essa sutil relação de causa e consequência. Qualquer proposta de restringir o uso do automóvel nos parece absurda e o absurdo nos parece coerente.

E um detalhe que pouca gente conhece é que ônibus e caminhões são minoria na cidade, com uma participação tão pequena em relação ao total que mesmo se estivessem todos em estado deplorável (o que não é verdade) ainda não poderiam ser responsabilizados por toda essa poluição. Os ônibus correspondem a míseros 0,57% da frota paulistana, enquanto os caminhões são 1,95% (setembro/2015). Ok, há muitos caminhões que vêm de fora da cidade, mas isso sobe sua participação para o que, uns 3%? Talvez cinco, sete?

É preciso abrir os olhos, mesmo que eles ardam

Deixar o carro ou a moto em casa pelo menos uma vez por semana é colaborar para um ar melhor para você, seus filhos, seus amigos e todos que lhe são queridos. Use ônibus, metrô, bicicleta ou os próprios pés, nem que seja apenas em parte do seu trajeto. Em vez de usar um serviço de motofrete, experimente chamar um bikeboy.

Não seja conivente com a fumaça que mata doze pessoas por dia só em São Paulo, sobretudo crianças e idosos.

Mas de bicicleta eu não vou respirar mais poluição?

A resposta é um categórico não. Principalmente se você escolher ruas mais tranquilas, como alternativa às avenidas congestionadas. E, por incrível que pareça, mesmo se você pedalar por essas avenidas ainda inalará menos poluentes do que alguém dentro de um carro com os vidros fechados.

Duvida? Entenda aqui e recicle suas certezas.

Gostou da matéria? Doe um libre
e ajude nosso projeto a continuar!

10 comentários para Esse é o ar que respiramos em São Paulo

  • Fabio Lopes

    Muito bom o texto!! Venho acompanhado há algum tempo o Vá de Bike e a cada dia cresce minha vontade de comprar uma bike.

    Sou físico e trabalho na área de física atmosférica, estudando propriedades ópticas de partículas presentes na atmosfera da cidade de São Paulo. O texto acerta em dizer que um dos grandes vilões da poluição do ar na cidade de São Paulo é o setor de transporte(mais de 7 milhões de veículos). Acerta também no fato de que a inversão térmica não é o culpado pela má qualidade do ar durante o inverno (período seco). A inversão térmica apenas impede a dispersão dos poluentes, piorando ainda mais a qualidade do ar.

    Contudo, pesquisas mostram que parte da poluição presente na atmosfera da cidade de São Paulo provém de queimadas realizadas na Região Centro-Oeste e Norte do Brasil, assim como queimadas de cana de açucar realizadas no interior do Estado de São Paulo. Além disso, alguns episódios de transporte de poluentes vindo da Região de Cubatão podem ocorrer eventualmente.

    Mesmo assim, nada justifica investir cada vez mais no uso de automóveis (como ocorre no Brasil) em detrimento da saúde da população e poluição do meio ambiente. O país e principalmente a cidade de São Paulo precisam urgentemente de um plano de incentivo para meios de transporte coletivos e alternativos, como bike.

    Mas de bicicleta eu não vou respirar mais poluição?

    Bem, a poluição está distibuida na atmosfera mais ou menos de maneira uniforme. Contudo, existem sim pontos com altas concentrações de poluentes e com pouca dispersão de ar, como por exemplo túneis e avenidas muito movimentadas.

    Outro ponto que pode ser levado em consideração é que devido aos congestionamentos as pessoas demoram mais tempo para percorrerem seus trajetos diários, digamos de casa para o trabalho e vice-versa. Por consequência, permanecem com os motores de seus carros ligados por mais tempo, poluindo mais que o normal diariamente.

    Parabéns pela sua iniciativa e pelo maravilhoso site!

    Comentário bem votado! Thumb up 6 Thumb down 0

  • Daikichi

    Muito bom o texto, direto e claro.
    Muitas pessoas, mesmo mostrando provas, não conseguem acreditar nessas estatísticas, é uma pena.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Bruno Bê

    Eu sou do interior de SP, Cabreúva para ser mais exato e sempre que chego a cidade de São Paulo sinto o ar pesado que tem na ruas… é meio estranho mas realmente sinto a diferença!

    Visitem
    http://www.mtbcabreuva.com.br/

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Bruno

    Mesmo com a baixa participação de ônibus e caminhão na poluição atmosférica, vale lembrar que o óleo diesel fornecido em nosso país é de qualidade muito inferior ao combustível europeu. Então polui mais.
    #vadebike

    Thumb up 1 Thumb down 1

    • Guilherme

      Bruno,

      Isso sendo verdade, é um dado interessante, mas como curiosidade… Pq somando caminhões e ônibus isso não dá nem 10% da frota, mesmo q o tal diesel daqui seja o diabo em pessoa, não tem como chegar nem perto da porcariada que os 90% de automóveis de passeio jogam no ar!

      Thumb up 2 Thumb down 0

  • lucas

    william, o seu post dizendo que moto polui mais que onibus está bem desatualizado. o promot 3 que entrou em vigor há quase 3 anos (em 2009) limita as emissões de poluentes para:

    monóxido de carbono 2 g/km
    hidrocarboneto 0,3 g/km
    óxido de nitrogênio 0,15 g/km

    sendo que a maioria das motos fabricadas atualmente poluem bem menos do que isso…

    Thumb up 2 Thumb down 1

  • Phil

    Como sempre William ótimo texto…

    Serve muito bem pra quem está com receio de pedalar…

    Pra quem NÃO quer pedalar simplesmente não vai convencer.

    Não é que está mal escrito ou qlq coisa do tipo, como falei muito pelo contrário…

    é que tem algumas pessoas que simplesmente não querem aceitar a realidade ou são tão egoístas que pensam só nelas mesmas

    O que me consola é que existem mais pessoas dispostas a fazer o bem do que o mal

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Andrea

    Bom dia !
    Otimo texto …
    Hj fiz isso pela primeira vez em dia de semana, deixei o carro em casa e vim trabalhar de bike … nossa foi uma experiencia e tanto … adorei …
    Como só ando de final de semana, parecia que era sabado ou domingo, dei cara de final de semana para o meu dia da semana … foi show … fora que cheguei mais animada ao serviço …
    Quero aderir a bike e vir pelo menos umas duas vezes por semana, isso ja ajudará o ar, meu bolso e minha saude … será Otimo …
    Ah esse site me ajudou muito a tomar essa decisão … E meu bike anjo tbem … Rsrs o Odir … Ele me acompanhou sabado retrasado ao trabalho.
    Bjs a todos

    Comentário bem votado! Thumb up 9 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>