Estimulando a agressividade no trânsito através da publicidade

clique para ampliar

Segundo as anotações na imagem acima, que foi publicada publicamente no site de compartilhamento Imageshack, essa propaganda foi veiculada no jornal Diário Catarinense, no dia 4 de outubro de 2012. Na época, a imagem circulou muito nas redes sociais, sempre acompanhada de comentários de indignação de quem a repassava.

Não é necessário me alongar nas explicações: está claro que o slogan da fabricante Jeep estimula a agressividade nas ruas, reforça o conceito de cada um por si e, para convencer que é necessário ter um carro desses, vende antes a ideia de que é preciso ser cada vez maior e mais perigoso para exercer sua prioridade de circulação à força. Que vença o mais forte, o mais pesado, o mais largo, o mais assustador. Que vençam os predadores. Compre um, empurre os outros para fora do seu caminho e sinta-se alguém.

Ghost Bike em memória do ciclista Lauro Neri, morto por um motorista com pressa em São Paulo. Foto: Aline Cavalcante

Comportamento agressivo deve ser coibido

Propagandas como essa estimulam um comportamento que mata nas ruas, todos os dias. Uma maneira de dirigir que é considerada crime de trânsito e que pode dar cadeia. Estimulam a “disputa por espaço”, a “guerra nas ruas” e outros títulos que a imprensa tradicional costuma estampar. Mas não há “disputa por espaço” onde um único lado tenta negar ao outro o que é de direito de ambos. E não há “guerra” onde apenas um lado morre: o nome disso é genocídio.

Peças publicitárias que estimulam a agressividade, o “passe por cima” e o excesso de velocidade deveriam ser proibidas. Quem as cria deveria ser, no mínimo, condenado a pagar uma multa pesada. Porque, no fundo, essas peças (e esses criativos) estimulam nas ruas o comportamento que menos queremos: o de predador, o de homicida em potencial.

Mais amor, menos disputa. Carro grande ou veloz não é salvo conduto para dirigir como um animal e colocar em risco a vida de outras pessoas. E infelizmente é esse o conceito que se vende com propagandas desse tipo.

A agência responsável entrou em contato com o Vá de Bike para esclarecer que esse não é o posicionamento da Jeep, que não foi esse o objetivo do anúncio e que peças com essa abordagem não seriam mais veiculadas. O Conar chegou a ser acionado para avaliar essa peça publicitária, mas não há informações sobre o resultado.

Em tempo: esse tipo de publicidade nem de longe é exclusividade da Jeep, nem mesmo de carros grandes. Veja este outro exemplo e os links abaixo.

Saiba mais
GM ridiculariza ciclistas, Giant responde

SUVs: Brasil na contramão do mundo

Rally de SUVs e jipes quase atropela grupo de ciclistas

Crime socialmente aceitável

Você acredita em autorregulamentação publicitária?

Carros são o “acidente” que mais mata crianças em São Paulo

Crianças são o inimigo


19 comentários para Estimulando a agressividade no trânsito através da publicidade

  • Carlos

    Predadores naturais matam para sobreviver. Este tipo de predador é um serial killer. Este chamado é para consumismo. É a mesma coisa como colocar moças e moços sarados para vender pasta de dente, produtos de beleza, e até mesmo cigarros e cerveja. A publicidade está passando sempre a mensagem para consumir. Bem, para as pessoas se consumirem, autofagia. Porque com isto não irão ser mais saudáveis ou “saldáveis” ( terem mais dinheiro para coisas mais importantes na vida. como saúde, família, os amigos, a comunidade, … ). Bem esta propaganda é voltado para a selva dos relacionamentos na sociedade, que está doente, com valores invertidos, corruptos e decadente ( não é à toa que temos muita corrupção na arena política e econômica ). Este predador que há nestas pessoas que compram estes carros matam pessoas, não para sobreviver ou necessidade na selva social em que estamos, matam por prazer. O que os fazem psicopatas.

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • DanielBiólogo

    Acredito que sim, a propaganda estimula comportamentos!

    Outros exemplos podem ser vistos aqui:
    https://www.facebook.com/media/set/?set=a.421831967865800.94463.414377458611251&type=3

    Thumb up 2 Thumb down 1

  • Edson Murakami

    Apesar de ser irreal, este é mais coerente.
    http://www.youtube.com/watch?v=vJdMlMdCBvs

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • Eduardo

    [Comentário oculto devido a baixa votação. Clique para ler.]

    Esse comentário não tem feito muito sucesso. Thumb up 1 Thumb down 10

    • Paulo

      Deixa eu ver, você tem um, né?
      Vamos ser todos felizes: eu na minha bicicletinha, na sua frente, com 15 km/h, e você com um(a) SUV potente querendo passar e não pode.

      Thumb up 1 Thumb down 1

    • Vinícius

      Mas pra eu ser feliz na minha bicicletinha o trânsito não pode ter predadores =O

      Thumb up 2 Thumb down 0

    • tiago barufi

      acho que é o contrário, esses fanáticos por carro como o Eduardo se sentem tão oprimidos que chegaria a dar pena. Digo que chegaria a dar pena porque muito antes vem a indignação com o fato de que essa minoria motorizada e arrogante não percebe o quanto está prejudicando o resto do mundo com seus carrões. Em busca da auto-afirmação abandonam rapidamente sua humanidade. Para compensar suas frustrações com a vida tomam atitudes ameaçadoras.

      Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • Eugenio

    Willian, mais alguns exemplos, se quiser incluir nos links:

    https://twitter.com/Eugenio78/status/208917219365761024/photo/1/large

    https://twitter.com/Eugenio78/status/208917428292419584/photo/1/large

    Fonte: Jornal O Estado de São Paulo 2/jun/2012

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Leandro OABC

    Infelizmente esse anuncio reflete o modo do dirigir de muita gente que vejo pela rua, com gosto pela agressividade no transito, como se fossem transformados em “bestas humanas” ao dar ligar os motores. Acho até que se trator desse status venderia mais do esses carros.

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Paulo Suin

    Essa propaganda é ‘a cara’ do público alvo, acertaram na mosca!
    Pessoalmente tenho um forte (fortíssimo!) preconceito com donos dessas SUV’s. Em geral são arrogantes, mal-educados e chega de xingar esses caras que tô ficando nervoso!

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • lucas

    Isso me lembra uma discussão que tive num forum (SSC) quando dizem que pedestre que atravessa fora da faixa está errado, e reclamam da velocidade das vias

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • E ainda colocam no final da propaganda em letras pequenas “Reduza a velocidade, Respeite a vida” como se alguém fosse ver!
    Não generalizando, pois ainda existem pessoas com consciência, mas é só indignação mesmo…..

    Abraços a todos!

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Cidade é uma selva, seja mais um alienado dentro de uma caixa metálica …

    Thumb up 3 Thumb down 0

  • Respondendo ao Breno:
    Faz tempo que penso assim e mais vejo que é verdade. As mulheres gostam de SUVs da mesma forma que eu (1,80m) gosto de carros pequenos: nós dois nos sentimos gigantes dentro deles.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • André

    Reprodução da mentalidade e do poder dominante: o capital.

    Thumb up 3 Thumb down 2

  • Fernando Franco

    Não faz sentido ter um carro desses, e ficar parado, gastando gasolina a toa… Carro para a “selva”, chamada cidade, tem que ser um carro econômico, pequeno e que seja fácil de estacionar(já temos alguns chineses assim, porém deixa a desejar pela qualidade).

    Temos que ser mais inteligentes na cidade, e não predadores. se for para andar uns 14Km(o percurso que eu fazia até o meu antigo local de trabalho), pra quê ir de carro(e ter dificuldades para estacionar), ou ir de onibus(que demora e sempre tá cheio)??

    Comentário bem votado! Thumb up 4 Thumb down 0

  • Juliana

    “Compre um, empurre os outros usuários da via para fora do caminho e sinta-se alguém.”
    Infelizmente as pessoas compram essa ideia. O número de vezes que eu, dentro do meu carrinho, fui empurrada pra fora da minha pista por um carro grande que não dá seta e não espera a vez de entrar, simplesmente sai empurrando e intimidando, é surreal.
    Se é assim comigo no meu carro, só posso imaginar a frequencia com que isso acontece com bikes, esses monstros tirando fina. Consigo imaginá-los proferindo as clássicas frases “sobrevive o mais forte” e “o mundo é dos espertos”.

    Comentário bem votado! Thumb up 7 Thumb down 0

  • Conversando outro dia com minha mãe, que possui uma SUV, ela me afirmou que se sente segura, “encapsulada”, alta e protegida, em seu veículo. A ironia aí, portanto, é a de que anúncios como esse não necessariamente apelam pro lado brucutu do motorista, mas sim pro lado “não seja mais uma vítima”, “proteja-se no trânsito”, “dirija um tanque de guerra”.

    É, ainda, um comercial lamentável, embora sozinho não mate ninguém e seja na verdade um sintoma. Mas é necessário ver a coisa dentro do devido contexto e analisando a situação a partir dos olhos dos “predadores”.

    Comentário bem votado! Thumb up 9 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>