Manifestação em São Paulo pede punição a crimes de trânsito

Enquanto fecharmos os olhos e fingirmos que não é problema nosso, a impunidade continuará. Foto: Divulgação

Enquanto fecharmos os olhos e fingirmos que não é problema nosso, a impunidade continuará. Foto: Divulgação

Veja também
Assista na íntegra o documentário “Luto em Luta”

Motorista, cuidado: uma “fina” pode resultar em morte

As ghost bikes, homenagens póstumas a ciclistas

Aos amigos e amigas que dirigem

Campanha do automóvel Mini estimula agressividade

Os movimentos Não Foi Acidente e Viva Vitão convidam para a manifestação Justiça Demorada é Justiça Negada, que será realizada em São Paulo no domingo, 28 de julho de 2013.

Segundo a página do evento, os objetivos são homenagear as vítimas dos crimes de trânsito, rememorar os dois anos da morte de Vitor Gurman, solicitar aprovação imediata do Projeto de Lei 5568/2013 (que criminaliza a embriaguez no trânsito) e conscientizar a população de que crimes dessa natureza podem e devem ser evitados.

 

William Morsetvita foi morto ao atravessar uma faixa de pedestres por um motorista com pressa, que acelerou para "aproveitar" o sinal que já havia fechado. Foto: Priscila Cruz

William Morsetvita atravessava uma faixa de pedestres quando foi morto por um motorista com pressa, que acelerou para “aproveitar” o sinal que já havia fechado. Quem o matou continua impune. Foto: Priscila Cruz

Não são acidentes: são crimes

Essa é uma luta de todos nós. E o Vá de Bike faz questão de reforçar, mais uma vez, que não é só a embriaguez ao volante que mata, mas também a intolerância a ciclistas e pedestres na via, o marketing de velocidade das montadoras, as políticas públicas direcionadas para a fluidez dos automóveis em detrimento da segurança de quem está fora deles e, por fim, a impunidade a crimes de trânsito e a atentados contra a vida ao conduzir um veículo automotor.

Uma fina proposital a um ciclista, uma acelerada para fazer um pedestre fugir da rua e dirigir em alta velocidade são exemplos de atitudes que devem ser consideradas crimes de trânsito – e punidas com rigor.

Enquanto houver a certeza de que nada acontece ao motorista que coloca a vida de outras pessoas em risco, as mortes e mutilações continuarão acontecendo, destruindo vidas, famílias e amores. E não serão acidentes: serão crimes.

 

Vitor Gurman teve sua vida interrompida por uma SUV em alta velocidade, conduzida por uma pessoa embriagada, enquanto caminhava na calçada de uma rua com limite de velocidade de 30km/h. Quem o matou continua impune. Foto: Divulgação

Vitor Gurman teve sua vida interrompida por uma SUV em alta velocidade, conduzida por uma pessoa embriagada, enquanto caminhava na calçada de uma rua com limite de 30km/h. Quem o matou continua impune. Foto:Divulgação

Onde e quando

Não espere perder um amigo para mudar a sua atitude!

“Tragam cartazes, camisetas, faixas com fotos de entes queridos vítimas de crime de trânsito”

28 de julho de 2013, domingo, às 11 horas

Concentração: Metrô Vila Madalena (Terminal de Ônibus) – São Paulo – SP

Percurso:  Caminhada até o local do atropelamento do Vitão, na Rua Natingui. Vá de bike, bicicletas são bem vindas (desmonte para participar da caminhada).

 


4 comentários para Manifestação em São Paulo pede punição a crimes de trânsito

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>