Nenhum ciclista merece ser atropelado

Foto: Silvia e Nina

A Nina, da fan page Silvia e Nina, dá o recado: nenhum ciclista merece ser atropelado. Foto: Silvia e Nina

O que mais
precisamos
é respeito
e aceitação

Há uma tendência infelizmente comum de se pensar que um ou outro ciclista, por algum motivo específico – que vai desde estar sem capacete até pedalar em uma avenida – está “pedindo” para ser atropelado. “É um suicida”, dizem alguns. “Maluco, tem que ir pro parque”, dizem outros. Quando um atropelamento ocorre, é comum ouvirmos que o ciclista “mereceu” ou que “não devia estar ali”, transferindo a culpa à vítima.

Por isso, os ciclistas têm dado seu recado com essa campanha: nenhum ciclista merece ser atropelado. Nem mesmo aqueles que, porventura, estejam desrespeitando regras de trânsito. Não se prova um ponto de vista nem se pune uma infração com uma ameaça de morte e de mutilação.

 

Foto enviada pelo leitor Luan Silva, de São Paulo.

Foto enviada pelo leitor Luan Silva, de São Paulo.

Veja aqui a galeria com as fotos enviadas pelos leitores

 

Aos amigos que dirigem

Nunca passe perto demais para dar um “sustinho”, isso pode terminar em tragédia.

Entenda aqui por que há ciclistas que pedalam “no meio da rua”.

A distância de um metro e meio ao ultrapassar um ciclista não é exagero: ela tem sua razão.

Saiba, de fato, o que o Código de Trânsito diz sobre bicicletas e ciclistas e entenda por que ciclistas cometem infrações.

E, por fim, uma página para quem dirige entender o comportamento desse pessoal esquisito que aparece de bicicleta pelo caminho (e saber como protegê-los): clique aqui.

Todos somos trânsito.

 

Compartilhe esta página nas redes sociais. Vamos mudar esta realidade.

Mande sua foto segurando um cartaz com esse texto,
ela será inserida em nossa galeria!
(Envie para contato@vadebike.org  com o assunto “Todos somos trânsito”,
informando sua cidade e estado).

 

Campanha antiassédio foi inspiração
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Quando alguém que estava de bicicleta é atropelado nas ruas, sempre temos que suportar muita gente imputando a culpa ao ciclista, com frases como “quem mandou estar na rua”, “sabia o risco que estava correndo” e até “teve o que mereceu”. Silvia Ballan, mãe da menina da foto que abre este post, conta ser muito comum ouvir na rua gritos de motoristas mandando sair da rua, pedalar no parque, dizendo para ir “passear” em outro lugar. “O espaço público é de todos”, lembra Sílvia, que reforça: “todo ciclista, todo pedestre, todo cadeirante merece respeito ao usar as ruas”.

Silvia fez a foto com sua filha como uma brincadeira, mas a mensagem que essa imagem passa é muito forte e importante. Sentir esse preconceito, que tem correlações claras com muitos outros, nos atinge profundamente como seres humanos, pois transfere a culpa para a vítima, alivia a consciência de quem nos agride nas ruas e categoriza todos os ciclistas como alvos, passando a mensagem de que não há mal em assustar, ameaçar ou até mesmo derrubar um ciclista. Afinal, quem mandou estar ali? Estava pedindo. O “não devia estar na rua” é o “quem mandou usar saia curta” dos ciclistas.

Essa situação e esse sentimento fizeram ciclistas de todo o país se identificarem com o formato e a mensagem passada pela campanha contra o assédio e a violência sexual, em que mulheres passaram a divulgar fotos com cartazes ou pintura corporal com a frase “não mereço ser estuprada” – um movimento, aliás, importantíssimo, e que de forma alguma deve ter sua discussão ofuscada por esta campanha dos ciclistas, pela correção na pesquisa do IPEA, pelo achismo dos homens que não vivenciam essa situação ou por qualquer outro motivo. A campanha iniciada pela jornalista Nana Queiroz (foto) tem nosso apoio e deve ser levada adiante, para combater preconceitos, coibir abusos e trazer as mudanças necessárias para que condutas invasivas e criminosas sejam combatidas e punidas.

Quando Nana Queiroz divulgou a foto desse box, chegou a ser ameaçada de estupro e de outros tipos de violência nas redes sociais. Assim que a foto de Nina, a menina do capacete, foi publicada, um cidadão criminoso ameaçou a garota de morte: “se tiver na minha frente atropelo e passo por cima ainda… e dou uma rezinha pra ver o servico… kkkkk… vai pra calcada bando de irresponsaveis”, dizia o comentário postado. A mãe da menina fez um Boletim de Ocorrência por agressão (art. 147 do Código Penal). Até o fechamento deste box, o comentário original ainda podia ser visto aqui.


10 comentários para Nenhum ciclista merece ser atropelado

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>