A Nova Marginal é um erro e não adianta maquiar

Apoie nosso trabalho,
doe um libre!
Foto: luddista
Foto: luddista

O deputado estadual Samuel Moreira, líder do PSDB na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, escreveu um artigo para o Jornal Destak com o título “o rio Tietê está, sim, cada vez melhor”. O objetivo do artigo é defender a obra de ampliação da Marginal Tietê, chamada de “Nova Marginal”. Faço abaixo alguns comentários sobre o texto, que é um absurdo do começo ao fim.

A questão ambiental

Boa parte do texto dedica-se a enfatizar que a obra não prejudicará o rio. E, para provar seu ponto de vista, ele argumenta utilizando o tal Parque Linear, que será construído bem longe da obra, além de “canalizações, limpezas e desassoreamentos (…) de córregos, ribeirões e rios de todo o Estado”, que seriam realizadas com ou sem Nova Marginal.

Cita também obras de tratamento de esgoto e obras de combate a enchentes que estão sendo feitas desde 2007. Ou seja, para tentar convencer que a obra de ampliação não prejudica o rio, agora estão começando a cavar supostas  compensações ambientais em obras que não têm nada a ver com essa e que seriam realizadas do mesmo modo. Em outras palavras, a gente vai estragar aqui, porque ali do outro lado a gente já consertou outra coisa então fica tudo por isso mesmo…

Veja um outro lado dessa história aqui e leia sobre a investigação do Ministério Público. Ou pesquise você mesmo nas matérias publicadas pela imprensa. Mas claro, o governo diz que as críticas à obra não passam de intriga da oposição.

Cidade mais humana e arejada

O tempo das viagens pela Nova Marginal cairá, então, cerca de 35%, e a cidade ficará mais humana, ágil e arejada.
Samuel Moreira,
deputado estadual pelo PSDB,
em artigo para o Jornal Destak

“A cidade ficará mais humana e arejada”. Que absurdo dizer uma coisa dessas! Infraestrutura gera demanda. Quando se amplia o espaço para o automóvel particular, esse espaço é rapidamente preenchido com mais carros – como aconteceu com a Ponte Estaiada. Gente que hoje opta por outros caminhos, passará a tentar a “nova” Marginal. Gente que antes não tinha carro e agora comprou um (afinal são mil novos carros por dia nessa cidade), também vai optar pela “nova” Marginal, porque ouviu dizer que é rápida. E como uma cidade com cada vez mais carros pode ser “mais humana e arejada”? Por causa da ampliação de uma avenida, que atrairá ainda mais carros para ela? Ah, me poupe… Não faz o menor sentido!

Tempo das viagens

Essa história de diminuir o tempo das viagens em 35% todo mundo sabe (ou deveria saber) que é conversa para boi dormir. Mesmo considerando que NÃO vá haver aumento da quantidade de veículos trafegando na Marginal Tietê (o que é impossível), todos esses carros terão que sair de lá para outro lugar em algum momento. Terão que entrar em vias que já se encontram saturadas. E em muitos casos, vão chegar mais cedo nessas vias saturadas, em vez de chegar meia hora depois, quando o congestionamento já estaria diminuindo um pouco. Aí sim é que vai travar tudo.

Ampliar avenidas só piora os congestionamentos. É exatamente o oposto do conceito de traffic-calming, que diz, entre outras coisas, que se você fizer os carros trafegarem mais devagar, levando mais tempo para chegar às grandes avenidas, dará tempo de quem já está nelas sair para outro lugar e liberar espaço para quem vem chegando. Assim, a viagem tem velocidades máximas menores, mas leva-se o mesmo tempo ou até menos para chegar ao destino final.

Grande esforço!

Quanto à Nova Marginal, é importante destacar que ela faz parte de um grande esforço para melhorar o trânsito na região metropolitana, juntamente com o Rodoanel e a expansão do metrô.
Samuel Moreira,
deputado estadual pelo PSDB,
em artigo para o Jornal Destak

Faz parte desse esforço também o túnel para ligar o Morumbi ao Guarujá (R$2,2 Bi), a aberração que já chamaram de “avenida-parque” (o que é isso? ou é avenida, ou é parque!) e a ampliação de outras avenidas. Melhorar para quem, cara pálida? Não vai melhorar nem para quem usa o carro, quanto mais para os outros 70% da população que usam transporte público, bicicleta ou os pés.

Se o objetivo fosse MESMO melhorar o trânsito, haveria uma pista exclusiva para ônibus, para que a miríade de carros que entope a Marginal não os atrapalhem tanto. Haveria uma ciclovia no canteiro central, com acessos em cada ponte. Se houvesse mesmo interesse em melhorar o trânsito, investiria-se mais em transporte público do que se investe em infraestrutura para uso do transporte particular, mas o que se faz hoje é o contrário.

Qualidade de vida

a melhora do fluxo de veículos significa mais qualidade de vida, com redução das emissões de gases do efeito estufa e de outros que prejudicam a saúde humana.
Samuel Moreira,
deputado estadual pelo PSDB,
em artigo para o Jornal Destak

O nobre deputado afirma que “melhora do fluxo de veículos significa mais qualidade de vida”, devido a uma suposta redução das emissões de gases. Isso supondo que a mesma quantidade de carros passaria por ali e que o restante da viagem também teria a mesma duração de hoje, né, deputado? Vai ter mais gente optando pela Nova Marginal, sem contar com o aumento contínuo da frota de automóveis na cidade, que já citei lá no começo desse artigo. E mesmo que, hipoteticamente, fantasiosamente falando, houvesse essa redução de emissão de gases, ela seria pífia! Quer dizer que em vez de poluir por uma hora, vou poluir por 40 minutos? Puxa, que alento! É como fumar cigarro light, morre-se do mesmo jeito.

Excesso de automóveis

Se realmente for de seu interesse melhorar a qualidade de vida na região metropolitana, pense nisso tudo, deputado. E pense também que a maior causa dos congestionamentos é o excesso de automóveis. Tem carro demais na rua, deputado! E isso não se resolve construindo avenida, é tapar o sol com a peneira, é colocar esparadrapo em corte profundo. Tem-se que desincentivar o uso do automóvel, ao mesmo tempo em que se aumenta a oferta e a qualidade das alternativas a ele. É como distribuir cachaça de graça e ao mesmo tempo pedir para as pessoas pararem de beber: não funciona! E, além de tudo, fica parecendo hipocrisia…

Construir túneis, avenidas e pontes de uso exclusivo dos carros não melhora o trânsito, muito menos a qualidade de vida dos habitantes da cidade. Isso sim é “faltar com a verdade”, como o senhor diz no seu texto. Ou então é muita falta de visão e desconhecimento do assunto mesmo – fica por conta do leitor.

O tempo mostrará o quanto essa iniciativa é equivocada. A perspectiva prometida continua linda. Também quero viver na cidade que o senhor sonha, uma cidade mais humana, ágil e arejada, mas precisamos caminhar em direção a ela.

Boa sorte e divirta-se ao dirigir na Nova Marginal no ano que vem, deputado. Nós continuaremos respirando a fumaça que sai do seu escapamento todos os dias.

Gostou da matéria? Doe um libre
e ajude nosso projeto a continuar!

10 comentários para A Nova Marginal é um erro e não adianta maquiar

  • Alexandre Trindade

    Willian parabens pela matéria, só me da pavor ver um Deputado dizer essas frases com a idéia de que estas estejam certas, eu como agente de trânsito a 10 anos nessa cidade gostaria de conversar com ele durante 10 minutos, gostaria de convida-lo a rodar os 100 km comigo em meu trabalho diariamente afim de que ele pudesse ter a visão apocaliptica que eu tenho, mas com certeza este não o faria, não suportaria o stresse e a injeção de realismo que observaria, gostaria que ele ficasse em um cruzamento comigo a fim de observar que quase 80 % dos veículos que passam teem uma pessoa dentro, que quando se alarga uma avenida, se faz uma ponte ou um túnel você só muda o congestionamento de lugar e o atrasa por alguns dias ou meses com sorte , poís “basta proporcionar espaço aos veículos e estes sairão de suas garagens” (minha autoria),que os onibus que passam mais parecem um caminhão carregando gado de tão lotados onde deveriam transportar pessoas sentadas e com conforto, o quanto é dificil respirar em muitos cruzamentos e avenidas e esta cada vez pior, gostaria de convida-lo a fazer o trajeto de sua casa ao seu trabalho todos os dias de onibus ou metro, bem gostaria de retira-lo de seu mundo e o colocar na realidade, mas ele não viria, sabe porque? Porque ele a conhece em teoria e esta já o assusta, imagine na prática, ele não quer nem passar perto. Meu amigo,o problema é que o povo em sua maioria não tem referencia, acostuma-se ao caos, aceita, cala-se e com isso permite que medidas que rompam paradigmas não sejam tomadas, o povo não pede, o político não faz, o povo quer andar em seus carrões, esse povo ainda vive num mundo surreal, ele xinga a nós nas ruas por não termos a varinha mágica que faz desaparecer todos os carros que estão a frente pra ele ir e vir, este povo joga seus carrões em cima de vocês ciclistas porque ve vocês como obstaculos e não como solução, falta bagagem, referencial, realismo e conhecimento macro sobre o tema trânsito pra maioria das pessoas, o povo entende que trânsito é carro, só carro e mais carro, metro, trem, bike, onibus não fazem parte do vocabulário do povo, ele quer andar de carro. Essa visão macro falta pra alguns políticos tambem, o que me preocupa é que essa falta disso e daquilo vai fazer essa cidade se tornar a maior cadeia do mundo, mal conseguiremos sair de casa, nos tornaremos cidadões sitiados, eu já me encontro assim, não tenho coragem de sair de casa a não ser pra ir pro trabalho e voltar, triste conclusão a minha né, pra um agente de trânsito dizer isso é como um médico dizer a seu paciente que o caso é grave.

    Eu faço minha parte com meu blog http://porquesaopaulopodeparar.blogspot.com a um ano, poucos o visitam , lá tento trazer pessoas pra realidade.

    Parabens !

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Quem mais sofre com o caos no trânsito | Vá de Bike!

    […] o carro até decisões como derrubar árvores da Marginal Tietê para plantar asfalto e carros, um erro injustificável. E ainda há quem coloque a culpa na chuva, como nosso prefeito Gilberto Kassab e nosso atual […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Davi Pires

    Willian, gosto muito desses textos.
    Aqui em Recife a gente também tá numa briga contra as obras carrocêntricas da prefeitura. A ‘Nova Marginal’ aqui se chama Via Mangue. Querem aterrar uns 25 ha de mangue para fazer uma via expressa, para “desafogar o trânsito” em Boa Viagem.

    As motivações e os benefícios que eles alegam para a obra são exatamente os mesmos. As mesmas mentiras, com as mesmas verdades por trás: interesses eleitoreiros e especulações imobiliárias.

    Estamos numa articulação com o ministério público para tentar barrar, ou pelo menos adicionar contra-partidas à obra que beneficiem o transporte público ou não-motorizado.

    Se quiser acompanhar: http://viamanguenao.wordpress.com

    abraço,
    Davi

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • panoptico

    E eles ainda tem a cara-de-pau de estampar cadernos com rio limpinho passando pela cidade:

    A São Paulo dos sonhos de alunos da rede municipal vai estampar capas de cadernos
    Fonte: Folha de S. Paulo, 20/10/2009

    Na São Paulo imaginada por John Wesley da Silva,13, o esgoto só seria jogado no rio Tietê depois de tratado. A água seria tão limpa que se poderia pescar. E tartarugas viveriam livres em meio ao verde.

    Para Viviane Pinheiro Moura, 13, as pessoas poderiam ainda andar de bicicleta e empinar pipas às margens do rio. Mesma vontade compartilhada pela doméstica Maria de Fátima Chaves Carvalho, 47. “Se o rio fosse limpo, meus netos poderiam brincar lá.”

    John, Viviane e Fátima são estudantes de escolas municipais de São Paulo e relataram seus sonhos em desenhos, selecionados por um concurso promovido pela prefeitura.

    As imagens vão estampar os cadernos que serão distribuídos no ano que vem para alunos de toda a rede.

    Ao todo, 20 desenhos foram selecionados. Divididos por categorias (ensino infantil, fundamental 1, fundamental 2 e educação de jovens e adultos), eles serão impressos nas capas de cadernos usados por cerca de 900 mil alunos.

    Iniciado em setembro, o concurso tinha como tema “A São Paulo que eu quero”. Participaram alunos de toda a rede pública municipal.

    Além do rio Tietê, assunto mais popular entre os desenhos, foram retratadas árvores, flores e espaços de lazer perto da natureza.

    Antônio Márcio Virgínio, do curso de alfabetização de jovens e adultos da escola General Othelo Franco, foi além: mostrou um jovem grafitando um muro e pedindo mais educação, segurança, saúde, esportes e oportunidade.

    Luan Souza Silva, 6, da escola Clóvis Bevilacqua, queria uma cidade menos poluída. “A natureza tinha que existir mais que a poluição”, diz, ao explicar seu desenho, onde junto a carros e prédios voam gaivotas e há uma cachoeira.

    Já Elayne de Souza da Costa, também de seis anos, gostaria que as pessoas jogassem menos lixo no chão. Ela fez um autorretrato no qual, junto a um colega, joga uma garrafa no lixo.

    Hoje, os vencedores do prêmio vão mostrar seus trabalhos para o prefeito Gilberto Kassab (DEM). Para Elayne, será a oportunidade de fazer um pedido: “Mais limpeza na cidade”. Seu pai aproveitará para pedir que sua rua, em Parelheiros (zona sul), seja asfaltada.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Phil

    ¬¬ não é a toa que não voto em nenhum político. Não vejo nenhum digno de meu voto. nenhum que tenha feito coisas que realmente melhorassem a vida da maioria. como já falei em meu blog: “Sei que não posso acabar com a industria(lêe-se também politicos) mas não preciso depender dela(deles)”

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Cristiane Prizibisczki

    Olá, Willian. Meu nome é Cristiane e sou jornalista do site O Eco. Trabalho especificamente com a cobertura de temas sobre meio ambiente urbano/mobilidade, etc. Fiquei muito interessada no seu casamento sobre bike e gostaria de conversar mais com vc sobre isso. Se puder entrar em contato via e-mail eu agradeço demais.
    Abs

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Zeca

    Cara, lendo esses seus textos (e de outros blogs sobre o assunto que também acompanho), dou graças à Deus por morar bem longe de Sampa…

    Já ouvi carioca dizer que o trânsito de Porto Alegre é uma maravilha (e eu já o considero insuportável). Tudo isso que vc escreve é algo que fica apenas na minha imaginação. Mas sou muito a favor da causa de vocês e com frequencia divulgo o material que é publicado para amigos.

    Parabéns, ótimo texto!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Rodrigo Nery

    Excelente texto Willian! Concordo em gênero, número e grau. A opinião deste nobre deputado é no mínimo esdrúxula haja visto a óbvia realidade que belisca todos os paulistanos cada vez que sentam em seu carro para se locomover. Aliás, de nobre esse deputado não tem nada, porque esse texto no mínimo foi pra puxar o saco de algum governador, prefeito, sei lá…. Esses caras não estão nem aí pra população mesmo. Estão trabalhando para as montadoras e seus lobbys milionários. No dia que os filhos deles (dos políticos e das montadoras) pararem no meio da marginal durante uma chuva e forem sugados por uma galeria pluvial, quem sabe eles não acordem. Daqui a pouco vai surgir um novo tipo de atentado, será o terrorismo de trãnsito. Cidadãos revoltados vão sabotar rotineiramente o sistema de vias causando um colapso maior ainda fazendo com que as pessoas desistam de ter carros. Pense como seria fácil.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Ricardo Andrade

    Cara,
    Parabéns pelo texto!
    Aqui em João Pessoa alargaram uma avenida e em menos de um ano já começou a ficar engarrafado nos horários de pico. Realmente ampliar vias não resolve os congestionamentos.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Luiza

    Realmente, esse político seria cômico, se não fosse trágico. Também, o que esperar de uma classe como essa? com raras e honrosas exceções, é claro.
    muito bom o seu texto, assino embaixo e acho que deveria ser divulgado em jornais de grande circulação desse país.
    mandou seu texto para esse digníssimo deputado que só se deu o trabalho de escrever asneiras?!

    Thumb up 0 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>