Sobre a tentativa de assassinar ciclistas em Porto Alegre

Na noite de 25 de fevereiro de 2011, a Massa Crítica de Porto Alegre, umas das oitenta e duas Bicicletadas do país, fazia seu passeio-protesto mensal, na tranquilidade de sempre, mostrando que as bicicletas também têm direito às ruas e que também somos trânsito.

Eis que um imbecil, estúpido, sem respeito à vida e provavelmente sem amor nem pela própria mãe, fica irritado porque a rua está tomada por bicicletas e não por carros.

Se fossem carros congestionando a rua, ele bateria no volante, bufaria e esperaria. Como eram bicicletas, ele se sentiu superior, achou que as bicicletas não tinham direito de ocupar a rua que ele deve ter comprado (assim como a habilitação) e resolveu ensinar uma lição a esses ciclistas baderneiros, que em vez de congestionar com um carro ficam por aí passeando de bicicleta com um sorriso na cara.

A pressa desse cidadão sem alma era mais importante que a vida das quase duzentas pessoas que estavam ali.

De dentro de seu carro, imbuído de coragem, ele tentou matar um monte de gente. Depois de passar pela massa, a valentia ficou estendida no chão junto aos ciclistas caídos, pois fugiu do local rapidamente, sem prestar socorro, provavelmente preocupado com os danos que pernas, cabeças e troncos tinham feito ao seu lindo Golf preto.

A valentia ainda não voltou até agora, já que ele não se apresentou para assumir o que fez com tanta coragem e certeza naquele momento frio. Abandonou o carro e provavelmente vai alegar que seu veículo havia sido roubado horas antes. E a justiça vai acreditar.

Apareça, seu covarde sem respeito à vida! Bata no peito e diga “fui eu sim”, se você tem tanta certeza de estar com a razão!

O ocorrido foi, sem a menor dúvida, um crime de trânsito, usando o carro como arma. Não foi um acidente, como a mídia tradicional cheia de dedos e medos insiste em relatar. Eufemismo é pouco.

A imprensa tem que perder esse medinho de ser processada ao relatar o que as imagens de vídeo mostram claramente: tentativa de assassinato sobre quase 200 pessoas, lesão corporal dolosa a cerca de 20 delas e danos materiais aos veículos de tantas outras. Por sorte, muita sorte, ninguém morreu.

Diretor da EPTC diz que órgão não foi avisado sobre pedalada coletiva“ – Click RBS
Claro que não foi avisado! Preciso de autorização pra sair de bicicleta na rua? Por que uma rua cheia de bicicletas é um absurdo e todas as outras entupidas de carros todos os dias é normal?

Ciclistas são atropelados por carro no bairro Cidade Baixa – Correio do Povo
Matéria que chama os participantes da Massa Crítica de “atletas”. Claro. E todo mundo que dirige é “piloto”.

Ciclista diz ter pedido calma a homem antes dele atropelar 10 – Terra
O pior dessa matéria são os comentários.

Delegado critica movimento de ciclistas atropelados no RS – Terra
Novamente, os culpados são as vítimas. Afinal, elas não dirigem como nós, só podem estar erradas. “Aqui não é a Líbia”, diz o delegado. Não, delegado. É a terra do “tudo pode quando se está de carro”.

Polícia trata atropelamento de ciclistas como lesão corporal sem intenção – Correio do Povo
Sem intenção. Certo. Então a intenção era matar, não lesionar.

Este texto comenta algumas bobagens e tendencionismos das matérias acima.

Talvez até mais do que o crime, chocam os comentários dos leitores nessas matérias. Muitas pessoas defendem o agressor, por só conseguirem se colocar atrás do mesmo volante e não no lugar das pessoas que estavam na rua quando foram colhidas pelo carro do demente. Defender um assassino como esse é ser conivente com os crimes de trânsito que tiram milhares de vidas no país todos os anos, matando mais que muitas guerras, sem ninguém dar a mínima.

São pessoas que aceitam os “acidentes” de trânsito como coisas da vida, algo inevitável, quando na verdade o são. As mesmas pessoas não deixariam mais seus filhos andarem de bicicleta na rua se sofressem um acidente que causasse uma fratura, mas permitiriam-nos dirigir mesmo tendo alguma morte ao volante na família.

É importante comentar nessas matérias, desconstruindo com argumentos sólidos os absurdos que algumas dessas pessoas comentam. Não podemos deixar que essa visão retrógrada, preconceituosa, desumana e criminosa contamine os meios de comunicação.

A bicicleta é um veículo, reconhecida como tal pelo Código de Trânsito, com direito de circulação garantido nas vias públicas e prioridade sobre veículos automotores. E, por mais que os ciclistas estivessem completamente errados em usar a rua, isso não daria a qualquer motorista, mesmo que estivesse em uma viatura policial, de passar derrubando a todos como pinos de boliche, demonstrando total desrespeito à vida e falta de preparo para viver em sociedade.

A matéria abaixo mostra como ficou o carro do assassino e diz que a polícia já identificou o proprietário do carro, mas não sabe se era ele mesmo quem estava dirigindo. Mas porque não foram atrás, para prendê-lo em flagrante? Ele está foragido ou não interessa à polícia o flagrante?

Uma pessoa assim é um perigo a todos à sua volta. Não deve nem responder o processo em liberdade, pois corre-se o risco de, ao ver outro ciclista passando na rua, ter um novo acesso de ódio e dessa vez ter sucesso na tentativa de homicídio.

A primeira medida a ser tomada é revogar seu “porte de arma” (seu direito de dirigir). Temos que cobrar punição exemplar para esse criminoso, para evitar que crimes como esse continuem sendo tratados com “acidentes” e como algo inevitável, que faz parte da vida.

Não quero que algo assim faça parte da minha vida. E você, aceitaria algo assim na sua?

Não podemos nos calar.

Saiba mais

- Siga o Vá de Bike no twitter.

- Acompanhe no twitter a tag #naofoiacidente. Ao tuitar comentários e links sobre o assunto, por favor use essa tag.

- Visite o site da Massa Crítica de Porto Alegre e siga seu twitter. Eles estão colocando informações novas no ar conforme elas chegam. O caso já repercutiu até no exterior.


45 comentários para Sobre a tentativa de assassinar ciclistas em Porto Alegre

  • Incrível!! No Reino Unido motorista de onibus é condenado e preso por ter atropelado um ciclista de propósito.

    http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=316491

    Já aqui no Brasil……

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • [...] Com este lema, a Bicicletada de São Paulo saiu mais uma vez para dar a sua palavra. Mas desta vez a massa participou de algo muito maior. Foi na Bicicletada de Março que ocorreu a Concentração Cidadã Internacional por Ruas Seguras (“Concentración Ciudadana por Calles Seguras”), proposto pelos colegas de Veracruz, México. A ideia foi fazer uma pedalada em manifesto ao abuso das pessoas no trânsito perante os ciclistas e pedestres, além de trazer um ato simbólico pelo triste fato que se passou em Porto Alegre em Fevereiro. [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] certa sobre os perigos de planejar a cidade desse jeito. Eu sou produto dessa cultura. Eu e o bancário Ricardo Neis, 47, que atropelou os ciclistas da Massa Crítica de Porto Alegre. Ele estava puto porque 200 ciclistas pedalando pela cidade estavam atrapalhando seu [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] São Paulo participará pela quarta vez desse movimento internacional. Com o nome de Pedalada Pelada, o objetivo da manifestação é chamar atenção para a situação de quase invisibilidade do ciclista na cidade, tanto por parte dos motoristas como pelo poder público. Mesmo com mais de 300 mil viagens diárias (e isso em 2007!), a infraestrutura para o ciclista na cidade é ínfima e voltada ao lazer; mesmo com leis que obrigam distância ao ultrapassar o ciclista e garantem seu direito a circular na rua, há uma morte a cada 5 dias na cidade; mesmo sendo uma vida equilibrada em duas rodas a compartilhar a via, ainda há quem agrida o ciclista propositalmente. [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] a ciclistas, como a de Ricardo José Neis, ocorrem sim. E não são novidade. Mas a imprensa insiste em disfarçá-las como [...]

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • Fernanda

    Acabei de ver “bicicleteiros” em frente à minha rua, e dessa vez a EPTC vindo atrás, é assim que se faz! Parabéns!!

    Thumb up 1 Thumb down 1

  • Fernanda

    Nossa, mas eu não devo estar conseguindo ser clara mesmo! Eu disse que eu só ando em parques, e não que lugar de bicicleta é no parque! E tenho medo sim de andar na rua, algo que vocês pelo exemplo do que ocorreu deveriam ter também. Nunca se sabe que tipo de maluco pode estar vindo atrás. Não me levem a mal, mas há um grande problema de entendimento aqui. Em qualquer lugar do Brasil quando vai se fazer um manifesto deve-se informar as entidades responsáveis pela segurança. Isso foi feito?Entraram em contato com essas entidades? de acordo com a imprensa, não. Se for verdade que não informaram ninguém, merecem o título de irresponsáveis, mas não de baderneiros. O que não significa que eu esteja dizendo que vocês foram os responsáveis pelos atropelamentos, até porque vocês foram os alvos do motorista do carro.Informar, não é o mesmo que pedir autorização, e ninguém está dizendo que bicicletas devem pedir autorização pra passear na rua, contudo, vamos ser sinceros, aquilo não foi um passeio, estava tudo combinado, e era um protesto.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fernanda

    Torço muito que consigam educar pessoas do tipo do homem que atropelou várias pessoas em porto alegre, ía fazer um bem enorme até mesmo pra quem não anda de bike, mas devo admitir que acho muito complicado, meio utópico até. A faixa de segurança também era pra ser respeitada e até agora…
    Eu ando de bicicleta apenas em parques, não ando pela rua com os carros, até porque pelos motivos acima expostos tenho medo. Mas…sonhar não custa nada…
    Boa sorte!

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • Guilherme

      Uns pecam pelo excesso, outros pela omissão. Você se encontra no segundo grupo, Fernanda.
      Preguiça de quem acha que lugar de bike é no parque. Mesmo.

      As coisas não viram verdade, só porque a gente quer que elas virem verdade. Mas pra mudar o que quer que seja, é preciso querer e ter vontade.
      Gosto de achar que eu, e todos que usam bike no dia-a-dia, estamos mostrando, pelo exemplo, que é possível viver de outra forma. Que era, aliás, o que os “baderneiros irresponsáveis” de Porto Alegre estavam fazendo ao serem atropelados por aquele animal.

      Thumb up 0 Thumb down 0

  • O CTB pode ser lido aqui mesmo no Va de Bike. O Willian é um cara generoso, em algum lugar ele colocou links pra gente.

    Esse vídeo http://video.google.com/videoplay?docid=2691231249038062205# é obrigatório para todos que querem saber sobre mobilidade urbana, cicloativismo, cidades para pessoas.
    Mostra a transformação de Bogotá e como são as cidades de Copenhagem e Amsterdam.
    Entrevistas com pessoas das cidades e o ex-prefeito Peñalosa.
    Em Bogotá há alguns capacetes, mas conte quantos vc verá em Copenhagem.

    Uma busca rápida por vídeos no Google nos traz cenas de bikes em países ‘de primeiro mundo’, e quase ninguém usa capacete. Exceção à quem está aprendendo (crianças) e esportistas (que não estão praticando nas ruas ou calçadas, é claro).

    Capacete não salvou a vida da Márcia, nem de milhares de outros ciclistas. Salvou a minha uma vez por causa de um tombo. Mas nao ajudaria muito com um onibus em cima de mim.

    A Massa Critica em POA nao era um passeio. Era mesmo um protesto. Uma passeata feita sobre bikes. Na Bicicletada de Sao Paulo muitas vezes tomamos toda a rua, mas em breve liberamos metade da via. Se fosse uma procissão ou velório, vc usaria os mesmos argumentos, para justificar o comportamento carrocrata?

    Ótimo que vc tenha dado a sua opinião, mas nao deixa de ser pueril. Não se coaduna com fatos.

    Além do espírito de vira-lata: os gringos é que são educados, e lá é tudo limpo e organizado… Pois que comecemos a mudar a nossa casa entao. Se o outro é deseducado, que eduquemos ele, pois.

    Saudações

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fernanda

    Cada um pensa o que o achar melhor, eu apenas dei a minha opinião e pelos comentários desreipeitosos que li só confirmei o que havia dito. Não temos comportamento de primeiro mundo, se não conseguimos nem respeitar opiniões divergentes, não me estranha as atrocidades que tem acontecido por aí…a propósito: não sou a favor da penalização de menores de 18 anos ( e se fosse, certamente teria muito mais embasamento do que uma pessoa que chama outra de porta teria), já morei em países de primeiro mundo e lá, de fato, as bicicletas andavam conjuntamente com os carros, mas era obrigatório o uso de capacetes( sendo sujeito à multa), assim como aqui é para as motos, nesses países é possível isso porque se alguém aqui já morou fora saberia que a educação deles, como eles tratam uns aos outros dá de 1000 a 0 no povo aqui.Em nenhum momento eu disse que crianças não devem andar de bicicleta, disse que não concordo com crianças, ainda sem capacete, participando de movimentos de protestos. Sobre as normas de circulação das bicicletas, aconselho darem uma lida no CTB.
    Pelo amor de Deus pessoas, já existe uma “guerra”no trânsito pra quem anda de carro, discussões no trânsito ocorrem todos os dias, todo mundo sempre com pressa, nem a faixa de segurança é respeitada! Enquanto os gaúchos tiverem essa mentalidade eu não me sentiria segura de permitir que meu filho andasse pelas ruas de porto alegre de bicicleta.
    Mais uma vez reitero: não há justificativa para o que esse homem fez, foi um absurdo e ele deve ser responsabilizado por isso. O que a gente acredita não vira verdade só porque pra gente é verdade.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Senhorita Fernanda, se menores de 18 anos não tem legitimidade para nada o que faz tão púbere moçoila nessa internet tão perigosa?

    À parte de pilhérias, furto-me de explicar o óbvio gritante. Não terá serventia nenhuma. Melhor eu tentar conversar com a porta, que ao menos sabe abrir-se.
    Tarefa tão árdua e ingrata eu deixo aos companheiros, sempre melhores na verve. Vai, galera! comentem ae!

    (aposto que a senhorita é a favor da penalização de menores de 18 anos, né? não sei.. é um palpite)

    A EPTC já pediu pelo Twitter para que ciclistas parem de ligar avisando que vão sair para pedalar nas ruas.

    Saudações e bom pedal a todos

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • Engraçado dizer que bicicleta em movimento “tranca rua”… O que tranca a rua é carro forte estacionado em fila dupla… Só a bicicleta destranca a rua para as pessoas. Seguindo devagar e sempre.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • ah é, né, Fernanda… porque lugar de menores de 18 anos é dentro do carro do pai assassino mesmo…
    ah, faça-me o favor!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Fernanda

    Com certeza, nada, mas NADA, justifica o que esse indivíduo fez, mas também não se pode denominar de “passeio” um agrupamento de ciclistas que visam obter ciclovias nas ruas de porto alegre. Seria mais apropriado chamar de protesto. A propósito, segundo a EPTC, o movimento teria que solicitar apoio antes de simplesmente irem às ruas. É incrível como ainda tem gente que não conhece, ou não quer admitir como de fato é o comportamento de muitos brasileiros. Não somos um país com comportamento de primeiro mundo, infelizmente! Talvez se a EPTC estivesse lá isso poderia ter sido evitado. A permissão para bicicletas circularem nas vias se restringe aos bordos da pista de rolamento, quando não houver ciclovias (o que é o nosso caso) e não autoriza que bicicletas tranquem completamente a passagem dos outros veículos. O direito de um acaba quando começa o do outro. Acho muito válido que seja feito um movimento em prol dos bicicleteiros, que também, assim como os carros têm direito de circularem, mas acho que para isso tem que fazer da forma correta. Menores de 18 anos, que não tem legitimidade pra nada, não deveriam estar junto, principalmente crianças pedalando sem capacete. Enquanto vocês não respeitarem o básico, não conseguirão o que querem, pois mostram desorganização e descumprimento de certos preceitos.

    Thumb up 0 Thumb down 0

    • tiago barufi

      que lógica é essa, a culpa é das crianças sem capacete? Faça-me o favor…. E antes de criticar o comportamento de brasileiros, por que você não se inspira um pouco nas sociedades europeias onde carros e bicicletas convivem de forma um tanto mais evoluída?
      Por que algumas pessoas insistem na tese de que a culpa é das vítimas?

      Thumb up 0 Thumb down 0

    • Humberto

      Fernanda, você disse “Não somos um país com comportamento de primeiro mundo, infelizmente!”. Procure imagens desses países (e.g. Holanda, Dinamarca) e você verá várias pessoas trafegando de bicicleta sem capacete. Lá não é obrigatório, pois há respeito entre as pessoas no trânsito, sejam elas ciclistas, motoristas ou pedestres. E crianças são incentivadas a pedalar.

      Thumb up 0 Thumb down 1

  • Humberto

    Cenário fictício, autoria de um amigo meu: “Um motorista de carreta vê seu caminho impedido por dezenas de carros num engarrafamento, sem paciência, fica estressado com a lentidão e resolve acelerar pra cima dos carros, jogando carros para todos os lados. Outros motoristas de carreta concordam que o estressado estava errado e exagerou, mas dizem que os carros não deveriam estar ali quase parados, atrapalhando o trânsito deles, afinal eles são maiores e mais potentes que aqueles carrinhos todos. E o imposto que uma carreta paga é muito maior que o imposto que um carro paga. Portanto, carretas têm muito mais direito de trafegar em qualquer lugar que um carrinho minúsculo.”

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • [...] certa sobre os perigos de planejar a cidade desse jeito. Eu sou produto dessa cultura. Eu e o bancário Ricardo Neis, 47, que atropelou os ciclistas da Massa Crítica de Porto Alegre. Ele estava puto porque 200 ciclistas pedalando pela cidade estavam atrapalhando seu [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Alexandre Lambert

    Os primeiros vídeos acima, estão dando erro, não consegui acessá-los. Há alguma ordem judicial impedindo que se veja os vídeos? Um psicopata desse tipo, tem de ser preso e ter a carteira de motorista cassada, probido pelo resto da vida de dirigir. Ainda bem que ninguém morreu. Minha solidariedade às vítimas e a todos os ciclistas. Que aliás deveria ser o veículo mór das grandes cidades, menos poluição de todos os tipos e uma grande melhora nos índices de saúde da população.
    Alexandre Lambert
    P. S. O Delegado perdeu uma boa oportunidade de ficar calado, e deveria no mínimo ficar sem o cargo durante um bom tempo. Companheiro Tarso Genro assuma esse caso pessoalmente, por favor! É o que lhe pede, um membro da corrente Mensagem ao PT.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] se reuniram na Praça do Ciclista nessa segunda-feira, 28 de fevereiro, para manifestar seu apoio ao grave episódio ocorrido em Porto Alegre. Entenda melhor os motivos da [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Luiz Alberto

    Uma outra sugestão é a seguinte: Esse demente é funcionário PÚBLICO do Banco Central. Poderia ser feito um abaixo-assinado exigindo a sua DEMISSÃO IMEDIATA! Eu me recuso a ficar pagando salário pra um cara desses, ainda mais agora que ele vai usar esse dinheiro para contratar advogados sacanas pra livrar ele da cadeia. Fica ai a sugestão, espero que ela seja acatada!

    Abraços, e INFELIZMENTE devo dizer que sou motorista de carro, mas tenho um enorme respeito pelos ciclistas, e meu sonho, que espero viabilizar logo, é ir ao trabalho de bike!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Pinduca

    Cara… soube apenas hoje pela manhã do acontecido… o pessoal do meu trampo, sabendo que sou ciclista urbano me avisou e mostraram o vídeo… caí em rantos como criança… e ainda choro quando vejo o mesmo… contem comigo para qualquer manifestação, em qualquer hora, em qualquer lugar!

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • O que esse troglodita fez é um completo absurdo, e nem mesmo deveria ser dado direito à explicação. Ninguém precisa de explicação, precisamos é que a justiça brasileira faça o que deve fazer. O sujeito não é “suspeito”, é culpado, e não é por lesão corporal, mas sim de tentativa de assassinato de dezenas de pessoas.

    Quem está errado? Eu, que ocupo a pista dos carros com um carro, ou as bicicletas, que tem seu direito garantido à circulação em vias públicas pelo CTB? NENHUM DOS DOIS, as vias de todo o sistema viário brasileiro devem ser divididas, e todos tem o direito de ir e vir em qualquer veículo que seja amparado pela lei, motorizado ou não. Pra mim, a pena dele deveria ser aplicada na hora: linchamento!

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Guilherme

    Ah, sim, e deram um tapa na lataria do carrão dele.
    Agora está explicado.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Guilherme

    E eu, que estimulo meu filho de 13 anos a adotar a bike como meio de transporte?
    Sempre fico com a pulga atrás da orelha, pensando se o que eu estou fazendo não é uma insensatez.
    Fico sempre pensando no que aconteceria se um animal desses pegasse meu filho ou a minha esposa.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] nossa indignação com a impunidade dos crimes de trânsito no Brasil, especialmente após a tentativa de assassinato de ciclistas ocorrida em Porto Alegre na última [...]

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • No próximo dia mundial sem carro, que tal sairmos espalhando correntes entre os postes para deixar os carros travados. As pessoas iam parar horas nos carros e iam perceber que carro é uma loucura!

    Esse meu plano só tem uma falha, as pessoas já ficam paradas no transito todos os dias e não cai a ficha…

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] Vá de bike tem mais sobre o caso: aqui. 28 de fevereiro de 2011 em Ativismo, Bike     « Mão na cara ou cara [...]

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • [...] nossa indignação com a impunidade dos crimes de trânsito no Brasil, especialmente após a tentativa de assassinato de ciclistas ocorrida em Porto Alegre na última [...]

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • Aline

    Bicicletas são o veículo mais ecologicamente correto que existe. Não poluem, não agridem o meio ambiente e ainda fazem bem à nossa saúde. Mas dá medo sair pedalando pelas ruas sabendo que tem gente totalmente sem respeito pela vida alheia. Nem pressa e nem ‘tentativa de defesa do filho’ (o advogado dele anda dizendo isso) justificam uma barbaridade dessas. O delegado não precisa tomar nenhum depoimento para ter a certeza de que houve a intenção de matar, é só assistir ao video. E outra, até parece que o motorista canalha vai dizer: ‘sim, delegado, eu tive a intenção de matar as pessoas q estavam de bicicleta’… ele vai alegar qualquer besteira e esse delegado molóide ainda vai fingir que acredita…

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Wladimir Fontes

    Será que “a Líbia não é aqui” ?

    Que tal mobilizarmos uma manifestação histórica de amplitude nacional de indignação com o ocorrido e por respeito a Vida e ao direito de ir e vir, mesmo que seja de bicicleta?

    Será que não conseguimos isto ou somos “sub-cidadãos”?

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] viu, vejam as cenas chocantes dos vídeos que tem neste texto (principalmente o primeiro vídeo!): http://vadebike.org/2011/02/tentativa-de-assassinar-ciclistas-em-porto-alegre/ As cenas são assustadoras e tem sensibilizado muita gente do Brasil todo. E sabe o que é mais [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] viu, vejam as cenas chocantes dos vídeos que tem neste texto (principalmente o primeiro vídeo!): http://vadebike.org/2011/02/tentativa-de-assassinar-ciclistas-em-porto-alegre/ As cenas são assustadoras e tem sensibilizado muita gente do Brasil todo. E sabe o que é mais [...]

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Wladimir Fontes

    Não podemos deixar quieto, se o nada acontecer com o “valentão de carcaça”, vai abrir um precedente moral perigoso e mais ciclistas serão alvo do ódio de quem acredita que o motor a combustão inventado no século XIX é mais “porguesso”(sic)que a bicicleta inventada no mesmo século, álias.
    Pelo menos moralmente o “valentão de carcaça” vai ter que “falar fino”.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • É que POA é táo próximo de SC, onde impera a lei do Luis Carlos Prates, o extinto, suponho.
    Foram tantas liçoes dadas via RBS TV, que, claro, impossível náo pegar as melhores aulas.

    Prates está fazendo história. Vamos observando!
    Ah! e eu quero a cabeça desse criminoso feroz.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • [...] nossa indignação com a impunidade dos crimes de trânsito no Brasil, especialmente após a tentativa de assassinato de ciclistas ocorrida em Porto Alegre na última [...]

    Thumb up 0 Thumb down 1

  • [...] Sobre a tentativa de assassinar ciclistas em Porto Alegre [...]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Edson Yamada

    O dono do carro, que confirmou ser o condutor no momento do incidente, vai se apresentar nesta segunda: http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=262543

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • leonardo Chamovitz

    Tá com pressa? vai de bike
    Quer matar alguem? vai de carro.

    Esse cara vai sair impune com certeza, ou vai pagar umas 4 cestas basicas e ficar tudo bem, haja visto o atropelamento do filho da Cissa… Ou o cara que atropelou Lars Grael (de lancha) e nao passou nem um dia preso.

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Alexandre

    Transcrevo abaixo e-mail encaminhado a UCB em 26-02-2011:

    Prezado corpo diretivo da UCB, colaboradores, outras entidades representativas e movimentos pró-bicicletas,

    Acredito que diante do acontecimento do último dia vinte e cinco de fevereiro do corrente ano, na cidade de Porto Alegre, (http://www.youtube.com/watch?v=hRPFtU1erk0
    http://noticias.r7.com/cidades/noticias/grupo-de-ciclistas-e-atropelado-por-carro-no-rs-20110226.html
    http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/02/grupo-de-ciclistas-e-atropelado-em-porto-alegre.html ) quando um egoísta, egocêntrico e assassino, de forma intencional atropelou com seu carro um grupo de ciclistas, não basta à comunidade ciclística e pró bicicleta se indignar, é necessário algo mais, é necessário ação e atitude!

    Acredito que UCB junto com outras entidades representativas e movimentos, devem de forma ágil promover uma grande articulação nacional no intuito de chamar atenção e sensibilizar a sociedade, bem como pressionar a identificação e a punição exemplar desse motorista.

    Acredito ser necessário:
    buscar uma boa acessória jurídica para representar as vítimas; elaborar um manifesto na forma de abaixo assinado nacional a ser encaminhado ao poder público e a imprensa; realização de atos de protesto e reivindicação em várias cidades no mesmo dia e horário (não pode faltar a imprensa); confecção de camisetas e panfletos alusivos ao caso para serem utilizados pelos vários grupos nas várias cidades (as camisetas podem ser comercializadas para cobrir os custos e os panfletos disponibilizados na Internet para cada grupo realizar a impressão); ter bastante persistência para continuar lembrando o caso e cobrando resultados ao longo de pelo menos 06 anos (tempo médio da eficiência dos tribunais); outras ações fruto da criatividade.

    Algo muito grande, visível e persistente deve ser feito!

    Abraço a todos,
    Alexandre.

    A título de informação:
    Condenado a seis anos em regime semi aberto, acusado de atropelamento poderá recorrer em liberdade (11/02/2010)
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/02/11/cidades,i=172980/CONDENADO+A+SEIS+ANOS+DE+PRISAO+EM+REGIME+SEMIABERTO+O+ACUSADO+PODERA+RECORRER+EM+LIBERDADE.shtml

    Detran é condenado em primeira instância a indenizar ciclista por acidente (14/01/2010)
    http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/01/14/cidades,i=166436/DETRAN+E+CONDENADO+EM+PRIMEIRA+INSTANCIA+A+INDENIZAR+CICLISTA+POR+ACIDENTE.shtml

    Município do Rio de Janeiro indeniza ciclista que caiu em buraco (22/07/2009)
    http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2009/07/22/ult5772u4716.jhtm

    Dano moral e estético para ciclista colhido no acostamento (07/04/2009)
    http://www.direito2.com.br/tjsc/2009/abr/7/dano-moral-e-estetico-para-ciclista-colhido-no-acostamento

    Justiça indeniza ciclista ferido em lombada não sinalizada (11/03/2009)
    http://www.viaciclo.org.br/portal/noticias/46-noticias/247-ferido

    Prefeitura de São Carlos/SP indeniza família de ciclista que morreu ao cair em buraco (07/01/2009)
    http://www.viaciclo.org.br/portal/noticias/46-noticias/187-prefeitura-indeniza

    Empresa de ônibus indeniza família de ciclista (17/12/2008)
    http://www.jusbrasil.com.br/noticias/409350/empresa-de-onibus-pagara-r-240-mil-aos-pais-de-jovem-morta-em-acidente-de-transito

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Humberto

    Espero que não entenda mal, mas a sua frase “a rua que ele deve ter comprado (assim como a habilitação)” provavelmente não é verdadeira. Não conheço uma auto-escola que reconheça a bicicleta como veículo e que ensine os futuros condutores de veículos – que poderiam muito bem ser chamados de portadores de armas – a se corportarem na presença de um ciclista no trânsito, nenhuma que cobre nas aulas teóricas de Legislação os artigos do CBT que falam sobre ciclistas e pedestres. Só a circulação do carro importa.
    No resto o seu texto está perfeito, nada justifica trocar a pressa (pressa pra quê?) pela vida de outros sejam ciclistas ou não. Nada justifica o comportamento da imprensa e autoridades, tentando trocar o crime cometido pela alcunha de “acidente de trânsito”. Nada justifica aceitarmos tantos “acidentes” em nossas ruas. Nada justifica que nós, que não estávamos presentes a cena, aceitemos calados tal barbárie.

    Força a todos!

    Thumb up 1 Thumb down 0

Enviar resposta

  

  

  

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>