A bicicleta como solução para problemas dos americanos – e nossos também!

How bikes can save us

Clique para ampliar

Quem pensa que a luta para incentivar o uso da bicicleta nas cidades é puramente ideológica, “anticarro” ou baseada em discursos “ecochatos” está profundamente enganado. Quem pedala sabe, mesmo inconscientemente, que o hábito de manter o corpo sempre em exercício traz muitas outras vantagens, para o indivíduo e para a sociedade. Foi o que um grupo de designers da Co.Design quis mostrar ao formular estes infográficos.

Com base em dados do Healthcare Management Degree, os americanos formularam dados sobre as vantagens do uso cotidiano da bicicleta, os números revelam o potencial deste meio de transporte para solucionar problemas individuais e coletivos, como perda de peso, melhora na saúde, diminuição do tempo de viagem, redução de gastos individuais e redução de custos do governo.

Segundo o estudo, 90% dos americanos vão ao trabalho de carro, enquanto apenas 0,6% usam a bicicleta. “Americanos dirigem a todo lugar, apesar do fato de 70% dos deslocamentos de carro serem menores que 2 milhas (aproximadamente 3km)”, diz o infográfico, e “os carros estão nos matando”, em referência às mortes causadas pela poluição do ar.

Vá de bicicleta

Nesse cenário, as bicicletas são apontadas como saída simples e objetiva para os problemas, no tempo, no espaço e no dinheiro: “salvando vidas e notas de dólar”.

O grupo também fez uma relação comparativa entre os índices de obesidade de alguns países e o seu uso da bicicleta como meio de transporte.

Lembram ainda que doenças causadas em decorrência da obesidade já são a segunda maior causa de morte nos Estados Unidos, perdendo apenas para o tabaco. O desestímulo ao uso excessivo do automóvel está diretamente ligado a ambos os casos, por isso as iniciativas pró-bike em muitas cidades americanas.

Clique para ampliar

Enquanto nos EUA 31% da população é considerada obesa, apenas 1% dela usa a bike para se deslocar. A comparação é feita considerando índices da Holanda e Alemanha, dois países-referência quando o assunto é mobilidade urbana.

Esses dados revelam que a inclusão legítima e definitiva das bicicletas nos Planos de Mobilidade das cidades brasileiras, vai além, muito além da vontade em resolver o problema dos congestionamentos causados pelos carros (inclusive os elétricos, para não nos enganarmos com greenwashing).

Vantagens efetivas

Mesmo com todo o apelo lúdico, romântico e envolvente que ronda o universo da bicicleta, seus benefícios são práticos, objetivos e racionais. As vantagens de estimular seu uso com segurança traz benefícios a curto, médio e longo prazos para qualquer política pública decente. Sem romantismo, nem ativismo.

Humanizar as ruas, seja reduzindo a velocidade dos carros ou trazendo pedestres e ciclistas para ocupar o espaço que é de todos, tem influência direta nos assuntos relacionados a segurança pública, saúde, bem estar, sustentabilidade e qualidade de vida.

clique para ampliar

clique para ampliar

É possível mudar o modelo?

A cidade de Portland é citada como um exemplo de que isso é possível. Mesmo num país onde se iniciou a produção em massa dos automóveis e em que sua população tem o carro como parte intrínseca de sua cultura, é possível conquistar avanços e aumentar o uso da bicicleta.

O último infográfico da série mostra que Portland se tornou a cidade com maior percentual de viagens em bicicleta e projeta uma economia anual de US$ 400 milhões em 2040. Hoje, essa economia já passa os US$ 50 milhões.

Série Lições de Nova York
Evolução da bicicleta em NY mostra semelhanças impressionantes com SP
Ciclovias reduzem congestionamentos e aumentam velocidade dos carros
Nova York reduz velocidade de tráfego para 40 km/h
Com vontade política e foco correto, é possível transformar as cidades
Nova York pretende zerar mortes no trânsito em dez anos
As mudanças de Nova York, em vídeo
Nossas cidades podem mudar para melhor hoje mesmo – e sem gastar muito

8 comentários para A bicicleta como solução para problemas dos americanos – e nossos também!

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>