A bicicleta como solução para problemas dos americanos – e nossos também!

Apoie nosso trabalho,
doe um libre!

How bikes can save us

Clique para ampliar

Quem pensa que a luta para incentivar o uso da bicicleta nas cidades é puramente ideológica, “anticarro” ou baseada em discursos “ecochatos” está profundamente enganado. Quem pedala sabe, mesmo inconscientemente, que o hábito de manter o corpo sempre em exercício traz muitas outras vantagens, para o indivíduo e para a sociedade. Foi o que um grupo de designers da Co.Design quis mostrar ao formular estes infográficos.

Com base em dados do Healthcare Management Degree, os americanos formularam dados sobre as vantagens do uso cotidiano da bicicleta, os números revelam o potencial deste meio de transporte para solucionar problemas individuais e coletivos, como perda de peso, melhora na saúde, diminuição do tempo de viagem, redução de gastos individuais e redução de custos do governo.

Segundo o estudo, 90% dos americanos vão ao trabalho de carro, enquanto apenas 0,6% usam a bicicleta. “Americanos dirigem a todo lugar, apesar do fato de 70% dos deslocamentos de carro serem menores que 2 milhas (aproximadamente 3km)”, diz o infográfico, e “os carros estão nos matando”, em referência às mortes causadas pela poluição do ar.

Vá de bicicleta

Nesse cenário, as bicicletas são apontadas como saída simples e objetiva para os problemas, no tempo, no espaço e no dinheiro: “salvando vidas e notas de dólar”.

O grupo também fez uma relação comparativa entre os índices de obesidade de alguns países e o seu uso da bicicleta como meio de transporte.

Lembram ainda que doenças causadas em decorrência da obesidade já são a segunda maior causa de morte nos Estados Unidos, perdendo apenas para o tabaco. O desestímulo ao uso excessivo do automóvel está diretamente ligado a ambos os casos, por isso as iniciativas pró-bike em muitas cidades americanas.

Clique para ampliar

Enquanto nos EUA 31% da população é considerada obesa, apenas 1% dela usa a bike para se deslocar. A comparação é feita considerando índices da Holanda e Alemanha, dois países-referência quando o assunto é mobilidade urbana.

Esses dados revelam que a inclusão legítima e definitiva das bicicletas nos Planos de Mobilidade das cidades brasileiras, vai além, muito além da vontade em resolver o problema dos congestionamentos causados pelos carros (inclusive os elétricos, para não nos enganarmos com greenwashing).

Vantagens efetivas

Mesmo com todo o apelo lúdico, romântico e envolvente que ronda o universo da bicicleta, seus benefícios são práticos, objetivos e racionais. As vantagens de estimular seu uso com segurança traz benefícios a curto, médio e longo prazos para qualquer política pública decente. Sem romantismo, nem ativismo.

Humanizar as ruas, seja reduzindo a velocidade dos carros ou trazendo pedestres e ciclistas para ocupar o espaço que é de todos, tem influência direta nos assuntos relacionados a segurança pública, saúde, bem estar, sustentabilidade e qualidade de vida.

clique para ampliar

clique para ampliar

É possível mudar o modelo?

A cidade de Portland é citada como um exemplo de que isso é possível. Mesmo num país onde se iniciou a produção em massa dos automóveis e em que sua população tem o carro como parte intrínseca de sua cultura, é possível conquistar avanços e aumentar o uso da bicicleta.

O último infográfico da série mostra que Portland se tornou a cidade com maior percentual de viagens em bicicleta e projeta uma economia anual de US$ 400 milhões em 2040. Hoje, essa economia já passa os US$ 50 milhões.

Série Lições de Nova York
Evolução da bicicleta em NY mostra semelhanças impressionantes com SP
Ciclovias reduzem congestionamentos e aumentam velocidade dos carros
Nova York reduz velocidade de tráfego para 40 km/h
Com vontade política e foco correto, é possível transformar as cidades
Nova York pretende zerar mortes no trânsito em dez anos
As mudanças de Nova York, em vídeo
Nossas cidades podem mudar para melhor hoje mesmo – e sem gastar muito
Gostou da matéria? Doe um libre
e ajude nosso projeto a continuar!

9 comentários para A bicicleta como solução para problemas dos americanos – e nossos também!

  • José Rubens BAtistella

    Eu tenho 66 anos de idade. Jà aposentado. Vi na bicicleta um meio de fazer esporte e sair da rotina de ficar em casa.Pedalo há três anos. Comecei aos poucos. 10 km, e fui subindo. Na primeira vez que fui pedalar, foi complicado. Não aguentava nada. Parecia que ia morrer de tão ofegante que fiquei. Hoje, depois de três anos, pedalando, estou andando de 3 a quatro vezes por semana a base de 40 km por dia. Aos sábados eu e minha galera de idosos, estamos pedalando a base de 70 km por sábado. As vezes vou sozinho para ver meu desafio. Tenho andando a média de 120, 116. 90 km, cada fez que me faço um desafio. Pergunto, para quem puder me responder. Isso , devido a minha idade me faz bem ou mal, andar longas distancia. Confesso que faço esse percurso na boa, levo controlado meus batimentos cardíacos. Corro algum risco ? Quais os benefícios e os prejuízos que posso estar cometendo. Amo andar de bike.Amanhã, dia 30/7/2017, vou percorrer uma distância de 60 km para ir e 60 para voltar, totalizando 120 km.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • Milton Wendel

    Quando alguém vai de bicicleta é um carro a menos para congestionar as ruas. Bicicleta é bom até para quem vai de carro.

    Thumb up 1 Thumb down 0

  • kesia

    🙂 🙂 🙂 🙂 🙂 (=’o’= ) galera fica aqui minha dica para quem quer perder peso eu segui as dicas deste site que descobri á uns 2 meses atrás, e já consegui emagrecer 7 Kg as dicas são mesmo boas, quem quiser ver o vídeo com as dicas para emagrecer dietadaprincesa.com DIETA DA PRINCESA 🙂 🙂

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Bicicleta: da história à mobilidade urbana sustentável – parte I | Aqui se fala português

    […] fechar, deixo um artigo para pensar um pouco sobre o nosso papel na responsabilidade pela mobilidade […]

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Rosana

    Reparem no cartaz. Diz que a Europa frequentemente incentiva o uso da bicicleta tornando o uso de carros inconveniente.E, para reforçar as boas estatísticas (pros americanos, pelo menos), sugiro a leitura deste post: http://pedaladas.wordpress.com/2012/07/30/indianapolis-500/

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • Aline Cavalcante

    :):):)

    Thumb up 0 Thumb down 0

  • RicardoLaudari

    Aline, parabéns! Trazer informações como essa é sempre importante para que nos embasemos nas discussões do dia-a-dia, mostrando o quão boa é esta opção pela bike.

    Thumb up 2 Thumb down 0

  • Adilson

    Brasileiro adora copiar americanos. Se a onda bike pegar lá, então poderá funcionar aqui também.

    Thumb up 4 Thumb down 1

  • Arthur

    Oi Aline, gostei dessa matéria.
    Muitas mudanças estão ocorrendo nos EUA, relativo ao transporte com o uso de bicicletas e menor utilização dos carros para os percursos mais curtos (conscientização). Dêm uma olhada nesse artigo que escrevi http://www.bikehype.com.br/2011/12/o-ciclismo-esta-crescendo-em-los-angeles/ que cita uma contagem de ciclistas nas ruas de Los Angeles, muito parecida com as contagens feitas no Brasil, apresentando aumento de 32% na circulação de bicicletas!
    Abraços.

    Thumb up 3 Thumb down 0

Enviar resposta

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>